Posse de bola no Facebook

Translate

terça-feira, setembro 02, 2014

Cada vez mais os defesas centrais não se esgotam no processo defensivo


Será que os grandes em Portugal já se esqueceram da preponderância que os defesas centrais têm na qualidade do processo ofensivo da equipa?

Quem alinha com Luisão e Jardel, Maicon e Bruno Indi, Maurício e Sarr, indicia não reconhecer a importância das qualidades ofensivas nos jogadores que normalmente fazem o segundo passe em organização, e o primeiro em transição. 
Claro que a primeira tarefa de quem joga nas zonas mais recuadas é recuperar e equilibrar. Mas pensando na quantidade de vezes que os centrais têm a bola na saída de bola, e após recuperação da mesma, torna-se fundamental fomentar uma cultura de defesas centrais com qualidades ofensivas marcantes.

20 comentários:

Gonçalo Matos disse...

Os centrais por ca ainda têm de ser feios, porcos e maus. Realmente, depois da saida do Otamendi e do Garay isto ficou um deserto de ideias nas duplas.
Conta-me lá o que achas do Yohann, Baggio. Dos centrais que andam por cá, é o meu preferido.

B Cool disse...

Tendo em conta os outros 5 nomes, Baggio, não achas que o Luisão nesse ponto é muito superior ? Acho que ele melhorou muito e está bastante razoável no passe, deixando os chutões de lado na grande maioria das vezes. O Jardel é muito fraco e se for pressionado facilmente erra o passe. Será que o Lisandro é assim tão mais lento que justifique a aposta no Jardel ? Os do Sporting parecem-me horríveis. O Maicon no Porto tem-me surpreendido positivamente nos bocados de jogo que tenho visto, agora o Indi é quase sempre só para o lado e para trás, mas penso que isso sejam indicações do treinador para conservar a posse, menos riscos, menos erros.

Dito isto, será que os médios e os laterais não têm responsabilidades por não oferecerem linhas de passe para a frente suficientes para que não se notem as limitações ?

miguelborges6 disse...

Concordo com a parte de os centrais terem um papel importantissimo na construção, mas há vários problemas neste momento. Os centrais que constroem realmente bem não abundam e são caros para os cofres portugueses, penso eu que não tenho assim tão vasto conhecimento do mercado. Depois há o problema de centrais que constroem bem mas que por outro lado se esquecem que são defesas centrais e a defender são 0 como o Sergio Ramos e o David Luiz. Quanto aos centrais de que falas acho que o Luisão e o Maicon estão ligeiramente acima dos outros nesse capítulo, tendo o Maicon até uma taxa razoavel de acerto nos passes longos, acho até que às vezes tem mais dificuldades em jogar curto que longo. O Indi, Jardel, Mauricio e Sarr são maus demais. O senhor da foto é um oasis nos centrais que por aí andam.

Roberto Baggio disse...

Gonçalo, Na minha opinião, Yohan é melhor que os citados com bola.

BCool, a mim, Maicon parece superior a todos os outros. Luisão não me parece, com bola, assim tão diferente dos demais...

"Dito isto, será que os médios e os laterais não têm responsabilidades por não oferecerem linhas de passe para a frente suficientes para que não se notem as limitações ?"

Os jogadores, ou os treinadores?

Artur Semedo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Artur Semedo disse...

paradoxo: jogar indi e maicon e obrigar a que a saída seja feita quase impreterivelmente pelos centrais, sem médio vir atrás... pior, para "compensar", os laterais sobem pouco na saída, que é para receberem o inócuo passe de 3/5 metros adiante. ai, júlio lopes, júlio lopes, tens aí coisinhas que só à bufarda! :D

Futebol Táctico disse...

Sinceramente este é um ponto muito importante. As equipas de futebol tem de começar a investir em centrais, principalmente as que gostam de futebol de posse e apoiado.

Acho que um defesa na fase ofensiva não pode ser só "passe", tem também de provocar com bola, isto para colocar o posicionamento dos adversários em dúvida e se decepcionarem, criar espaço e superioridade numérica. Nos grandes nenhuma central faz isso (acho que Lisandro seria o central mais capaz neste aspecto caso fosse titular).

B Cool disse...

Os treinadores principalmente, mas também os jogadores, em especial aqueles que mais entendimento têm do jogo. Quando o Enzo vem buscar e conduz, coisa que tem feito pouco esta época. Com Almeida em campo, torna-se mais complicado, pois ao contrário do Matic, ou do Amorim, o médio mesmo que recue não é uma alternativa para levar o jogo para a frente. Com Talisca, a opção é sempre pelo passe bombeado, pelo que mesmo que vá bem direccionado permite à defesa o tempo para se reposicionar.

Falei do Luisão, porque vejo no Benfica a saída de bola através de passes de 20,30 metros à flor da relva para os médios no meio-campo adversário (Enzo, Salvio e por vezes Gaitán ou Lima quando estes vêm à meia-direita), ultrapassando a primeira linha de pressão do adversário. Não é um prodígio de técnica, pelo contrário, mas penso que tem uma qualidade de passe bastante aceitável. Aliás, foi esse mesmo tipo de passes que notei ao Maicon e que permitem tirar 3/4 jogadores da frente da bola.

B Cool disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rochacj85 disse...

Aquele vídeo que meteram do Hummels no lateral esquerdo há uns tempos diz tudo sobre o que os centrais (do Porto pelo menos) não fazem.

Unknown disse...

Em relação ao SLB é os centrais que tinhas. O Lisandro parece bom nesse aspecto, mas com a lesão perdeu o comboio na pré-época. A ver vamos.

Tomcat disse...

Ia começando a chorar na Luz quando o Artur, Luisão, André Almeida e Jardel saíam a jogar com bola. Desde o Artur a acertar em jogadores do Sporting, o Almeida a fazer passes demasiado curtos ou o Jardel a sair pela linha lateral com a bola, uma infinidade de lances mostraram que a equipa, sobretudo nesta zona, não acompanha aquilo que Jesus pede dela.

Espero que o Lisandro se aproxime do Garay neste aspecto, se não mais vale andar a bater bolas na frente à toa, sobretudo nos jogos mais difíceis. O que é uma tristeza.

Schmeichel disse...

Se as direcções técnicas dos nossos clubes tivesse essa visão, por exemplo o Dier tinha sido titularíssimo no Sporting toda a época passada.

Dá-me impressão ver sistematicamente comentadores televisivos a elogiar a capacidade física do Sarr, por exemplo. Como se qualquer armário com velocidade fosse um bom projecto de central (aparentemente pensa-se sempre que o resto se aprende).

ps: falei de jogadores do Sporting porque como adepto são os jogos que acompanho mais. Todos os clubes terão os seus Sarr, penso eu de que...

Roberto Baggio disse...

BCool, na minha opinião, esse tipo de movimentos (padrão) são ordens (ou falta dela) do treinador. E o jogador adquire esse ´habito pela repetição. Ou seja, o pouco treino que Enzo tem, na minha opinião, reflecte-se numa menor identificação com aquilo que o treinador exige dele. Falta de pratica.

Miguel Pinto disse...

"Mas pensando na quantidade de vezes que os centrais têm a bola na saída de bola, e após recuperação da mesma, torna-se fundamental fomentar uma cultura de defesas centrais com qualidades ofensivas marcantes." Baggio

Não podia estar mais de acordo contigo! O que vejo, pelo que tenho acompanhado na formação ao longo destes anos, é que são muito poucos os treinadores que incutem esses hábitos nos defesas centrais, ou porque não faz sentido no seu modelo de jogo ou porque simplesmente abdicam da 1ª fase de construção em passes curtos para médios ou ainda porque preferem o medio defensivo para baixar e transportar a bola. Esta última opção, confesso, provoca-me urticária porque sempre que vejo um médio a ir buscar a bola aos pés do defesa é como estivesse a chamar a este tudo menos jogador de futebol.
Perante este quadro não nos podemos admirar que, chegando aos séniores, estes jogadores comecem a demonstrar em campo essas qualidades porque se as tinham raramente foram estimuladas e então lá irão os seus treinadores (alguns) ter de ensinar-lhes (se é que valerá a pena) alguns dos seus princípios de jogo que incluem a sua participação de uma forma mais premente no jogo da sua equipa.
Eu apreciava muito o Otamendi que era talvez o único que assumia um papel de médio na organização de jogo e porque de certeza que o seu treinador o incentivava nesse aspecto.
Como serão poucos os defesas centrais com essas características a actuar no nosso campeonato também o caminho mais fácil para quem os queira ter será ir buscá-los ao estrangeiro e rezar. Sim, porque fé é o que não falta a muitos dos nossos treinadores.
Pessoalmente sempre gostei do Baresi e se calhar foi até por causa dele que sempre "obriguei" os meus defesas centrais a ter um comportamento crítico em relação às suas tomadas de decisão com bola porque, como costumo dizer, dar um chuto para a frente qualquer gajo o faz, não precisa do mister para nada.
Deixo um vídeo desse grande jogador para quem não tenha tido o prazer de o ver jogar.
http://youtu.be/HR7VDSKb6mY

Abraço

Dennis Bergkamp disse...

B Cool, "a flor da relva" <3

Se calhar, muito por isto é que o Guardiola meteu o Mascherano e comprou o Song. Médios Centro adaptáveis a central. Quem joga no meio, por dentro tem sempre uma capacidade superior para encontrar, identificiar e fazer chegar com qualidade. Quem nunca teve esses estimulos vai ter mais dificuldade, ainda mais quando se cresce em ambientes em que central é para "bater na put@"

Baggio, para veres como as coisas são giras, de uma equipa que viste jogar algumas vezes o ano passado, são os centrais que são mais "brincalhões" com bola, são eles que tentam aprender tudo e mais alguma coisa para "a menina" fazer parte do corpo.

Gonçalo Matos disse...

Eu costumo dizer que se voltasse a jogar queria ser central.

Com bola são provavelmente os jogadores com mais espaço para agir e são gajos que podem causar desequilíbrios brutais na equipa adversária. Um central que consiga fazer um passe rasteiro de 30 metros consegue comer linhas e tirar metade do adversário do lance. Um central como o Hummels então é um pesadelo pro adversário, já que o gajo faz tudo.

Miguel Pinto disse...

Bergkamp, em contramão apanhamos o Pepe, David Luiz e mais alguns a desvirtuar a essência do jogo.

Gonçalo Matos, como tudo fica diferente para melhor numa equipa com um jogador do tipo do Hummels!
Gostava de conhecer a historia dele na formação
Abraço

Bruno Pereira disse...

Relativamente ao Benfica, não deverá entrar o Lisandro Lopez para o lugar do Jardel quando o Eliseu adquirir as rotinas pretendidas? Precisamente para permitir à equipa subir mais um patamar (construção 1ªlinha) e não arriscar sofrer muitos golos (2 jogadores sem rotinas a jogar lado a lado na linha defensiva - o que seriam agora Eliseu e LLopez)?
Ansioso pelo que JJ poderá ter feito daqui a um par de meses :)

Roberto Baggio disse...

Bruno, exacto!