Posse de bola no Facebook

Translate

terça-feira, janeiro 28, 2014

Formação do Benfica

A formação no clube da luz tem uma geração de jogadores com grande potencial, para chegar ao plantel principal. Não significa isso que esses jogadores tenham, todos, qualidade para se impor no onze inicial do clube da luz. Há dez anos atrás, provavelmente, André Gomes, Ivan Cavaleiro, e Bernardo Silva seriam indiscutíveis no onze encarnado. Hoje, estão "sentados", e bem, porque o Benfica tem jogadores de grande qualidade nas posições em que eles poderiam ser opção. Assim, a única crítica que se pode fazer a Jesus será a falta de minutos de jogo que André Gomes tem, apesar de treinar com o plantel principal, e o facto de Bernardo Silva ainda não estar a treinar e aprender com os melhores, num contexto de maior dificuldade.

Quanto a venda de André Gomes que tanta tinta tem feito correr, se for pelos 15 milhões de que se fala, é um óptimo negócio para o clube da luz. André Gomes tem evoluído muito por se treinar com os seniores, mas ainda não é jogador para se impor de caras no onze encarnado, tendo em conta os jogadores que lá estão.

29 comentários:

Gonçalo Matos disse...

Romário,

Concordo quando dizes que ainda não têm qualidade para serem titulares. No entanto, não me parece que sejam muito inferiores à maioria dos suplentes, sendo que são mais jovens e provavelmente com salários muito mais reduzidos.

Romário disse...

Os suplentes do A.Gomes são o Ruben Amorim.

Do Cavaleiro são o Sulejmani e o Ola John que foi emprestado.

O único em que a diferença não me parece fundamental é o B.Silva, mas os suplentes dele são o Djuricic, e se quiseres o Rodrigo.

Gonçalo Matos disse...

Já viste o Sulejmani jogar mais que o Ivan?
Vi os ultimos minutos do jogo do Benfica pra taça da liga, no fim-de-semana.
O Bernardo, o Hélder Costa, o Ivan e o Cancelo em 10 minutos criaram mais perigo que no restante tempo da segunda parte.
Obviamente que entrando no final do jogo, com o adversário não tão forte fisicamente, torna as coisas mais fáceis. Mas pareceu-me haver ali muita qualidade e muita capacidade pra jogar na primeira divisão sem qualquer problema.

Romário disse...

"Já viste o Sulejmani jogar mais que o Ivan?"

Mais vezes, ou mais em qualidade? Mais em qualidade já vi. Ivan está a evoluir muito bem, com os minutos que tem somado. Mas não me parece melhor que Sulejmani. Todos esses que citaste têm mais minutos de jogo que o Sérvio, é portanto natural que se destaquem mais. Já para não falar do facto de estarem habituados a jogar juntos.

Gonçalo Matos disse...

Deixa-me colocar a questão de outra forma. Tendo em conta a qualidade na academia, achas que tem sentido contratar Djuricic, Sulejmani, Funes Mori, Fejsa, Siqueira, Hugo Vieira, Michel? (para não falar nos irmãos sérvios e no Lolo)

Romário disse...

Djuricic, Fejsa, e Siqueira sim. Os outros que citaste não.
Sulejmani, para mim, não faz sentido porque tinhas Markovic, Gaitan, Sálvio, e Ola John.

Gonçalo Matos disse...

Era mais ou menos a este ponto da conversa que queria chegar. Como podem os jogadores da formação do Benfica aspirar chegar ao plantel sénior quando talvez os maiores talentos da formação dos últimos 10/15 anos (excepção do Manuel Fernandes) não têm sequer estatuto de suplentes?
O caso do Bernardo para mim é o mais estranho e mais extremo. Não me recordo de haver um jogador tão habilidoso em portugal desde os tempos do Cristiano Ronaldo.

Romário disse...

Aí estamos de acordo a 100%

Gonçalo Matos disse...

...é uma pena.

PP disse...

O problema das pessoas quando falam da aposta na formação é apenas um: o de quererem que sejam logo titulares!

Em Portugal não há meio termo! Ou o miúdo não presta ou se presta tem de entrar logo no onze titular. O próprio artigo dá essa ênfase.

É o mais normal que estes jovens jogadores do Benfica sejam vistos por muitos como os futuros melhores. Vêm de um campeonato de júniores que basicamente só tem uns 4 ou 6 jogos competitivos em toda uma temporada - quando as melhores equipas jogam entre si (Benfica, Sporting, Porto?, Guimarães?, Marítimo?) - aí são os reis! Dão cabazadas a todos!

Antes de haver as equipas Bs, estes miúdos entravam de peito feito nas equipas e depois era vê-los cair que nem tordos! Faltava-lhes maturidade para lidar com o erro e com o fracasso próprio de quem vai competir com jogadores com o triplo da experiência competitiva e a ratice de toda uma carreira.

As equipas Bs são um sucesso, porque acabam por dar espaço a estes miúdos poderem crescer enquanto jogadores.

Se a formação até os júniores é uma espécie de "secundário" para estes miúdos, as equipas Bs é a faculdade do futebol. A exigência é maior e é aqui que se aprende a ser verdadeiramente profissional. Muitos ficam apenas pelo secundário. Outros entram na faculdade, mas não conseguem acabá-la. Outros terminam e têm que fazer pela vida para se inserir no mercado de trabalho. Outros ainda, os verdadeiros "génios" eles próprios escapam à faculdade porque são eles que vão escrever os próximos manuais com os seus futebóis que saiem completamente fora do padrão e fazem com que os senhores professores tenham de rever os conteúdos programáticos.

Tou a dar-vos esta imagem, para melhor compreensão e para também entender que há também excepções à regra, porque todos nós somos diferentes na forma como aprendemos. Os jogadores não fogem a essa regra. Daí que haja exemplos de todos os modelos e feitios.

De qualquer forma, o Benfica é um clube, mas também é uma empresa cujos principais activos são os seus jogadores e cuja principal fonte de receita é a venda desses mesmos activos. Como tal, é importante que ele utiliza uma abordagem do sector primário, i.e., agrícola: o fruto mais maduro deve ser o que deve ser vendido primeiro. E evitar vender o fruto de qualidade "royal" mas que ainda está verdinho, por tuta-e-meia! Estou a falar do André Gomes, pois claro!

15M€ que se fala parece muito bom agora, mas face ao conhecimento do atleta em si, até poderá ser uma pechincha para o seu futuro clube e uma autêntica galinha de ouro para o seu empresário.

Por fim, não entendo como poderemos criticar o Jesus quanto aos minutos do André Gomes?! Nem acredito que estou a defender o Jesus... mas, a verdade é que talvez o máximo que poderia exigir ao Jesus seria mais uns 15 minutos em cada um dos 3 ou 4 jogos que o André Gomes teve oportunidade de entrar nesta temporada. Com o Matic a jogar o que joga, com um Fejsa com outro tipo de experiência e andamento (titular da sua selecção), com o Enzo a jogar o que tem jogado, com o Rúben Amorim a lutar por um lugar como tem feito, onde é que o André Gomes tinha espaço até agora?

Por vezes o pessoal esquecesse que só podem jogar 11...

Quanto ao Bernardo Silva, custa-me não vê-lo no plantel principal já. Mas, também tenho de entender o seguinte:
- o Benfica joga normalmente com dois avançados, nem o Djuricic tem tido tempo de jogo muito por causa disso, o que retira espaço a jogadores que gostam de jogar em zonas centrais e entre-linhas;
- o Benfica tem vários "extremos" em boa forma, pelo que nem nessas posições o Bernardo consegue arranjar um espacinho...

Uma coisa é certa, o que não falta ao Benfica é matéria prima. Só gostava que houvesse maior planeamento. E, isso também significa não ter medo de vender certos jogadores mais experientes, para ir dando espaço a outros que possam entrar pelo menos no plantel principal.



Edson Arantes do Nascimento disse...

Veremos o que vai acontecer...

O A. Gomes é um jogador interessante, tem potencial para ser um 6 de bom nível, mas tem problemas que precisam ser ultrapassados e que na minha opinião não o valorizam na posição 8 (tem dificuldades com a bola nos pés, decide mal, não é criativo). Vai precisar de um treinador muito competente para o ajudar nesse sentido.

Se alguém chegasse e batesse 15 milhões na hora, se eu fosse o presidente do Benfica, ele estava transferido - a não ser que, por exemplo, o treinador me garantisse que ele seria um elemento fundamental (como será o caso se o JJ pensa que o miúdo pode agarrar o lugar na vez do Fejsa).

O mesmo serve para os outros quatro que estão nas imagens. O único que eu seguraria - se fosse possível e se o atleta estivesse disponível para isso - era o Bernardo.

Porque acho que ele tem claramente potencial para valer muito mais do que isso.

Gonçalo Matos disse...

Eu fiquei surpreendido por ver alguém pagar já 15M pelo André Gomes. 15M por um jogador que não joga com frequencia no plantel A, mesmo sendo jovem, é bastante.
Outra coisa que não ouvi falar muito e acho importante é o lucro que foi feito com esta tranferencia. Quantos milhões custou a formação do André e quanto ganha ele em salários? Isto são 15M que entram no clube, é só lucro. Enquanto por exemplo, nas tranferencias do di Maria, Ramires etc, houve um custo inicial elevado + salários + comissões.

Gonçalo Matos disse...

Salários e comissões mais elevadas que no caso do A. Gomes, claro.

DC disse...

Se o André Gomes sair por 15M acho que o Tozé e o Esgaio passam a ser avaliados em 30M, o André Silva em 50M e o Bernardo em 100M.

Há que ter noção que estamos a falar duma transferência do Jorge Mendes. O mesmo que na mesma época vendeu o irmão do Bruno Alves ao Atlético e ao Besiktas.

O Benfica tem lá alguns putos com potencial para serem titulares na primeira equipa. O André, para mim, não é um deles. Se saísse mesmo por esse valor, seria talvez a melhor venda da história do Benfica.

Anónimo disse...

Até gosto do André Gomes, não fosse ele portista (xD), e gosto muito de jogadores de formação do Benfica, por isso não entendam isto como clubite, porque passa-se igual em todos os clubes.

Se o André Gomes rendeu 15M aos cofres do Benfica (e em bruto), o Jorge Mendes passou a deter percentagens de passes importantes nos jogadores importantes. De qualquer dos modos, não é mais que um empréstimo (porque neste momento o Benfica precisa muito desse empréstimo, tal como o Porto precisou em Abril), que é pago com juros bem altos, não fosse o Jorge Mendes quem é.

Acham mesmo que alguém dava 15 kilos pelo André Gomes? Os negócios no futebol são coisas onde há muito nevoeiro..

Cumprimentos,
António Teixeira

PP disse...

@Romário:
«Djuricic, Fejsa, e Siqueira sim. Os outros que citaste não.
Sulejmani, para mim, não faz sentido porque tinhas Markovic, Gaitan, Sálvio, e Ola John.»
Para mim, na época em que o Ola John veio para o Benfica, não fazia qualquer sentido ele ter vindo.

Em primeiro lugar tinha-se um Nolito que cumpria e era quase sempre um dos melhores em campo, quer se gostasse ou não do seu estilo de jogo. Com a contratação de Ola John, o Nolito foi literalmente chotado para canto!

Segundo, havia na equipa B um jogador para aquela posição e que era o melhor do seu campeonato, um tal de Miguel Rosa, que era reconhecidamente o melhor jogador da equipa e do seu campeonato. Nem sequer teve direito a um mísero minuto na equipa principal? Não acho nada normal!

Terceiro, também na equipa B, destaca-se, quase com a mesma idade do holandês um jogador de perfil semelhante, um pouco mais explosivo até que o Ola, um tal de Ivan Cavaleiro. Veio o Ola John e o Cavaleiro teve que ficar mais tempo a repousar na equipa B.

Em suma, ano e meio volvidos e vê lá a rodagem que foi feita nessas segundas escolhas - sim, porque nem Ola John nem todos os que referi seriam titulares claros no Benfica, pelo menos no curto prazo - para essa posição?!

Não tem lógica! Nem do ponto de vista financeiro, porque os jogadores nunca são potenciados até onde poderiam ser para rentabilizar a balança financeira do clube. Nem tão pouco do ponto de vista desportivo, pois tanta mudança não permite criar uma solução sustentável no plantel.

A vida do Jesus também é tramada e tenho a certeza que se não fossem os cerca de 4M€/ano que ele ganha, ele já teria exasperado com tudo aquilo. Eu pelo menos, talvez por ser bem mais novo e bem mais apaixonado pelo Glorioso, não seria tão passivo quanto isso.

No Benfica fazem demasiado experiências nas segundas escolhas para serem normais!

Lembram-se do Felipe Menezes? Para que é que fomos buscar esse brasileiro se tinhamos naquela altura para essa posição um puto como o David Simão?! Será que o campeonato de júniores brasileiro é melhor que o português? É que podemos ver essa questão da opção entre o Felipe Menezes e o David Simão, como uma questão deste tipo!

Nota importante: eu considero que se um jogador tiver a sorte de encontrar um treinador competente conseguirá fazer uma carreira muito boa. Caso contrário, as coisas serão muito diferentes e o que não falta no mundo do futebol são "Bocks". Por isso, quando vejo o David Simão e o talento que ele tem e que nas mãos certas do treinador certo ele poderia ir muito mais longe, dá-me uma revolta interna. Ainda para mais, quando por causa de interesses terceiros lixam carreiras interessantes. Reparem, que se não aproveitarmos o ainda curto talento nacional, não teremos selecções de alto nível. Os nossos grandes clubes têm de ser responsabilizados por tal, pois são eles que irão andar nas grandes competições, aquelas que permitem aos jogadores amadorecer e aprenderem com os melhores!

Se é para queimar oportunidades, que façam com os nossos!

Reparem que não peço nada de transcendental. Apenas se há cá tão bons ou melhores, que se apostem neles...

Agora, atenção! Hoje em dia é tão fácil dizer que um de fora é muito bom e o de cá é muito fraquinho... será mesmo?!

Romário disse...

Edson e DC,

Estamos de acordo que seria um bom negócio.
Também acho que tem potencial para ser um bom 6, quando perceber em todos os momentos que o posicionamento é para cumprir de forma regrada e com a agressividade devida.
Concordo, como escrevi, que é quarta opção derivado da qualidade dos outros.
E concordo também com o mesmo pensamento para o Teixeira, o Costa, e o Cavaleiro. A única excepção é o Silva, que para mim, não tem uma diferença fundamental de qualidade para os restantes do plantel principal, daí achar que já devia estar a treinar com o plantel principal, e até somar alguns minutos.
Mas, também não deixo de concordar com o Gonçalo, quando diz que um talento daqueles deveria pelo menos ser suplente. Algumas contratações, nesse sentido, foram despropositadas.

Ronaldinho disse...

Desculpem lá mas dizer que o Tozé vale o dobro que o Gomes é atrevimento! Dizer que não é criativo também o é! Quanto às más decisões tem melhorado e muitas delas são porque arrisca no último passe e durante o processo criativo, não são por ter dificuldades de compreensão do jogo ou burrice mesmo. As dificuldades com a bola nos pés hão de me mostrar onde, dificuldades técnicas só na recepção e essa também melhorou bastante.

Andrea Pirlo disse...

Concordo Ronaldinho.

Luis Santos disse...

Boas!

Só um reparo em relação à construção do plantel: eu nunca esqueço a ideia de que o bom é inimigo do óptimo. No caso do plantel do Benfica, acho que podemos estar a impedir alguns jogadores de serem óptimos com a introdução de bons jogadores. Por exemplo, não tenho dúvidas que no momento o Djuricic é melhor que o Bernardo ou que o Sílvio ou o André Almeida são melhores que o Cancelo (talvez até o Maxi...) mas o facto de eles estarem no plantel impede que o Cancelo e o Bernardo possam tornar-se melhor que eles num futuro próximo. Por isso, acho que os plantéis devem ser construídos/geridos tendo em conta a qualidade dos jogadores no presente, mas deve haver lugar para jogadores que representem mais-valias num futuro próximo. Dificilmente André Gomes consegue ganhar o lugar a Fejsa, Amorim, Enzo e Matic (e tem a sorte do Martins não contar, se não ainda era mais um!). Mas se o plantel tivesse sido pensado para a sua evolução e integração, se calhar teria ficado com Matic, Enzo e Amorim na sua frente. E agora com a saída do Matic podia equacionar-se a entrada de outro jogador, mas ao longo da época o André já teria tido mais oportunidades. Possivelmente até já seria considerada a sua utilização como titular ou 3ª escolha e já se abria mais um espaço para um jovem jogador (já vi algumas coisas engraçadas de um trinco, mas não tenho a certeza do nome... talvez João Teixeira ou qualquer coisa parecida).

O texto ficou mais longo do que pensava e talvez mais confuso... Espero que me tenha feito entender, mas qualquer coisa, mandem vir.

Ah e falei do Benfica porque era o tema do texto. Naturalmente podia fazer o mesmo com o Porto (Rafa, Pedro Moreira, André, Rúben, Tozé, Kadú/J.Costa, Graça...) e acho que não vai durar muito até se poder fazer o mesmo com o Sporting. Aliás, o Sporting aposta na Academia porque não tem dinheiro para comprar. Já se fala na compra de mais um médio ofensivo/extremo quando o Sporting tem jogadores de grande potencial para essas posições.

PS: Romário, sei que não te cheguei a responder sobre o Estoril noutro blogue, mas depois falo contigo ;)

Anónimo disse...

Caro Luís,

Pois podias, e a tendência é poderes continuar com essas críticas, porque o futebol em Portugal é assim e muito dificilmente vai deixar de ser, infelizmente. Especialmente nos casos dos três grandes. É que os Argentinos, Mexicanos, Brasileiros, e tutti quanti que os clubes contratam dão dinheiro a ganhar a muita gente, e não é só a empresários...
Mas atenção, que planear uma época desportiva como propões poderá não ser também ideal. Mas olha, as equipas B's servem para alguma coisa, certo? É torná-las mais competitivas (exemplo, na taça da liga jogam b's só, ou 5 b's).

Cumprimentos,
António Teixeira

Luis Santos disse...

Porto, Benfica e Sporting (e outros com B) não precisam de 24 jogadores para o 11 inicial. Precisam de 18/20 como o Barcelona do Guardiola tinha. O resto eram jogadores da B. Na minha maneira de ver, A e B deviam andar por essa ordem de quantidade de jogadores para permitir renovação e integração de jogadores de outros escalões (se têm ou não qualidade é um problema que tem que ser resolvido antes de chegarem às equipas B!). Nesse sentido, Bernardo, André, Cancelo e outros podiam continuar na B, mas teriam muito mais oportunidades de "dar o salto". Com plantéis de 24 ou até mais (nem me dou ao trabalho de contar com quantos jogadores o Benfica começou a época...) é muito difícil essa transição ser feita durante a época.

Aliás, ter 18/20 jogadores para onze inicial até permite ter melhores jogadores ou, quanto mais não seja, manter os melhores por mais tempo.

As equipas B têm grande competitividade interna acentuada pela chamada de jogadores da A e muitas vezes ao nível de campeonato também porque são equipas que não são demasiado "fortes" para essa competição.

Edson Arantes do Nascimento disse...

Oh Ronaldinho podes espernear à vontade que o meu atrevimento é apenas a minha opinião. Dás-me essa possibilidade?

E olha, o A. Gomes até pode ter evoluído em seis meses, porque eu não o voltei a ver jogar. Admito que sim. Mas na selecção sub-20 que esteve no Mundial da Turquia esse tal de Tozé tinha mais atributos (com bola, em criatividade e a decidir) do que o André Gomes.

Olha, o Tiago Silva (do Belém) então nem se fala. Incrível como o André foi sempre titular naquela equipa. E sim, sou atrevido o suficiente para dizer que, na minha opinião (peço desculpa mais uma vez), o André Gomes é pouco criativo.

Raramente tem uma solução diferente para resolver problemas.

Os únicos jogos que vi do Tozé foram os do Mundial por isso posso ter sido enganado. Mas foi a minha sensação.

Se não concordas pelo menos rebate com alguma assertividade, caso contrário, tenho de te lembrar que a tua capacidade de decisão está abaixo da média.

Isto não quer dizer que eu não goste do André. Como disse no primeiro comentário é um jogador com potencial. Como 6. E não como 8.

Ronaldinho disse...

Claro que dou Edson, és dos que melhor exprime a sua opinião neste blogue, é um prazer contar o com o teu contributo. No entanto mantenho o que disse, aliás, vou ter que "espernear" mais um bocadinho.

"E olha, o A. Gomes até pode ter evoluído em seis meses, porque eu não o voltei a ver jogar." Podia parar a discussão já por aqui, baseias a tua opinião apenas no mundial? É que então concordo contigo e ficamos amigos. No mundial realmente mostrou pouco ou nada, lembro-me apenas de um jogo em que teve razoável. A.Gomes é muito mais do que aquilo que se viu nesse mundial.

"Olha, o Tiago Silva (do Belém) então nem se fala. Incrível como o André foi sempre titular naquela equipa." Do Tiago Silva não se fala mesmo porque concordo contigo, sou fã desse menino. O A. Gomes não foi sempre titular.

"Raramente tem uma solução diferente para resolver problemas." Pensando melhor no assunto vou ter que te pedir desculpa por ter dito que era atrevimento. Percebo que não seja tão óbvio assim a criatividade que ele tem. Provavelmente construíste essa ideia com uma amostra de jogos demasiado pequena, embora seja uma ideia que não podia estar mais errada. Posso, se quiseres, editar um jogo dele para te mostrar as diferentes soluções que ele cria para os problemas. Provavelmente a tua opinião até é partilhada pela maioria, podia ser um post interessante.








Gonçalo Matos disse...

Já que estamos a falar de jogadores jovens portugueses, que acham do Rafa? Parece-me que é superior a todos os falados anteriormente no que toca à qualidade técnica para (tirando o Bernardo) e tem noa criatividade. Acho que no futuro ainda vamos jogar na selecção com um losango no meio campo.

PP disse...

Matos,

Se o Paulo Bento quisesse já podíamos...

;)

Roberto Baggio disse...

Eu gosto do Rafa. O Ronaldinho nem tanto. Mas gosto mesmo é do Tiago Silva e do Bernardo Silva.

Ronaldinho disse...

Eu não desgosto do Rafa mas não acho que seja assim tão bom. Não é jogador para entrar num grande por exemplo.

PP disse...

O problema destes Tiagos Silvas e Rafas é um pouco a dimensão física que não têm. Não falo tanto em parâmetros como a altura, mas sim a facilidade com que têm lesões musculares.

Não é apenas questões genéticas, mas há ali pouca preocupação física.