Posse de bola no Facebook

Translate

segunda-feira, abril 07, 2014

Klopp




14 comentários:

João Nogueira disse...

Baggio,

Destas entrevistas que aqui deixaste, fico com a certeza (que já achava) de que a filosofia de jogo de Jurgen Klopp é diferente daquela que defendem aqui no blog. Uma vez que ele gosta de transições rápidas, de emoção no jogo, de saber no dia seguinte ao jogo que a sua equipa foi a que correu mais e não de equipas em "orquestra" que passam a bola para um lado, depois para o outro e assim por diante em busca da melhor solução. No entanto, sei que vocês, tal como eu, gostam dele como treinador e é bom ver que apesar de ideias diferentes, se consegue dar valor a outras filosofias de jogo que ganham igualmente. Corrige-me se estou enganado em relação ao que disse da filosofia de jogo do Klopp e vossa.

Abraço!

Gandaia disse...

Próximo treinador do Arsenal?

Roberto Baggio disse...

João,

O que a maior parte da malta não entende, por aqui, é que nós conseguimos ver qualidade noutros modelos de jogo, noutras formas de pensar o jogo, noutras formas de interpretação do futebol. Isso, desde que cumpram com o fundamental, que é: Cumprir com os princípios fundamentais de jogo, na maior parte das suas acções. E o Dortmund, apesar de não ser uma equipa de posse, pela ideia de jogo do seu treinador, tenta cumprir com eles. Assim, como por exemplo, o SLB de Jesus. E mesmo não sendo, as que citei, equipas de posse, quando têm a bola, e têm de assumir o jogo, a criar lances em organização ofensiva, são bastante competentes na construção e criação, mais uma vez, tentando cumprir com os princípios fundamentais de jogo.

Para nós, equipas, treinadores, modelos de jogo, de qualidade são esses. Jogando em posse ou não, defendendo com linhas altas ou baixas, pressionando desde a saída de bola ou a entrada do meio campo, cumprir com o fundamental. E o fundamental é o critério.

Gandaia,

Será?! Não acho que ele queira sair, já. Principalmente depois desta época, e sobretudo pelo desafio de vergar Guardiola. Klopp diz que adora desafios. E não creio que nos grandes campeonatos, nas grandes equipas exista neste momento um desafio maior do que vergar Guardiola. Veja-se a confiança e segurança com que ele diz que Guardiola virá, e que o irá vencer.
Aguardo com ansiedade a próxima época do Dortmund, sobretudo sem a catastrófica e única no mundo onda de lesões que tirou mais de metade da equipa de muitos, muitos, jogos.

António Teixeira disse...

Acho que ele não sai... Está no sítio certo e naquela que aparenta ser a liga mais importante dos próximos anos.

O que já me ri com este gajo, ainda no Madrid-Borussia, as caras e caretas que faz xD. O futebol também é comédia, e o Klopp ajuda o pessoal a dar umas gargalhadas. Um grande treinador e um tipo muito simpático e fixe.
Cumprimentos,
António Teixeira

António Henriques disse...

Baggio, qual achas ser a principal mudança em termos de foco de treino, se assim se pode chamar, entre vocês (os que previligiam a posse) e os Klop's deste mundo ? Visto que ambos parecem cumprir os princípios fundamentais do treino ?

Roberto Baggio disse...

António Henriques,

Não sei. Nem posso especular mesmo. Teria que assistir a algumas sessões de treino, durante a evolução do processo. Até porque, cada modelo é particular, cada treinador operacionaliza de forma diferente, e de uns para os outros é "tudo" diferente.

Gonçalo Matos disse...

João Nogueira,

Já disse em algumas caixas de comentários aqui do posse que as duas equipas que mais prazer me deram ver nos ultimos anos foram o Barça de Pep e o Dortmund do Klopp. Quanto à filosofia, acho que acima de tudo o que interessa, colectivamente, é ter o maior numero de vezes possível superioridade na zona da bola, com ou sem a posse dela. Individualmente ter jogadores com indices de decisão grandes e criatividade ou pelo menos qualidade técnica acima da média.

Unknown disse...

No resultado Guardiola-Kloop esta época não conta!!

É incrível a onda de lesões que teve. A perda do Gotze para o adversário directo também em nada contribuiu e para o ano vai o Lewandosky. O Kloop parte abaixo, mas vamos ver.

Gonçalo Matos disse...

O Klopp sabe bem qual o lugar da sua equipa e deixou-o claro aqui.. Acho que ninguém tem grandes expectativas que consigam ser campeões/ganharem grandes competições e isso é que torna o trabalho dele tão bom.

Ele com um plantel de underdogs conseguiu colocar o clube num estatuto acima do que seria espectável.

Unknown disse...

Gonçalo, o plantel dele não é de underdogs. Deverá ser o 2º melhor plantel Alemão.

Gonçalo Matos disse...

Unknown,

O jogo de hoje ilustrou o que eu queria dizer. Underdogs no sentido que eram jogadores com uma dimensão muito mais reduzida quando chegaram ao clube e ue foram potenciais pelo Klopp. Nao olhes so para o plantel deste ano, ve a evolução do grupo de jogadores que foi trabalhando com ele. Excepção de mkitaryan, do reus e do aubameyang a maioria dos jogadores contratados eram desconhecidos internacionalmente e chegaram a níveis bastante elevados.

Gonçalo Matos disse...

E deixa-me acrescentar que para tal, o modelo de jogo dele foi fundamental.

João Nogueira disse...

Gonçalo Matos,

Ontem deves ter vivido, tal como eu, grandes momentos de pura magia colectiva do Dortmund contra o Real Madrid, principalmente na 1ª parte. Que qualidade de decisão que tem o Reus!!!

Gonçalo Matos disse...

Joao, podes crer! Foi um grade jogo, valeu a pena ficar a ver!