Posse de bola no Facebook

Translate

quarta-feira, maio 14, 2014

Jesus

Hoje é muito fácil criticar Jesus, por ter perdido. Mas, quem me conhece, sabe que não é por aí. Ninguém, mais do que eu, reconhece os méritos de Jesus, na organização da equipa. Na vertente que o treinador controla. Hoje, no que ele controla, não esteve ao nível que se exigia.
Sim. Não tinha os seus melhores jogadores.
Sim. A lesão de Sulejmani complicou muito.
Sim. Os jogadores cometeram muitos erros, com bola, e em algumas abordagens aos lances.
Sim. O Benfica teve mais ocasiões de golo que o Sevilha.

Mas, o Benfica não deu 30% do que pode. Não jogou ao ataque, nem à defesa como nos habituou. As dinâmicas em posse não existiram. Porque os jogadores aceleravam a cada recuperação de bola, ainda que em grande inferioridade numérica, ainda que em zonas do campos difíceis de explorar em transição.
Sem controlo do jogo, sem controlo dos ritmos, sem controlo do adversário. Tudo porque a cada recuperação, seguia-se uma perda. Não se tentava alternar e baixar o ritmo, jogar atrás, meter gelo, acalmar o jogo.

Se o Sevilha mereceu mais que o SLB? Não. Contudo, pela mais valia colectiva, e sobretudo, individual, muito mérito tem Emery em ter conseguido bater um Benfica muito longe do seu patamar qualitativo.

Sim. Hoje, é dia de perguntar como é que com as duas equipas completamente destruídas (fisicamente), no prolongamento, a substituição aparece no minuto 118. O objectivo era levar o jogo para penaltis? Para a lotaria? Para a sorte? Aí está o resultado.
Sim. O trabalho do treinador passa por fazer o melhor possível para que a sorte não tenha influência no jogo. Hoje parece-me que o treinador do SLB remou no sentido contrário a isso.
Sim. Hoje é dia de perguntar como é que um jogador que anda super ansioso para fazer um golo é escolhido para marcar uma grande penalidade?
Sim. Hoje é dia de perguntar como é que um jogador fica muito "nervosinho" quando não marca, é escolhido para marcar uma grande penalidade?

Não critico Jesus por não ter ganho. Não. Nunca. Critico por não ter feito o máximo para evitar a lotaria, bem como as escolhas que fez para essa mesma lotaria.
Pedia-se um pouco mais de coragem!

90 comentários:

Anónimo disse...

Baggio o problema é que vocês esquecem k ah uma equipa do outro lado. O Sevilha é fraquinho vai levar 2 ou 3 batatas, isto já ta ganho... E não foi bem assim.

Parabéns ao Beto e ao carriço.

O Beto k nunca jogaria numa equipa do Jesus pq é baixo. A vingança serve-se fria...

Jesus eras o maior e voltas a ser banal. Os benfiquistas esta não te perdoam.

Eduardo Paulino disse...

gostava de saber a vossa opiniao em relaçao ha entrada de andre almeida e nao a de cavaleiro. obrigado
Eduardo Paulino

Roberto Baggio disse...

Esquecem o que pah? Deves estar doente tu. LOL
Vai levar o quÊ, pah? Tem juizo "jovem".

DC disse...

Baggio, já tinha referido. O Benfica contra equipas do mesmo nível ou superiores tem sempre medo de assumir o jogo. Isso, para mim, só pode ser estratégia do JJ.
Passou pela Juve porque foi muito, muito eficaz. Hoje não teve eficácia ressentiu-se. No Dragão (com muitos suplentes sim), mas entra sempre para contra-atacar. Ou lhe falta coragem ou lhe falta capacidade para gerir a posse sem riscos. Daí ter dito que tenho vontade de o ver num campeonato de topo a ter que assumir todos os jogos.

Eduardo Paulino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

o que dizer da primeira substituição e da adaptação feita?

Anónimo disse...

Deves tar mais doente que eu visto que a tua equipa perdeu mais uma final.

Roberto Baggio disse...

Isso aí foi o que o treinador trabalhou. A condição física não tinha influência, ainda, pelo que essa opção parece-me normal.

Anónimo disse...

O Jesus não podia fazer nada com o árbitro que não marcou incrivelmente 3 penalties! Penalties claros, todos eles!
Ou será que agora com o Benfica as leis do jogo não se aplicam?

Eduardo Paulino disse...

o JJ nao tem capacidade de ir para um grande... nota-se os momentos chave, como hoje. nao consegue transmitir a equipa q eles têm o q e preciso para vencer... em termos psicologicos e zero!

Daniel Martins disse...

Para mim foi falta de qualidade individual. O Sevilha criou poucos lances em organização ofensiva. Penso que o JJ pediu aos jogadores aquilo que pede em todos os jogos. Eles é que não deram mais. Gaitán, Amorim, Gomes e Maxi. Com este meio-campo a jogar todas as eliminatórias nem chegávamos aos quartos.

Gonçalo Matos disse...

Anónimo,

Não sejas picareta, Jesus não é banal hoje nem o é há vários anos.

Baggio,
Não consigo concordar a 100% contigo hoje, Com um André Gomes horrível e um Maxi a ala, acho que seria mto difícil fazer melhor. Mas concordo
Sendo facil de falar agora, acho que o Benfica teria ganho muito mais com um meio campo com Almeida e Amorim desde inicio. Provavelmente foram os dois jogadores que mais solicitaram jogadores no apoio frontal.

Kchron disse...

Baggio, tu dizes sempre que não criticas substituições porque depende muito do balneário, e eu aceito e por isso eu não o consigo fazer. Não se sabe se Cavaleiro estaria preparado para a responsabilidade. Os jogadores jogavam com o coração, e as melhores alturas que o Benfica jogou era nos primeiros 15 minutos de cada parte, quando havia tempo para reorganizar.
Não acho que haja assim tanta culpa de JJ, acho que o Benfica sofreu o peso de uma Final Europeia, e da final do ano passado.

VASCO disse...

fdç oh baggio aquela merda ambulante de nome André Gomes SÓ FEZ MERDA! e o gajo em 120' não podia ter posto qq coisa?! Djuricic oh o crlh!

Roberto Baggio disse...

Houve muitos erros, muita ansiedade. Esses erros podem ter prejudicado isso. A confiança dos jogadores. Na primeira parte. Ao intervalo, o treinador acalma e corrige. Mas, infelizmente, parecia estratégico. Acelerar assim que se ganhava a bola. O que acarreta mais riscos, mais perdas de bola. Dizer-se, claro, que com os jogadores que faltavam, parece-me claro que o SLB ganharia. Mas com estes, não consigo gostar da estratégia, nem da inépcia durante o prolongamento. Não aceito isso. Estavam 22 mortos em campo.

Anónimo disse...

1 penalty claro sobre o lima e segundo amarelo no def esquerdo

DC disse...

A própria conferência de imprensa onde só fala dos batedores de penalties, está a desiludir.

Bernardo Pinheiro disse...

Ehehe, concordo ctg Gonçalo, um meio campo Almeida-Amorim, é mt superior a Gomes-Amorim.

Roberto Baggio disse...

Concordo com tudo isso. Está no texto. Muitos jogadores péssimos. Maus, tudo. Mas a estratégia era acelerar logo ao recuperar, tantas foram as vezes que todos os jogadores o fizeram.
E, depois, prolongamento, tudo morto e... 118.

João disse...

É isso mesmo Baggio. O retardar das substituições do JJ fez-me pensar que ele ia em busca da sorte... E quando assim é...

Engraçado, quando vi que o Cardozo ia marcar comentei que falhava sempre nas decisões e quando vi que Rodrigo era o candidato seguinte deixei de acraditar. Muita frustração neste momento.

Uma nota. Rakitic é muito bom, foi é impressão minha?

Roberto Baggio disse...

Pah, para mim também.
O Benfica teve mais situações de golo.
Mas, foi para o prolongamento, diz que sentiu os jogadores do Sevilla sem pernas, e mexe aos 118.

filipe disse...

não me parece que o " acelerar" que falas fosse estratégia do treinador mas mais ansia e vontade dos jogadores em se porem a ganhar, em fazer bem e depressa

Bernardo Pinheiro disse...

Pois, mas com o Jesus não é sempre assim? Acelerar? Sem Enzo e Marko as transições não são é iguais.

Roberto Baggio disse...

Certo. Não estou a criticar as substituições. Estou a criticar a falta delas... 99%
Mais 0.5% da estratégia
E 0.5% da escolha dos marcadores de penaltys

Roberto Baggio disse...

Todos os jogadores?

DC disse...

Estava agora a dizer a um amigo que, para mim, a equipa que jogou no Dragão sábado é melhor que esta pela simples razão que tinha Enzo. É meia equipa, neste momento.

Roberto Baggio disse...

É bom sim senhor

Roberto Baggio disse...

Não. Não é sempre assim. Não vejo o Gaitan acelerar cada vez que recupera. Nem o A.Gomes tentar romper pelo meio, nem o Rúben tentar colocar logo longo. Nem os centrais meterem sempre nos laterais, quando tinham linhas de passe dentro.

Kchron disse...

Eu pessoalmente não consegui ver isso como estratégia. O que me parecia eram jogadores ansiosos demais para jogar um jogo pensado, sentindo ainda por cima que tudo o que faziam não dava certo.
Se a equipa técnica devia ter mão nisso? É capaz, mas é difícil, com tanta pressão.

Bernardo Pinheiro disse...

A mim não me pareceu nada de especial, mas também não tive muito atento a ele. Um lance que tou-me a lembrar agora foi um passe longo para a bancada na 1ª parte, parecia o Gaitán.

filipe disse...

quase todos. principalmente os mais influentes e com mais bola

Roberto Baggio disse...

Eu entendo. E podes ter razão. Mas ainda assim, isso é 0.5% do problema, para mim.

Kchron disse...

Vi Gaitán a cruzar muitas vezes sem olhar, André Gomes a rematar de longe... Parecia que queriam fazer tudo à pressa, para se sentirem confortáveis.

Ronaldinho disse...

Jesus perdeu este jogo, a primeira substituição mostrou aquilo que ele queria do jogo! Um treinador que prescinde do controlo que pode e deve ter no jogo lança-se no âmbito da incerteza, do aleatório. Aquela inércia ao longo do jogo é injustificável. Todo o mérito para esta época mas este jogo foi ele que o perdeu!

Roberto Baggio disse...

Certo. Como disse, podes ter razão. Depois falta o perceber o porquê de não ter continuado na busca pela vitória no prolongamento.

Bernardo Pinheiro disse...

E ainda o Siqueira Kchron, que tentava sempre o remate quando chegava perto da grande área. Foi ridículo.

preto_nharro disse...

Eu penso k é mm pelo k o Eduardo Paulino diz, dd o 1o ano d JJ no Benfica k digo o mm, ele é perto do excelente em quase tds os aspectos possiveis para um treinador, mx do ponto de vista do trabalho psicologico é perto do zero... N sei o k ele faz de errado nesse capitulo pois n sei o k ele faz d td, mx os resultados (e exibiçoes) falam por si em tds os jogos de alta responsabilidade, a equipa mostra nervosismo, praticament tds os jogadores jogam abaixo do seu valor real/habitual

Kchron disse...

No banco era só jogadores inexperientes. Secalhar houve medo de não aguentarem a pressão. Sinceramente acho que faltou mais uma figura de capitão para organizar as coisas dentro de campo, de ditar o ritmo de jogo, de obrigar os restantes jogadores a fazer um jogo de cabeça.
Tendo em conta isto, eu não conseguiria tirar Gaitán, sendo o jogador mais experiente que o Benfica teria dentro de campo.

filipe disse...

penso que gaitan devia ter passado uns minutos pela direita, procurando assim o espaço interior e entre linhas

Roberto Baggio disse...

Eu não sei quem. Mas sei que tinha obrigação de ter feito mais do banco de suplentes.

Kchron disse...

No máximo o que faria seria jogar com 3 no meio. Almeida, Gomes e Gaitán. Djuricic e Lima a apoiar Rodrigo.
Mas trocar de sistema a meio de uma final...

Acho que o que deveria ter sido feito, seria nos 90. A partir daí, já não sei por onde se deveria pegar. Entre níveis físicos e psicológicos, não possuo os dados para analisar...

Daniel Martins disse...

Sim, tb me pareceu k ele podia ter feito mais para "capitalizar" o estoiro físico do Sevilha. Mas talvez ele não acreditasse em quem tinha no banco, ou não quisesse tirar um dos potenciais "bons" marcadores de penaltys... Sei lá! O Vítor Pereira ainda no outro dia falou que ser treinador tem muito de intuição, e talvez o JJ achasse que a vitória estivesse nos pés de alguém que já tivesse em campo... Enfim.

Roberto Baggio disse...

Eu sei que estando os jogadores fisicamente mal, a resposta (mental) não é igual. É fraca. E ele podia aproveitar isso. Não só colocando um jogador fresco que poderia ganhar vantagem perante todos os outros, mas também dando um sinal à equipa que queria ganhar o jogo, ali, atacar com qualidade, subir linhas, apertar, até marcar. Sendo que gritar do banco pouco valia.
Não sei como é que ele devia ter feiito. Quem entrava, quem saia. Sei que tinha de mexer!

Roberto Baggio disse...

"Mas talvez ele não acreditasse em quem tinha no banco"

Ainda que não acreditasse, deve dar um sinal aos jogadores que são importantes. Que não estão lá só porque outros não estão. Fazê-los sentir importantes.

"ou não quisesse tirar um dos potenciais "bons" marcadores de penaltys..."

É exactamente isso que critico

Unknown disse...

DC, contra a Juventus foi normal o SLB ter-se "recolhido" ou melhor, a Juventus a isso obrigou. Agora contra o FCP o individual foi sempre inferior, o que querias tu, jogar de peito aberto com segundas linhas? Andas a desvalorizar o FCP.
Hoje contra o Sevilha não vi um SLB recolhido, o Sevilha também jogou e mesmo assim houve bastantes ocasiões para marcar. Se falhas o remate não e o sistema que vai por em causa.

Kchron disse...

Certo. Aceito.

Unknown disse...

Admito que aconteceu mais vezes que o normal, mas não foi assim como dizes. O SLB tentou muito ataque apoiado. Já agora, o "acelerar" não foi para aproveitar a fraca estrutura defensiva do Sevilla? É que houve várias vezes que o Gaitas o conseguiu com algum sucesso. E as "arrancadas" do André Gomes não deram porque era ele e não o Enzo. Mas aqui podemos criticar o JJ? Deveria dar tanta liberdade ao André como dá ao Enzo? É difícil também avaliar se mudaria a maneira de jogar.

Unknown disse...

Outra nota João. Apesar de achar que os penaltys foram um pouco mal marcados, também há que reparar na "facilidade" de defesa do Beto quando está uns metros à frente da linha. Então no penalty do Cardozo "cortou" ângulo como ninguém.

Roberto Baggio disse...

"Já agora, o "acelerar" não foi para aproveitar a fraca estrutura defensiva do Sevilla?"

Nos momentos em que isso é a melhor solução. Não "sempre".

"E as "arrancadas" do André Gomes não deram porque era ele e não o Enzo."

E quem é que o colocou a fazer de Enzo? Quantas vezes ele fez de Enzo este ano?

De qualquer forma, o que ataco de forma veemente, é a apatia perante o desenrolar do jogo.

Pedro Ribeiro disse...

Quando vi no início da segunda parte aquela vertigem toda, bola cá, bola lá, recordei-me das palavras de Vítor Pereira, na entrevista ao maisfutebol do fim-de-semana passado: "isto [bola cá, bola lá], para mim, é desorganização". Pode ser agradável para o adepto mas... Mau controlo do jogo, de parte a parte, muitas perdas de bola, algumas em início de construção. As ausências (sobretudo de Perez) fizeram-se-sentir. Mas pensei sempre que, com um jogo naquelas bases, o Benfica levaria sempre a melhor. Não esperava tantos erros na definição dos lances no último terço do terreno, quer na decisão do passe, quer na finalização. Gaitan esteve longe do que pode e sabe, Lima e Rodrigo estiveram irreconhecíveis. É verdade o meio-campo não teve a dinâmica habitual (muitos passes errados, muitas más decisões) mas, mesmo assim, uma definição minimamente aceitável de alguns lances de fácil resolução teria dado golos.

Também me pareceu que o Cavaleiro poderia ter entrado (bem) mais cedo. A equipa do Sevilha estava de rastos, pareceu-me pior do que o Benfica. A velocidade de Cavaleiro poderia ter feito mossa.

Voltando à entrevista do Vítor Pereira, mesmo não ganhando a Liga Europa (ainda que sem derrotas), o trabalho de Jesus "está lá". E hoje, creio, até deu para perceber que o plantel do Benfica, sendo bom, não o é tanto quanto se diz...

DC disse...

Unknown, o facto de jogares contra uma equipa do mesmo nível não implica que tenhas necessariamente de alterar a tua forma de jogar. O JJ fê-lo sempre no Dragão e a única coisa que traz para contar dos jogos lá é uma vitória fortuita em penaltis. E se nalguns jogos o Benfica usou reservas, o Porto também usou gente como Mikel, Abdoulaye, Ricardo, etc que não são propriamente jogadores "feitos" além de estarem num estado psicológico miserável e com uma organização táctica sofrível.
A minha opinião é que JJ se "apequena" contra algumas equipas.

Pedro disse...

Baggio, não vou criticar o JJ por perder uma final europeia nem por este jogo em particular. O que critico em JJ vem de muito de trás. O que se passou neste jogo nada mais é do que o resultado de tudo o que já disse. Tudo. Não é neste jogo mas em todo o percurso de JJ. Aqui, claro que podia ter feito isto ou aquilo mas consigo perceber as suas hesitações. Só não percebo o pq de ter saído Gaitan e não André Gomes que já estava agarrado à perna e a coxear. De resto percebo. Podia ter feito diferente? Claro que sim mas foi fiel ao seu modelo. E aí a crítica não é de agora...é de à 4 temporadas no mínimo. Ainda é cedo para discutir a fundo isto...teremos tempo. Fique JJ ou não no Benfica.

Jorge Carolo disse...

Julgo q o André Gomes tentou fazer o q JJ lhe disse só que não soube interpretar bem os momentos do jogo... Muitas vezes tentava "romper" a contenção quando devia passar e vice versa, resultando em muitas perdas de bola e bola cá bola lá num jogo em q o Benfica tinha todas as condições para dominar. É nisto q Enzo é um deus!!!

De resto, há outro dado q teve influencia na estratégia do Benfica na 1ª parte, a saída de Sulej!!

Com Maxi, q se saiu melhor do q esperava (principalmente na 2ª parte), o Benfica esteve algo perdido, após a entrada de André Almeida para as suas costas. Sublinho mais uma vez o azar q o Benfica teve em, condicionado em termos de opções, ainda ver um dos titulares lesionar-se aos 15 min.

Por outro lado, a vertigem ofensiva quando tinha a bola, foi um dos aspetos que quanto a mim fizeram o Benfica jogar o jogo que Emery queria...

O Benfica quando optou por circular conseguiu muitas vezes encontrar espaço dentro do bloco, mas depois não deu o seguimento certo à jogada tomando muitas vezes más decisões, sendo Gaitan um dos que mais falhou a este nível, o q não é normal.

Por fim, como diz o outro, naquelas jogadas em que mesmo assim o Benfica chegou à baliza adversária com tudo para marcar a sorte não quis nada com os Portugueses.

JJ esteve quanto a mim muito apático e caiu no enredo de Emery, ao não jogar a maior parte do tempo como sabe, nem parecia o mesmo, muito calmo, muito tempo para substituir (o q é hábito nele), enfim, poderia e deveria ter feito melhor.

Anónimo disse...

O "acelerar" não será antes devido à presença do André Gomes em vez do Enzo?

Roberto Baggio disse...

É exactamente este jogo, e só este, que eu ataco.
Não vale de nada convocar 18 se só confias em 13.
Medo do Cardozo? Isso dos estatutos já acabava não? Há coragem para dizer a alguns jogadores que não, e bem, em prol do melhor para a equipa. E outros têm moral infinita.
Neste jogo, fala - se da falta de qualidade do SLB, que não é mentira. Mas quantos do Sevilla entravam no 11 da final do SLB? 2/3?

Então levar o jogo para penaltis é para quê? Porque és mais fraco que o adversário, e preferes a lotaria a algo que controlas? Não, nem pensar. Nunca.
Mais coragem precisa-se.

É, sobretudo, nestes momentos que se mostra à todos os jogadores que eles são importantes, e que se ganha a sua confiança. Não é só andar lá, para jogar quando os outros não estão, a fazer de bonecos.
Se o ano passado o Benfica esteve brilhante contra uma equipa muito melhor, este ano esteve muito mal. Esteve melhor que o Sevilha, é verdade. Mas muito longe daquilo que pode dar, mesmo com aqueles executantes. E treinador aceitou de bom grado levar o jogo à roleta, e isso não é fazer o máximo para que os imponderáveis apareçam.

Miguel Barata disse...

Também acho que podia ter entrado Cavaleiro/Djuricic, com jogadores a cair como tordos no fim era de tentar...
Mas mais grave pareceu-me a hesitação aquando da lesão do Sulejmani. Ora Cardozo, ora Cavaleiro, afinal é o Almeida. Quase parece que ainda acusou mais a pressão que os jogadores.

Unknown disse...

"Por outro lado, a vertigem ofensiva quando tinha a bola, foi um dos aspetos que quanto a mim fizeram o Benfica jogar o jogo que Emery queria..."

Era tanto que o SLB ainda conseguiu umas 5 ocasiões de golo.

Código Futebolístico disse...

Lotaria? Os penaltys são tão lotaria como as acções tomadas durante o jogo. Já chega dessa definição que retira responsabilidades a quem marca.

Roberto Baggio disse...

De acordo.

Roberto Baggio disse...

Sabes que essa definição, lotaria, tem uma lógica não sabes?
Se quiseres, já que não a entendes eu posso explicar de forma muito simples. Mas para isso, tens mesmo de perguntar o motivo de eu achar os penaltis um momento onde a sorte joga mais que no jogo. Muito, muito, muito, muito mais.
Tem responsabilidades, óbvias, quem marca. Tem ainda mais responsabilidades quem escolhe os marcadores.
Que eu saiba, na hierarquia SLB, quem manda ainda é o treinador. Que repetidamente, durante épocas, foi dizendo a determinados jogadores que era este ou aquele a marcar a grande penalidade. Curiosamente, nunca o conseguiu fazer com outros jogadores, Reis do estatuto.

Pedro disse...

Baggio, esses erros que apontas estão presentes desde o primeiro dia. A diferença é que os jogadores vão resolvendo...

Roberto Baggio disse...

É pah não.
Já o vi fazer muita coisa. Mas nunca o vi contra uma equipa inferior, que tem de se dizer que o Sevilha é inferior, não querer ganhar o jogo, a precisar de ganhar.

DC disse...

Sinceramente, quando estão meia dúzia de gajos no relvaod com cãibras, há razão para não acreditar num extremo com características físicas muito boas?
O Diogo Figueiras nos minutos que jogou foi um dos melhores simplesmente por estar fresco.

Roberto Baggio disse...

Era tanto que o o Garay acabou aos 90's com cãibras. E isso foi porque não teve descanso, ou porque andava cansado.
Quando é que foi mesmo a última vez que Garay teve cãibras, no final do tempo regulamentar?
Se calhar isso não se deveu ao mau controlo que houve do jogo, nem nada.

Roberto Baggio disse...

Exacto!

Roberto Baggio disse...

Ah e DC, não vamos falar do Siqueira não é. LoL

Luis Barroso disse...

Concordo com o que se tem dito sobre o aspecto psicológico. E nestas finais isso conta muito. Só não queria que essa crítica, que é justa, apagasse tudo o resto que aconteceu, e que foi muito.

Duas coisas que ainda não vi ditas e que achei importantes:

1) achei mal as constantes mudanças de posição a que JJ sujeitou alguns jogadores. Se não estou enganado o Andre Almeida trocou três vezes de posição durante o jogo. Isto não é um laboratório de experiências, às vezes mais vale jogar pela estabilidade.

2) O JJ não tem culpa do Lima e do Rodrigo (sobretudo este último) não estarem à altura dos grandes momentos. É curioso ver (e não é de hoje que digo isto) como é que o SLB se aguentou tão bem durante a época com os dois na frente. Claro que o Rodrigo e o Lima têm qualidades, mas falham tantos golos...

Finalmente, concordo com o que o Baggio diz sobre a incapacidade de manter o modelo no jogo de ontem. Rakitic e Mbia foram claramente superiores ao Amorim e André Gomes, porque são melhores jogadores.

A confiança também vem da qualidade, e ontem o Benfica, do meio campo para a frente, não tinha grande qualidade em campo.

Pedro disse...

Eu nunca vi JJ a fazer algo para mudar o rumo de um jogo. Ou pelo menos com sucesso.

Edson Arantes do Nascimento disse...

Então e o André Gomes?

Roberto Baggio disse...

Ainda há malta a dizer que esses são melhores que os do FCP. Enfim. É preciso estar muito ceguinho mesmo.
Mas sim, concordo quase em absoluto contigo.

Edson Arantes do Nascimento disse...

Acho que exageraste, Baggio. O problema das correrias é velho, foi resolvido em parte (só em parte) durante este ano, mas continua lá. Sem Markovic e Enzo tudo fica diferente. A alternativa ao Enzo é o André Gomes (LOL) e com isto ficamos esclarecidos em relação à qualidade do plantel. Com Fejsa podia ter sido um pouco diferente. Não estou a criticar ninguém porque estamos a falar de equipas portuguesas, que com os valores que têm disponíveis, apenas podem dar-se ao luxo (ya, é mesmo um luxo) de ter três-quatro-cinco jogadores de grande nível - que são basicamente para vender e fazer negócio.

A diferença entre as equipas portuguesas que têm sucesso e as que não têm sucesso está, normalmente, nos treinadores. Também exageraste em relação ao Sevilha, Baggio. Como disse outras vezes esta equipa, mesmo com as deficiências sobretudo nos posicionamentos (foi incrível a quantidade de vezes que os jogadores do Benfica correram de área a área sem oposição), é uma equipa perigosa. Que ganha sem esforço a 99 por cento das equipas portuguesas porque tem qualidade individual e o treinador não é assim tão mau como o querem pintar. Bom, pelo menos é tão forte quanto o Fernando Santos ahahahah

Na minha opinião o Benfica fez o jogo normal, teve algumas dificuldades, mas não ganhou a taça porque mais uma vez falhou uma série de golos em frente à baliza - quantas bolas foram interceptadas pelo último homem do Sevilha? Seis, sete?

Foi pena, mas esta é daquelas que não me chateiam muito. Acho que se fez tudo ou quase tudo (eu nunca teria colocado o Maxi a médio mas olhando agora para o jogo... quase que foi a morte do Sevilha).

Jorge Carolo disse...

Errado Unknown!

As oportunidades a q te referes foram por recuperações altas do Benfica e não por querer acelerar o jogo desde trás como André Gomes fez, e mal (para mim), quando muitas vezes estava em clara inferioridade numérica e/ou em situações muito apertadas para o fazer...

Era pelo menos essa Vertigem ofensiva a que me referia...

Código Futebolístico disse...

Então, sim gostaria de saber porque a sorte joga mais. Isso das responsabilidades é discutível, no entanto o que acho fundamental é que se perceba que os penaltys, apesar de terem um contexto especifico são decididos pela qualidade do jogador em todas as suas dimensões.

Unknown disse...

Viva Baggio

É isso mesmo, criou-se o mito que o Benfica tem um plantel ao nível de finalista da champions (ainda um dia destes ouvi o Carraça dizer que o Benfica tinha um plantel muito superior ao do Chelsea!!!) o que não é de todo verdade e alguns jogadores apenas parecem muito melhores do que aquilo que são devido ao modelo da equipa.
Quanto ao post em si, concordo em parte, principalmente no que diz respeito às substituições. A entrada de Cardozo aniquilou a equipa ofensivamente. Naquela altura com as debilidades físicas do Sevilha acredito que Cavaleiro, mesmo não sendo nada de especial iria oferecer muito mais à equipa.
Sobre o que disseste acerca do modelo não me pareceu diferente do normal, a maior parte dos jogadores é que estiveram muito mal a decidir (André Gomes acima de todos mas também Gaitán e os dois avançados), tanto que por vezes Maxi até parecia bom nesse aspecto!!!

Concluindo, Jesus não esteve bem, mas muito pior estiveram os jogadores e em minha opinião a principal responsabilidade foi deles (viram-se lances completamente ridículos e infantis até).
Parabéns ao Sevilha que soube aproveitar erros alheios (do Benfica mas também do árbitro, embora estes últimos não sirvam de desculpa) e vencer o troféu contra uma equipa que lhes é bastante superior.

Abraço

Luís Ramos

Roberto Baggio disse...

Edson, provavelmente entendeste mal a minha crítica. A minha crítica, hoje, está naqueles 5% que prefiro ignorar e que não valorizo tanto. Na vertente estratégica. No detalhe. No pormenor. Não está no modelo. No valor do mesmo. No treinador. Que para mim é top top top, ao nível do que se faz na Europa.
Que se faz quando um jogador como o A.Gomes perde 50 bolas num jogo?
Eu tirava-o. Cardozo? A serio? Meter um morto, no meio de 21 mortos de cansaço? É queo Cardozo, dem ter jogado, estava ao mesmo nível dos outros, se não pior.
Okay. Tudo desculpável. Então e depois de toda gente mais que morta, coisa que ele afirmou na conferência, mexer, não?
A do Maxi não consigo criticar. Pareceu-me trabalhado. Coisa que ele também afirmou na conferência.

Depois, tenho a certeza que tu não metias Cardozo e Rodrigo a bater. Certeza absoluta.
Mas a minha maior crítica é a inépcia enquanto o jogo se arrastava para a lotaria.

Roberto Baggio disse...

Claro que são decididos pela qualidade do jogador, em todas as suas dimensões, como tudo no jogo.
A diferença é, os jogadores são homens. Os homens erram.
Então o que é preferível: Ir aos penaltis, one shot only. Se a individualidade falha, morres. Ou fazer tudo para não ir, fazendo com que a individualidade, que vai errar tenha mais chances e repetir? Fazendo-o até terminara partida?

Eu cá prefiro que resolver num momento onde eles possam trabalhar em tentativa/erro. Porque sei que, matematicamente, isso garante maiores possibilidades de sucesso, pelo número de tentativas. Uma tentativa. Várias tentativas.
One shot: lotaria.

Simples.

Roberto Baggio disse...

Várias tentativas, se o jogador for bom, há de acertar alguma/s.

Anónimo disse...

Fofa, venham mais oito perdidas que a gente se diverte na mesma. Um beijinho

Código Futebolístico disse...

Percebo que prefiras decidir colectivamente, mas entendo igualmente quem prefira decidir individualmente. Acreditando na qualidade individual. Isso da tentativa erro não demonstra nada. E como sabes essas probabilidades? 50 % no penalty e não contando a qualidade dos intervenientes. A qualidade é fundamental para alterar as probabilidades. Se achas que é lotaria, se a sorte influencia assim tanto não devias criticar o Jesus por escolhar A/B ou C.

Roberto Baggio disse...

Não tem nada a ver com decidir colectiva ou individualmente.
Porque ao final do dia são sempre, sempre, as individualidades que decidem.

E, o meu exercício probabilístico, propicia mais hipóteses às individualidades.

Quando às probabilidades, sabes o que é uma amostra, certo?
E uma amostra tem de ser suficientemente grande para que se possam tirar conclusões do que quer que seja. Ou seja, metes um tipo a marcar um penalti, e as conclusões são zero. Independentemente de marcar ou falhar. Logo, a probabilidade de marcar é igual à probabilidade de falhar. No início é e sempre será 50%.
Então como sabes quem tem qualidade?
Com uma amostra ampla. Metes um tipo a marcat 10 penaltis (ainda que curto) e já tens aí algo que te pode dar informação real sobre a qualidade do jogador naquele gesto. Marca 7, falha 3. Significa isso que tem 70% de hipóteses de marcar. Mas tu só o percebeste porque lhe deste hipóteses de marcar mais do que um.
Se achas que tentativa/erro não demonstra nada, é porque estás muito longe de perceber de probabilidades. E de perceber que quanto mais hipóteses dás de repetir, maior margem de erro permites, maiores possibilidades de acerto permites. Pelo que é lógico, que é lotaria. Mas para alguém que perceba minimamente do jogo isso não devia ser novidade.
Pois a qualidade é fundamental. Mas a qualidade falha.

Eu critico sim. Porque foi tudo uma questão de estatuto. E o estatuto não joga.

Código Futebolístico disse...

Independentemente das conclusões serem zero a probabilidade do Cardozo marcar era diferente da do Luisão. A probabilidade do Balotelli concretizar um penalty é diferente da do Rodrigo. Isto é assim, porque é a qualidade que manda. Loteria é 100% sorte. Os penaltys apesar de teres uma tentativa, é condicionada pela decisão/precisão, soma de tempos de quem marca e de quem de defende, isso não tem nada de sorte. Deixo um pequeno video que me ajudou numa análise a um penalty que fiz há uns tempos. https://www.youtube.com/watch?v=mz0yIx0KegY

Roberto Baggio disse...

Não preciso de um vídeo. Não vai mudar nada. Porque tu estás a comparar penaltis com penaltis. E eu estou a comparar a decisão de resolver o jogo no tempo regulamentar, ou na marcação de grandes penalidades.
E daí advém a diferença abismal. No jogo, a sorte nunca joga tanto, porque tens mais hipóteses de por em campo a tua qualidade.
Nos penaltis tens uma. Se tiveres azar, como acontece muitas vezes, já foste. No jogo, tens um azar, dois azares, e na terceira o passe entra, e já está.

Tu podes dizer que a probabilidade é diferente. Mas eu posso dizer que não. Baseado no facto de apenas ter visto, ambos, falhar um penalti, enquanto jogadores de equipas sénior.

Código Futebolístico disse...

Tudo bem, já vi que não vais nem queres mudar de opinião. Agora deixo só um conselho, não julgues a capacidade dos outros por opiniões e argumentos que divergem dos teus. Dizeres que quem pensa que não é lotaria não percebe minimamente o jogo ou que eu não entendo nada de probabilidades não é o caminho certo. Já aprendi muito aqui e tenciono continuar a aprender no entanto não acho correta é essa postura. Até uma próxima discussão.

Roberto Baggio disse...

Quem pensa que não é lotaria, em comparação com o tempo regulamentar, não o percebe de todo. E não o julgo por argumentos diferentes dos meus. Mas sim pela lógica dos mesmos.

É só perguntares aos treinadores mundiais, e tenho a certeza que todos te vão dizer que o é. Por motivos lógicos. Pelo que não é lógico, sendo o mais forte, colectiva e individualmente, apostar nisso.

Código Futebolístico disse...

O Jorge Jesus em flash interview considerou que os penaltys não são lotaria. Consideras o Jesus top, logo as tuas certezas vão por água abaixo. E eu sei que percebes o jogo porque leio as tuas análises, talvez devesses ler as minhas.

Roberto Baggio disse...

Já li (vi) várias.
Tens de me mostrar isso, essas declarações.

Código Futebolístico disse...

Se leste e viste e reafirmas isso fico surpreendido com a tua maneira de ver as coisas. Apenas encontrei isto do JJ e chega para ver que não é lotaria. Lotaria é só sorte. «Penáltis não é só sorte, também é qualidade». http://veja.abril.com.br/copa/especial/matematica-penalti-p-145.shtml //// http://www.educacaofisica.com.br/index.php/esportes/canais-esportes/outras-modalidades/3745-estudo-desmitifica-a-tese-de-que-cobranca-de-penalti-e-loteria Não vou discutir mais porque acho que não temos a mesma vontade de aprender nem o mesmo respeito pelos argumentos contrários. O conhecimento do jogo, esse, debato quando quiseres, porque sei que tenho muito a aprender mas também já aprendi muito. E dou a cara por aquilo que escrevo. Continuação de bom trabalho.

Roberto Baggio disse...

Ah logo vi. Ele diz que não é só sorte. Pois óbvio. Assim como depois diz: Ganhou a equipa que acreditou mais nos penaltis.
Eu ouvi toda conferência do Jesus. E por acaso, com bastante atenção. Quando a justificação para o vencedor é "acreditou mais", é realmente porque ele acha que há muito trabalho e qualidade por trás disso. Quando o que eu disse, e as palavras dele confirmam é 50% 50%.
Ps: Não tenho muito para discutir acerca do conhecimento que tens ou não. Não me parece relevante. O conhecimento mostra-se, para mim, sobretudo, com argumentos. Que é o que está em causa aqui. E os argumentos, ou discussão prendem-se com o jogo em si tem menos de sorte do que os penaltis. E para ti não.

markez disse...

O que me parece é q qd se falou de um benfica mais cerebral este ano que nos anteriores... com mais jogo interior e menos correrias... essas alterações (em parte!) tinham mais a ver com as caracteristicas dos jogadores do que c uma real alteração do modelo... o benfica com enzo, markovic, fedja corre menos porque a interpretação que estes fazem do que o treinador pede a isso conduz... com salvios, matics, gomes e maxi vai ser sempre a atacar em vertigem... e na 4a o jogo partiu por completo e embora o slb seja muito forte na transição... a verdade é q o sevilha tb o é... e aí faria mais sentido ao benfica controlar melhor os tempos de jogo... (retirando aleatoriedade ao resultado) e isso n o fez o andré gomes... mas tb n o fez o gaitan por exemplo.

Apesar de adorar o JJ e de n querer sobrevalorizar o resultado (mas tb o jogo!) este jogo evidenciou os problemas do JJ em termos estratégicos... parece-me que a única maneira de o JJ n falhar a este nível é colocar a equipa em bloco baixo (organização defensiva fantástica) e a jogar em contra-ataque (apostando na boa transição ofensiva)... os jogos c o Porto ao longo destes 5 anos são uma grande amostra... mm nos anos em que foi campeão perdeu alguns confrontos diretos... o q vale e muito ao JJ é a enorme superioridade tática relativamente a quase todas as equipas... e o facto de os adversários a nível eterno se acagaçarem (disto beneficiam todos os grandes à exceção do sporting do ano passado e do porto deste ano).

Baresi disse...

Estive em Turim, e vou amanhã para Lisboa para ver o ultimo jogo da temporada do Benfica.

Acho que as avaliações que se fizeram são globalmente correctas, mas quero salientar o seguinte, que parece que passou um bocado despercebido a muita gente.

Este Sevilha, gastou esta época no reforço do seu plantel cerca de 36M€, o Benfica 40 (isto segundo o transfeermarkt). Com todo o respeito pelas nossas equipas do nosso campeonato, este Sevilha dificilmente não lutaria pelos 4 primeiros lugares em Portugal (para não ir mais longe).
Está em 5º lugar no super competitivo campeonato espanhol, onde têm jogos super complicados todas as semanas, onde ganhou ao Real Madrid, empatou no terreno do novo campeão Espanhol, foi perder 3-2 a Nou Camp, etc.
Tem uma qualidade incrível no seu plantel, que tem pouca comparação com aquilo que estamos habituados cá pelo burgo.
Para se ter uma ideia, 9 dos 13 jogadores que jogaram em Turim, são internacionais A pelas suas selecções principais.
3 deles estarão de certeza presentes no Mundial, tantos como os do Benfica (Garay, Maxi, R.Amorim).

Acho que um Benfica com o seu plantel completo, devido à mais-valia que representa ter JJ à frente da equipa, seria favorito.
Sem Enzo, Markovic, Salvio e Fejsa (e Silvio) achei sempre que os pratos da balança estariam extremamente equiparados.
Aliás, as conversas que se tinham em Turim apontavam isso, ninguém tinha uma confiança ilimitada para este jogo, nem pouco mais ou menos.

Estamos habituados a olhar muito para o nosso umbigo, mas temos de ter a consciência que do outro lado também estão pessoas competentes no seu trabalho, que querem ganhar.
Se o Benfica passa maus bocados com equipas relativamente fracas que há em Portugal, como não iria passar dificuldades contra uma das mais fortes equipas espanholas, praticamente na sua máxima força, enquanto o Benfica estava privado de 3/4 jogadores titulares?

Aconteceu futebol, onde um conjunto de factores conseguiu equilibrar um jogo que normalmente um fantástico treinador consegue fazê-lo desequilibrar para o "nosso" lado.

Amanhã há mais.
Abraço