Posse de bola no Facebook

Translate

segunda-feira, janeiro 05, 2015

2015, novos desafios. Diário de 2003.

O desafio é o de colocar o maior número de jogadores possível, no 11 do escalão seguinte. Sendo que no próximo ano continuarão a disputar um campeonato bastante competitivo, misturados com os grandes de Lisboa. Poderá ser difícil, por ser a transição do futebol sete para o futebol onze mas é um desafio bastante encorajador.

A equipa tem 19 jogadores de momento, e como não existe o escalão anterior (2004), e o clube tem duas equipas inscritas na competição, é preciso que se socorra, por vezes, de jogadores de dois escalões abaixo (2005). Dos 19 dois são guarda-redes, pelo menos desde a época passada. Outros dois começaram como jogadores de campo, e agora parece quererem mudar de posição para guarda redes. Os Guarda-Redes têm treino específico com um treinador especialista uma vez por semana. No restante tempo trabalham com a restante equipa. Da restante equipa, pelo que sei, uns são mais competentes e outros menos competentes, mas todos com o mesmo objectivo: evoluir.

A maior dificuldade será ao nível da operacionalização do treino. Não só por nunca ter trabalhado com este escalão (trabalhei sempre no mínimo com Juvenis), mas sobretudo por nestas idades o número de jogadores no treino, tendo em conta o clube onde estou, ser completamente aleatório. A equipa treina três vezes por semana, e joga ao sábado (dois jogos), onde normalmente só poderei estar presente em um. 

O meu foco, ao longo dos próximos meses, será no desenvolvimento das qualidades ofensivas, das técnicas de jogo, das capacidades condicionais, e de noções básicas de defesa zonal.

Treino (5-1-2015)
Duração - 60 minutos
16 jogadores de campo + 3 Guarda Redes. Um jogador a experiência.
Meinhos 8 minutos.
Activação e mobilização geral 10 minutos, preparados por um dos elemento da equipa técnica: Foco nas capacidades condicionais (Velocidade, coordenação).

Campo 1- 4x4+Joker. Na baliza do nº1, cada golo de cabeça vale 2. Qualquer golo obtido de outra forma, ou nas outras balizas, vale 1. Cada vez que é marcado um golo numa baliza, troca o campo, e a equipa que marcou sai a jogar para atacar o lado que esteve a defender.
Objectivos: Tomada de decisão em superioridade numérica. Variação do centro de jogo. Inteligência na criação de linhas de passe (pelo menos esquerda e direita, inteligência no ataque às zonas de finalização). Desenvolvimento de qualidades técnicas - Passe, recepção, cruzamento, remate (de cabeça e com o pé), drible, condução.
Objectivo secundário: Contenção (posição dos apoios para defender melhor a baliza) e cobertura - alinhamento pela baliza com a bola na linha de fundo (2 jogadores), fechar dentro com a bola no corredor lateral (posição dos apoios para melhor atacar a bola no cruzamento, e a uma variação de corredor).
Campo 2- 3x3+Joker.
Objectivos: Tomada de decisão em superioridade numérica. Variação do centro de jogo. Inteligência na criação de linhas de passe (pelo menos esquerda e direita). Desenvolvimento de qualidades técnicas - Passe, recepção, drible, condução.
Objectivo secundário: Contenção (posição dos apoios para defender melhor a baliza) e cobertura - fechar dentro com a bola no corredor contrário, posição dos apoios para conseguir reagir melhor a uma variação de corredor.

20 minutos em cada campo. Jokers trocam de tarefa.

3 comentários:

Rafael Antunes disse...

Baggio, onde estão as filas pá?!

:D

Roberto Baggio disse...

Kkkkkk hhão de aparecer aí qualquer dia. Mas não na sua forma original de fila xD

Rafael Antunes disse...

Vê lá isso, porque futebol de formação sem filas não vale...

Acho que é durante o tempo de espera na fila que o Dr. Sweden recolhe amostras para a equação da graduação da decisão nas idades precoces...