Posse de bola no Facebook

Translate

quarta-feira, maio 07, 2014

Di Maria. Depende...

O rendimento actual de Di Maria, no modelo de Ancelotti tem sido ponto de destaque nas crónicas futebolísticas por estes dias. Diz-se que melhorou muito, e que cresceu. Que já não é o mesmo jogador ao nível da tomada de decisão, e que procura capitalizar o sucesso colectivo, para que depois venha o seu. Diz-se ainda que está feito um extraordinário jogador.
Não é que eu discorde de todas as coisas que tenham sido ditas. Mas discordo por exemplo do timing com que são ditas, e dos motivos pelo qual se dizem.

A minha lógica, hoje, é a do depende.

Começando por refutar de forma contundente que Di Maria seja um extraordinário futebolista. Di Maria é um bom jogador, claro. Mas daí a ser EXTRAordinário vai uma longa caminhada. É um futebolista que assenta o seu jogo na sua individualidade. Não é que ele seja individualista. Só que, quando tenta jogar para o colectivo, falha de forma constante. E o melhor que ele consegue oferecer à sua equipa, e o que ele tem de melhor, são as suas (essas sim) extraordinárias qualidades individuais. Habilidade e qualidades físicas (velocidade, agilidade, resistência).
E o depende vem exactamente disso.

O que se pedia a Di Maria no passado (com Mourinho), não era o mesmo que lhe era exigido com Jesus. Ao nível do posicionamento, e do modelo de jogo, as exigências eram outras. Mourinho pedia-lhe, sobretudo, que fosse um jogador a jogar para o colectivo. Sem bola, ele sempre foi capaz de o fazer, como Jesus bem lhe ensinou. Com bola, o rendimento era intermitente.

Di Maria melhorou muito? Depende. Melhorou com o passar dos anos com Mourinho. E desde aí tem estado igual. Portanto não melhorou "nada" do ano passado para este.
Se Di Maria cresceu? Depende. Não me parece que deste ano para o anterior tenha existido um crescimento assinalável. Mas parece-me que desde que chegou ao Real Madrid tem crescido muito.
Já não é o mesmo jogador ao nível da tomada de decisão? Depende. Comparando as suas exibições como extremo (por exemplo quando não está Ronaldo ou Bale), com as suas exibições como interior, diria que depende da posição onde joga. Como extremo está exactamente o mesmo, um jogador banal, exceptuando no 1x1. Como interior está muito melhor que como extremo.

E é isso que me parece importante reter. Di Maria é um interior como poucos na transição defesa-ataque. Rompe de forma extraordinária contenção e cobertura, tudo com uma velocidade e agilidade assinalável. E era isso, no fundo, que ele fazia no Benfica de Jesus. Jogava como interior, era no modelo a grande referência para a transição, e com isso fazia uso das suas melhores qualidades individuais, ganhando notoriedade nos lances de decisão. Com Mourinho, não só perdeu a importância ao nível do modelo de jogo (A referência para tudo era Ronaldo), como partia de uma posição diferente (não central) onde os seus desequilíbrios não são tão notados. Pelo corredor central, aproxima-se sempre da baliza, está sempre enquadrado, os adversários têm dificuldade em parar os seus movimentos explosivos, por não terem qualquer referência para onde o levar, nem saber para onde ele quer ir.

Di Maria deve ser sempre interior. É aí onde ele se sente como peixe na água. Tem características físicas e técnicas para tal, caso o modelo de jogo assim o potencie. Sendo que o modelo de transições, este ano, conta com um treinador que não foca os movimentos ofensivos num só jogador. Di Maria ganha preponderância sempre que a equipa recupera a bola, e é ele a iniciar, ou guiar o (contra) ataque. Aproxima-se muito daquilo que fazia no Benfica, partindo de uma posição mais central. E Ancelotti percebeu isso melhor que Mourinho, que nunca pensou na possibilidade de colocar o argentino no corredor central. Preferindo Pepe, Khedira, Granero, Coentrão, etc...

11 comentários:

Roberto Baggio disse...

Se o seleccionador argentino se lembrar de colocar Enzo e Di Maria (treinados por Jesus) no seu meio campo, à frente de Mascher o mundo que se cuide, porque Vai dar MERDA!

Gonçalo Matos disse...

Estava aqui a pensar pra comigo, não vês no di Maria muitas características que o Nani tem? Sendo que até acho que o português é mais criativo que o di.

Roberto Baggio disse...

Nem por isso. Acho até que são a antítese um do outro. Um acelera, quebra, quebra. Outro para, temporiza e vai pra cima. Um mais forte na condução e no drible em velocidade, outro pensa um bocado mais. Recebe, enquadra, e joga.
Acho que são bastante diferentes. É a opinião que tenho.
Quanto à criatividade, acho o Nani mais, sim. Mas é por isso mesmo que são diferentes.

DC disse...

Tendo em conta que Aguero, Messi e Higuain têm lugar no 11 se não houver lesões, é bem capaz de jogar como interior na selecção.

Mas não achas que o Di Maria ainda compromete algumas vezes na transição defensiva? Contra o Barça no 4-3 a ligação dele com os centrais foi muito confusa. Messi e Iniesta rebentaram-nos todos.

Quanto ao jogo de hoje, quem tira Isco e Benzema para meter Illarra e Marcelo, contra o Valladollid, nunca merecerá, para mim, ser campeão. Gerir o jogo é com bola.
Incrível como este Barça tão mau só depende de si para ser campeão. Guardiola ria-se da liga deste ano.

Roberto Baggio disse...

Transição defensiva, ou organização defensiva? Parece-me que ele é jogador de transições (defensiva e ofensiva). Parecem-se os seus momentos mais fortes.

Depois, claro, precisa de quem lhe ensine a voltar a perceber como defender nessa posição.

O Barça, e o ATL que só precisa de la ir empatar.

João Nogueira disse...

Baggio,

E se o seleccionador argentino se lembrar de por o meio campo que disseste e depois no trio de ataque Gaitan, Messi e Aguero, sendo a novidade Gaitan em vez de Higuain, não te parece que ainda iria dar mais merda? :D

Abraço!

Roberto Baggio disse...

Não. Prefiro o Aguero e o Lavezzi

João Nogueira disse...

Mas o Lavezzi por se ligar mais com o Messi pelo tipo de movimentos que faz ou só por gosto pessoal? É que defensivamente e tacticamente o Gaitán parece-me melhor e pode ser importante nos jogos contra equipas mais fortes, uma vez que deverá ser o Rojo a jogar a lateral esquerdo, uma posição que não jogou ao longo da época, e um extremo que ajude a fechar é bastante útil. Parece-me mais completo o Gaintan, mas claro que o Lavezzi é craque.

Abraço!

Roberto Baggio disse...

Para mim Lavezzi é melhor. Mas podes não concordar e não há problema. Eu prefiro. Cumps

Anónimo disse...

Baggio, preferes o Gaitán ou Di Maria, e porquê?

Roberto Baggio disse...

Para mim, não jogam na mesma posição. Mas prefiro o Gaitan. O porquê não te consigo explicar.