Posse de bola no Facebook

Translate

segunda-feira, março 17, 2014

Profundidade do plantel

Estou curioso para perceber em que jogo Jesus vai mudar completamente onze inicial, ou em que conjunto de dois jogos vai trocar metade dos jogadores em campo. De que forma vai permitir a recuperação dos elementos mais utilizados durante a época?
Treze dias com cinco jogos, em Março (17, 20, 23, 26, 30). Não vai ser fácil a gestão do ciclo que começou hoje, assim como vai ser verdadeiramente testada a profundidade do plantel do SLB. Quatro competições onde o Benfica tem ambições em todas, principalmente pelos clássicos com o FCP.

39 comentários:

Anónimo disse...

Jesus tem promovido a recuperação da forma de Salvio e Cardozo (as vezes até demasiado), Amorim tem jogado algo regularmente, tal como Silvio e Sulejmani. No geral tem feito um melhor trabalho do que em todas as outras epocas neste aspecto, o que também se nota pela diminuição do número de golos marcados (O jogo com o Nacional foi o primeiro esta epoca em que o Benfica marcou 4 golos)

Mindfuck disse...

Com o Tott podemos rodar já uns 6.
Joga algo do género
Oblak
Maxi (não jogou na quinta passada)
Sílvio (Siqueira descansa)
Jardel (Luisão não descansa há muito)
Garay
Fejsa (não jogou hoje)
Salvio (Marko apagou-se após o Guimaraes)
Sulejmani
Enzo (descansa contra a AAC)
Djuricic
Lima

Gonçalo Matos disse...

Pode ser que desta o Bernardo tenha uma hipótese. Ele treina com os As?

Unknown disse...

Mindfuck, penso que o Sílvio está suspenso contra o totas.

Andrea Pirlo disse...

E o André Almeida já não desde 1 de Dezembro.

bareira disse...

Baggio,

20 e 26, e não o digo pela cantiga da prioridade ser o campeonato, mas, pelos jogos em si, contra o totenham com o 3-1 fora, e com o porto sendo jogado a duas mãos com a 2ª na luz, logo não ser um jogo decisivo, acredito numa gestão como a do jogo em inglaterra, 4/5 jogadores (silvio, jardel, amorim,salvio, sulejmani, djuricic, cardozo), aliado aos jogos para o campeonato serem na teoria de grau de dificuldade médio/alto, a académica tem vindo a subir de produção e o braga em casa é sempre um jogo a ter em conta, independentemente do melhor ou pior momento da equipa.

João Nogueira disse...

Penso que poderá manter uma rotação do género que fez em Londres, ou seja, alterar no máximo 5 elementos, no jogo com o Tottenham (dia 20) e com o Porto para a Taça de Portugal (dia 26). Isto porque ele está farto de dizer que a prioridade é o campeonato. E apesar de eu dar importância a todas as provas, concordo que nesses 2 jogos poderá fazer essa rotação pelo simples facto de que:

1º - Contra o Tottenham ser a 2ª mão e já partir com uma vantagem de 2 golos fora (que acabam por ser 3 na prática), o que faz com que seja mais um controlo do jogo do que uma busca pela vitória.

2º - Contra o Porto, as meias-finais serem disputadas a duas mãos e sendo este primeiro jogo fora, o que convém marcar pelo menos um golo, dar no entanto a possibilidade de gerir a eliminatória, uma vez que ainda haverá uma 2ª mão em casa e nessa altura o calendário poderá ser ligeiramente favorável e até lá o campeonato poder estar assegurado. Se assim fosse, nessa 2ª mão apostaria na equipa na máxima força.

Anónimo disse...

Para o campeonato estar ganho faltam 5 jogos... Esta é altura crucial da época, e os jogadores mais utilizados têm de ter estofo mental e físico.
O JJ já neste jogo com o Nacional fez algumas poupanças. Agora no jogo com o Tot, pode fazer mais 5 poupanças e pode ser esta mesma equipa que jogará a eliminatória como F. C. Porto...

José Fernandes disse...

Baggio
e o Porto? tem os mesmos jogos e tem usado sempre o mesmo 11... os jogadores já estão sem concentração nenhuma (basta olhar para Danilo e Alex Sandro)
enquanto que o Benfica tem fora do 11 mais usado Cardozo, Salvio, Sulejmani, Djuricic, Ruben Amorim, Jardel e Sílvio que dão garantias, o Porto tem Herrera, Ghillas e Quintero...

Roberto Baggio disse...

Jose,

O Porto desistiu do campeonato quando despediuo Fonseca. Logo nao têm a mesma importancia as competiçoes, logo isso nao se coloca. Ele vai mudar no proximo jogo do campeonato.

masterzen disse...



Baggio,

Que análise fazes ao jogo de ontem do Nacional-Benfica?

Como é possível o Manuel Machado andar sempre pela parte de cima da tabela?

zdamen disse...

Hum, o FCP pode ter desistido de ser campeão, mas o 2º lugar continua a ser fundamental. Se não têm entrada directa, não sei como vão pagar as contas no verão.

Quanto ao SLB, a questão neste momento é mais fácil. A ideia colectiva de jogo está tão enraizada que mais jogador menos jogador e o nível mantém-se sempre aceitável...

Pedro disse...

Sílvio não pode jogar na quinta porque está castigado.

Acredito que JJ irá mexer bem contra os Spurs.

Regressa Fejsa. Se calhar joga Jardel e André Gomes. Enzo deverá descansar
Entram Sálvio, Cardozo e Sulejmani
Ainda tem Djuricic, Ivan e André Almeida.

Tsubasa disse...

Acredito que não haverá problemas nenhuns para o Jesus neste aspeto da rotação/gestão do cansaço.
Quando a equipa tem a qualidade que tem, em termos coletivos, em termos do seu comportamento em todos os momentos do jogo, da enorme competência do seu treinador (apenas superada pela sua imensa vaidade), estou crente que, tira u mete outro, a qualidade mantém-se.
E é que para cúmulo, os "suplentes" são "só" jogadores como o Cardozo, Sulejmani, Sálvio, Amorim, Jardel, etc.

PS: não sou benfiquista xD

Edson Arantes do Nascimento disse...

O Marko apagou-se após Guimarães?!!!!!

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

Roberto Baggio disse...

Jose, tens toda razao.
O Porto, assim como o Benfica vai para o terceiro jogo da semana e nao mexeu nada. Se nao mexer de forma substancial prevejo problemas de concentraçao enormes.

Roberto Baggio disse...

Nao vi o jogo Masterzen

Anónimo disse...

Há quase 5 anos que vês o mesmo filme e ainda não sabes o final?

Roberto Baggio disse...

Gonçalo o Bernardo nao. Treina com os B.

José Fernandes disse...

Baggio
lembro-me de no ano passado ter lido, ou aqui ou no lateral, que em caso de jogos com 3 dias de diferença seguidos, que o maior problema seria no 3º jogo, sendo que nos 2 primeiros a concentração ainda se mantém (teoricamente) dentro dos níveis exigidos...
a minha pergunta é: o Porto vai para o 4º jogo seguido sem mudar o 11 com 3/4 dias de diferença (não acredito que mude com o Nápoles). mesmo com a vantagem que tem da vitória em casa, será o Nápoles muito mais favorito a ganhar?
PS. não sei se o Porto desistiu do 2º lugar ainda...

Roberto Baggio disse...

Sem duvida que o Napoles é favorito. Mas digo isso sem ter olhado ao calendario deles.
Tenho de ver e comparar. Se o Napoles fez uma gestao igual a do Porto nesta ultima semana, entao tudo igual. Se rodou, é favorito.

Sim, o terceiro jogo traz problemas porque nao ha tempo para recuperar em prazo tao curto (7 dias, 3 jogos).
Veja-se a derrota do Chelsea com o City na taça.

Daario Hernandez disse...

Baggio
tenho lido muito dos posts teus já à algum tempo e tenho 1 dúvida um bocado offtopic mas que está na ordem do dia (oficialização como treinador do Zenit):
o Villas-Boas é um excelente treinador ou andou os 2 anos no Porto a colher o excelente trabalho do Vítor Pereira?

é que na altura que ele saiu do Porto houve 1 pessoa amiga minha da equipa técnica do VP que me disse que dentro do Porto havia a noção que Villas Boas era um motivador mas que falhava no treino e organização defensiva (e aí entrava VP)

José Fernandes disse...

Baggio
O Nápoles tem rodado... 4 jogadores... ora joga Inler/Behrami, Fede Fernandez/Henrique, Mertens/Insigne, Jorginho/Britos(com Henrique a passar para o meio campo)

Roberto Baggio disse...

Daario,

A ideia que tenho de AVB é essa. Colheu o que VP lhe podia oferecer.

masterzen disse...


Estamos apenas a comprovar o que distingue os treinadores entre eles e chama-se operacionalização do conhecimento.
Pode ter teoricamente um conhecimento impressionante ( com Mourinho como principal tantos anos não é assim tão difícil), pode ter aprendido com Vitor Pereira a organização defensiva mas depois quando está sozinho é que são elas.
Ao inicio a coisa ainda vai colada com cuspo, mas quando começam a chegar os jogos importantes e as mil variantes que são precisas anular nos adversários ou criar para atacar esses mesmos adversários vem ao de cima a verdadeira capacidade.
O futebol tem muitos mercados e está cheio de dirigentes com decisões arriscadas por isso avb terá uma carreira de treinador internacional assegurada. Sabe falar e sabe estar e a onda de Mourinho é tão grande que ele vai continuar a surfa-la.

PPM disse...

Baggio, entendes que o Bernardo Silva ainda vai ser opção até ao final da época ou podemos esquecer essa possibilidade? É que o Benfica terá de fazer uma enorme gestão do 11 e do plantel até ao final do ano porque estamos presentes em todas as competições até ao momento e ainda temos difíceis deslocações ao Dragão (Taça) e na Liga Europa. Já agora, não consideras que o JJ deveria deixar de utilizar o Ivan a extremo e colocá-lo antes a 2º avançado, onde efectivamente rende mais (tal como comprovou nos sub-21)?

João Nogueira disse...

Baggio,

O que pensas de um possível recuo do Djuricic para o centro do meio-campo (jogando numa das duas posições mais avançadas do triangulo do meio-campo, os designados médios interiores, no 4x3x3, ou sendo o médio mais criativo do duplo pivot quando joga em 4x4x2), uma vez que ele parece ser um claro n.º 10, mas o esquema táctico do Benfica não favorece esse tipo de jogadores (e ele como segundo avançado ou nas alas é claramente desperdiçado). Achas que poderia ser uma boa alternativa aos titulares? Visto que deve estar fresco pelos poucos jogos que fez esta época, ainda poderia dar o seu contributo nesta recta final. E a mim parece-me que ele tem valor.

Anónimo disse...

Do jogo com os Spurs para ontem, rodamos 5 jogadores, acredito que na quinta voltemos a apresentar mais 4 ou 5 mexidas no 11. Nao me parece necessario nesta altura fazer muito mais do que isso, quanto muito dar algum descanco (alternado) a Lima e Rodrigo e tambem a Luisao e Garay.

Guilherme disse...

Viva,

Deixo o seguinte link, um testemunho em 1ª pessoa do que vocês não se cansam de confirmar. Infelizmente os Benfiquistas só vão abrir os olhos quando já for demasiado tarde...

"Somewhere at Cobham, questions will have been asked as to why the Serb had been permitted to depart almost as an afterthought three years ago. Certainly, the Benfica coach, Jorge Jesus, had spied something in the youngster – perhaps physique and comfort in possession – others had missed with the Portuguese club having stipulated Matic's release was key to their sanctioning the David Luiz deal. "When I arrived at Benfica I'd been playing like a No10 in the team, but the first thing the coach did was tell me: 'You are going to be a defensive midfielder here,'" he says. "He thought I could play better in that position, so I worked every day with him to improve tactically, and trained hard physically. I'd stay every day after training doing work alone in the gym and, with these two things together, I've improved.

"It wasn't easy because I'd never played that position before. At the start, to be honest, I didn't do well there but Jorge Jesus believed in me. He believed in my quality and kept saying: 'Just do what I ask and, slowly, you will play better and better.' That is what happened. I'd watch DVDs of other defensive midfielders to see how they moved, and I worked closely with Javi García, who was at Benfica at that time. He already knew what the coach wanted, so that helped my education. It took a few months, but I got there. Benfica always play to attack: they feel they can win every game in the Portuguese league, so when we didn't have the ball I'd always try to [regain it] and set up a counterattack quickly. I enjoyed it."

http://www.theguardian.com/football/2014/mar/14/nemanja-matic-chelsea-interview

Roberto Baggio disse...

PPM,

Acho que é para esquecer. Uma vez que ele não treina com os AA, e tem o Cavaleiro à frente. Quanto ao Caveleiro, acho que não. Para mim está bem no corredor lateral.

João Nogueira,

Acho que qualquer solução desse tipo tem que ser trabalhada, treinada. E não é numa semana que se faz isso, nem em duas.

LGS disse...

Baggio,


Estou com o Masterzen "Estamos apenas a comprovar o que distingue os treinadores entre eles e chama-se operacionalização do conhecimento."


Vou ser chato e repetir a conversa do outro dia: o assunto da operacionalização já merecia um postzinho, nem que seja a abordar o assunto de forma muito superficial =P


Abraço

costa disse...

Em relação ao assunto do AVB, como explicam o sucesso imediato na Académica?? Aí não tinha VP.

AVB é muitíssimo bom na motivação. Tacticamente até pode estar um nível abaixo de VP, que, por sinal, é só bom no treino. Aliás, um dos motivos para VP não ter almejado outro sucesso no FC Porto foi a preocupação nos equilíbrios, não passava a mensagem aos jogadores de que era ''para partir a loiça toda''.

Apesar de vos ler e concordar com quase tudo, cheguei à conclusão, depois de algumas conversas com gente que trabalha no topo, que a táctica não é, como vocês apregoam, a única coisa que interessa quando treinas no topo. Aí, o tempo para treinar é tão escasso que muitas vezes a diferença entre o sucesso e o insucesso está na mensagem que queres passar.

abraço e continuaçao de bom trabalho!!

Roberto Baggio disse...

LGS,

Bem podes insistir xD.
Isso dá mesmo muito que falar, são demasiadas variáveis externas. É quase impossível arranjar consensos.

Costa,

"é só bom no treino."

A sério?! O que te leva a dizer isso?

"Aliás, um dos motivos para VP não ter almejado outro sucesso no FC Porto foi a preocupação nos equilíbrios, não passava a mensagem aos jogadores de que era ''para partir a loiça toda"

Que significa isso exactamente? Podes explicar?

"que a táctica não é, como vocês apregoam, a única coisa que interessa quando treinas no topo"

Não és caso único. Quem nos lê, percebe-nos mal. Na maioria do tempo. E é normal.
Não dissemos nunca que é tudo! Dissemos sempre que é o essencial. Que sem isso, o resto não é nada. E que sem o resto, fica a faltar algo, mas o essencial está lá. Antes de tudo o conhecimento táctico e de operacionalização de treino. Assim como nos jogadores qualidade técnica e inteligência.

"Aí, o tempo para treinar é tão escasso"

Quem treina todos os dias não tem tempo para treinar?
Quem tem competição, por vezes, 3 jogos numa semana não espaço para operacionalizar um modelo? Quem tem os recursos que eles têm à todos os níveis não consegue passar uma ideia de jogo? Eu acho isso uma falácia. E num ano, um treinador consegue melhorar muito uma equipa, e no seu segundo ano a equipa já tem de estar perfeitamente identificada com o modelo de jogo. Os profissionais, de top, ou não, são os que têm as melhores condições de trabalho, e tempo de treino, e recursos. Por isso, bem pode ele motivar, mas se a equipa não jogar nada, é para esquecer.

"como explicam o sucesso imediato na Académica??"

Defina lá sucesso imediato.

Cumprimentos

costa disse...

Baggio,

''Que significa isso exactamente? Podes explicar?''

Pelo que sei, pelo que ouvi de quem esteve lá dentro, o VP, embora bom do ponto de vista táctico, é um treinador preocupado sobretudo com os equilíbrios, com as compensações, com a defesa, e não passa a mensagem aos jogadores para irem para cima do adversário.

Talvez a grande diferença entre o FCP de AVB e VP seja essa. Pq o modelo de jogo, e tu deves saber melhor do que eu, era semelhante. Mas um venceu tudo, com futebol de ataque, e o outro, ainda que controlando os jogos, fez poucos jogos espectaculares [não sei se estás a par, mas, a nível recente, praticamente tudo o que vocês (aqui e LE) falam do VP do ponto de vista ofensivo é referente a UM jogo: o do Málaga]

Quanto à questão da táctica, desde já admito o erro quando disse que vocês apregoavam ser a ÚNICA coisa importante. Não é verdade. Mas a mensagem é esta: se estiveres no topo e não fores bom em matéria de motivação e sobretudo de gestão de grupo (quem joga e quem não joga), de nada te vale seres o mestre da táctica. (guardiola é o melhor de sempre pq pensa o jogo à frente do seu tempo mas tb pq gere muito bem o grupo. curiosamente, quem já viu treinos dele diz não serem nada de extraordinário)

''Quem tem competição, por vezes, 3 jogos numa semana não espaço para operacionalizar um modelo?''

Tens pouco tempo para treinar quando tens 3 jogos por semana, ou não? É evidente que tens, sobretudo na pré-temporada, tempo para operacionalizares o teu modelo mas em fases mais adiantadas da época (nomeadamente em Inglaterra) jogas de 2 em 2 dias. A mensagem, a motivação, a gestão de grupo, nessas alturas, ganha uma importância enorme.

''Defina lá sucesso imediato.''

Podia colocar aqui 2 ou 3 publicações do Lateral Esquerdo mas creio não valer a pena. A ideia base é esta: em dois meses a Académica passou de pior equipa do campeonato para uma das melhores.

Repara que eu não menosprezo VP, de todo. Só creio que AVB é superior e que o sucesso dele no FCP não foi um acaso. Agora no Zenit, sem pressão, com um projecto cimentado, vai almejar novamente a glória. Tenho a certeza.

Abraço

Roberto Baggio disse...

"Pelo que sei...e não passa a mensagem aos jogadores para irem para cima do adversário."

Vamos por números.
No ano de AVB o Porto marcou 74 golos.
Com VP e já sem Falcão marcou 69.
Sem Falcão e Hulk, no ano seguinte marcou 70.

Pelo que a diferença não me parece significativa, tendo em conta que o Porto de AVB tinha incrivelmente mais talento (nos jogadores da frente de ataque) que o FCP de VP.

"Talvez a grande diferença..."

Certo, era semelhante. Mas muito diferente, sobretudo ao nível da transição ofensiva. Um tentava aproveitar logo, outro preferia segurança.
Também havia diferenças nos outros momentos de jogo, mas esta é um grande princípio que caracteriza a equipa, daí apenas citar apenas esse.

"Mas um venceu tudo, com futebol de ataque..."

AVB tinha muito, mas muito mesmo, mais talento a disposição do que alguma vez VP teve. Daí a maior nota artística da equipa.

"...VP do ponto de vista ofensivo é referente a UM jogo: o do Málaga]"

Sim, estou a par. Mas podíamos falar de outro jogo qualquer. Foi o jogo que conseguimos fazer download com maior facilidade. Noutros jogos, os princípios foram sempre os mesmos.

E estou em condições de afirmar que VP é melhor do ponto de vista ofensivo que Jesus. Em termos de princípios em organização ofensiva. A diferença é que um teve sempre grandes médios e avançados, o outro jogou com o que tinha. Logo a produção ofensiva nunca poderia ser a mesma.

"quem já viu treinos dele diz não serem nada de extraordinário"

Claro. Extraordinários não são os exercícios de treino, é o objectivo que o treinador tem, a forma como direcciona para... E isso, no pormenor, só o treinador conhece.

"se estiveres no topo e não fores bom em matéria de motivação..."

O que dizer de Mourinho em Madrid? Não soube motivar? Diz-se que é o mais competente treinador do mundo nesse aspecto... O problema foi precisamente esse. Foco excessivo na motivação, pouco futebol. No longo prazo, o futebol evidencia lacunas, os jogadores rebentam mentalmente. O essencial é ter conhecimento do jogo e saber operacionalizar uma ideia de jogo.

"...mas tb pq gere muito bem o grupo."

Não sei como gere o grupo. Não estou lá dentro. Apenas sei como a equipa dele joga, quais são as ideias.

"Tens pouco tempo para treinar quando tens 3 jogos..."

Tens. MAs deixa-me dizer-te o que já disse a outro comentador aqui no blogue.
1- Até 26 de Agosto, Guardiola fez o dobro dos treinos que um treinador do distrital faz até Dezembro. Quem tem pouco tempo para treinar afinal?!
2-Os períodos em que se joga de 2 em 2, ou de 3 em 3 dias são de 3 semanas consecutivas, ou de um mês. E mesmo aí, treina-se muito mais que qualquer equipa do distrital, com mais qualidade. O treino semanal corrige o jogo anterior e prepara o próximo, daí a importância de priorizar o modelo de jogo em detrimento da vertente estratégica (95%, 5%).

"É evidente que tens, sobretudo na pré-temporada..."

Não. A fase fundamental de implementação do modelo é o início das competições. Porque é à partir daí que tudo se altera, que começam as dificuldades todas a aparecer, que começa-se a enquadrar a realidade competitiva (em termos das dificuldades, facilidades que os adversários demonstram), é aí que começa a pressão, e tudo mais.

Roberto Baggio disse...

"A mensagem, a motivação...importância enorme."

Não digo o contrário, até porque não estive ainda num ambiente de equipa de topo. Quando lá chegar poderei, melhor, formar uma ideia sobre isso.

"em dois meses...para uma das melhores"

O mesmo efeito teve a saída de VP do FCP. O que não aconteceu, por exemplo, quando AVB saiu.

"Só creio que AVB é superior..."

Não acho que tenha sido um acaso. AVB vai ter sempre equipas organizadas, porque ele acredita na organização colectiva de jogo.
E para mim AVB não é superior ao Vítor Pereira.

"Agora no Zenit, sem pressão...vai almejar novamente a glória. Tenho a certeza."

Sem pressão? Tem tanta pressão como tinha nos Spurs, e foi o que foi. A equipa não jogava nada, apesar de bem organizada.
Claro que vai almejar à glória, tem os melhores jogadores do campeonato.

Cumprimentos

costa disse...

Os resultados, os golos marcados, e vocês ensinam isso aqui, pouco contam. O que fica na memória era que o FC Porto de VP, ofensivamente, não era espectacular. E é uma falácia dizer que não tinha qualidade individual, pelo menos na segunda época. Na primeira, enfim, o FC Porto metia dó a jogar (foi necessário um tronco a avançado para meter golos, com esforço, suor e zero talento). Aliás, também aqui percebe-se que é mentira que a saída de AVB não se notou.

''O que dizer de Mourinho em Madrid? Não soube motivar?...''

Não disse que saber motivar (e o meu argumento está maioritariamente na gestão de grupo, não na motivação) era a única coisa que importava, apenas é mais importante do que muitos pensam. E Mourinho em Madrid, não jogando nada, ganhou um campeonato com recorde de pontos à melhor equipa de sempre e chegou consecutivamente a duas meias-finais da Liga dos Campeões. Imagina se a equipa jogasse à bola.

''Os períodos em que se joga de 2 em 2, ou de 3 em 3 dias são de 3 semanas consecutivas, ou de um mês''

Em Inglaterra não é bem assim. Para uma equipa de topo são quatro competições e jogam quase sempre de 3 em 3 dias. Talvez por isso o City, na fase final da época, ainda não esteja totalmente identificado com Pellegrini e o Tottenham não se tenha identificado com Villas-Boas. Por isso digo que a gestão de grupo (nem tanto a mensagem ou motivação), sobretudo isto, é muito importante.

''Claro que vai almejar à glória, tem os melhores jogadores do campeonato''
Quando digo que AVB almejará a glória, não me refiro apenas ao campeonato russo. Para a próxima temporada, onde possivelmente terá carta branca para contratar quem realmente quer, AVB terá uma das mais interessantes equipas da Liga dos Campeões.

Cumprimentos

Roberto Baggio disse...

"Os resultados, os golos marcados, e vocês ensinam isso aqui, pouco contam."

Mas a tua questão foi sobre o mandar ir para cima dos adversários. Isso para mim quer dizer volume de jogo ofensivo. Que como se vê, ainda que com menos talento, manteve-se.

"O que fica na memória era que o FC Porto de VP, ofensivamente, não era espectacular."

Era menos espectacular que o de AVB, porque tinha menos qualidade individual. Os princípios de jogo eram, contudo, melhores. Assim como era melhor que o do Benfica, e dizia-se que o SLB era espectacular, coisa com a qual nunca concordei, diga-se.

"E é uma falácia dizer que não tinha qualidade individual, pelo menos na segunda época."

Compara lá a frente de ataque do FCP de AVB, com a frente de ataque do FCP de VP, e depois diz-me se é uma falácia... E depois vê, no segundo ano, o rendimento da equipa com James (relativamente o nº de golos, assim como ao futebol jogado) e o rendimento da equipa sem James. Vê também o nr de jogos que ele esteve sem jogar. E vê o nr de jogos em que a frente de ataque era Jackson, e dois picaretas. Depois compara isso com a qualidade no ano de AVB, inclusivamente dos suplentes do meio campo e do ataque.

" Na primeira, enfim, o FC Porto metia dó a jogar"

Metia dó?! Não me lembro disso. Nem concordo nada com isso.

"Aliás, também aqui percebe-se que é mentira que a saída de AVB não se notou."

A saída de AVB, bem como de alguns dos mais talentosos jogadores do mundo...

"E Mourinho em Madrid, não jogando nada, ganhou um campeonato com recorde de pontos à melhor equipa de sempre e chegou consecutivamente a duas meias-finais da Liga dos Campeões. Imagina se a equipa jogasse à bola."

Se a equipa jogasse a bola tinha ganho dois campeonatos e não 1. Isto porque no seu último ano, onde supostamente o modelo de jogo estava mais que cimentado (3anos com os mesmos jogadores) perdeu o campeonato para uma equipa que nunca teve treinador, e uma meia final tendo sido arrasado por uma equipa com muito menos qualidade individual e muito, muito, mais futebol. Tinha chegado a uma final da champions e não a 3 semi-finais. Porque o que se notou foi claramente falta de futebol. Ganhou 3 títulos em 3 anos. Nada mau. Um campeonato, uma taça, uma super taça. E ele não se pode queixar da qualidade dos jogadores que teve.

"Tottenham não se tenha identificado com Villas-Boas"

No segundo ano com a mesma equipa e com os mesmo jogadores? Ainda por cima num campeonato que AVB conhece bem...

O Pellegrini aceito. O AVB, no segundo ano foi simplesmente deprimente.

"Em Inglaterra não é bem assim. Para uma equipa de topo são quatro competições e jogam quase sempre de 3 em 3 dias."

E por isso mesmo são equipas com orçamentos gigantes, que lhes permitem construir planteis para atacar essas frentes. Os Spurs, por exemplo, gastaram 100 Milhões de euros no segundo ano de AVB.
Alguém imagina o que faria Jesus, ou o que faria Vítor Pereira com 100 milhões de euros para gastar em contratações num ano? Eu sei bem o que aconteceria, seriam candidatos a ganhar a Champions. E vão ganha-la de certeza num futuro próximo. Já de AVB não consigo dizer o mesmo.

" Para a próxima temporada, onde possivelmente terá carta branca para contratar quem realmente quer, AVB terá uma das mais interessantes equipas da Liga dos Campeões."

Resta esperar para ver. Ainda que não acredite muito nisso. Isto porque as equipas de AVB sempre foram muito mais competentes em transição ofensiva do que em Organização ofensiva.

costa disse...

para finalizar, Baggio

O AVB no FC Porto tinha bons jogadores mas VP também os herdou. No ano seguinte, saiu apenas o Falcao. De resto ficaram todos. Ainda que se perceba a tarefa difícil de VP (o FC Porto tinha ganho tudo), o seu FC Porto, desculpa-me, não jogou nada no primeiro ano. Ganhou o campeonato por alguma aselhice de JJ na fase final da época e também por benefícios de arbitragem. Mesmo na segunda época, embora coeso defensivamente, estava muito dependente da criatividade de James (o Nuno do entredez explicou isso muito bem).

O AVB no Tottenham, na segunda época, e isto é público, não teve os jogadores que queria. Além disso, na sua primeira temporada, e isto eu sei, não lhe foi comunicado que van Vaart e Modric iriam sair. Foi um rude golpe para as ideias dele.

A questão aqui é que AVB está bem mais próximo da classe de treinadores como Ancelotti, Pellegrini, Klopp ou Mourinho. Não consigo concordar, por muito que tente, que VP seja melhor. Ambos percebem, qt a mim, muito do jogo. Mas um não usa terços ao peito e não fala mediocremente inglês (nem ele nem JJ algum dia poderão treinar um Real Madrid, são muito saloios no trato à comunicação). Isto, no topo, conta bastante. A gestão do grupo faz-se muito por isto, por saber estar e falar.

Quanto ao Mourinho, não estava a ser irónico. O Real Madrid dele foi deprimente, não jogava rigorosamente nada. Mas, mesmo assim, ganhou um campeonato à melhor equipa de sempre. Para se perceber que o tal parâmetro da gestão é muito importante.

cumprimentos Baggio, pelo que escreves aqui, um dia chegarás ao topo (espero, nessa altura, -eu e talvez mais alguns leitores eheh- que reveles a tua identidade)