Posse de bola no Facebook

Translate

terça-feira, outubro 01, 2013

Kagawa

Shinji parece ser mais um daqueles estranhos casos em que um jogador de grande qualidade não se consegue adaptar a uma mudança de clube e de país. Poder-se-a pensar que o japonês não tem qualidade suficiente para jogar na Premier League, pelas diferenças de ritmo, intensidade, e cultura de jogo em Inglaterra. Contudo, o problema aqui, como em muitos casos, é que, os jogadores não pensam no que realmente poderá ser melhor para eles quando se transferem. Ouvem o nome de um grande clube, e de imediato se entusiasmam com a possibilidade de ingressar numa equipa de "maior" exposição mediática.
Kagawa é um médio criativo, daqueles que jogam, bem, no corredor central. Daqueles que precisam de uma estrutura central equilibrada a jogar ao lado dele, por forma a que possam causar desequilíbrios colectivos constantes, e que possam sempre que possível aproximar-se das zonas de criação. É um daqueles jogadores que gosta de participar em todas as fases do jogo, e de ter liberdade "total" de movimentos dentro de campo.
Olhando para essas características do criativo do United, comparemos agora ao modelo de jogo da equipa que escolheu: A função dos jogadores do meio campo limita-se a 1º fase de construção, as coberturas das saídas de elementos da linha defensiva, e aos apoios em segurança para retirada de pressão. O sistema de jogo é um 1-4-4-2 clássico, onde o papel dos alas é de grande desgaste, de iniciativas individuais e de acompanhar o lateral "up and down".
Como se percebe, desde logo, existem contrastes muito evidentes entre a forma de jogar do criativo e
o modelo de jogo da equipa, a começar pela rigidez posicional dos jogadores no sistema, e a terminar na falta de criatividade nos processos colectivos.

Tivessem pensado que o modelo de jogo do clube para onde se transferiam não era o ideal para as suas características e talvez, hoje, estivéssemos ainda a desfrutar do talento de muitos que se perderam.

Lembram-se de Anderson?! Sofreu dos mesmos males...


Klopp: "Shinji Kagawa é um dos melhores jogadores do mundo e agora ele joga 20 minutos no Manchester United. Na ala esquerda meu coração para. Realmente, eu tenho lágrimas nos meus olhos".
"O Meio-campo central é o melhor papel de Shinji. Ele é um meio-campista ofensivo".
"Mas, para a maioria dos japoneses significa mais jogar Man Utd do que no Dortmund. Choramos por 20 minutos, um nos braços dos outros, quando ele saiu".
"Um ano antes Nuri Sahin saiu porque o Real Madrid é o maior clube do mundo.
Se os jogadores forem pacientes o suficiente podem desenvolver-se bastante na equipa e transforma-la numa das maiores do mundo".

12 comentários:

DC disse...

Aconteceu o mesmo a Anderson e a Verón, o fabuloso Verón perdido nesse triste futebol inglês.

Não fosse o dinheiro e Inglaterra teria a pior liga do mundo, pelo menos em futebol jogado (porque os fãs, esses deliram com o kick and rush).

Gonçalo Matos disse...

Eu pergunto-me se os jogadores percebem que não encontrarão os mesmos modelos noutros clubes. Eu acho que muitos não compreendem o que implica jogar com outros principios de jogo, provavelmente porque nao compreendem quais as suas verdadeiras características. E depois há outra questão: porque comprar Kagawa se o que ele apresenta nada tem a ver com o perfil de jogador que se quer?

É preciso que os jogadores ganhem outra sensibilidade em relação a estas coisas. Principalmente em relação ao Man Utd e Real Madrid. Não é à toa que destroem carreiras. Eu olho para o plantel do Man Utd e vejo Nani, Anderson e Kagawa no banco e vejo em campo Valencia, Young e Cleverley e acho que o Mundo não tem sentido.

Francisco disse...

Gonçalo,
quando colocas aí Cleverly no meio desses é tanga não é? Percebi mal ?
Cumprimentos,

Gonçalo Matos disse...

é mais se pensares Cleverley vs Anderson qnd chegou a Manchester

Gonçalo Matos disse...

Imagina o que poderias alcançar com um modelo de jogo diferente, com o Anderson com a sua criatividade dos 18 anos, o Kagawa, o Nani, o Rooney e o Van Persie. O que poderia ser hoje em dia o CR se tivesse estado enquadrado num modelo que priveligiasse a criatividade e a capacidade de decisão?

Por este caminho, o Januzaj ainda se vai perder..

Edson Arantes do Nascimento disse...

Eu acho o Cleverley um excelente jogador. Nem parece ser inglês.

E acho que no tempo do Ferguson, apesar das limitações, tudo acabava por se compor. Porque o mais velho, apesar de não saber o que é um triângulo (como alguém, de forma brilhante, comentou certo dia no Lateral Esquerdo), era um treinador com uma inteligência muito fora do normal.

Há algumas análises que são um bocado ingénuas: acham mesmo que o Kagawa não sabia dessas dicas todas do modelo de jogo e da cultura desportiva em Inglaterra?

Ele - como 95 por cento dos outros - decidiu em função do dinheiro, camaradas. Money, Money, Money.

Roberto Baggio disse...

Edson, acima do dinheiro, e isto podes perguntar a qualquer jogador de futebol, ele quer é jogar. Se ele soubesse das limitações do modelo e das dificuldades que iria sentir, não tenho dúvidas que aceitaria ganhar menos um milhão por ano no Dortmund, que em Manchester, e ficava por lá. Porque neste caso, não estamos a falar de uma diferença salarial muito significativa (Coisa que no caso do Anderson foi).

Edson Arantes do Nascimento disse...

Desculpa Baggio mas contra factos não há argumentos. Os jogadores de futebol, em 95 por cento dos casos, escolhem para onde vão jogar em função do salário.

Só em Inglaterra tens uma série incrível deste tipo de casos.

Olha para as equipas russas. O Witsel até disse que o Zenit era "maior" do que o Benfica! E olha que eu não estou a criticar as decisões deles. Cada um sabe de si. Só não aceito é que venham chorar depois.

E já agora podes me colocar aqui o salário do Kagawa no último contrato na Alemanha e o contrato actual? Tens a certeza que a diferença é "apenas" 1 milhão?

O Kagawa é um jogador que eu adoro. Muito bom! Mas não compreendo bem o teu argumento quando no Dortmund o homem jogava todos os minutos, podia ter um salário de grande nível (mas longe do que se paga em Manchester!) e ainda por cima ganhava títulos.

Será o Kagawa burro?

Ronaldinho disse...

Não tem nada a ver com o facto de conhecer o modelo ou não, os jogadores acreditam sempre que vão conseguir impor-se. Edson, o Kagawa não é burro mas não sabia que não ia jogar... é tão simples quanto isto. Escolheu o Manchester porque ia ganhar muito mais, até aí dou-te toda a razão, mas achas que um jogador do nível do Kagawa prefere não jogar só para ganhar mais um bocado? Claro que não... ele acreditou que iria jogar

Gonçalo Matos disse...

E acredito que tivesse outras propostas. Duvido mesmo que ele tenha percebido no que se ia meter.

Há algum jogador que tenha saido do Dortmund do Klopp e esteja melhor jogador que anteriormente? Não me recordo de nenhum.

Roberto Baggio disse...

Edson,

A última proposta do Dortmund era para ele ganhar 2.5M.
No United ganha 4M.

Roberto Baggio disse...

Quanto ao Witsel, sim a diferença salarial era notória e ele, além do mais, é indiscutível naquela equipa. Não tem a competitividade do Manchester o Zenith, como sabemos.