Posse de bola no Facebook

Translate

terça-feira, julho 22, 2014

O que o João Teixeira precisa é de engrossar?

“Jorge Jesus solicitou às equipas médica e técnica do Benfica a elaboração de um plano específico para João Teixeira, escreve A BOLA esta terça-feira.

O treinador está agradado com o rendimento do médio, de 20 anos, razão pela qual pretende que o jogador ganhe massa muscular. Tudo indica que João Teixeira continuará no plantel principal nas próximas semanas.

Hoje, li isto no jornal “A Bola” e não pude deixar de me lembrar de uma das melhores entrevistas que já tive o prazer de ler. Á conversa estavam o Nuno Amieiro e o Prof. Vitor Frade e entre outras coisas falavam sobre “engrossar” o jogador. Fica aqui um excerto:


"Nuno Amieiro (NA): Professor, até que ponto faz sentido pensar-se em alterar a «configuração física» a um jogador para que este venha a ser algo mais do que aquilo que é? Isto é, no sentido de, por exemplo, o «engrossar» para ser mais resistente ao choque ou para ir ao encontro de um qualquer estereótipo corporal de defesa, médio ou avançado?

Vítor Frade (VF): Antes de mais, é necessário reflectir sobre a designação que está a utilizar, a expressão 
«configuração física». Por exemplo, diz-se muitas vezes o seguinte: “Aquele jogador não vai jogar porque tem um problema físico”. Será que quem diz isto está a querer dizer que lhe falta resistência ou qualquer outra coisa relacionada com o físico? Não. Por isso, para mim, o que o jogador tem é um problema clínico. É preciso algum cuidado com a terminologia para que o entendimento das coisas seja um determinado. Em relação à sua pergunta, parece-me mais ajustado falar em morfotipo do jogador e, no meu entender, pensar-se em o alterar é uma asneira de todo o tamanho. As exigências que regularmente o indivíduo vai enfrentando vão tornando-o mais resistente e mais capaz e não devemos querer ir mais longe do que isso, pois na tentativa de ganhar determinadas coisas, iremos perder uma série de outras coisas.
Não me custa nada reconhecer que, para certas posições e funções, o morfotipo e a estatura são relevantes, em termos de média. Mas, por exemplo, no caso do ponta-de-lança até menos do que no caso do defesa central. E mesmo aí todos nós conhecemos defesas centrais de top que são relativamente baixos, onde aquilo que os identifica como característico tem normalmente pouco a ver com o lado externo do morfotipo, aquilo que designou por «configuração física», e muito mais com a articulação e ostimings de utilização de uma série de outras coisas. Veja, por exemplo, o caso do Liedson... Ele é «felino» e para ser «felino» e eficaz, tem de ser inteligente, tem de ser capaz de decifrar, de se antecipar... Mas vou-lhe dar outro exemplo. O Pepe tem uma entrevista recente, num jornal espanhol, onde diz que presentemente também está a fazer musculação para o trem superior, para o tronco, porque, refere-o ele, joga-se muito disputadamente, os pontas-de-lança são grandalhões, o tipo de jogo proporciona muitas disputas e, nesse sentido, ele sente a necessidade de ser espadaúdo para poder enfrentar essas circunstâncias. Mas também diz que se sente à nora quando lhe aparece um ponta-de-lança pequenino...


NA: Deixe-me pegar agora no exemplo do Cristiano Ronaldo... A generalidade das pessoas está claramente convencida de que o que ele é hoje enquanto jogador se deve em grande parte ao trabalho de ginásio que desenvolveu e provavelmente continua a desenvolver...

VF: Isso rebate-se com facilidade. O Cristiano tem um morfotipo e joga numa posição que pode permitir que o lado atlético seja um acrescento. Mas eu penso que a juventude dele e o facto de estar a jogar em Inglaterra ainda não o fez dar-se conta do desperdício que é o não uso tão regular da capacidade de drible, de simulação e de engano que ele tinha. E o jogo assente neste padrão atlético em que ele se está a viciar e do qual beneficiam os abdominais e o porte que ele tem, tirou-lhe algo que ele também tinha potencialmente, que era aquele poder de «ginga», que é mais o registo, por exemplo, do Messi. E eu pergunto, alguém no seu perfeito juízo é capaz de dizer que o Cristiano Ronaldo é melhor do que o Messi? Na melhor das hipóteses dirão que um é tão bom quanto o outro. E o Messi é exactamente o oposto em termos de morfotipo: é pequeno, enfezado,... E é doente, pois tem problemas metabólicos.
Acho que o que é fundamental é que o jogador tenha a capacidade de resistir e de ter força... Mas é importante que se perceba o que eu quero dizer com isto, pois não tem nada a ver com o entendimento comum...


NA: Para acabar, uma pergunta muito directa: porque é que o facto de eu ir fazer musculação vai alterar aquela que é a minha história de relação com o corpo?

VF: De um modo muito simples, porque altera a relação do corpo com o corpo, ou seja,... Há dois tipos de timing. O timing coordenativo dos músculos entre si, que é a co-contractividade, portanto, vão existir cadeias que passam a degladiar-se, que se passam a estorvar umas às outras. Porque é uma coordenação que se coloca contrária à fluidez que sugere e solicita a espontaneidade do jogo de futebol. Para além disso, há outro tipo de timing, que tem a ver com o ajustamento muscular à alteração sistemática regular que o envolvimento coloca. Ao fazer musculação vai estar a bulir com isso, vai estar a enganar o sistema nervoso. Portanto, vai obstruir o leque de possibilidades de manifestação que o corpo tinha a jogar futebol. E se o fizer quando em desenvolvimento vai inclusivamente bloquear o crescimento, por exemplo, dos ossos e de outras estruturas. Vai hipertrofiar uma zona que é muscular quando nós sabemos que os tendões não se desenvolvem da mesma forma... Porque não é natural! É como aqueles indivíduos que tinham uns carrinhos pequeninos e lhes rebaixavam a colaça, colocavam umas jantes largas, uma suspensão mais dura, etc, para se armarem em corredores... Só que depois partiam os carros por outro lado...”


A entrevista completa pode ler-se aqui:
http://falemosfutebol.blogspot.pt/2009/03/conversa-com-vitor-frade_30.html

53 comentários:

Anónimo disse...

Tal como é descabido falar apenas de desenvolvimento físico, é também descabido negligenciá-lo...
Os fundamentalismos têm pouco sucesso no Futebol...
Sejam eles de natureza física ou táctica...

LGS disse...

Gonçalo,

Acho que percebo a ideia que queres passar e em parte até concordo com ela mas...

Achas que trabalhar o físico irá inevitavelmente prejudicar as outras qualidades do jogador? Será o "lençol" assim tão curto que só tapa uma parte da "cama"?

Eu penso que o "lençol" é elástico e portanto é possível trabalhar especificamente alguns aspectos sem prejuízo de outros. Ou pelo menos que aquilo que se perde pode ser muito pouco comprada com o que se pode ganhar. Isto claro, quando o trabalho físico é equilibrado, porque se esticas demais o lençol ele rasga.

Não sei se isto é válido para o futebol mas para outros desportos (como a natação que é aquelo do qual posso falar com mais propriedade) o ginásio é essencial.


Mas lá está, é preciso equilíbrio ou então nada disto é válido.

Dipeca disse...

Concordo, com este comentário. Acho esta entrevista fantástica e concordo com o fato de CR7 ter perdido o poder de drible fantástico que tinha, mas são necessário atributos físicos a alto nível. Trabalho de força. Se Messi não fosse um monstro físico, não teria as arrancadas que tem, independentemente das possíveis causas da sua mudança de jogo atual. Isto, claro, sem abusos, mas são necessários atributos físicos, desde que não se altere o controlo que cada um tem sobre os seus próprios movimentos etc... Alguém duvida que Ibra, Óliver, Jackson, Enzo, entre outros, fazem trabalho de força? Agora se ficarem como o Micah Richards, são capazes de ficar a mesma agilidade dele... ZERO...

FC disse...

Concordo com a ideia do equilíbrio, mas acho que o VF se estava a referir a casos mais extremos.

O Daniel Carriço para mim é um excelente exemplo. Depois de uma boa 1a época (a primeira como senior se não me engano), começou a malhar no ferro. O que aconteceu? Velocidade, zero. Reflexos, finito. Ficou forte, mas como é relativamente baixo, dependia muito da capacidade de prever os lances e de chegar à bola primeiro. Quando isso deixou de acontecer, ficou como está agora. Central medíocre, médio defensivo limitado. Foi uma pena.

Gonçalo Matos disse...

Este assunto é sempre polémico e por isso gosto tanto dele. Vamos por partes e vou tentar expor o que acho disto e tentar responder aos comments.

Atributos físicos são obviamente importantes porque os jogadores precisam de velocidade, aceleração, força etc. O grande problema para mim sao estas alterações bruscas e quase forçadas.

LGS, os americanos conseguem por os seus atletas super musculados e mesmo assim não perder muita sintonia fina nem agilidade (basket, fut americano por ex) mas eles são mesmo o top na preparação física. Talvez tenhamos algo a aprender com eles.

Dipeca,
Nºao consegues treinar arrancadas, mudanças de direcção etc no treino? Que melhor maneira de treinares os musculos para o que disse que a faze-lo no contexto habitual onde os vais usar?

FC,
Vamos pegar no Teixeira como exemplo. Os estimulos de primeira divisão são diferentes daqueles que ele teve até agora, logo está aí um factor ao qual terá de se adaptar. Provavelmente esses estimulos pedirão determinadas características físicas que lhe farão falta e ao inicio sentirá dificuldade, mas não me parece que a solução seja faze-lo ganhar 5kg num mês e depois lançá-lo pro campo. Parece que é o que se quer fazer e assim, parece-me ser um caso extremo.

Há mtos exemplos de jogadores que alteraram completamente a sua maneira de jogar. O VF fala de Ronaldo, Anderson e Pepe. Mas de repente lembro-me também do Fenómeno Ronaldo e do Gourcuff que por encherem alteraram de tal forma o corpo que passaram meses lesionados.

Gonçalo Matos disse...

Mais, isto é uma noticia da Bola. Não sei se é verdade nem como é o programa de treino. Apenas trouxe esta entrevista de novo porque acho-a muito boa.

Zé Couves disse...

Isto para mim é tão evidente que até dói. E, estando muito longe de ser a minha área, nem sequer precisava duma entrevista tão precisa em termos científicos para concordar. Um individuo quando joga futebol faz , como é evidente, uso da sua estrutura física, que assenta no estado actual dos músculos, tendões, ossos, etc. e que actuam em coordenação. Ora, se esse indivíduo FORÇAR a alteração da relação através da hipertrofia da parte muscular, é por demais evidente que o desempenho não pode ser o mesmo. Isto dito, e sabendo nós por aqui que o lado intelectual deve predominar largamente sobre o lado físico, torna-se claro que apostar no trabalho de ginásio para aumentar o desempenho desportivo não é um tiro no pé, é uma bazookada na própria testa.

Quanto às exigências físicas da alta competição, dizer apenas que as mesmas serão satisfeitas pelo facto de se treinar todos os dias com atletas de alta competição. Só.

Anónimo disse...

É o problema de treinar atletas como bodybuilders. Vulgo malhar no ferro, com máquinas que isolam os musculos em vez de se treinar movimento.

Ginastas por exemplo tem bastante massa muscular e força e ninguém duvida da sua agilidade.

Gonçalo Matos disse...

Zé Couves,

Partilho dessa opinião! Se bem que há quem sugira que se deve trabalhar no ginásio grupos musculares pouco trabalhados no treino, como medida preventiva e de compensação dos musculos mais trabalhados no treino. Não me parece má ideia, mas não faço ideia de como delinear um progrma desses.

Miguel Borges disse...

Eu acho que ele não se deve dedicar só ao plano de musculação e o deve executar em conjunto com os treinos de forma ao corpo se ir adaptando ao aumento da massa muscular em conjunto com a manutenção das outras capacidades que vocês falam serem precisas. Hoje em dia o ginásio cada vez é mais importante e acho importante os atletas começarem cedo porque assim não vão ter de alterar a morfologia só em seniores de uma só vez. Se forem fazendo ginásio desde a formação não correm o risco de perder a coordenação porque a trabalham no treino e na mesma altura que estão a hipertrofiar. Eu falo no desporto que pratico e em qual sou treinador que é o que tenho mais conhecimento, no andebol ninguém tem grandes hipóteses sem fazer ginásio. E também há esse lado importante das compensações, Gonçalo. Quando estamos a correr trabalhamos muito a parte da frente do corpo é necessário fazer algum trabalho de costas, tricep, por exemplo

Miguel Borges disse...

Eu acho que ele não se deve dedicar só ao plano de musculação e o deve executar em conjunto com os treinos de forma ao corpo se ir adaptando ao aumento da massa muscular em conjunto com a manutenção das outras capacidades que vocês falam serem precisas. Hoje em dia o ginásio cada vez é mais importante e acho importante os atletas começarem cedo porque assim não vão ter de alterar a morfologia só em seniores de uma só vez. Se forem fazendo ginásio desde a formação não correm o risco de perder a coordenação porque a trabalham no treino e na mesma altura que estão a hipertrofiar. Eu falo no desporto que pratico e em qual sou treinador que é o que tenho mais conhecimento, no andebol ninguém tem grandes hipóteses sem fazer ginásio. E também há esse lado importante das compensações, Gonçalo. Quando estamos a correr trabalhamos muito a parte da frente do corpo é necessário fazer algum trabalho de costas, tricep, por exemplo

Paolo Maldini disse...

Ir treinar ao ginásio não pode ser só associado a hipertrofia. A verdade é que atletas profissionais que treinam futebol 2 horas por dia, podem e devem perfeitamente completar o seu treino no ginásio. Mas quando o refiro, não significa trabalhar hipertrofia. Basta ver o tipo de trabalho que os alemães fazem. E com qs 100 por cento de certeza q todos os clubes/selecções profissionais o fazem.

Trabalho funcional, não só não te provoca essas alterações q o VF fala, como te prepara para movimentos mais harmoniosos fruto de uma maior consciência corporal. Além da eficiência em prevenção de lesões. Isto é mt diferente de ir p um ginásio encher supinos, leg presses e leg extensions, obviamente.

Nem tudo no ginásio é encher que nem um porco.

Agora no futebol amador se vejo alguém a mandar fazer trabalho físico, só me dá vontade de chorar. Tempo tão curto para treinar e perde-lo nisso? Quando o "físico" que se pretende para o jogo, é o "físico" que se obtém ... jogando!

Miguel Borges disse...

Concordo totalmente na parte de trabalho de ginásio funcional e coordenado com o objectivo do desporto que se faz. No entanto, também acho importante o trabalho de hipertrofia e mesmo o de força no ginásio. Como já disseram em cima, os americanos são uma boa amostra do que os europeus têm de aprender. Os seus atletas são muito melhor trabalhados e mais musculados, e se os comparassemos em termos de coordenação, saltos, velocidade, aceleração, etc. não perdiam para os jogadores de futebol.

Gonçalo Matos disse...

Maldini e Miguel Borges,

Estamos de acordo que no ginásio não se trabalha só hipertrofia. Mas quando a maioria das pessoas diz que o jogador X tem de ir para o ginásio, não estão a pensar na compensação muscular ou trabalho específico, mas sim na ausencia de quilos ou "força".

Os juniores do benfica não farão esse trabalho de ginásio? Com que idade se deverá então começar a trabalhar essa parte?

Gonçalo Matos disse...

Maldini e Miguel Borges,

Estamos de acordo que no ginásio não se trabalha só hipertrofia. Mas quando a maioria das pessoas diz que o jogador X tem de ir para o ginásio, não estão a pensar na compensação muscular ou trabalho específico, mas sim na ausencia de quilos ou "força".

Os juniores do benfica não farão esse trabalho de ginásio? Com que idade se deverá então começar a trabalhar essa parte?

Gonçalo Matos disse...

Miguel,

A sensação que eu tenho é que cá na Europa não conseguimos potenciar fisicamente tanto os nossos atletas quanto os americanos. Será por falta de conhecimento? Bases genéticas diferentes? Ou horas de trabalho?

De qualquer forma, se o trabalho de ginásio prejudicar a agilidade e capacidade técnica dos atletas, eu acho que não deve ser feito. Estamos a retirar características que dificilmente se obtêm no campo ou no gym.

Anónimo disse...

http://www.futbolentrenador.com/2012/10/30/la-preparacion-fisica-no-existe-paco-seirulo/

esta entrevista é gira como complemento.
Também estou de acordo que o ginásio é importante como complemento ao treino. No trabalho muscular, claro, na prevenção de lesões. E no trabalho de cardio para aumentar resistência e intensidade(pex, 20min de bike estática com Vo2 de reserva >70-80%) - com a suplementação adequada.

Pedro Santos

Anónimo disse...

http://www.futbolentrenador.com/2012/10/30/la-preparacion-fisica-no-existe-paco-seirulo/

esta entrevista é gira como complemento.
Também estou de acordo que o ginásio é importante como complemento ao treino. No trabalho muscular, claro, na prevenção de lesões. E no trabalho de cardio para aumentar resistência e intensidade(pex, 20min de bike estática com Vo2 de reserva >70-80%) - com a suplementação adequada.

Pedro Santos

Anónimo disse...

O Benfica trabalha em parceria com o LORD gabinete especializado da faculdade motricidade humana, na vertente física do plantel senior.
Arrisco-me a dizer que em Portugal não haverá ninguém melhor que este departamente para desenvolver o atleta em causa

André disse...

Falam dos desportos americanos e de como os seus atletas são "maiores". Digam-me um desporto americano onde não existam tempos de paragem constantes ou substituições volantes?
Quase todos os desportos americanos vivem de acções explosivas que obrigam à utilização de um tipo de fonte energética que é curta e que demora ~3 minutos a ser reposta totalmente. Daí a possibilidade de terem massas musculares mais desenvolvidas que lhes permita também uma maior potência.
Coloquem-nos a jogar sem subsituições volantes e durante um período de tempo mais alargado e veremos o que acontece.

Onde os americanos, na minha opinião, estão muito mais desenvolvidos é na recuperação, verificando-se desportos como o Basket onde existem jogos de 2 ou 3 em 3 dias durante largos períodos além de constantes viagens de avião.

Quanto ao tema inicial, é errado pensar num extremo (não realizar qualquer trabalho físico) ou noutro (grande foco no físico). Tem que existir um equilíbrio apesar de existirem claramente posições no campo onde uma capacidade condicional mais desenvolvida pode levar a que o atleta tenha vantagem sobre o adversário.

Anónimo disse...

Prof. Vitor Frade de futebol percebe muito mesmo... já de fisiologia e de treino muscular já não se pode dizer o mesmo... Nota-se realmente que o Cristiano Ronaldo perdeu alguma coisa em fazer musculação,basta ver o que ele joga agora em Espanha, já não é em Inglaterra como na altura dessa entrevista!! Jogadores que por fazerem musculação perdem velocidade é porque fazem um MAU trabalho!! Alguém que pesquise o que é o Usain Bolt faz... secalhar ainda era mais rápido se não fizesse musculação,não?? Deixem o trabalho de preparação física para quem percebe disso...e os treinadores de futebol não são de certeza, quanto mais os de bancada.

Roberto Baggio disse...

Maldini, siginifica isso então que todos os jogadores do SLB (plantel principal) fazem trabalho de ginásio, nomeadamente, o que citas, de cinestesia? Ou é só o Teixeira que precisa desse tipo de trabalho?

"Os seus atletas são muito melhor trabalhados e mais musculados, e se os comparassemos em termos de coordenação, saltos, velocidade, aceleração, etc. não perdiam para os jogadores de futebol."

ah não? a que jogador americano de futebol te referes, exactamente?
Não me lembro de ver com regularidade americanos a jogar futebol com grande competência técnica e agilidade, juntamente com força e velocidade.

Comentando o texto, ele pode e deve ganhar massa muscular. Mas até que ponto? Em que tempo? Quem consegue medir com exactidão os timings que o corpo precisa, e a percentagem certa de ganho para que se façam essas alterações, sem prejudicar o atleta? Se alguém tiver resposta para isso que venda já a ideia que vai ganhar muito, muito dinheiro.

Roberto Baggio disse...

Oh último anónimo, quantas lesões teve oBolt depois de começar a fazer ginásio?

Quantos recordes tinham batido antes disso? Quantos bateu depois?

Quantas marcas ele melhorou depois do treino de ginásio?
Quantas piorou?

Cada vez estou mais convencido da idiotice dos anónimos.

Se o Prof. Frade não percebe nada de preparação física, então tu ainda deves viver no tempo em que a terra era o centro da galáxia.

Anónimo disse...

Acho que é mesmo preciso ter em conta que isto é uma noticia do jornal.

Acredito que se queira fazer um trabalho especifico e de alguma forma direccionado para o fisico com o miudo, mas não acredito que seja o tradicional trabalho de ginásio.

Acredito que seja um trabalho mais focado naquilo que agora está na moda falar como o exemplo do vídeo dos atletas alemães, tal como falou o Maldini. Um trabalho desses complementar ao treino conjunto irá certamente aumentar a capacidade física, intensidade de acções e confiança. Mas também acredito que todos o façam no plantel, o dele só terá de ser mais específico num ou noutro aspecto, digo eu.

Agora ginásio para malhar ferro esqueçam lá isso. 100% de acordo com tudo o que foi dito. Aqui à uns tempos vi uns vídeos que não prestei muita atenção mas era da academia do sporting onde os jovens juniores malhavam que nem doidos no ginásio (foi a impressão que me deu). Era um vídeo em que na altura o Cedric era júnior e era um dos exemplos. Alguém se lembra disto?

Abraço
Sérgio

Roberto Baggio disse...

Sérgio, o William fez esse trabalho desde os juvenis...

Anónimo disse...

Boa noite,

treino de força torna os atletas lentos?? (como li em alguns comentários), vejam o caso dos velocistas, 70% do treino é no ginásio, e eles não ficam mais lentos, bem antes pelo contrário.

Treino de força realizado de forma orientada faz parar crescimento??? lol

Estamos em que ano?? vão estudar por favor.

Miguel Borges disse...

Eu pelo que tenho lido ultimamente e em conversas com gente da área, penso que o trabalho de ginásio pode começar a ser realizado desde os 10 anos. Obviamente não todo o tipo de trabalho de ginásio, há variáveis que têm de ser consideradas para cada idade e outra coisa importante é mesmo a idade biológica de cada atleta, há atletas que se desenvolvem mais cedo e podem realizar mais ginásio mais cedo. Isso do ginasio parar o crescimento é mito. Baggio não percebi a tua parte do comentário em que falas para mim, estou a dizer que se compararmos um Lebron James a um Messi, por exemplo, duvido que o Messi seja assim tão mais forte em termos de agilidade, coordenação, etc. e o Lebron James é um caso de um jogador com 2.06m.

Gonçalo Matos disse...

Acho que a comparação que se deve fazer não é entre desportos, mas sim entre agilidade/tecnica/força antes e após aumento muscular.
Não são desportos comparáveis. O que me interessa é perceber se há maneira de ter tudo. Eu acho muito dificil, até pq a parte sensorial nao se divide e portanto teremos menos sensibilidade por mesma volume de musculo.

Roberto Baggio disse...

O que te estou a dizer é que o futebol é diferente do basquetebol, e que como tal exige dos jogadores diferentes capacidades físicas.

Portanto, comparar um ginasta, um jogador de basquetebol, de hóquei, ou de andebol a um de futebol é estúpido. Mesmo que essas comparações sejam ao nível das qualidades físicas.

Portanto, pedi para citar, por exemplo, um jogador americano tão ágil e tão tecnicista como por exemplo o Robben. Ou como o Messi se quiseres.

Quanto ao Lebron não ser tão menos forte ao nível da coordenação e agilidade que o Messi mete-o a jogar futebol e talvez tenhas uma surpresa. Ou não, pelo que expliquei acima: são desportos diferentes, que exigem coisas diferentes de cada atleta. Nomeadamente no desenvolvimento das qualidades físicas, que está intimamente associado ao domínio dos skills de jogo, ao tempo de exercitação, à superfície de jogo, etc...

Pedro Costa disse...

O que se pretende com o João Teixeira é lhe dar alguns argumentos fisicos para complementar os seus argumentos técnicos, isto porque sendo o João um Médio defensivo por vezes ou melhor quase sempre se irá deparar com médios ofensivos ou mesmo avançados bem mais altos e bem mais fortes como tal precisa de ter algo que o ajude a "quebrar o adversário"...

Por exemplo este miudo com o corpo que tem actualmente não aguentaria meia hora a levar com o Pogba...

Se nos lebrar-mos qu eno passado o próprio Di Maria fez um tratamento de enriquecimento muscular (algo completamente diferente de ganhar apenas massa muscular) ganhando cerca de 15 Kg mas no entanto continuou com todos os seus atributos intocáveis e acabou por se tornar mais confiante na altura de abordar o 1v1, porque em vez de tentar evitar o adversário passou a não ter medo de ir para cima e tentar ganhar no fisico...

Enriquecimento Muscular tambem significa capacidade de aguentar um ombro a ombro, capacidade de aguentar um embate mais forte evitando lesões graves, capacidade de "explodir" ou de aceleração em curto espaço.....

O Ronaldo foi trabalhado para ganhar fisico para se tornar um avançado de eleição, e assim se tornou, o problema é que ele insiste em ser extremo quando o velho Ferguson já disse por mais que uma vez que Ronaldo como 2º avançado num só jogo consegue fazer e finalizar mais jogadas do que em 5 jogos a jogar a extremo, porque tudo o que o fazia ser um excelente extremo hoje em dia é anulável, mas ao mesmo temo com o ganhar de massa muscular,esses mesmos atributos de "extremo" utilizados no centro do terreno tornam-no num jogador venenoso e e bem mais versátil

artur semedo disse...

como disse um anónimo aí acima, tudo começa por saber a diferença entre treinar músculos e treinar movimentos. quando eu faço peso-morto, estou a realizar um movimento complexo que trabalha [quase] todo o corpo. e isso é que pode ter transferência positiva para o futebol. isolar músculos quando o jogo solicita todos em simultâneo é incongruente, é, aliás, uma fantasia! o ideal será optar por movimentos que envolvam o maior número possível de articulações, e, de entre estes, pelos que trabalham a cadeia posterior do corpo (lombar, glúteos, isquiotibiais).
ainda que não concordando a 100%, ficam aqui umas observações de um tipo conceituado, no mundo do treino de força: http://www.strengthsensei.com/the-fastest-way-to-improve-the-quality-of-play-in-football/

Pedro Marques disse...

Trabalho de força e trabalho de coordenação são a base de um bom velocista... e por mais que admire o Vitor Frade neste tópico em particular (a entrevista do Nuno Amieiro já tem séculos) tendo a discordar. Usain Bolt sempre fez ginásio... e nenhum velocista de topo chega ao topo sem fazer ginásio. E o futuro (o atual presente) tb discordou do Vitor Frade... o Ronaldo é muito melhor hoje do que alguém algum dia sonhou q pudesse ser. Mesmo que se partisse do principio que até um bom trabalho de ginásio fizesse perder agilidade, técnica ou coordenação parece-me que o trade-off no caso do Ronaldo seria claramente positivo pois é a sua velocidade, força e impulsão que lhe permitem fazer a diferença e n os rodriguinhos q fazia qd tinha 16 ou 17 anos e q ainda vai fazendo de vez em qd só para animar a malta. E a do Messi ser doente e franzino eheheh Parece-me que só graças a muito ginásio e muita vitamina é q temos o prazer de conhecer o Messi tal como ele é...

Edson Arantes do Nascimento disse...

Não.

O João Teixeira precisa de aprender a jogar futebol. E depois pode ir correr para o bosque, encher no ginásio, mamar caipirinhas com Isostar e o que bem lhe aprouver. Mas antes precisa de aprender a jogar futebol. Ou então sou eu que tenho de ver mais jogos do rapaz.

Porque o que eu vi até agora não é de um jogador de futebol.

JON disse...

Ri-me das caipirinhas com isostar. Caipistar?

Edson Arantes do Nascimento disse...

eheheh

Gonçalo Matos disse...

Edson,

Eu vi a final no estádio e o gajo foi dos melhores em campo. Grande agressividade posicional, grande capacidade de acelerar o jogo com o passe, procura sempre jogar pelo corredor central. A velocidade com que joga em comparação ao Talisca por exemplo é tipo mota vs bicicleta. Teve erros de posicionamento que acho normais tendo em conta os companheiros de sector e técnicos que talvez fossem evitaveis se por vezes tivesse mais calma. Mas para a idade parece-me muito bom, principalmente pela velocidade de execução e capacidade de encurtar espaços.

Nuno Ferreira disse...

Os alemaes que sao alemaes resolveram aprender.
Ja que fala como a selecao alema jogou o melhor futebol no Mundial e sobre o know how dos americanos na vertente fisica

http://mobile.nytimes.com/blogs/well/2014/07/16/train-like-a-german-soccer-star/?partner=rss&emc=rss

Pedro disse...

Tudo depende da forma como se treina. Muitos practicantes de artes marciais têm o corpo bastante musculado e têm, igualmente, enorme agilidade.

"trade-off no caso do Ronaldo seria claramente positivo pois é a sua velocidade, força e impulsão que lhe permitem fazer a diferença"

A questão que coloco é que sendo esse o core do jogo de Ronaldo até que idade ele consegue manter elevados níveis de qualidade? Parece-me (os especialistas que digam de sua justiça) que alguém cujo futebol não dependa tanto dessa capacidade explosiva consegue prolongar mais a sua carreira mantendo os níveis de qualidade.

E, não se esqueçam, que muito trabalho de ginásio do CR7 é para efeitos estéticos tb.

Anónimo disse...

https://www.facebook.com/photo.php?v=820641774635575&set=vb.334002296632861&type=2&theater

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

G. Fabrinni disse...

Roberto Baggio, achas assim tão descabido, se o enzo sair, transformar o gaitan num "enzo", visto que hoje em dia é um jogador completamente diferente que era quando chegou. tem mais agressividade recupera bem e já tem mais conhecimento a nível de posicionamento. e assim sempre se poderia colocar o ola john no lado esquerdo, que a meu ver deixa-lo no banco com tão pouca qualidade que há na equipa neste momento é um crime.

Gonçalo Matos disse...

Enzo nao era opção na sua posição, era suplente. A adaptação acrescentou maior qualidade ao seu jogo. No caso do Gaitan parece-me difícil que adapta-lo pra jogar a 8 lhe traga melhorias. Acho que estarias a tirar gaitan da zona onde ele é mais forte que é o ultimo terço. E acho tb que gaitan e olá podem perfeitamente jogar os dois

Edson Arantes do Nascimento disse...

Pois, Gonçalo, acontece que estamos em desacordo. O jovem tem potencial mas tem de comer muita sopa e, pelo que se fala, dificilmente terá espaço sequer para treinar com a equipa principal.

Se o Guilavogui (que eu não conheço) se confirmar lá irá o Teixeira para a equipa B. Sabes porquê? Porque os outros são todos melhores do que ele.

E ontem, apesar de algumas melhorias nos posicionamentos, lá voltou a cometer erros de bradar aos céus (erros técnicos consecutivos, passes ridículos e mal executados).

Se vamos comparar com o Talisca, meu caro, Talisca é classe em andamento. Classe, classe e mais classe. Porque sabe jogar à bola. Tem deficiências no resto mas isto, com um bom treinador, e com inteligência, em dois ou três meses está resolvido.

Agora, dominar o básico, ter classe, talento e criatividade não se aprende facilmente.

Mas pronto, entre Benitos, Jaras, Luis Felipes e Derleys vou sempre preferir os Teixeiras. Isso é certo. Nem que seja pela piada.

Pedro Marques disse...

Alguém com as características do Ronaldo ou o Messi vão ter sempre um envelhecimento pior que um Xavi... porque ambos os casos a capacidade física é mais preponderante... enquanto no caso de Xavi é a leitura de jogo e capacidade de passe que fazem a diferença... mas isso n está relacionado c o trabalho de ginásio. No basquete os lançadores tb envelhecem melhor que os jogadores que atacam constantemente o cesto pelo simples facto que a capacidade de lançar n se baseia tanto na capacidade física. No resto concordo que a cena do Ronaldo fazer centenas de abdominais por dia é mais uma cena estética para de vez em qd fazer umas capas de revista q outra coisa qq... mas reafirmo q o trade-off foi tão positivo q o vitor frade se relesse o q disse teria certamente estado calado... ou escolhido outro jogador como exemplo.

Roberto Baggio disse...

Kkkkkkkk

Edson para com isso, que assim não consigo trabalhar

Gonçalo Matos disse...

Edson,

Ontem não vi o jogo e contra o Sporting não fiquei com essa sensação de nenhum dos que mencionaste. Mas vamos ver como a época corre. Mas ya, dificilmente o Teixiera vai jogar. É pior que os outros claro, mas tem quê? 18 anos?

Roberto Baggio disse...

Oh Gonçalo não podes deixar essa passar xD

Ronaldinho disse...

Se o Talisca é classe e mais classe então o futebol está perdido

Roberto Baggio disse...

Confesso que concordo com o Edson sobre o Teixeira e discordo sobre o Talisca. É bom, mas não tão bom assim

Edson Arantes do Nascimento disse...

Ok, depois falamos.

Roberto Baggio disse...

Tu és o Pele pá. Não há nada para depois xD

Gonçalo Matos disse...

Eu cá acho que o Talisca e o Teixeira vão ser concorrentes como médio mais defensivo. Acho que ambos vão evoluir, mas o Talisca vai ter mais hipóteses, custou ai umas coroas fortes.

Do que vi do Talisca, vi qualidade de passe, na recepção e mesmo na condução. Só que tudo a uma velocidade à Brasileirão, devagar, devagarinho. Com a idade que tem só pode mesmo é aprender mais e evoluir.

Paolo Maldini disse...

" Messi vão ter sempre um envelhecimento pior que um Xavi... porque ambos os casos a capacidade física é mais preponderante.." FODASSE

Roberto Baggio disse...

Kkkkkk a leitura de jogo do Messi não é o que o distingue nem nada dos outros velocistas kkkkkk