Posse de bola no Facebook

Translate

domingo, janeiro 19, 2014

Klopp, Bayern, Guardiola, e Messi

Aqui começamos a ver os primeiro sinais de excelência, e em Manchester Guardiola deu uma palestra incrível sobre o que é a sua forma de ver  jogo. Confirmou os sinais que sobressaiam no início da época, que nos davam indicadores claros de uma melhoria muito significativa do jogo do Bayern. Assim percebeu-se em pouco tempo, que Guardiola tornou a equipa muito melhor do que o que era no passado. Hoje, Klopp diz coisas que nunca disse anteriormente sobre ao Bayern:
"Atualmente o Bayern é imparável. Por exemplo, o Real Madrid não tem qualquer hipótese de competir com o Bayern de Guardiola. Se o Real Madrid ou o Manchester United não têm qualquer hipótese frente a eles, como podem exigir isso ao Dortmund?"

É essa a diferença entre o Bayern do ano anterior deste ano. O modelo de Guardiola é construído para dominar todos os adversários durante os 90 minutos, não abdicando nunca da bola, independentemente do resultado. Mesmo estando ainda longe da excelência, é um modelo que se superioriza à todos os outros pela forma como Guardiola vai conseguindo que a sua equipa coloque, com cada vez mais consistência, as suas ideias em campo.

"Só vejo mesmo o Barcelona a conseguir deter o Bayern München, mas não a duas mãos: num jogo apenas"

E desta vez não é pela organização colectiva. O Barcelona está longe de ter um modelo que permita competir com o Bayern, contudo, tem uma base de jogadores com um elevadíssimo índice de acerto na tomada de decisão, com muitos anos a jogarem juntos. E tem o factor que me parece mais importante para essa análise de Klopp, o melhor jogador da história. Para mim, quem tem Messi é sempre candidato a ganhar a competição onde se insere, apesar de não ser favorito por não ter o melhor colectivo.

13 comentários:

Luis Santos disse...

Palavras muito fortes de Klopp. Não estava à espera.

Mila Stéphanie disse...

Ola!

Sou a Mila Malavoloneke editora da revista jovens da banda, gostaria por favor que entrasse em contacto cmgo.

milla_stephanie@hotmail.com

PP disse...

Isto foi antes ou depois do Salzburg?

http://www.maisfutebol.iol.pt/bayern-munique-salzburgo-alemanha-austria-alemanha-internacional/52dab369e4b0be98d0f7d3e6.html

Fica mal ao Klopp falar de outras realidades, quando ele é apenas o treinador do Dortmund.

Também diziam que a equipa dos "ricos" de City depois do banho de bola que levaram não ganhariam ao Bayern em casa deles e depois foi o que se viu... e não foi preciso jogar à Barcelona ou à Pepe Guardiola!

Com isto não significa que não goste ou aprecie o trabalho do Guardiola. Apenas, estou consciente que à mais futebois que o do espanhol. Algo que muitas vezes por aqui não conseguem entender.

PP disse...

Vim cá apenas para dizer duas coisa:

1 - Levante versus Barcelona
Conclusão do jogo: à mais futebol para além do apenas baseado na posse de bola!

2 - Quem é que disse que em Inglaterra é só "kick and rush"?

http://youtu.be/EV7TDitJDPQ
Enjoy! ;)

P.S.: O nome do miúdo é o Crowley, tem 16 anos e custou 1M€ e veio do Aston Villa!

Gonçalo Matos disse...

PP,

Vamos ter de voltar a falar sobre o que é a visão de bom futebol para as pessoas deste blog?
Superioridade numérica na zona da bola, com ou sem a sua posse é o que achamos ser bom futebol.

DC disse...

Se tiraste essas conclusões a ver o Levante-Barcelona então vai ver o jogo mais 10 vezes, porque acho que é preciso.

As únicas conclusões que podes tirar é que este Barça trabalha muito menos as jogadas, procura muito mais ataques rápidos o que os leva a perder muito mais bolas. E que, além disso, tem um jogador chamado Alexis, que mesmo quando lhe abrem o corredor central todo, finta sempre para a linha como se tivesse 2 palas a tapar-lhe os olhos.

De resto, se o Barcelona optasse mais pelo futebol de posse, pelas penetrações pelo centro do terreno em vez dos centros para ninguém, e por transições mais lentas, seria muito melhor.

Desconfio que só viste o resultado e foste logo tirar essas conclusões ridículas com base nos teus preconceitos.

Andrea Pirlo disse...

PP,

Deixa-te la dessas merdas, e continua a partilhar vídeos desse género. Esse Crowley promete muito, e está no clube ideal.

PP disse...

@Gonçalo Matos:
«Superioridade numérica na zona da bola, com ou sem a sua posse é o que achamos ser bom futebol.»
Assim eu gosto! ;)

@DC:
Desculpas e mais desculpas... é precisamente por não ter preconceitos que vim cá dar a bicada, para aqueles que agora seguem cegamente os ensinamentos do Guardiola, como se não houvessem outros futebóis... leia-se modelos de jogo.

@Andrea Pirlo:
É um regalo o puto, não é? ;)
Achei interessante trazer cá o video, porque vocês andam obcecados com "tomada de decisão" que pronto, é um miminho que vos dou.
Vamos lá ver como se comportará com um nível físico mais exigente... Mas, este é como o algodão... não engana!

António Teixeira disse...

PP,

Não é a questão de ser fundamentalista, mas sim de cumprir os princípios gerais do jogo. Se quiseres ter inferioridade em qualquer fase do processo defensivo, muito bem. Agora se achas que isso te leva a melhores resultados, estás errado.

Cumprimentos,
António Teixeira

PS: DC, digo exatamente o mesmo do DescomunAlexis. É irritante vê-lo jogar lol.

DC disse...

E este Barça 2 anos depois da saída do Guardiola, representa o Guardiola porquê?

Roberto Baggio disse...

DC, António Tata adora o homem. Dá a tal diversidade na forma de atacar que ele disse que faltava ao Barcelona.

DC,
Desculpas hahaha

Gonçalo Matos,

Desiste, isso não é para ti.

PP disse...

@António Teixeira:
As minhas críticas que aqui e acolá vou fazendo nalguns tópicos do blogue em nada tem haver com isso...

@DC:
Já não consegues ver o legado do Guardiola? É que já nem falo no culto da posse de bola, ou da pressão alta e com linhas defensivas no meio-campo adversário, sempre com a equipa compacta, ou o goleador da equipa sempre a jogar entre-linhas,... enfim, já não vês a marca do Guardiola?

E, mais uma vez repito, não sou contra o modelo do Guardiola. Apenas, cada vez mais vejo muita gente a falar cegamente nesse modelo, quando é preciso ter uns certos requisitos para se jogar nele...

Gonçalo Matos disse...

PP,

Tanta gente admira o modelo do Guardiola porque é o mais vencedor dos últimos anos. O modelo não depende dos jogadores, os resultados que consegues ter é que sim. E no papel, a proposta de jogo é linda.