Posse de bola no Facebook

Translate

quinta-feira, novembro 24, 2016

Um treinador trabalha com a certeza que a perfeição nunca chega. Até que um dia, contra um grande adversário, num lance, tudo se alinha.

Há dias em que o nome deste blogue não faz sentido. E há outros dias em que o sentido dá nome a este blogue. Porque há um lance de onde cada decisão é o que deveria, onde cada jogador aparece onde se pedia, onde cada gesto técnico corresponde ao que o jogador imaginou. A perfeição da construção à criação, apenas borrada pela finalização. Um alinhamento perfeito de todos os factores que influenciam o movimento ofensivo, que nos faz crer uma vez mais que é no Sporting que se encontra o melhor colectivo de Portugal. Apesar de não ser a melhor equipa por não ter individualidades que façam o colectivo transcender-se para lá do limite da influência do treinador.












23 comentários:

Dipeca disse...

Brilhante

Mike Portugal disse...

Eh eh eh....uma boa resposta ao post feito no Lateral Esquerdo. loool

Mas quero indicar aqui não 2 erros, mas 2 situações que trariam ainda melhores resultados:

1ª o passe de Bruno César teria sido melhor logo para Ruiz em vez de Dost, pois Ruiz já estava semp pressão e Kovacic demoraria muito mais tempo a lá chegar (apesar de ser extremamente rápido);

2ª No vídeo se parares aos 7s, onde Ruiz recebe a bola do Dost, vê-se claramente uma possivel fantástica abertura para Gelson entrar nas costas de Marcelo. Gelson ía em semi corrida para a frente, mas se tivesse um passe a solicitá-lo, papava facilmente as costas do Marcelo. Mas, Ruiz como é seu hábito a preferir um jogo mais pausado e estraga um lance que seria de GRANDE perigo para a baliza do Real;

Depois a jogada prossegue e acaba por dar outra boa jogada, mas já sem o perigo que a minha proposta daria.

Edson Arantes do Nascimento disse...

A jogada é boa e até é bonita e tudo - mas é demasiado facilitada por um adversário que é uma comédia em termos de organização, seja ela de que tipo for... Alguns frame do Real Madrid que aqui publicaste são patéticos.

Foram dois jogos em que se defrontaram equipas anacrónicas: uma é inexistente em termos colectivos e a palavra trabalho fica à porta do estacionamento mas possui qualidade individual quase inimitável, só uma ou duas equipas conseguem equilibrar a este nível; a outra é muito forte em termos de trabalho em organização mas depois é limitada individualmente, chega a ser uma comédia.

O maior elogio que se pode fazer é que a organização não ganhou duas vezes às estrelas por muito pouco... Mesmo assim ficou a sensação que podiam estar ali mais 10 horas seguidas a jogar que o Real ganharia sempre, com mais ou menos vontade.

Cantinho do Morais disse...

é tão bom ler sobre futebol...
e é tão bom ver que não fui o único a achar que Dost fez um jogo enorme.

Um plantel com melhores recursos (as contratações foram uma miséria - excepto Dost), a não insistência em nulidades como Schelotto, Marvin e Jefferson, e uma maior utilização de Geraldes, Matheus, Iuri e Wallyson (para não falar do desperdício que foi deixar sair André Martins), e este Sporting podia lutar e ganhar títulos.

Assim, verá o título fugir para quem utiliza, mais vezes, os melhores nos lugares certos.

obrigado pelo post.

Blessing disse...

Mike, "1ª o passe de Bruno César teria sido melhor logo para Ruiz em vez de Dost, pois Ruiz já estava semp pressão e Kovacic demoraria muito mais tempo a lá chegar (apesar de ser extremamente rápido)"

De acordo.

"2ª No vídeo se parares aos 7s, onde Ruiz recebe a bola do Dost, vê-se claramente uma possivel fantástica abertura para Gelson entrar nas costas de Marcelo. Gelson ía em semi corrida para a frente, mas se tivesse um passe a solicitá-lo, papava facilmente as costas do Marcelo. Mas, Ruiz como é seu hábito a preferir um jogo mais pausado e estraga um lance que seria de GRANDE perigo para a baliza do Real"

Aqui já não concordo, porque Varane tinha os apoios bem orientados para defender uma bola na profundidade. E Varane é rapidíssimo.

Blessing disse...

Edson,

" mas é demasiado facilitada por um adversário que é uma comédia em termos de organização, seja ela de que tipo for... Alguns frame do Real Madrid que aqui publicaste são patéticos. "

Há quem diga que o Zidane é um grande treinador. Ainda não percebi em que momento do jogo.

"Foram dois jogos em que se defrontaram equipas anacrónicas: uma é inexistente em termos colectivos e a palavra trabalho fica à porta do estacionamento mas possui qualidade individual quase inimitável, só uma ou duas equipas conseguem equilibrar a este nível; a outra é muito forte em termos de trabalho em organização mas depois é limitada individualmente, chega a ser uma comédia.

O maior elogio que se pode fazer é que a organização não ganhou duas vezes às estrelas por muito pouco... Mesmo assim ficou a sensação que podiam estar ali mais 10 horas seguidas a jogar que o Real ganharia sempre, com mais ou menos vontade."

Há que concordar com cada linha que escreveste aí!

Blessing disse...

Cantinho,

"Assim, verá o título fugir para quem utiliza, mais vezes, os melhores nos lugares certos."

É que é mesmo isso tudo...

Mike Portugal disse...

Blessing,

Só agora é que notei que escrevi mal.
Gelson estava bom para ganhar as costas do Varane, isso sim e não do Marcelo. O Marcelo estava muitos metros atrás.

Sim, é verdade que Varane é rapidíssimo, provavelmente terá a mesma velocidade que Gelson, mas tem o passe saído do Ruiz logo, Gelson tinha vantagem por já vir em corrida enquanto que Varane ainda teria que arrancar.

bio disse...

Bom dia,

É a velha história,o treinador é bom, mas quem joga são os jogadores.

Agora comparar isto com os treinadores anteriores é apenas para rir. Consegues equilibrar um jogo (ganhar ou perder é outro assunto) sem estares no sobressalto de pensares que vais levar 4 ou 5 a qualquer momento.

Porque o Zidane não é grande treinador, mas contra uma equipa menos organizada aquelas individualidades fariam miséria.

Um abraço,
Gonçalo Mano

Blessing disse...

Mike,

Discordo. Acho que a vantagem era residual. Só se estiveres a pensar que Ruiz iria fazer um passe pelo chão, aí sim. Mas a dificuldade disso era imensa. Pelo ar, na minha opinião, a vantagem é residual tendo em conta a forma como Varane está bem orientado e a velocidade que tem.

RMSCP disse...

Concordo, acho que o Dost tem tido mais problemas a jogar no último terço do que em ligar o jogo.

Também acho que o Gélson tem dado problemas ao jogo ofensivo da equipa por estar sempre a acelerar seja em que condições for. Ainda por cima quando temos o Bryan em campo que é practicamente o oposto disso.

Cumps

Mike Portugal disse...

Eu pensei mesmo no passe pelo chão com a bola a fazer um movimento circular passando nas costas do Varane e ficando à disposição do Gelson à sua frente enquanto ele corre para ela. O passe não é dos mais faceis, mas a qualidade técnica do Ruiz era suficiente para isso.

Blessing disse...

Será, Mike?

Gonçalo, sim. As individualidades do Madrid sozinhas derretem qualquer equipa. Mas JJ tem muito demérito nos jogadores que escolhe.

Barbosa disse...

Para ser perfeita acho que faltava uma finalização de primeira, logo de pé direito. Pelo menos no momento da jogada foi o que imaginei que acontecesse. Também partilho a opinião que o Dost não tinha tempo para receber, rodar e meter aquela bola. Mesmo que o fizesse, Varane é rapidíssimo e dificilmente ficava fora do lance, dando tempo aos restantes para recuperar. Independentemente do passe ser ou não ser possível, considero uma boa decisão ter-se continuado a construir.

Barbosa disse...

De resto realmente não se percebe certas escolhas do míster JJ. Não quis Medeiros e Podence e vai buscar por empréstimo Campbell e Markovic. E decide ficar com Zeegelar e Schelotto. Mesmo que se assuma alguma superioridade do Marko e do Joel em relação a Medeiros e Podence, essa qualidade não compensa o défice causado pelas fracas combinações que os laterais do SCP permitem. E logo num modelo onde essas combinações são tantas vezes repetidas. Até tendo em conta que nem Markovic nem Campbell têm jogado imenso (nem em quantidade nem em qualidade), não teria sido mais vantajoso ficar com os dois jovens da casa e pedir emprestados dois laterais cultos e experientes? Acho que não só o jogo ofensivo melhorava, principalmente nos jogos contra o autocarro (que são a maior parte), como se valorizava os jovens do clube, que mesmo que não sejam tão bons como os outros 2, por beneficiarem de colegas competentes à sua volta muito possivelmente até renderiam mais que o sérvio e o colombiano. Assim, têm jogado praticamente os mesmos do ano passado (Ruiz ou César a 2º avançado - nem o próprio Alan tem jogado muito) e a perderem-se inúmeras oportunidades devido às limitações de Jefferson, Schelotto, Zeegelar e JP. Já para não dizer que Gelson "por acaso" explodiu, se não ainda gostava de ver a criação do Sporting.

Blessing disse...

Matheus, Iuri, Podence... Enfim!!!

Mike Portugal disse...

Pelo que vi na pré-época (e são apenas visualizações na pré-época), o Iuri não tinha lugar na equipa devido ao número de médios que temos.

O Podence acho bem que tenha sido emprestado para termos tempo de desenvolver o Gelson e para ele próprio ter minutos de 1ª liga nas pernas. Acredito que para o ano, o Podence dará um grande contributo à equipa. O Mattheus é o jogador que tenho mais duvidas, pois ao nível da 2ª Liga é claramente superior, mas nas vezes que jogou pela equipa principal, não lhe vi nada de constante. Claramente precisava de jogar numa equipa de 1ª Liga este ano para no próximo poder dar o salto.

DM disse...

E coloca demérito nisso.

As escolhas para laterais são risíveis. A equipa do Sporting se tivesse 2 laterais em condicoes limpava tudo internamente. Aliás, nem precisavam de ser muito bons para sermos a melhor equipa de Portugal. Bastava não serem horríveis como os habituais titulares.

César disse...

Barbosa,

isso tudo que dizes é tão óbvio.. que ainda custa mais.
que desperdício de valores... que desperdício de época...
(sem falar no desperdício financeiro)

Barbosa disse...

No caso específico do Sporting não acho que "desperdício" seja a palavra, porque o nível competitivo disparou substancialmente em relação a anos anteriores. Mesmo que JJ cumpra o contrato sem ganhar títulos, o Sporting sairá sempre a ganhar com a sua contratação. Muita malta do Sporting este ano já se queixa de coisas no jogo da equipa que há 3, 4 ou 5 anos nem entravam para a discussão. Os dedos de uma mão chegam para contar os treinadores no mundo capazes de, logo no primeiro ano, fazer o sporting dar o salto competitivo que deu. Pela competência que isso exige mas também pelo conhecimento do campeonato português. Para além de Jesus só me ocorre outro que reúna as duas condições.

Mas sim, concordo que tudo isto só torna mais incompreensível certas escolhas. Aliás, essa é a principal razão porque tenho curiosidade de o ver treinar uma equipa de orçamento ilimitado.

DC disse...

E nisto destaco a temporização do Ruiz. A maior parte dos jogadores tinha aberto na linha porque era o mais fácil.

Isce Ramada disse...

Mto bom blessing,concordo.Dost sem tempo principalmente para ficar com ela e rodar para dentro.quanto ao scp e jesus,este ano nao será campeão porque nao tem individualidades que façam a diferenca(li aqui),e o ano não passado foi porque,com slimani joao mario,teo,montero?romario

Cantinho do Morais disse...

Isce,

qual Montero, aquele que não jogava?