Posse de bola no Facebook

Translate

domingo, outubro 04, 2015

Uma derrota com o mesmo significado de uma vitória - Aprendizagem.

No primeiro jogo oficial da época o resultado foi o ajustado, e penalizou a nossa equipa por não termos sido competentes na criação de situações claras de golo. Entramos mal no jogo, ao permitir logo no primeiro minuto uma situação clara de golo ao adversário, dentro da área. E depois ao minuto três fomos penalizados com um auto-golo. A partir daí tomamos conta do jogo, não permitindo ao adversário mais nenhuma oportunidade, tirando-lhes a bola, a construir bem mas a criar mal. A tomada de decisão quando apenas restava uma linha por bater foi péssima. Ainda assim, conseguimos entrar na área por diversas vezes, mas sem conseguir ferir o adversário. Na segunda parte um erro de posicionamento num lance de bola parada dá o segundo golo deles, e o jogo foi mais do mesmo. Nós com bola, mas sem conseguir furar. Tivemos apenas uma ocasião clara de golo. A marcha do marcador é a que os vídeos indicam. Infelizmente o terceiro golo sofrido não tem vídeo e não nos permite tirar conclusões sobre o mesmo, mas é um lance em transição ofensiva deles, e a segunda ocasião clara de golo que criaram.

Mais - Muita qualidade na construção; Jogar 80% do tempo em que tivemos a bola no meio campo do adversário; Não permitir ao adversário a criação de lances de perigo em organização ofensiva; Agressividade defensiva.

Menos - Fraca capacidade de criação.

Mais ou menos - Gestão da transição defensiva: reacção à perda e controlo da profundidade (Primeira parte); Expulsão do capitão de equipa num lance em que compensa uma má abordagem de colega ao lance, que iria isolar um jogador adversário já depois do jogo estar empatado.

Golo sofrido ao Minuto 3. Sorte, Azar?! Competência, Incompetência?! Acontece.


Golo sofrido aos 50. Não é este o posicionamento treinado.


Golo marcado aos 58. É isto tipo de lances que procuramos criar. Colectivos. Finalização simples. Envolvimento de extremo (dentro) e lateral (também dentro).


Golo marcado aos 85. É este tipo de golos que procuramos evitar. Golos onde os jogadores conseguem encontrar uma solução individual que o colectivo não consegue. Fantástico ainda assim!


Este lance é o reflexo da incompetência da equipa na criação, ao minuto 92. Minuto que precede o terceiro golo do adversário.



Para seguir o campeonato é aqui!

6 comentários:

Jorge Gaspar disse...

Agr que já sei que equipa treinam, vou ver se consigo ver um jogo vosso quando tiver oportunidade.
Um abraço

Postiga disse...

O golo do empate é muito bom mas o 2-1 até parece fácil aquela circulação ( é mostrar n vezes aos miúdos). Pena o resultado, melhores virao

Carlos Eduardo Pinto disse...

No lance do primeiro golo o lateral esquerdo incorpora bem a agressividade desejada mas direccionada à bola em vez de ao espaço. O desejado seria que contivesse o movimento vertical do adversário com bola, dando tempo à equipa de passar de transição para organização ofensiva, mas o que faz é atacar a bola (vulgo "entrar à queima"). repare-se mesmo que antes de atacar a bola o lateral já perdeu a frente do lance devido à má abordagem, deixando o adversário com espaço na vertical (para onde este solta a bola) e atacando a bola com os apoios virados para a linha.
Interessante também o comportamento dos restantes jogadores da linha defensiva: o central mais próximo não vai dar cobertura, mantém posição e espera que seja outro jogador a assumir essa função.
No meu modelo de jogo a linha está "pegada" ou seja, se o LE sai em contenção, a restante linha acompanha o movimento. Se puderes comentar as vantagens e desvantagens da tua opção em relação à minha ficaria muito agradecido.
Bons treinos e continua com o bom trabalho. O meu campeonato começa no Domingo 😄 objectivo: manutenção na Honra.

Blessing disse...

Carlos, que equipa, que escalão?

Concordo com o meu extremo ter ido à queima. O lateral já estava ultrapassado. Mas também há uma sorte do caraças nos dois ressaltos do extremo deles.

O que eu quero, fundamentalmente é que a equipa se prepare para defender um cruzamento quando a bola entra naquele espaço. Por isso, não há cobertura do central, e a contenção deve ser muito bem feita para não ser ultrapassado, e esperar que cheguem apoios para depois sim ser agressivo. Foi mal feita a contenção, e assim ficamos mais expostos, logicamente. Não sei comentar vantagens e desvantagens de cada abordagem, mas dei aí a explicação para o que quero.

Abraço e boa sorte!

Carlos Eduardo Pinto disse...

Faz todo o sentido, Blessing.
No meu caso são os médios que se preocupam em ajustar, depois, nos espaços em falta, consoante o posicionamento da bola e da nossa linha defensiva. Mas vou estar atento à possibilidade de estarmos vulneráveis em situações de cruzamento. Uma (possível) vantagem da minha dinâmica em relação a este caso em particular, da tua, é que a cobertura chega mais cedo (vantagem posicional) e encara o lance de frente.

Grupo Desportivo Atouguiense sub-15 (Iniciados)

Obrigado, abraço

Ricardo Cunha disse...

" É este tipo de golos que procuramos evitar."

LOL