Posse de bola no Facebook

Translate

quarta-feira, outubro 26, 2016

Há quem tente "matar" jogadores, e há quem os alimente!

"O treinador não olha a idade, mas sim o que cada jogador pode dar à equipa. Trata todos por igual. Isso, claro, dá confiança a qualquer jogador, seja qual for a idade."
Grimaldo

Para fugir aos problemas que se podem originar com a gestão do plantel, são muitos os treinadores que preferem contar com planteis curtos. Ter aqueles jogadores que consideram indispensáveis, e outros apenas para compor o grupo ainda que pouco acrescentem. Alguns, como Rui Vitória, não têm problema em aceitar o desafio de gerir egos que se nivelam em campo. Porquê? Porque é um treinador que "não olha" para os nomes na hora de escolher. Se não rendeu, se está lesionado, se está castigado, há outro jogador preparado para entrar. Tem sido sempre esse o discurso, e que jogador não gostaria de sentir essa confiança do seu treinador? E vou ainda mais longe, mais do que lançar jogadores no onze sem qualquer tipo de preconceito, independentemente da posição, Rui Vitória garante a continuidade no onze inicial a quem souber aproveitar a oportunidade que lhe deu. Que maior motivação pode um jogador ter para o treino e para o jogo do que esta? Sabendo que "nunca" ficará totalmente de parte, e que todos os momentos são importantes para conseguir ter uma oportunidade. Existirá melhor estímulo para que os jovens do Seixal sejam cada vez melhores, e estejam mais motivados a trabalhar as suas dificuldades para terem também eles oportunidade?

Teria sido possível, num passado recente, alinhar em jogos a doer com sete jogadores abaixo dos 23 anos de idade?

1 comentário:

Pedro Carmo disse...

Pois é meu caro. Como treinador de processos pode não estar ao nível de JJ, mas de resto é mesmo uma muito agradável surpresa. Jogadores assim estão motivados. Pois quando chegar a sua vez sabem que apenas dependem deles. Se trabalham bem ficam e não saiem à primeira oportunidade.
Grande RV, carrega Benfica!