Posse de bola no Facebook

Translate

segunda-feira, agosto 17, 2015

Resumo do fim de Semana

Quando no final da época passada disse que Tuchel seria o próximo treinador do Dortmund - desconhecido para a maioria em Portugal -, afirmei que tinha qualidade para liderar aquela formação. E depois de Klopp, só um treinador com ideias de qualidade seria capaz de os manter no altíssimo nível onde estavam. Aí está. Começa a dar os primeiros sinais de qualidade numa ideia de jogo bastante diferente da do seu antecessor em todos os momentos. Menos agressividade, mais pausa. Chegará para ser campeão? Ainda é muito cedo, e ainda muito está por evoluir. Mas uma coisa é certa, aqueles médios têm todos qualidade e capacidade para elevar o nível de jogo da equipa em organização ofensiva, assim o treinador o preconize. Existe alguém melhor que o capitão do Dortmund? Não creio.

O Bayern abriu com uma vitória contundente. A ideia de jogo de Guardiola não mudou - quer ser dominante em organização ofensiva. Trocou sim os caminhos escolhidos para a equipa atacar. Sabendo que não tem a mesma qualidade no meio campo como no Barcelona, procura criar condições para os seus jogadores mais fortes do ponto de vista individual desequilibrarem nos corredores. 2x1, 1x1, 2x2. Com Vidal ganha movimentos de segunda linha para finalizar, com Douglas ganha capacidade de desequilíbrio no corredor lateral. Por falar em Douglas - será a grande revelação mundial deste ano. O Bayern não mais sentirá a ausência de Ribery, ou Robben, a não ser que estejam os dois de fora no mesmo período.

O Sporting foi o primeiro dos três grandes a entrar em campo e fez 60 minutos de qualidade. Nesse período, entrou tanta vez com a bola controlada dentro da área do Tondela, e criou tantas situações para finalizar - tirando Rui Patrício do jogo, não concedendo ocasiões de golo ao adversário - que só o desacerto na finalização, e na forma como o último passe foi feito explica o resultado sofrido. Podia ter goleado, ganhou por um golo de diferença. Futebol é mesmo isto.

O Porto mostrou-se aos seus adeptos solto e com uma velocidade de circulação de assinalar. Mostrou algumas mudanças na dinâmica dos extremos, que se espera que evolua para o modelo de jogo dar o salto qualitativo que precisa. Mostrou capacidade para criar com espaço, colectivamente. Mostrou uma grande reacção à perda. Mostrou também debilidades ao nível defensivo - linha média, e Maicon individualmente. O Guimarães jogou muito exposto e concedeu muito espaço aos Dragões. Resta saber se a equipa conseguirá criar quando os adversários estiverem mais fechados e mais organizados.

O Benfica foi quem teve mais dificuldades no jogo. Foram 70 minutos onde o jogo podia ter caído para um lado como para o outro. Valeu Júlio César. A dificuldade que demonstra em invadir a área adversária com qualidade, e a facilidade com que solicita os dois avançados em cruzamento, mostra já um retrocesso naquilo que era o processo ofensivo da equipa. Marca porém uma ideia de Rui Vitória. Ainda assim, e apesar das dificuldades, consegue criar um grande golo - em combinações -, e sair com o resultado mais volumoso da jornada. O golo do Nelson Semedo é o caminho que os grandes devem procurar para desmontar a organização dos pequenos. Os jogadores já o indicaram. Irá Rui Vitória perceber?

Serei eu o único entusiasmado para perceber se o Barcelona vai conseguir virar o Athletic? Ou já pensam todos que é missão impossível? Se há coisa que aqueles jogadores me ensinaram é que não há impossíveis para eles.

José Mourinho sofre uma derrota pesada, para um adversário directo, na segunda jornada da Premier League. Curiosamente não ficou chateado com o Staff médico, com os apanha bolas, ou com o arbitro. Mas disse que o resultado foi e enganador. São tão raras as vezes que concordo com o melhor treinador do mundo que esta é de assinalar. Mas mesmo na concordância discordámos. Mourinho diz que o resultado foi enganador porque na primeira parte o City melhor e na segunda o melhor foi o Chelsea, e sendo que o resultado estava 1-0 ao intervalo os dois golos do City na segunda parte são demasiado penalizadores face ao que o Chelsea produziu. Não só o Chelsea não foi melhor em nenhuma parte do jogo, como o Mister esqueceu de dizer que, ao intervalo se estivesse 5-0 não teria sido nenhum escândalo.

6 comentários:

José Lopes disse...

só de saber que o mourinho acabou de renovar o contrato...
Até 2020 a desperdiçar qualidade individual,até o rui vitória faria melhor!

Braulio Tavares disse...

Viraram o Juízo... Ok, o Barça é o Barça, mas nada trava uma equipa com vontade (fome) de vitorias... Surra é surra... AHAHAHAHAHAHA

Pedro disse...

Não gosto do Barça mas quem decidiu o calendário da supertaça espanhola tb não gosta muito deles.
LOL

miguelborges6 disse...

Gostei bastante de ver o meu FCP este fim-de-semana. Ainda há bastante para evoluir e enquanto la estiver o Herrera vai ser dificil avançar mais, espero que o Lopetegui meta lá o Evandro de vez. Ainda assim já se viu mais verticalidade no jogo e menos insistência nas bolas longas para o ponta de lança ou variações de flanco, os extremos fizeram mais movimentos interiores e 2 golos resultaram disso mesmo. A reacção à perda não achei grande coisa, muito faltosa e com uma melhor equipa podia ter sofrido. O Aboubakar supreendeu-me pela capacidade de se dar ao jogo, não pela finalização porque isso já era conhecido. Não vos pareceu haver mais passes do Marcano a entrar directamente no Imbula ou no Herrera e a queimar várias linhas de jogadores? Assim como mais jogadores do FCP a passarem-se no centro do terreno? Espero que seja para continuar, esta era uma grande lacuna da equipa.

R.B. NorTør disse...

Uma dúvida Baggio, quando falas dos 60 minutos de qualidade do Sporting falas em 60 minutos seguidos ou somando os bocadinhos todos?

Só pude ver o jogo até aos 75 (e a partir dos 70 sem muita atenção), mas o que dizes ajusta-se que nem uma luva até ali ao minuto 30/35, só que pareceu-me que os dez minutos finais da primeira parte foram do Tondela, que subiram as linhas e acertaram a marcação ao Ruiz e ao "Guterres", começaram a dar menos espaço no meio campo e a pressionar mais alto. Com as diferenças de qualidade de um para o outro, pareceu-me que o Paneira ajustou um bocado a equipa para ser mais "Sporting". O início da segunda parte pareceu-me um bocado a continuação e não surpreendeu, acho, que o Tondela tivesse chegado ao golo.

Depois dos 70/75, com a saída do Guterres e a entrada do Montero, de facto não sei o que se passou no jogo, mas se a vitória do Sporting se ajusta, nem que seja com as ocasiões criadas e não aproveitadas (assim de cor lembro-me de 3 na primeira parte e uma do Slimani na segunda), momentos houve em que o Sporting me pareceu em dificuldades para entrar no bloco do Tondela.

Quanto ao Dortmund, concordo que ainda é cedo. Dos dois jogos que vi a defesa parece segura mas a construção no ataque anda um bocado bipolar: apática e sofrível no jogo com o Chemnitzer e um rolo compressor contra o Moechengladbach. A maior pausa aproxima-os mais do Bayern e se não facilitarem contra Leverkusen, Wolfsburgo podem bem ser eles a evitar o tetra.

Quanto ao Benfica, não sei se RV percebeu que aquele 4º golo é o golo do jogo e devia ser a regra, não a exepção. Que achaste do jogo todo do Nélson Semedo? Fica a dever muito ao Maxi?

Blessing disse...

miguelborges, eu tbm gostei do fcp. mas o guimaraes ajudou. acredito até que o vitória seja das piores equipas do campeonato.
Fora isso, e já tinha realçado isso mesmo a um amigo no estádio, parece haver um marcador novo na dinâmica com os extremos, para eles iniciarem o movimento interior; e para quando devem manter a largura. pareceu-me uma evolução. vamos ver se mantém.
Achei boa a reacção, e as faltas tbm ajudam a demonstrar o pq de eu ter gostado.
O Abouba surpreendeu-me tbm. grande jogo. dele, do Marcano - não é surpresa. é o melhor da liga com bola e por isso o meti no 11 do ano no LE -, e o imbula tbm esteve mto mto bem. n desgostei do varela.

R.B. NorTør, o baggio já lá vai :)

Sim 60 minutos seguidos. depois a intensidade e o ritmo baixaram. tu dizes que nos 10 minutos os gjos equilibraram, normal... jogam duas equipas, e é impossível uma equipa dominar sempre, se não criavam-se 60 ocasiões de golo por jogo. o facto é que no equilíbrio, o tondela nca teve situações para marcar, e mesmo aí, no equilíbrio, o scp teve. pode-se falar aí da diferença de qualidade individual, e aceito. no entanto durante esse período, em termos globais, o scp foi mto mto superior, e nca dividiu o jogo - no sentido de conceder oportunidades ao tondela. e criou mesmo mtas. n foram só 3. na segunda parte, concordo, ao início foi só uma.

" Que achaste do jogo todo do Nélson Semedo? Fica a dever muito ao Maxi?"

achei que são poucos jogos ainda.