Posse de bola no Facebook

Translate

quinta-feira, dezembro 12, 2013

Benfica e FC Porto, erros individuais

Longe do vigor físico que o caracterizou em anos anteriores, do trabalho notável que fazia em combinação com os colegas, e da forma como abria linhas de passe de apoio ou de profundidade, Lima soma erros na tomada de decisão e muitos erros técnicos que têm prejudicado muito as performances da sua equipa. É comum ver Lima ser solicitado pelos colegas para acções simples, ou para a finalização e ele falhar logo no primeiro toque na bola (Recepção). Nenhuma equipa consegue ter um jogo ofensivo de grande eficácia com tanto erro técnico somado. Fisicamente, nota-se que está menos ágil e está mais lento. Mas isso nem seria um problema caso ele conseguisse continuar a tomar boas decisões, mas não é o caso.

Tanto erro a comprometer a coordenação da linha defensiva nos últimos jogos, que não é de estranhar a contínua insegurança defensiva que o Porto vive. Defende mal nas situações de 1x1 não percebendo por onde deve pressionar o adversário por forma a defender melhor a sua baliza (quer seja para defender o espaço interior, ou para não deixar enquadrar), posiciona-se mal em muitas situações, controla mal a profundidade, e não tem a velocidade de Mangala para disfarçar esses erros. Os adversários na liga, com a pouca qualidade que têm, na sua maioria, não conseguem explorar amplamente todas as deficiências que Maicon, neste momento, exibe. Contudo, ontem, contra um adversário com qualidade individual equiparada aos dragões dois erros, dois golos.

12 comentários:

Anónimo disse...

Caro Baggio,

O Maicon erra, como erra o Mangala, como erra o Otamendi, como erra o Danilo, como erra o Sandro. Tem errado todos. Se fossem jogadores desconhecidos, muito bem. Não o são, e já sabemos o que podem dar. Então logicamente esses erros vêm de algum lado. O erro do Maicon ontem é um erro que tem acontecido (embora de maneiras diferentes) no Porto, e prende-se, a meu ver, com o estado anímico dos jogadores. Os erros coletivos sim, esses são gritantes. Não há qualquer tipo de jogo posicional na primeira fase de construção a não ser a subida dos dois laterais e o movimento interior dos dois extremos. Muito raramente um dos pivots oferece verticalidade. Fácil jogar contra este Porto, e não são os erros individuais: o Maicon, por exemplo, no jogo contra o Braga, tem alguns erros na construção, que são, a meu ver, erros coletivos, nomeadamente na inexistência de linhas de passe.
Sofrível. A insistência em Lucho roça o absurdo! Por melhor que seja a nível de posicionamento (especialmente na largura), não dá seguimento na zona de criação, nem tem a preponderância noutras zonas do campo que tem o Herrera ou o Eduardo, para nem dizer mais! O Porto dá profundidade na primeira fase de uma maneira difícil de compreender... Fica um quase um quadrado desenhado entre os centrais e os dois pivots, e depois é a admiração de o Maicon, o Mangala, o Otamendi, terem que verticalizar sem critério nenhum (e errarem, claro, mas é isso ou chutar para fora), as ações do Sandro resumirem-se a conduzir ou a passar para o lado (e mais passes falhados, porque o Paulo Fonseca criou uma linha imaginária onde os pivots não podem sair daí), as do Danilo a vir para o interior (perdas de bola e depois péssima transição defensiva). Os extremos, péssimo, o Josué é limitado naquela posição, mas ainda é do melhor, e isso diz muito! O Varela, 1 jogo bom, 10 maus, e o bom não foi neste modelo. Coberturas ofensivas inexistentes quase, e em transição defensiva não há coberturas porque o número de situações em igualdade e inferioridade é gritante!
Desorganização a todos os níveis, processos péssimos, nem nas bolas paradas lá vão. O Jackson é quem cria o jogo da equipa e quem ainda vai finalizar. Não dá, salvam-se o Fernando, o Jackson e os laterais, e mesmo estes dois últimos...

O mais cómico, é que eu vi uma segunda parte com o Braga...Será o Paulo Fonseca assim tão ligado às suas ideias que o impede de ver o óbvio? Ou serei eu assim tão ignorante?

Cumprimentos,
António Teixeira

DC disse...

Os erros do Maicon são diferentes dos de Otamendi porque são normalmente erros de leitura e não de execução.
O Otamendi tem falhado muito, muito mesmo, mas mais na execução de passes ou cortes. No posicionamento é muito raro falhar, ao contrário de Maicon.

Ontem, a ideia com que fiquei, foi que Maicon e talvez Danilo subiram para tentar colocar o Diego em fora-de-jogo e o Alex não.
A linha defensiva está completamente descordenada, não sabe quando pressionar, quando subir.
Resumindo, e sei que tenho sido chato com isto, mas parece que anda a ser treinada por um treinador de FM.

DC disse...

Já agora, o Lucho não tem culpa de estar a jogar fora da melhor posição.
Ele é incomparavelmente melhor que Herrera.
Ontem o Herrera a primeira coisa que faz ao tocar na bola é fintar 3 gajos sem progressão e perder a bola isolando um deles.
Esse é que tem que melhorar muito para ser titular.

Se o Porto estivesse a jogar num losango com Fernando, Defour, Lucho e Quintero ou Josué, os jogadores estariam nas suas devidas posições e o Porto beneficiaria imenso.

Andrea Pirlo disse...

Baggio, estes erros individuais do Lima, devem-se a um momento de forma ou outra coisa? É que é demasiado erro, parece outro jogador.

Anónimo disse...

Dc,

Eu não estou a atacar o Ota (para mim o melhor obviamente), nem a defender o Maicon, nem a atacar o Lucho. Só estou a dizer que na posição onde está o último, não rende. Sobre os dois primeiros, ainda assim, os erros são potenciados pelo modelo, certo?
Cumprimentos

DC disse...

Sim António, para bem do Porto, o que tem que acabar é aquela posição 10 e não a titularidade do Lucho (embora ele não seja intocável, pode perfeitamente perder o lugar para o Carlos ou o Josué se jogar mal).

Nesta táctica podes meter Lucho ou outro qualquer que nunca lhes vai chegar a bola em condições a jogar ali.
Carlos Eduardo pareceu um craque contra o Braga, pura e simplesmente, porque jogou mais recuado e Herrera mais adiantado, logo com muito mais apoios no meio-campo.

Ontem voltou-se ao duplo pivot e o Lucho não se viu, porque não teve bola para poder fazer nada.

hertz disse...

Baggio, não será que o Lima esta num momento de ma forma e ate de alguma falta de confiança? Lembro-me por exemplo nesta pré-epoca em que marcou vários golos e teve combinações interessantes com o Markovic. Estava num bom momento ate que chega o jogo com o São Paulo e por ele ter falhado 2 oportunidades o estádio começa a cantar pelo Cardozo. Acho que isso o afectou. Mas se voltar a boa forma, será que não podemos ter de novo o Lima da época passada?

Anónimo disse...

Caro DC,

Primeiro, eu acho que tecnicamente o Lucho é inferior ao Eduardo, especialmente com pouco espaço. De qualquer dos modos, concordo contigo, mas corrijo uma coisa, que a meu ver está errada: o Carlos Eduardo desceu mais precisamente por ter características que o Lucho não tem.
Mas concordo contigo (aliás, com o teu comentário no Reflexão, que não comentei porque dá trabalho fazer login xD).. Btw, regista-te no forum Portal dos Dragões ou no Mágico Porto, são espaços muito bons ;).
Cumprimentos
António Teixeira

PP disse...

No caso do Lima, que o acompanho mais atentamente, nunca fez as coisas de uma forma fluida e elegante. Vi-o quase sempre a fazer jogadas com intensidade e a ganhar ressaltos, e isto estava ele ainda no Belenenses e Sporting de Braga.

No Benfica, nunca me convenceu a articulação com os restantes colegas, sobretudo com o Cardozo. E, tal foi um dos principais problemas do Benfica na época passada, sobretudo, nos jogos "grandes". Noutros, eles desenrascavam-se, apenas!

Talvez o problema seja mesmo esse que referiste, menor fulgor físico. Com 30 anos, não acho que ele perca assim tão rapidamente a velocidade, até porque não é isso que eu tenho visto. Vejo-o é a bloquear mentalmente quando tem a bola nos pés e decidir a quem passar. Frente ao Arouca então... foi um fartote!

Mas, também temos de ver do lado do jogador: imaginem o que é estares habituado a jogar em determinados espaços e com determinadas referências (pontos onde os teus colegas supostamente se desmarcam) e durante o jogo o treinador lembrar-se de fazer as alterações tácticas que fez (meter três avançados lá na frente, à "mama"!), sem ter trabalhado essa solução nos treinos?!

É óbvio que o jogador vai andar feito barata tonta. Ainda por cima, ao nível de intensidade de uma liga profissional...

Só mais uma achega, sobre tudo isto, e ainda do jogo do Arouca que mencionei: o Jesus para mim parou um pouco no tempo em termos de treino e de interpretação táctica. Vejo ele a fazer muito aquilo que nos anos 80 e 90 era doutrina.

Sobre o outro "artista" do Porto, para mim, o lance frente ao Atlético, tem muita culpa do Hélton. Mais até do que o Maicon. É só ver o lance na repetição e o posicionamento do guarda-redes para perceber que o Hélton estava mais a pensar no pagode do que no jogo.

Ronaldinho disse...

Hertz, brilhar na pré-epoca faz-me lembrar o Zahovic , era o melhor marcador na pré-epoca e depois arrastava-se durante o campeonato. A pré-epoca é um momento muito próprio, com muitas condicionantes em jogo, não serve para tirar ilações nenhumas, como aliás este caso demonstra. Eu desconfio que sei o porquê desta baixa de rendimento, muitos devem ter pensado o mesmo que eu.

Roberto Baggio disse...

DC e António,
Estamos d acordo que o modelo não é o melhor. E também concordo com a ansiedade faça cometer mais erros.

PIrlo e Hertz,

É possível que seja momento de forma/confiança. Não sei qual é o problema dele. Mas é estranha uma mudança tão repentina no rendimento dele de um ano para outro.

JON disse...

"Defende mal nas situações de 1x1 não percebendo por onde deve pressionar o adversário por forma a defender melhor a sua baliza (quer seja para defender o espaço interior, ou para não deixar enquadrar), posiciona-se mal em muitas situações, controla mal a profundidade, e não tem a velocidade de Mangala para disfarçar esses erros."

É isto.
O Maicon só está a jogar porque o Otamendi já está vendido. Infelizmente para o Porto, era preferível que saísse o Mangala...