Posse de bola no Facebook

Translate

quinta-feira, julho 31, 2014

Sporting, onde tens andado?!

Confirmando-se a saída de Eric Dier o Sporting perde a sua melhor unidade da linha defensiva. Não há no Sporting nenhum defesa como Dier. Competente em tudo aquilo que se pode pedir a um jogador, com e sem bola. Tem mais qualidade que os colegas de equipa, e um estrondoso potencial. Em tempos cheguei a pensar, durante a estada de Jesualdo, que o Sporting iria a aproveitar a dupla de centrais mais promissora do futebol europeu. São dois miúdos que precisam de aprender com os erros em campo. Têm de jogar muitos, muitos, muitos minutos. E se Ilori deverá pagar o preço de uma péssima escolha ao nível da carreira, mais pagará o Sporting por ter perdido estes dois diamantes, sem ter verdadeiramente desfrutado do seu talento.
O Sporting continua a formar bem. Falta, hoje, aproveitar os melhores talentos como no passado. 

quarta-feira, julho 30, 2014

Assombrosa exibição de Bebé!



A contrastar por completo com o sempre apagado Ola John.

Quando alguém quiser uma aula do que um extremo deve e não deve fazer, é colocar estes dois em campo ao mesmo tempo, e tirar as conclusões. 

sexta-feira, julho 25, 2014

"Se fosse no Ajax olhava para a formação"

Aqui, pode ler-se a análise do treinador do Ajax, ex-formado no clube, ao momento do Benfica.

Ok, não há dinheiro para investir.
Não há jogadores de qualidade ao preço que o Benfica pode pagar.
E que tal não gastarem dinheiro de todo?! Olhando para dentro, para o trabalho da equipa B, fazendo valer os jovens que têm mais qualidade.
As recentes contratações acrescentam assim tanto que justificam mais a aposta do que os miúdos?!
Pá, já chateia! Sabendo-se que dificilmente terá condições, em termos de qualidade individual, para competir com os rivais, haverá algum risco em potenciar jovens do clube?
É que não vejo melhoria nenhuma com as asneiras que têm vindo do mercado, e não consigo dizer, por exemplo, que os miúdos da B são inferiores aos contratados. Pelo contrário, são superiores!

Quem é que gere desportivamente o SLB afinal?

Bebé, lol. Sem palavras...

terça-feira, julho 22, 2014

O que o João Teixeira precisa é de engrossar?

“Jorge Jesus solicitou às equipas médica e técnica do Benfica a elaboração de um plano específico para João Teixeira, escreve A BOLA esta terça-feira.

O treinador está agradado com o rendimento do médio, de 20 anos, razão pela qual pretende que o jogador ganhe massa muscular. Tudo indica que João Teixeira continuará no plantel principal nas próximas semanas.

Hoje, li isto no jornal “A Bola” e não pude deixar de me lembrar de uma das melhores entrevistas que já tive o prazer de ler. Á conversa estavam o Nuno Amieiro e o Prof. Vitor Frade e entre outras coisas falavam sobre “engrossar” o jogador. Fica aqui um excerto:


"Nuno Amieiro (NA): Professor, até que ponto faz sentido pensar-se em alterar a «configuração física» a um jogador para que este venha a ser algo mais do que aquilo que é? Isto é, no sentido de, por exemplo, o «engrossar» para ser mais resistente ao choque ou para ir ao encontro de um qualquer estereótipo corporal de defesa, médio ou avançado?

Vítor Frade (VF): Antes de mais, é necessário reflectir sobre a designação que está a utilizar, a expressão 
«configuração física». Por exemplo, diz-se muitas vezes o seguinte: “Aquele jogador não vai jogar porque tem um problema físico”. Será que quem diz isto está a querer dizer que lhe falta resistência ou qualquer outra coisa relacionada com o físico? Não. Por isso, para mim, o que o jogador tem é um problema clínico. É preciso algum cuidado com a terminologia para que o entendimento das coisas seja um determinado. Em relação à sua pergunta, parece-me mais ajustado falar em morfotipo do jogador e, no meu entender, pensar-se em o alterar é uma asneira de todo o tamanho. As exigências que regularmente o indivíduo vai enfrentando vão tornando-o mais resistente e mais capaz e não devemos querer ir mais longe do que isso, pois na tentativa de ganhar determinadas coisas, iremos perder uma série de outras coisas.
Não me custa nada reconhecer que, para certas posições e funções, o morfotipo e a estatura são relevantes, em termos de média. Mas, por exemplo, no caso do ponta-de-lança até menos do que no caso do defesa central. E mesmo aí todos nós conhecemos defesas centrais de top que são relativamente baixos, onde aquilo que os identifica como característico tem normalmente pouco a ver com o lado externo do morfotipo, aquilo que designou por «configuração física», e muito mais com a articulação e ostimings de utilização de uma série de outras coisas. Veja, por exemplo, o caso do Liedson... Ele é «felino» e para ser «felino» e eficaz, tem de ser inteligente, tem de ser capaz de decifrar, de se antecipar... Mas vou-lhe dar outro exemplo. O Pepe tem uma entrevista recente, num jornal espanhol, onde diz que presentemente também está a fazer musculação para o trem superior, para o tronco, porque, refere-o ele, joga-se muito disputadamente, os pontas-de-lança são grandalhões, o tipo de jogo proporciona muitas disputas e, nesse sentido, ele sente a necessidade de ser espadaúdo para poder enfrentar essas circunstâncias. Mas também diz que se sente à nora quando lhe aparece um ponta-de-lança pequenino...


NA: Deixe-me pegar agora no exemplo do Cristiano Ronaldo... A generalidade das pessoas está claramente convencida de que o que ele é hoje enquanto jogador se deve em grande parte ao trabalho de ginásio que desenvolveu e provavelmente continua a desenvolver...

VF: Isso rebate-se com facilidade. O Cristiano tem um morfotipo e joga numa posição que pode permitir que o lado atlético seja um acrescento. Mas eu penso que a juventude dele e o facto de estar a jogar em Inglaterra ainda não o fez dar-se conta do desperdício que é o não uso tão regular da capacidade de drible, de simulação e de engano que ele tinha. E o jogo assente neste padrão atlético em que ele se está a viciar e do qual beneficiam os abdominais e o porte que ele tem, tirou-lhe algo que ele também tinha potencialmente, que era aquele poder de «ginga», que é mais o registo, por exemplo, do Messi. E eu pergunto, alguém no seu perfeito juízo é capaz de dizer que o Cristiano Ronaldo é melhor do que o Messi? Na melhor das hipóteses dirão que um é tão bom quanto o outro. E o Messi é exactamente o oposto em termos de morfotipo: é pequeno, enfezado,... E é doente, pois tem problemas metabólicos.
Acho que o que é fundamental é que o jogador tenha a capacidade de resistir e de ter força... Mas é importante que se perceba o que eu quero dizer com isto, pois não tem nada a ver com o entendimento comum...


NA: Para acabar, uma pergunta muito directa: porque é que o facto de eu ir fazer musculação vai alterar aquela que é a minha história de relação com o corpo?

VF: De um modo muito simples, porque altera a relação do corpo com o corpo, ou seja,... Há dois tipos de timing. O timing coordenativo dos músculos entre si, que é a co-contractividade, portanto, vão existir cadeias que passam a degladiar-se, que se passam a estorvar umas às outras. Porque é uma coordenação que se coloca contrária à fluidez que sugere e solicita a espontaneidade do jogo de futebol. Para além disso, há outro tipo de timing, que tem a ver com o ajustamento muscular à alteração sistemática regular que o envolvimento coloca. Ao fazer musculação vai estar a bulir com isso, vai estar a enganar o sistema nervoso. Portanto, vai obstruir o leque de possibilidades de manifestação que o corpo tinha a jogar futebol. E se o fizer quando em desenvolvimento vai inclusivamente bloquear o crescimento, por exemplo, dos ossos e de outras estruturas. Vai hipertrofiar uma zona que é muscular quando nós sabemos que os tendões não se desenvolvem da mesma forma... Porque não é natural! É como aqueles indivíduos que tinham uns carrinhos pequeninos e lhes rebaixavam a colaça, colocavam umas jantes largas, uma suspensão mais dura, etc, para se armarem em corredores... Só que depois partiam os carros por outro lado...”


A entrevista completa pode ler-se aqui:
http://falemosfutebol.blogspot.pt/2009/03/conversa-com-vitor-frade_30.html

segunda-feira, julho 21, 2014

Tiago Mendes

Sou o único ou há aí mais alguém a pensa que estava na hora de regressares ao teu país?!

A maior truta do mercado não é o Candeias, muito menos o Bebé. E já que não se vislumbram esforços para sacar Filipe Augusto, já estava na hora de aparecer alguém de jeito, não?
Nem que seja só nas notícias....

domingo, julho 20, 2014

Marco Silva e o Sporting

Não vi nenhum jogo dos grandes nesta fase da época, mas segundo a análise do Maldini no Lateral Esquerdo, ao nível do posicionamento com e sem bola do Sporting, Marco Silva mantém alguns dos traços marcantes do seu modelo de jogo no Estoril. Desde logo a começar pelo Duplo-pivot, com apenas um jogador entre sectores (médio ofensivo).

Com  bola os centrais abrem para um médio entrar no meio deles. Ficando a estrutura em 3x4x3. Já no Estoril isso acontecia, com Gonçalo a baixar para o meio dos centrais.

Relativamente à pressão, mantém o médio ofensivo a pressionar o central do lado contrário ao da bola, para obrigar a um jogo mais directo, defendendo em 4x4x2.

As dúvidas que tínhamos relativamente ao posicionamento dos jogadores parecem dissipar-se, e mostrar que eram mais convicção do treinador que adaptação aos jogadores. Apenas um jogador entre sectores, poderá dificultar uma reacção forte à perda de bola. Fazendo com que o critério seja organizar depois de perder a bola, e defender com 4,5 homens ataques rápidos ou contra ataques do adversário.
Com isso, espera-se também que continuem a ser privilegiadas as combinações pelos corredores laterais, com movimentos interiores dos extremos, no últimos terço, em condução, ou combinação com o médio ofensivo. O duplo-pivot sempre em cobertura, fora do bloco, com projecção dos laterais para criar superioridade no corredor e combinar com os extremos, e com o médio ofensivo que aproxima.

Podem verificar-se esses mesmos comportamentos aqui, e aqui!

Vamos ver como evolui o modelo, e se trará alguma novidade relativamente ao qie já vimos no Estoril, nomeadamente ao nível dos posicionamentos em organização ofensiva e defensiva. 

sábado, julho 19, 2014

Só depende de ti, mister


Nem o Porto de Villas-Boas, nem o de Vítor Pereira me conseguiram deixar tão expectante quanto à qualidade de jogo. E o motivo é simples: no sector do campo que considero ser a zona determinante para a qualidade de jogo de uma equipa de futebol abunda criatividade.Com a chegada de Casemiro ao Dragao, o Porto tem condições para jogar futebol como há muito não se via em Portugal. A última equipa que teve condições para jogar com tanta qualidade, e o conseguiu fazer, foi o Benfica na primeira época de Jesus. 


Oliver, Evandro, Quintero, Josué e agora Casemiro deixam-me verdadeiramente entusiasmado, e com esperança de ver algo que há muito não se vê em Portugal. Modelo de excelência, que privilegia a organização sobre as transições, com executantes ao nível do que se exige na construção, e sobretudo na criação.

Está tudo nas mãos de um homem, está tudo dependente de Lopetegui!

quarta-feira, julho 16, 2014

Curtas sobre a nova época

As notícias sobre a contratação de Bebé pelo Benfica não auguram nada de positivo. É um jogador sem qualidade para actuar nos 3 grandes. É banalíssimo do ponto de vista técnico, e na tomada de decisão nem vale a pena comentar. Não acrescenta nada, relativamente aos que já lá estão, pelo que seria o ocupar de uma posição no plantel que poderia, por exemplo, ser de uma jovem promessa formada no clube.

O Porto fechou o empréstimo de Tello. Este sim, vem acrescentar qualidade relativamente aos outros extremos do plantel. Não é famosa a sua tomada de decisão, mas é forte fisicamente, e tem qualidades técnicas interessantes. Enquanto na Luz continuam os anúncios das saídas sem entradas, no Dragão os reforços parecem vir colmatar as principais vendas, com a excepção óbvia para Martins Indi.

Leonardo Jardim, como já se sabia, trabalha metodologicamente todos os aspectos do jogo/jogador de forma global. Não separando as vertentes, como aqui acreditámos ser o mais produtivo, e ser essa a forma que os jogadores mais gostam. Diz também que prepara um novo conceito de jogo para o Mónaco. É com muita atenção que vamos seguir o trajecto do treinador português.

Marco Silva também trabalha metodologicamente como Jardim. Não de forma igual, porque isso é impossível, mas de forma global trabalha todos os aspectos com bola. Pelo que a mudança metodológica no Sporting não se deverá fazer sentir. O primeiro treino do aberto do Sporting, aqui.Obrigado pela partilha Tywin Lannister.

O Chelsea continua a sua investida no mercado. E pelas contratações, vai competir directamente com o City pelo melhor plantel em Inglaterra. Chegando Filipe Luís, Mourinho vê todos os seus desejos satisfeitos, e tem a obrigação de ser campeão. Torna-se, também, um candidato sério à conquista da Champions. Vamos ver como será a nova época do Chelsea.

O Arsenal continua a reforçar-se onde menos precisa, no ataque. A linha defensiva é onde precisa de mais ajustes e, para já, não se viu nada de novo por lá. Por outro lado as contratações do Liverpool mostram que vamos novamente ter uma temporada muito, muito, interessante em Inglaterra. Não tenho seguido com a atenção devida a forma como Everton, Tottenham, e Manchester United se estão a reforçar. Mas o facto de no comando estarem 3 homens em quem reconheço qualidades são sinais para uma maior competitividade no campeonato inglês.

O Barcelona deixa em aberto a possibilidade sair Xavi, e contrata Luís Suarez por muitos milhões de euros. Alguma coisa deu errada desde a saída de Guardiola. Não é que o fantástico treinador espanhol tenha acertado sempre nas contratações que fez, mas deixar sair Xavi é quase deixar morrer tudo o que Guardiola construiu, e mostrou ao mundo.

Por falar em Guardiola, o Bayern deixa cair Kroos, como seria de esperar. Resta saber se Sebastian Rode conseguirá dar o salto qualitativo que o modelo de Guardiola tanto precisa para se impor, também na Europa. Certo é que Rode, no que toca às ideias de Guardiola, já é melhor interprete que Kroos, mesmo não tendo treinado com ele. Dá maior elasticidade ao meio campo, por jogar tanto em cobertura, como em profundidade. Não se esconde dos espaços entre sectores, onde é preciso decidir mais rápido. Bem como não tem "vergonha" de conduzir para permitir que a equipa suba mais alguns metros, ou aproveitar os espaços de frente para a linha defensiva. Vamos ver se tem a qualidade técnica, e a tomada de decisão condizente com as exigências que o Bayern vai enfrentar.

A Juventus deixa cair Conte, por alegadas divergências na política de transferências do clube, e escolhe Allegri para o substituir. Que grande downgrade será tal escolha. Nem acredito que o antigo treinador do Milan ainda tenha tanto crédito junto dos dirigentes italianos.

sábado, julho 12, 2014

O mundial acaba como começou

Jogadores fantásticos submetidos a comportamentos colectivos do século passado. Desorganização é a palavra que melhor descreve este mundial. Foi o mundial da supremacia do individual, tais eram os espaços permitidos pelos colectivos. Assim, termina no Brasil uma competição que de positivo deixa muito pouco.

Ainda que o melhor colectivo da prova tenha chegado à final, com estrondo, percebe-se que a Alemanha tem algumas dificuldades no seu modelo, que equipas competentes poderiam aproveitar. É a melhor equipa deste mundial, independentemente do que possa acontecer amanhã.
Temos na final uma Argentina que só poderá ganhar pela competência do melhor jogador na prova: Messi. Um colectivo paupérrimo, que sonha com a glória e com um salvador como já teve no passado.
Van Gaal é a maior desilusão do mundial. Com o conhecimento de tudo o que foi fazendo no futebol até hoje, foi horrível o que a sua equipa apresentou neste mundial. Logo ele que sempre primou pela qualidade de jogo, e pela superioridade dos princípios colectivos. Porém, no mundial, regressou ao passado com princípios que nunca me lembro de o ter visto utilizar. Certo é que, se for assim para Manchester vai passar por um grande sarilho.
O Brasil de Scolari foi o Brasil de Scolari do início ao fim. E isso é o pior elogio que se pode fazer a uma equipa de futebol.

O 11 do mundial, apenas com os semi-finalistas (1x4x3x3 da Alemanha):

Treinador-> Joachim Löw

Neuer

Hummels
T.Silva
Blind
Lahm

Bastian
Kroos
Messi

Neymar
Robben
Muller

Suplentes: Romero, Garay, Óscar, Ozil

quarta-feira, julho 09, 2014

Paul Breitner explica a evolução do futebol, bem como a mudança no futebol alemão, e os modelos a seguir!


Pelos vistos eles, os alemães, não têm vergonha de assumir que modelos seguiram, que modelos os inspiraram. É preciso não ter receio de copiar o que é bom, e deixar de utilizar as desculpas do costume: que só funciona lá, que copiar é mau, e o que é do vizinho é sempre melhor que o nosso. Também, nós, em Portugal, podemos usar de tudo que há de bom no futebol mundial. E hoje, Espanha e Alemanha são modelos a seguir. Não é para admirar, é para seguir!

"A Alemanha não tem um verdadeiro ponta de lança"

A frase não é minha, como é óbvio. É de Mourinho. E é, como venho defendendo há algum tempo, mais um sinal de que o outrora ídolo, treinador português, se recusa a evoluir os seus preconceitos de jogo, e a linha que eu acredito que o futebol vai seguir no futuro.

Hoje, como sempre, quando joga como Ponta de Lança, esteve fenomenal naquilo que se pede de um avançado moderno. Muller não é um prodígio de técnica. Mas é inteligente, e percebe exactamente o que fazer para que os seus colegas tenham mais hipóteses de serem bem sucedidos.
Ao contrário de Klose, por exemplo, ou mesmo de Mandzukic.

terça-feira, julho 08, 2014

Cai mais um mito!

O Posse de Bola nasceu para ver a era Pós Guardiola. E nos tempos de hoje, a vitória da organização colectiva é evidente.

A motivação, a garra, e a qualidade individual, sem organização, estão com os dias contados.

As mudanças são evidentes, os tempos são outros, e quem não o perceber vai ficar para trás.

Aos que ainda acreditam que isto foi um acaso, vejam de novo!

Obrigado Alemanha!

sábado, julho 05, 2014

Deixem os meninos jogar!

Como pessoa que gosta de futebol, estou sempre atento à qualidade individual, especialmente dos jogadores mais jovens.
 Neste capítulo, a próxima época em Portugal promete muito, especialmente se olharmos para 3 nomes. Dêem tempo e espaço para estes 3 crescerem e serão referencias nos seus clubes. Não é fácil encontrar um ano com 3 jovens com tanto potencial em Portugal.