Posse de bola no Facebook

Translate

quarta-feira, janeiro 20, 2016

Peseiro, terá assim tantos problemas defensivos?

Um dos principais problemas que assombra José Peseiro é a associação constante das suas equipas a problemas defensivos. Pelo número de golos que sofria, pelo número de jogos em que sofria, pelos jogos que dominava e depois acabava por perder ou empatar. Sim. Uma realidade no Sporting, mas bem diferente por exemplo em Braga. Mas, desde sempre foi tentando encontrar sustentabilidade defensiva para a forma como idealiza o ataque. Por esses motivos, mesmo na sua última passagem por Portugal quando devastou a competição enquanto teve os seus melhores jogadores disponíveis, praticando o melhor futebol da liga de muito longe, foi afastado e mais uma vez associado à processos pouco seguros e eficazes. Normalmente, quando se olha para o treinador, olha-se muito para o resultado, e pouco para o processo. Ninguém, por exemplo, se lembrou que a onda devastadora de lesões que teve levou a uma sucessão de erros individuais que colocavam constantemente o trabalho do treinador em causa. Mesmo perante os próprios jogadores. E que isso leva a dinâmicas dentro e fora do campo que o vão afastando dos lugares de notoriedade de outros. Com isto não se pretende afirmar que Peseiro é fabuloso no momento defensivo, mas lembro que numa altura em que Jesus sofria golos praticamente em todos os jogos por aqui já se afirmava com veemência que os seus processos defensivos eram do melhor que este mundo tinha visto. Então a que se deve, por exemplo, agora no Sporting, permitir que se criem situações de 1x0? Primeiro deve-se dizer que também no Benfica essas situações aconteciam. E se não eram desse tipo, eram de outro. Permitia uma, duas ocasiões por jogo. Porque o adversário também joga, porque não há soluções defensivas para todos os problemas ofensivos, e porque são os jogadores a interpretar e a colocar em prática o que o treinador transmite. Certamente que se fosse o treinador a executar sairia tudo como ele quer (ou não). Mas não o é. Os jogadores é que jogam. 

Peseiro terá no Porto a oportunidade de colocar tudo o que pensa sobre o jogo em prática. E terá, finalmente, a possibilidade de se afirmar perante quem ainda o vê como incompetente como um fantástico treinador. Dirão, depois, que é hoje um treinador diferente nas ideias do que quando passou por Braga. Relembro (Aqui) um um artigo antigo do blogue, e (Aqui) a primeira parte da mesma análise. A curiosidade será para perceber como é que Peseiro vai enquadrar o seu 1x4x4x2 losango no Porto, ou se irá alterar o sistema tendo em conta que tem à sua disposição os melhores extremos do campeonato (ainda que esses tenham facilidade em jogar por dentro, em partir de posições centrais). De uma forma, ou de outra, certamente que em alguns meses o futebol ofensivo do Porto será o melhor que este campeonato verá. 

14 comentários:

DC disse...

Muito curioso para ver o que aí vem. Pelo que disseram o Peseiro alterou a forma de defender do Sporting para o Braga. Disseram no chat que no Sporting defendia H-H. No Braga, vi a análise do LE contra o Man Utd e já era zonal. O que para mim é sinal de que continua a estudar e evoluir.
Acho que o ideal para ele seria algo semelhante aquele falso 4-3-3 do VP. Mas vamos a ver. O maior problema dele parece-me é ser um gajo "manso" que aceita tudo o que a direcção impõe. E nesse caso vai aceitar ter Herreras e Danilos no 11, se calhar.

Cristiano Messi disse...

Muita gente se lembrou da "onda devastadora de lesões que teve levou a uma sucessão de erros individuais que colocavam constantemente o trabalho do treinador em causa."

Não foi pacífica nem unânime a saída de Peseiro do Braga.
Mas sim, a "associação constante das suas equipas a problemas defensivos" não é virtual, é real.

Ele pode ter evoluído, óbvio, mas nunca esteve nem num campeonato de topo, nem numa equipa de topo, após a saída do Sporting, por forma a demonstrar essa possível evolução.

Peseiro é, uma incógnita.

Miguel Amador disse...

Discordo em o Porto ter os melhores alas. Aliás... no último jogo chegamos a ver o Brahimi a jogar ao lado do Corona, na mesma ala... Ambos são excelente pelo meio, com as alas ao cargo dos defesas laterais. Resta saber se arrisca em ter um segundo avançado (que bem pode ser também aboubakar), porque o Plantel tem soluções para isso.

Honoris disse...

Os centrais DC. E podia nem ser por indicação dele. Falo apenas do jogo dessa altura que revi. Amostra curta

Blessing disse...

DC, sim. Continua a evoluir, e sobretudo procura soluções defensivas para o que as dinâmicas ofensivas criam. Não sofreu muitos mais golos do que Jesus neste começo pelo Sporting por exemplo, nos primeiros jogos. E Jesus tem muito mais qualidade do que ele tinha, e um foco tremendo no trabalho defensivo.

Petinga disse...

O post é interessante e há de facto curiosidade em saber o que pode fazer Peseiro, mais maduro e experiente, no fcp.

Blessing, nao sei de que Jesus nem de que Sporting está a falar. Mas em 2004-2005, nos primeiros 18 jogos para a Liga, Peseiro sofreu 25 golos. Jesus sofreu 11.
E em 2012-13, nos primeiros 18 jogos pelo Braga para a Liga, sofreu 27 golos.

Blessing disse...

Peseiro Braga - 10 jogos 14 golos sofridos

Jesus Sporting - 10 jogos 11 golos sofridos

Petinga disse...

Blessing, nao devemos estar MESMO a falar da mesma coisa

Primeiros 10 jogos da Liga este ano

Sporting com Jesus - 10 jogos, 5 golos sofridos
(Tondela F, Pacos C, Académica F, Rio Ave F, Guimaraes C, 1 de cada equipa)

Comparar a eficácia defensiva do Sporting de Jesus, comeco ou final, com o Braga de Peseiro, é comparar alhos com bugalhos

Koboi disse...

E atenção que mais de metade desses golos sofridos pelo Sporting foram irregulares (académica, tondela, rio ave).

Blessing disse...

Dez jogos oficiais. Sabendo que um jogou a champions, e outro a liga Europa nesse período.

Petinga disse...

E eu que pensava que a qualidade das equipas se aferia melhor em provas de regularidade... sobretudo numa prova em que o Sporting e o Braga possuem jogadores melhores do que 85% das restantes equipas em competicao

Provavelmente o Sporting com Jesus já sofreu nas competicoes europeias mais golos do que o Braga de Peseiro em toda a temporada 2012-13. E se calhar na Taca da Liga idem aspas. Se isso faz do Sporting de Jesus algo remotamente comparável ao Braga de Peseiro defensivamente, é que eu tenho grandes dúvidas.

Blessing disse...

Sim. A comparação é essa. Mas então não se pode comparar. Uma vez que um trabalha exaustivamente o processo defensivo. 70% do tempo. Outro trabalha o ofensivo. Como disse, sempre, peseiro não é jesus. Isto é, não é nenhum às a organizar o processo defensivo. Mas, para mim, não é nada do que as pessoas dizem dele.
Por exemplo, desde a quinta jornada até bem tarde o homem não conseguiu repetir um onze. Nem sequer a linha defensiva conseguiu.

Petinga disse...

De acordo e também no que diz respeito às flutuacoes que teve no onze durante a temporada no Braga. Mas apesar de tudo isso, sofrer 44 golos em 30 jogos numa liga como a Portuguesa é dose... num ano em que o pior Sporting da história sofreu "apenas" 36. Os 60 golos marcados revelam muito do que é (ou era) a filosofia de Peseiro.

Sob risco de me enganar: duvido que faca muito mais do que consolidar o 3. lugar. Na Taca aposto numa final renhida contra o Braga de Paulo Fonseca (mas isto já seria o caso sem Peseiro). Também prevejo uma eliminatória com muitos golos contra o Dortmund. Mas nada disto tem muito de futurismo :)

Cumprimentos

Blessing disse...

O fazer melhor ou pior que o terceiro lugar, dependerá muito mais de factores externos do que da qualidade do trabalho defensivo do treinador. Melhor, ou pior. Os imponderáveis em que o Porto vive vão ditar o futuro próximo da equipa.