Posse de bola no Facebook

Translate

sexta-feira, dezembro 26, 2014

O que seguirá?

Confirmando-se a mais que provável saída de Marco Silva do Sporting, estará dado o golpe de misericórdia ao jovem treinador, que desde cedo, foi vendo o seu trabalho boicotado internamente. É certo que Marco Silva não está isento de culpas, sobretudo pelas opções que tomou na formação dos seus onzes. Foram várias as opções que são mais que controversas, nomeadamente apostar em jogadores que erram de forma sistemática, em detrimento de outros que aparecem, não erram tanto, e não chamam por isso a si os olhos do treinador. Quanto ao resto, o trabalho e as melhorias são evidentes. O Sporting evoluía por onde tinha de evoluir: jogar como uma equipa grande. Assumir os jogos em organização ofensiva, ser dominante, ter qualidade nesse momento de jogo, que é o momento que os Leões mais jogam na maior parte dos jogos, por enfrentarem na maior parte do tempo adversários de pior valia individual.

A expectativa desmedida que se colocou a um plantel que não tem grande qualidade. Comparando-os com os principais adversários, é digno dos malucos do riso pensar-se que se podia competir ao mesmo nível, assumindo uma candidatura ao título. Não é que o Sporting não deva lutar pelo título, ou assumir essa postura internamente. Mas pressionar jogadores que na sua maioria jogaram a Champions pela primeira vez acaba por revelar-se em ansiedade, medo de errar, falta de confiança gritante quando um ou dois lances não correm bem, nervosismo, etc... O Sporting sim tinha a obrigação de ser ambicioso e tentar ser campeão e de continuar o crescimento de volta à grandeza que o caracteriza, mas tudo feito na devida medida. Na medida em que só era assumido lá para dentro, e nunca, nunca, passado para fora. Pelo menos, não antes da fase final do campeonato.

Os comunicados a criticar a equipa. Mais uma vez se volta ao mesmo. Se era necessário passar uma mensagem à equipa, aos jogadores, aos treinadores, porque não o fazer internamente? A crítica para o adepto ver fragiliza todo o trabalho que possa estar a ser desenvolvido. Pressiona tudo e todos de forma incomensurável. Deixa exposto quem precisa de protecção num mau momento. O Sporting não soube proteger a sua equipa, para deixar os adeptos mais felizes no curto prazo. Não criou as melhores condições para que quem dá a cara, todos os dias, pelo clube ter sucesso. Ou pelo menos, ter a tranquilidade que caracteriza as equipas de sucesso.

A Liga Dos Campeões. Desde o início se disse que o foco do Sporting nunca deveria passar pelas provas europeias. O Sporting deve tratar primeiro de consolidar-se ao nível interno. Competir com o Porto e o Benfica na regularidade, Ganhar todos os jogos aos adversários inferiores. Esse é o objectivo do Sporting. Muito criticada foi a gestão europeia de Jesus, que a fez em nome de competir com tudo no campeonato, então e a do Sporting? Tentou chegar à todo lado, e hoje parece apenas ter chegado para um - Taça de Portugal - quando o foco deveria ter sido sempre o campeonato.

Marco Silva tem qualidade. É bom treinador. E foi uma escolha acertada, depois da aposta também acertada em Leonardo Jardim, para começar a recuperação de um Sporting que quer voltar a ser grande. O problema é que não se percebeu que com Jardim a classificação dizia muito pouco do que jogava o Sporting, e hoje acha-se que se pode voltar a competir ao mesmo nível pontual, em todas as provas, com um plantel não muito melhor que no passado.

Veremos, ao confirmar-se a saída, o que se seguirá, que modelo de treinador será escolhido.

6 comentários:

Gonçalo Matos disse...

O pior disto tudo é que os adeptos com quem falo não estão desagradados com o Marco Silva. Não me parece que se trate de uma questão de resultados ou de qualidade de jogo da equipa.

Parece-me é que o presidente pos o seu ego à frente do clube. e se dantes ainda dava o beneficio da duvida, agora tenho a certeza: o Bruno de Carvalho é só mais um adepto fanático que de futebol não percebe muito. nem mesmo com curso de treinador.

PicaretaLeonina disse...

Por agora, o "novo" treinador é Marco Silva.

Aguardam-se desenvolvimentos, embora, a priori, me pareça um erro despedí-lo.

laranja disse...

Baggio, um àparte, o que achas do Kuca do Estoril? Pode acrescentar alguma coisa num grande?

Edson Arantes do Nascimento disse...

Nada que não se estivesse à espera.

Se não me engano as primeiras impressões que foram sendo publicadas aqui e no LE sobre o Marco Silva e o Sporting já levantavam essas lebres: sobretudo o facto de se assumir desabridamente como candidato ao título.

Aquele presidente pode ter colocado alguns pontos nos i's e não ter arriscado rebentar o clube em pouco tempo (ao ter seguido o plano de recuperação que já tinha sido mais ou menos negociado). É verdade.

Mas, entretanto, vai demonstrando a cada dia que passa que para ser um bom presidente do Sporting ainda vai ter de comer muita palha.

Até lá, se lhe derem essa oportunidade, quem sofre são os jogadores e treinadores, principalmente estes.

Quase todas as contratações do Sporting são incríveis pela falta de qualidade e até de nexo, como incrível é a forma como a direcção actua e condiciona os jogadores (com contratos super-estendidos e clausulas ridículas). Também é incrível o que tem sido feito na equipa B.

Carlos Santos disse...

Boa noite. Que treinador ou perfil de treinador acham que se adequa a este Sporting, se realmente se vier a confirmar a saída de Marco Silva?
Cumprimentos
Carlos Santos

Roberto Baggio disse...

O presidente como treinador. Abraço