Posse de bola no Facebook

Translate

terça-feira, agosto 11, 2015

Curtas sobre o início do campeonato

Lopetegui. O maior candidato ao título, por ser dos três grandes o que tem o trabalho mais fácil. Estabilidade, qualidade, o que não significa que não terá dificuldades. Significa sim que, em termos de operacionalização do seu modelo de jogo estará um passo à frente do Sporting, e dois à frente do Benfica. Os comportamentos colectivos do seu Porto são já muito vincados, e enraizados, e tem a melhor forma de defender da liga - Tem a bola; Guarda-a; Esconde-a do adversário. Se conseguir, por isso, juntar a essa forma de defender maior variabilidade na forma como ataca será imparável em Portugal. Será este o ano de afirmação de Rúben Neves? Conseguirá Evandro convencer o treinador que merece um lugar no onze? Continuará Lopetegui a apostar em demasiados jogadores sem criatividade - ao mesmo tempo - no corredor central?

Jorge Jesus. Em pouco tempo o seu Sporting já apresenta de forma vincada as ideias que o treinador procurará evoluir nos próximos tempos. É por isso, pelo dedo do treinador, um verdadeiro candidato a ganhar tudo em Portugal. Alguém viu, no Algarve, Rui Patrício na mais comum das situações em que esteve na maioria dos jogos oficias da época passada - 1x0+Gr? Dependerá no entanto da capacidade dos jogadores em assimilar tudo o mais depressa possível, para que se cometam poucos erros que possam comprometer a longa maratona pontual. Numa liga como a portuguesa, é essencial não deixar pontos contra os pequenos. Como a qualidade no Sporting não é assim tanta, terá de ser o modelo a esconder defeitos e a valorizar qualidades. Que nível atingirá Paulo Oliveira durante a época, com toda a responsabilidade que lhe está a ser entregue?  Quanto tempo resistirão Adrien e João Mário no onze? Com todos os vícios que continuam a aparecer, será João Pereira aposta durante todo o ano? Continuará Montero atrás de Slimani e Teo, ainda que por jogo estes percam bolas às dezenas? Passará Mané de um agitador que entrar no decorrer das partidas para um dos indiscutíveis no onze? Até onde chegará a chacina dos menos vistosos do ponto de vista físico?

Rui Vitória. Dos três o que tem a tarefa mais complicada, por encontrar uma equipa com comportamentos de muita qualidade trabalhados durante muito tempo. Seria mais fácil, também, se a equipa não viesse de um ciclo vitorioso. Mas as vitórias que conseguiu nos últimos tempos tornam o trabalho do treinador hercúleo, para convencer aquela malta de que tem competência - conhecimento - para os liderar. Terá para isso de vincar para onde quer ir - em termos de jogo - e exigir aos jogadores que cumpram escrupulosamente com a ordem colectiva. Com um plantel de qualidade similar ao do Sporting, não terá muitas facilidades uma vez que já foram desperdiçadas algumas semanas de trabalho, e por isso os jogadores ainda estão muito propensos ao erro. Falta à equipa assumir a identidade que o treinador lhe quer dar, para que se comece a caminhar firmemente para a maratona pontual que se avizinha. O que se precisa neste momento não é de qualidade individual que possa esconder os defeitos do treinador, é sim um treinador de qualidade que possa esconder os defeitos destes jogadores. Será Rui Vitória capaz de o fazer? Esperemos. Poderá Lisandro afirmar-se num modelo menos exigente do ponto de vista táctico? Jonas como 10 ou 9.5? Qual o papel de Pizzi?

Curiosidade para perceber se Paulo Fonseca - para mim o melhor treinador da época passada, exceptuando os grandes - conseguirá fazer uma brincadeira gira no Braga, e com esperança que o faça porque lhe reconheço competência para tal. Se o fizer, terá certamente as portas abertas para dar o salto, agora na altura certa, para outro nível competitivo.

Evoluirá Miguel Leal o seu modelo para trabalhar melhor a parte ofensivo, ou continuará no conforto que a segurança da sua organização defensiva lhe dá?

Sá Pinto de regresso a Lisboa. O que esperar?

Vítor Paneira expõe-se pela primeira vez aos tubarões da primeira divisão nacional. Mostrará qualidade de jogo suficiente para, pelo menos, se manter?

Jorge Simão assume o seu primeiro projecto, desde o início, na primeira divisão. O virá daí?

Terá o Boavista, novamente, a fortuna que lhe permitiu manter-se no ano anterior?

11 comentários:

João Pedro disse...

O Boavista conseguiu alguns bons reforços, a nivel individual são melhores que o ano passado.

michael disse...

é verdade, o boavista continua a reforcar-se com malta experiente e internacional...
desejo uma enorme sorte ao petit para vir a substituir rui vitória quem sabe ainda esta época!
(mas só porque sou portista)

acho que vamos ter que esperar ainda várias jornadas para perceber o que esperar deste benfica (e se terá mais reforcos) e também estou algo curioso para perceber como o sporting chegará a dezembro com a gestao da pre eliminatoria da champions.
o forte de jesus nunca foi conseguir fazer uma boa gestao fisica dos seus planteis, mas este até parece ter algumas alternativas de qualidade semelhante aos principais.

como o nível geral das equipas da primeira é balizado por baixo, o campeonato continuará a ser competitivo nos postos cimeiros.

também curioso em relacao a paneira, lembro-me dos passos seguros que tentou dar no início da carreira de treinador e acho que pode vir a ser uma mais-valia, sem dúvida.

nunca mais é sábado!

masterzen disse...


Blessing ,

Deixo aqui três links muito interessantes sobre a evolução do futebol alemão de base.

Se quiseres tens material para um post ou pelo menos para tua reflexão :)

http://www.bayerncentral.com/2015/02/youth-development-german-football-investing/

http://www.bayerncentral.com/2015/03/the-youth-not-wasted-in-black-forest/

http://www.bayerncentral.com/2015/05/youth-is-not-wasted-on-the-young-in-bavaria/

Boa leitura a todos!


joaoc disse...

Acho que a fortuna do boavista foi-se... o relvado agora é natural...

GBC disse...

Adrien e João Mário durarão até Aquilani se adaptar. 2 semanas. Qual deles sairá, não sei. E quem sairá para mais tarde entrar William também não faço ideia.

Mané está muito forte, mas Ruiz e Carrillo encaixam bem também. Serão 3 jogadores com grande utilização parece-me.

Montero é essencial e até encaixa bem na ideia de jogo do treinador. Não percebo porque ainda não é titular, mas acredito que seja questão de tempo.

Diria que Porto e Sporting são candidatos. Já agora, não percebo porquê tantos médios de equilíbrio no Porto. Rúben, Danilo, Imbula, Herrera, André André e Sérgio Oliveira. 6 para 2 lugares. Porque acho que o terceiro vai rodar entre Evandro e Bueno, dependendo do jogo.

Acho que Porto e Sporting serão candidatos. Benfica parte atrás. Se o Benfica contratar um lateral e segurar Gaitán (ou arranjar outro extremo de qualidade alta) o treinador não terá desculpas para falhar. Porque lhe darão tempo. Tudo depende das primeiras 5 a 10 jornadas, parece-me.

Quanto aos outros, o Boavista não foi só fortuna, mas algumas individualidades de qualidade que esconderam princípios fracos. Neste Campeonato, chega. E este ano chegará novamente, com melhor plantel.

Curioso para ver Paços (defesa muito sólida, meio-campo equilibrado, vamos ver como JS potencia/desenvolve o Diogo Jota na frente), Belenenses (a começar muito bem, plantel com mais qualidade que o ano passado, mais equilibrado, a precisar apenas de um substituto para o Deyverson - aposto no Rúbio), Moreirense (muitos reforços de qualidade, em particular Filipe Gonçalves, Vítor Gomes e Iuri Medeiros, que tinha lugar no Sporting, parece-me) e, claro, Braga (curioso para ver o 4x4x2 de Fonseca com dois alas interiores - Rafa e Román -, no ataque Fonte chegou agora e ainda deve chegar o Nélson Oliveira, pelo que ainda demorará um bocado a carburar). Guimarães parece-me que será a desilusão (alguns bons jogadores, treinador fraco, que no último jogo deixou dois dos melhores jogadores do plantel - Breno e Montoya - fora do 11).

Diria que o Nacional pode ter uma queda acentuada este ano. Perde Gomaa, Tiago Rodrigues, Candeias, Lucas João, etc.

Curioso para ver o ataque do Setúbal com Dávila, André Claro e Suk. O Afonso Figueiredo no Boavista. O Ivo Rodrigues no Arouca. O Paciência na Académica. O Guzzo no Tondela. O André Moreira no União (raro um Clube português apostar num jovem guarda-redes nacional). O meio-campo do Marítimo com Alex Soares, Tiago Rodrigues e Ghazaryan. A armada brasileira do Estoril com B. César, Sebá e Bonatini. O Aníbal Capela no Rio-Ave com o P.Martins. A afirmação do Rúben Pinto no Restelo e o Miguel Rosa e Sturgeon a encontrarem um modelo que os valorize mais. E os já referidos Montoya e Breno, mas também Tozé em Guimarães.

Pode ser optimismo, mas acredito que haja margem para maior competitividade este ano. E jovens interessantes, nacionais e estrangeiros, a despontar.

bancadabraguista disse...

Bem, e deixando os grandes um pouco de lado, estou também eu curioso (ou não fosse o meu clube) para ver se Paulo Fonseca confirma no meu clube tudo o que projectou no Paços. Num plantel com muitas mexidas e com muito menos experiência do que no passado, será interessante de seguir, não acredito que entre a matar na Liga mas espero um crescendo com o decorrer da época, pedir mais que o 4º lugar para mim é utópico.

Quanto aos restantes estou de acordo GBC, existe algum potencial nas equipas fora 3 grandes, mas parece-me que, mais uma vez, a qualidade futebolística andará por baixo, e aqui será certamente muito por culpa dos modelos/dinâmicas que os treinadores apresentam (a sua maioria).

Mas o mercado ainda está em rebuliço, e algumas mexidas irão acontecer, mas acredito que uma boa surpresa (confirmação) será o Moreirense. O resto será semelhante à época passada.

Blog de Portugal disse...

Como boavisteiro, não posso deixar de criticar o que foi escrito sobre o meu clube, não por clubismo, mas por desacordo, mesmo de uma perspetiva mais imparcial (não totalmente, admito).

Em primeiro lugar, deram na TV 8 jogos no Bessa. Muito poucos viram o domínio do Boavista sobre Académica, Arouca (neste foi escandaloso), Belenenses e Penafiel, por exemplo.

Em segundo lugar, o plantel está bem mais forte que na época passada. À exceção do M. Cech (que só fazia já 30min por jogo) e Brito, saíram jogadores que não tinham tanta qualidade, e entraram outros muito bons, como o caso do Luisinho e Bukia. Além disso, o próprio Ancelmo é um reforço, após recuperar de uma lesão de uma época inteira.

Em terceiro lugar, apesar de ainda não ter tido oportunidade de presenciar um jogo da pré-época, consta-se que o Boavista está a jogar melhor que na temporada passada. E se para o FCP ajuda o Lopetegui estar pelo 2º ano, pelas rotinas estarem já mais consolidadas, o mesmo raciocínio se deve aplicar ao Boavista.

Em quarto lugar, convém salientar que o Boavista continua a ter uma massa adepta relevante, e embora isso para a organização coletiva seja irrelevante, é por vezes um detalhe que pode ajudar no resultado.

E não, não é o sintético que decidia os jogos. Isso ainda vai dar mito urbano.

Blessing disse...

O Boavista tem rotinas?

Frigoliny disse...

Bica da manhã todos juntos em dia de treino e almoço de grupo na primeira terça do mês.

Blog de Portugal disse...

Por ser uma equipa que joga "mal" (este mal é subjetivo, mas compreendo que o digam), não tem rotinas?

Blessing disse...

Quais rotinas? se quiseres fazer o favor de identificar para eu estar atento