Posse de bola no Facebook

Translate

quinta-feira, junho 02, 2016

A experiente selecção de Bruno Alves, ao intervalo.

Há coisas no futebol português difíceis de explicar. E uma delas é o amor que todos os seleccionadores nutrem por Bruno Alves. Será que algum deles é capaz de explicar objectivamente quais foram os critérios que os levaram a escolher tal jogador? O que é que valorizam tanto para que de forma constante faça parte das escolhas? É a forma como não perde a primeira bola, e vence os duelos no ar? É a qualidade na saída de bola? É o posicionamento? É a forma como aborda o 1x1? Serão as capacidades condicionais? Ou será a tão falada experiência? Bom.

É constrangedor olhar para a selecção, e esta não ter qualidade para construir nada que se pareça com uma jogada do jogo que estão a jogar: futebol. Nem com um adversário expectante, sem agressividade sobre a bola, e que concede todas as facilidades para sair a jogar. É uma selecção que tem a imagem do jogador que acabou expulso antes do intervalo, da forma como foi expulso: horrível. Não há qualidade em nenhum momento do jogo ofensivo, nem defensivo. Não se percebe como e onde pressionar, não se sabe como e por onde sair. Ter uma frente de ataque "móvel", com Rafa e Nani, e depois apostar constantemente em colocar os mesmos em duelos com os centrais é absurdo. Ter João Mário, Adrien, e Moutinho no meio campo ofensivo e não conseguir sair uma vez com a bola controlada é de chorar. O que a selecção apresentou nestes primeiros 45 minutos em Wembley mete dó.

De duas formas simples a pressão de Inglaterra se desfazia e abriam-se espaços para atacar com qualidade: 1) A fazer a bola circular de forma horizontal, e a bola entrar na largura. Não como fizemos com aquela proximidade entre os dois centrais onde cada passe entre si obrigava a zero movimentos no sentido de ajustar a posição para a bola da equipa inglesa; Nem tão pouco com os laterais quase na mesma linha de profundidade que os centrais facilitando a pressão dos avançados ingleses. Com os centrais abertos, com os laterais largos e profundos, com os nossos médios a criarem dúvida entre a linha avançada (Kane, Rooney, Vardy) e a linha média inglesa. 2) Atraindo a pressão e o bloco inglês para um corredor, e variando rapidamente para o corredor contrário. Preparando previamente um jogador para ficar mais largo e receber com tempo e espaço para criar, ou pelo menos construir com menos oposição, mais espaço, e em zonas bem mais adiantadas do que perto da nossa baliza.

Contra os ingleses não abrir os centrais para jogar, e apostar na primeira ou segunda bola é um crime.

13 comentários:

Blessing disse...

O que nos vale é a pobreza criativa desta selecção inglesa. Deixa os que nos podiam causar mais problemas no banco.

Miguel Pinto disse...

O kane mostrou quão mal feito foi o trabalho do seu treinador. Então ele vai meter a cabeça à bola naquele lance??? Desconhecimento total do adversário Bruno Alves...

Martelo Pneumático disse...

Grande post!
Blessing, que opinião tens sobre a evolução do Danilo? Parece-me que nos últimos meses a evolução foi notória com e sem bola, se bem que de continua a errar imenso.

Cumps

Blessing disse...

Sinceramente a mim parece o mesmo. Mas não precisamos de concordar. Se calhar estou muito longe de estar certo, e tu é que estás mais perto disso.

Abraço

Artur Semedo disse...

Diz que dá um jeitaço nos joguinhos de futevólei...

Tiago disse...

FS: "Isto com o Cristiano é diferente!" AHAHAHAH

escritor de pacotilha disse...

Erro nem foi a convocatória de Bruno Alves. Já se esperava que FS levasse jogadores que lhe dessem "garantias", mesmo que estas sejam extra-futebol.

Jogadores como Ricardo Carvalho, Bruno Alves, Quaresma, entre outros, já jogaram em fases finais e estão habituados ao regime de sequestro durante semanas, de treino e visualização de vídeo, de alimentação, etc, e que até podem servir de apoio a jogadores jovens (ou mesmo não tão jovens) que não estejam habituados a tal regime.

Erro (e grave) é continuar a levar tantos jogadores destes por cada posição, o que assegura que alguns destes tenham que inevitavelmente ser titulares.

Erro (e ainda mais grave) é deixar que jogadores que abertamente se recusaram a treinar ou simularam lesões para não serem convocados anteriormente continuem a ser convocados. É que estes exemplos criam risco moral e são um péssimo exemplo para os mais jovens. O problema é que se calhar alguns jogadores, sem os quais a selecção não existe, não poderiam ser mais convocados...

Erro bónus foi a TVI ter desperdiçado JJ a comentar um jogo tão pobre. Se era para isto, punham o Zé Mota ou o Petit a comentar.

Ricardo Perna disse...

É engraçado que o selecionador apontou um dos aspetos que referes como uma falha da seleção: ele pretendia que os "avançados" saissem de perto dos centrais, para evitar precisamente o confronto direto, abrindo espaço para laterais e médios penetrarem, e que a seleçao tinha falhado nisso...

Quanto, nestas coisas, será falta de tempo de trabalho do selecionador?

Quanto ao Bruno Alves, é a mesma história do Éder: não se percebe simplesmente... não haverá melhores centrais, ainda que menos conhecedores de artes marciais? ;)

GC disse...

Fdx o Danilo continua o mesmo pedregulho com olhos de sempre... Sempre longe dos sítios onde deve estar, opções com bola a roçar o tenebroso... Mas como o povo gosta é de super-heróis e de gajos que "sintam a camisola", um indivíduo que seja alto, forte, razoavelmente rápido, que esbraceje muito e faça cara de mau é facilmente adorado... Nunca vou compreender isto.

Blessing disse...

Ricardo, pode ser muito isso. Falta de treino. Ou falta de uma base específica nas selecções nacionais. Por exemplo, na Alemanha as selecções jogam todas a procurar as mesmas coisas. Não é culpa do seleccionador aqui, e sim da federação. Não sei de quem é a culpa, mas alguém há de ter. Tempo, federação, seleccionador, jogadores. Não sei bem quem.

Martelo Pneumático disse...

Epah não foi um elogio ao Danilo. Disse apenas que me parece ter evoluído, principalmente a defender. Já se preocupa em manter-se atrás da linha da bola, participar na transição defensiva, dar coberturas do lado da bola em vez de ficar estático à frente dos centrais, sair em contenção, fechar o espaço entre os centrais qd a bola está na linha, etc.
Mas admito estar enganado. Nem vi o jogo com muita atenção, mas já nos últimos jogos do campeonato fiquei com esta opinião.
Mas n foi um elogio ao Danilo. Aliás, para evoluir do nível a que ele se apresentou no início da época basta ter 2 dedos de testa.

Cumps

R.B. NorTør disse...

Mas na Alemanha também há duas outras coisas: por um lado uma maior percentagem de jogadores do próprio campeonato, por outro uma maior afinação entre selecção e clubes. Quanto ao primeiro ponto é estatística pura. Quanto ao segundo não concordas?

Bruto Alves é um risco desde sempre devido a este tipo de atitudes. É inaceitável. Lembro-me de ter sido uma vez expulso no campeonato turco e os comentários serem algo do género "tipo demasiado violento"... E lá as coisas entre adeptos resolvem-se ao tiro!

tiag1slb4 disse...

Jogar com um 4 4 2 em que um dos laterais/extremo/medio direito e o Adrien silva...querem o que? Já não estamos na fase de testar e inventar, há que jogar o mais próximo de estilo de jogo que vamos adotar no europeu. Com um lote de médios de grande qualidade não apostar num futebol em toda a largura, com naturais extremos, é deitar tudo a perder. Temos muitos médios de grande qualidade, mas não é a jogar com todos que vamos melhorar. Há que colocar os que mais se adaptam ao estilo de jogo da seleção. Porque colocar nani e rafa soZinhos na frente? Porque encostar Adrien a direita? Fernando santos e engenheiro, mas isto e futebol, e na seleção nesta fase, não se pode inventar tanto. Rui patrício, cedric, pepe , r carvalho, raph guerreiro. Danilo(tem que jogar, a seleção precisa das suas características defensivas, para construir temos o), Moutinho e André Gomes. Nani, João Mário e c Ronaldo. Quaresma demonstrou que tem que haver extremos para criar desequilíbrios e médios com capacidade de passe em transição. Coisa que o Sanches fez por 2 vezes, conseguir abrir o jogo. Moutinho tem de mostrar mais, o miúdo está com muita pedalada!!