Posse de bola no Facebook

Translate

terça-feira, setembro 24, 2013

Marco Silva, Estoril 2-2 FC Porto

A organização ofensiva do Estoril, já havia sido analisada no jogo contra a Académica. Essa análise careceu de detalhe no momento da organização defensiva, uma vez que a Académica causou muito poucos problemas defensivos, no jogo em questão. Aqui, fica em vídeo uma análise mais pormenorizada do funcionamento da linha avançada e linha média do Estoril de Marco Silva, em organização defensiva.
Contra um adversário muito poderoso, conseguiu com muita organização, um resultado muito positivo, tentando, sempre manter a identidade da equipa. Com bola, o Estoril tenta sempre jogar. Sem bola, procura recuperar, de forma colectiva, com referências zonais.

40 comentários:

DC disse...

Confirmaste as minhas impressões. Poucos apoios, Lucho demasiado adiantado, vazio no meio-campo.
Porto a jogar quase em 4-2-4.

Não faz qualquer sentido esta opção, o Porto não ganha em nada com isto.

Roberto Baggio disse...

Sim, neste jogo aconteceu isso muitas vezes. Sobretudo na primeira parte. Na segunda o Estoril desorganizou mais, sem dúvida pela falta de hábito (intensidade de concentração) de jogos deste nível. Mas mesmo assim, o Porto na segunda parte tentou assegurar melhores apoios.
O problema de sofrer agora mais golos, é de ter mais situações para defender perto da baliza, perde mais bolas, é mais vertical, defende mais vezes, em organização e transição, do que com VP. A transição defensiva pareceu-me "bem", no sentido em que os jogadores tentavam estrangular logo o adversário por "todas" as direcções, só que muitas vezes não chegavam lá a tempo por estar longe, mas neste jogo não me pareceu um problema.

DC disse...

Sim, os problemas defensivos parecem-me mais potenciados pelos erros em posse. Embora já tenha visto o Mangala (principalmente) cometer muitas hesitações sem saber se deve sair à bola ou ficar na contenção, coisa que no ano passado era mais rara.

Tendo em conta que a linha defensiva é exactamente a mesma, pergunto se isso não se deverá ao diferente posicionamento dos médios que ainda confundem os centrais.

zdamen disse...

Não querendo simplificar a análise, há para mim dois pontos essenciais:

O ponto de partida deste FCP, o legado de VP, era enorme. Acredito que levará muitos anos, décadas até, a existir um FCP tão forte e ainda por cima com parcos recursos - basta olhar para o banco que VP tinha à disposição. É certo que tinha um 11 de nível europeu, mas o resto era um deserto.

Por outro lado, o Lucho não vai para mais novo e andar a jogar de três em três dias não é fácil. É notório que o desligar do meio campo portista tem muito a ver com o não baixar tão frequente de Lucho e que eu penso ter a ver mais com questões de frescura fisíca (e claro, a menor classe de Dufour versus Moutinho) do que propriamente estratégia do treinador do Porto.

Mas ainda é cedo, veremos como o PF lidará com tudo isto...

DC disse...

Zdamen, o Lucho não consegue estar em 2 lugares ao mesmo tempo. Se o PF quer jogar com um 10 não pode querer que ele seja um médio centro.

Anónimo disse...

1:51 para além do posicionamento do Lucho: a diferença entre um Licá/Varela e um Quintero/Josué. Isto comentando sem ver o seguimento.

Idem minuto ~3:06.

Idem 4:50.

DC,

Se é verdade que como referes, o Lucho não consegue estar em dois locais ao mesmo tempo, não deixa de ser verdade que pode jogar na posição 10.

A meu ver, e gostava que o Baggio e restantes entendidos comentassem, os dois problemas são: Defour e Fernando que não entendem (como o vídeo prova), ainda, a dinâmica a nível de apoios, principalmente, do duplo pivot; a ABSOLUTA NECESSIDADE de jogar com Josué/Quintero no lado direito do ataque. Se queremos apoios em qualquer fase da organização ofensiva (e consequentemente maior presença na transição d.), temos que ter um jogador que procure o interior (até para aproveitar os movimentos do Licá, Jackson e Lucho nas zonas de finalização). Simples. Fez-se contra o Marítimo (certo Baggio?), e agora deixou-se de fazer. Sem querer crucificar o jogador, mas continuo sem entender o que continua o Varela a fazer ali... Desculpem me, e com todo o respeito ao jogador, eu não percebo.

Baggio, prognósticos para este Porto?

Cumprimentos,
António Teixeira

Anónimo disse...

Aliás, parece-me completamente viável o Lucho jogar a dez desde que tenha jogadores nos pivots que ofereçam apoios e um extremo que tenha qualidade para receber entre linhas. O que sempre defendi DC. Agora, com esta interpretação e com estes extremos, aí sim, dou te toda a razão: Lucho não pode estar ali.

Cumprimentos,
António Teixeira

Anónimo disse...

Quanto ao Marcos Silva,

Excelente trabalho, claro. O problema é que o Vitor Pereira não o deixava fazer isto nunca. Mas lá está, não dá para comparar por causa da qualidade individual.

Cumprimentos,
António Teixeira

DC disse...

António, não vejo vantagens suficientes em ter o Lucho ali e retirá-lo do meio-campo.

O duplo pivot está mal treinado sim, mas para que eles apareçam mais ligados ao Lucho tens novamente que colocar mais gente à frente da linha da bola, ou seja estás a desequilibrar mais a equipa para a transição defensiva.

Para mim é o Lucho que tem que recuar e sim, concordo contigo com a utilização dum falso extremo para que tenhamos um meio-campo de 4 (como no ano passado).
Com a táctica actual, o Porto tem praticamente um meio-campo de 2. E não te enganes, esta opção do Varela é mesmo porque PF gosta de ter 2 extremos mais um número 10.
Basicamente, utilizando termos populares, ele quer meter a carne toda no assador.
Dá a entender que a ideia dele é que tendo 2 extremos mais um 10 e um ponta de lança vai ter muito potencial ofensivo. Ora, eu acho que retirando médios vai ter um potencial ofensivo muito inferior.

hertz disse...

"É certo que tinha um 11 de nível europeu, mas o resto era um deserto." É verdade mas o que interessava ele não ter banco de jeito? O Porto do VP ficou, nos 2 anos, bem cedo a lutar apenas pelo campeonato. Pôde por toda a carne no assador e jogar sempre com o seu 11 de nível europeu. Não teve de gerir o plantel em função das várias competições pois ficou bem cedo a lutar apenas por uma.

Em relação ao Estoril, o trabalho do Marco Silva tem sido espantoso. Incrível como perdeu várias peças chave no final da época e mesmo assim conseguiu montar uma equipa forte e com bom futebol.
Cá o espero no meu Benfica quando o JJ sair.

Anónimo disse...

Caro DC,

Não conhecendo a fundo o trabalho do Paulinho, mas Josué no Paços parece-me ir contra o que dizes (o mesmo vale para os jogos em que tem Iturbe no banco, no início).

Eu não acho que tenha que recuar assim tanto, porque com o falso extremo tens mais apoios e maior qualidade no jogo posicional. Logo, podes construir mais curto, o que é excelente. Depois falta o Defour compreender o que deve fazer. Eu penso que consegue.

Caro Hertz,

Não é bem assim. Relembro-te que havia um ponta de lança e o James esteve muito tempo lesionado, o que como eu e o DC defendemos, tem muitas implicações.
E foi eliminado da Champions em Março, que não é muito longe da conquista do título.

Cumprimentos,
António Teixeira

DC disse...

Hertz, o VP foi à luz 2 anos seguidos sem o James (num dos jogos entrou para jogar meia-hora depois de uma viagem desde a Colômbia pela selecção). Jogou muito tempo no ano passado sem James, Moutinho, Atsu e Varela por lesão. Com isso foi à Luz, por exemplo, com Sebá, Kelvin e Tozé no banco. Se isso não é ter que gerir o plantel é o quê?

Jackson não teve suplente, Fernando não teve suplente, Alex Sandro e Danilo não tiveram suplente. Teve 13, 14 jogadores para toda a época. Não foi questão de gerir ou não gerir, foi o que havia.

DC disse...

António, a saída de bola desde a defesa, penso eu, deve ser das coisas mais treinadas. Se o Fernando e o Defour vão um para a beira do outro nessa saída é porque o PF assim os treina.
No ano passado o Porto tinha várias alternativas à saída de bola, tanto pelo Fernando como pelo Lucho como pelo Moutinho. Muitos apoios. Este ano estão mal neste aspecto e isso é treino, não é, penso eu, questão de compreensão ou adaptação.

hertz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
hertz disse...

Calma lá, quem esteve mais tempo lesionado foi o James, o Moutinho foram 2/3 semanas se não estou em erro, o Atsu nem sequer era opção regular.
Jackson, Fernando, Alex Sandro e Danilo sem suplente? E depois? Eles jogavam sempre a um nível altíssimo, nunca se lesionavam nem eram castigados. Na Taça foram eliminados, nos 2 anos, logo no início e só na época passada é que disputaram competições europeias um pouco até mais tarde (início de Março) mas depois parte para os meses finais do campeonato (Março, Abril e Maio) a poder jogar sempre com os melhores sem se estar a preocupar com outras competições.

Para mim é difícil analisar imparcialmente o trabalho do VP pois detesto o homem (devido a coisas bem desagradáveis que disse do meu clube e seu treinador). Pelo que fui lendo no Lateral Esquerdo já me rendi e aceito que ele tem qualidade mas mesmo assim permanece a minha desconfiança e curiosidade em vê-lo a disputar vária competições até ao final da época, por exemplo. E como seria a sua 1ª época se em janeiro o PC não lhe tivesse arrumado a casa, despachando alguns excedentários e trazendo um avançado e um grande jogar e líder de balneário?

hertz disse...

*grande jogador

DC disse...

"Jackson, Fernando, Alex Sandro e Danilo sem suplente? E depois? Eles jogavam sempre a um nível altíssimo, nunca se lesionavam nem eram castigados."

Ou pareceu isso graças à boa gestão do plantel. Se não eram castigados era graças ao modelo que fazia do Porto a equipa com menos faltas cometidas na liga. Se não se lesionavam era graças ao modelo que permitia ao Porto correr muito menos que os adversários e descansar com bola.

E ignoras a taça da liga porquê? O Porto apresentou sempre um 11 com os melhores jogadores.

Tudo bem que o queiras a disputar muitas competições. Eu também queria ver o JJ a jogar só com o Cardozo e sem Lima, Rodrigo ou Kardec o ano todo. Gostava de ver como se ia safar.
Gostava de o ver a ter gaitan, Djaló e dois putos da B durante o ano todo em vez de Gaitan, Djaló, César, Nolito, Salvio, Urreta e provavelmente mais alguns de que me esqueço.
È que todos os anos o JJ tem 2 planteis quase, este ano entao até foi obrigado a emprestar contratações acabadas de chegar. Queria vê-lo com 14, 15 jogadores realmente bons.

hertz disse...

E eu queria ver o VP no último dia de mercado ficar sem Moutinho e Fernando e desenrascar-se com o que tinha. Não ter 2 laterais de topo mundial e ter de adaptar um extremo a LE e ter de usar um médio da equipa B a LD para rodar com o (desgastado) LD titular. Ficar sem o capitão de equipa e o titular indiscutível do centro da defesa durante meses em vez de ter 3 centrais de topo. Ir jogar a Camp Nou e a Alvalade com um puto de 19 anos que na época anterior jogava nos júniores.

Yilmaz disse...

Marco Silva,o "Special Three"(depois de Mou,AVB -the Special Two^^-) ?

DC disse...

"E eu queria ver o VP no último dia de mercado ficar sem Moutinho e Fernando e desenrascar-se com o que tinha"

Ficou sem Falcao no 1º ano e deram-lhe Kléber e foi campeão, ficou sem Hulk no 2º ano e deram-lhe nada e foi campeão.

"médio da equipa B a LD para rodar com o (desgastado) LD titular"
Desgastado por culpa de quem? O Danilo fez mais jogos do que ele e não se desgastou... E não rodou com ninguém. Mas no 1º ano teve que adaptar Maicon à direita e Mangala á esquerda. Mas isso não deve ser gerir um plantel curto...

"Ficar sem o capitão de equipa e o titular indiscutível do centro da defesa durante meses em vez de ter 3 centrais de topo"
O Porto jogou e venceu 2 jogos de Champions com o Abdoulaye a titular.

"Ir jogar a Camp Nou"
Ir jogar a Camp Nou contra o Barça B. E não ganhar. Ir jogar até o Arouca vai. Empatar com o Barça B e ter 20% de posse de bola em casa contra o verdadeiro Barça já nem todos...

Anónimo disse...

Há 30 segundos em Camp nou: como diz alguém, qualidade individual...E muita!

António Teixeira

hertz disse...

- Não lhe deram nada? Então o Jackson Martinez é nada? LOL
- Maxi mais desgastado se calhar porque não tem a idade do Danilo e porque ele vai à selecção sempre (Mundial, Copa América, etc) e já não sei há quantas épocas que não tem férias.
Em 1º lugar o Maicon e Mangala não jogaram assim tantos jogos a laterais e ele tinha o Álvaro Pereira (e ainda o Quinones) e o Fucile.
- A diferença da posse de bola do Benfica contra o Barça não foi muito diferente da que o Porto teve no Mónaco (diferença de 5%).

Mas pronto, eu não quero estar a discutir mais isso. Num 1º comentário apenas dei a minha opinião sobre um aspecto do VP e tive o cuidado de não entrar em comparações. Tu vais defender o teu clube e ex-treinador e eu a mesma coisa e depois nunca mais saímos daqui. Não vale a pena.

DC disse...

- Sim, tendo em conta que o Hulk era um extremo e o Jackson um ponta de lança. O Jackson veio com 1 ano de atraso substituir o Falcao, já o Hulk ficou sem substituto.
- O Maicon jogou-os todos praticamente na 1ª época. O argumento da idade do Maxi não tem validade nenhuma. Mais depressa podia eu dizer que o Danilo vindo dum futebol a passo e ainda pouco adaptado podia sofrer muito mais desgaste.
- Mesmo assim o VP no seu 1º jogo sem Falcao, Fernando, Álvaro Pereira, foi capaz de dar muito mais luta ao Barça do que o JJ (esteve a perder 1-0 até aos 80min, Abidal faz um penalti claro sobre Hulk não assinalado e só depois Barça mata o jogo).

É verdade, também acho que não vale a pena discutir mais. Até porque tu não tens dados para afirmar que VP com um plantel mais rico não conseguiria ir longe em todas as competições nem eu tenho dados para afirmar que JJ com um plantel de 14, 15 jogadores falharia.

Gonçalo Matos disse...

Volto a insistir no que disse noutra caixa de comentários, colectivamente o Estoril é a melhor equipa Portuguesa. Se tivesse melhor qualidade individual entraria certamente na luta pela Champions.

Signori disse...

Por curiosidade, dia 28/9, o Vítor Pereira vai jogar à casa do Al Hilal, líder só com vitórias. O VP vai com 2v 2e.

Edson Arantes do Nascimento disse...

Interessante este treinador. Também adorei ver a movimentação do Estoril nos lances do vídeo (não vi nenhum jogo deles). Tudo bem coordenado e com intenção.

É como diz o Gonçalo, com outras soluções no plantel (com mais qualidade sobretudo) esta equipa poderia ser um caso sério.

Roberto Baggio disse...

Antes de mais peço desculpa pela demora, malta. Mas comecei hoje a minha terceira pré época, e se já estava difícil ajustar com duas, esta terceira vai tornar muito difícil conseguir estar cá todos os dias, e com cabeça para responder.

António,
Sim o duplo pivot carece de trabalho a esse nível. Agora, como o DC diz, pode não ser trabalho, pode ser intencional. Não aquele posicionamento no mesmo sítio, obviamente, mas o permanecer lado a lado, que vai dar quase no mesmo. Poucas linhas de passe entre a linha média e a linha defensiva do adversário.

Sim fez se isso contra o Marítimo de forma fabulosa, mas muito da dinâmica foi Josué. Mas mesmo Defour estava diferente. Não sei até que ponto, naquela altura ainda não pesava muito a influência de VP nesses processos, é difícil avaliar.

Quanto ao PF gostar de extremos, concordo com o DC, sobretudo se pensarmos que no seu Paços Josué só surgiu devido a lesão de um extremo no jogo de Alvalade e se não fosse aí, poderia ser que nunca tivesse mudado.

Atenção que isto tudo que digo não são certezas, são especulações.

Mas também é preciso ver que o Estoril não era uma equipa qualquer. Muito organizada. Muito bem trabalhada e gosta de ter bola ainda por cima.

Roberto Baggio disse...

António quando disse linha defensiva queria dizer linha avançada. Desculpa

Roberto Baggio disse...

Edson, acho que seria uma alternativa muito interessante ao JJ.
Melhor só VP.
Abraço

Edson Arantes do Nascimento disse...

Yaya, claro, inclusivamente o JJ tem algumas coisas a aprender com este rapaz - nomeadamente, na minha opinião, na forma como se organiza na transição defensiva e na quantidade de apoios que a equipa constrói.

Abraço!

DC disse...

E isto?
https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=I9NzdPP_mmg

Anónimo disse...

Caro DC,

O meu comentário das 19:43 referia-se a esse lance:). Faltou o Messi não ser tosco xDxDxD

Baggio,

Mas o Paulinho fez um bom trabalho no Paços? A equipa tinha como princípio a posse e o pressing?

Cumprimentos,
António Teixeira

Gonçalo Matos disse...

Olá António,

http://possedebolla.blogspot.pt/search/label/Paulo%20Fonseca

Nesse post tão algumas das ideias do PF

Anónimo disse...

http://lateral-esquerdo.blogspot.pt/search/label/Paulo%20Fonseca

Roberto Baggio disse...

"Mas o Paulinho fez um bom trabalho no Paços? A equipa tinha como princípio a posse e o pressing?"

Fez ao nível da posse, não tanto do pressing.

Abraço

Yilmaz disse...

Colinho pro Real Madrid em Elche...(Sergio Ramos uma vez mais em grande,lol... -o gajo parece beneficiar em Espanha da mesma imunidade que aquela que o Bruto Alves tinha aqui)

Ancelotti:«A jogar assim não vamos ganhar o derby.Todos sabem disso, precisamos de mais intensidade»

«Contra equipas fechadas,precisamos de encontrar soluções diferentes.A equipa esteve lenta,não houve movimentações entre as linhas e isso facilita a defesa adversária»...

Pois.. A coisa mais interessante nos ultimos anos que existia no Real era a relação Benzema-Özil(precisamente porque sabiam muito bem combinar entre linhas),la foi o melhor playmaker do mundo...

Ficaram com os geniais DiMaria & Khedira...

hertz disse...

Já vi o que o Varane pode aprender com os 2 neandertales: com o Sérgio Ramos pode aprender a fazer as faltas que quiser e não ser expulso e com o Pepe pode aprender a fazer falta na área contrária que se transforma num penalty a favor.
Não é por nada mas não estou a ver o Real ganhar ao Atl. Madrid.

DC disse...

Enfim, o costume.
O Real tal como se viu há 2 anos, não precisa de jogar muito para ser campeão.

No fim todos dirão que foi por causa da incompetência do Tata (e ele não é grande treinador efectivamente) mas o que é verdade é que sem ajudas arbitrais o Barça já teria 4 pontos de avanço (e para quem falar do Barça-Sevilha, o Real ganhou ao Granada 1-0 com um penalti claro por marcar para o Granada).

Fica difícil não se falar de arbitragens quando é tão escandaloso.

Mas enfim, o Real continua a jogar pouco e o Barça a dar espectáculo e no fundo é isso que interessa.

Gonçalo Matos disse...

De nada! Qquer coisa, diz

Anónimo disse...

Boa noite.

Eu sei que este blog é de tacticas de futebol e ja leio a muito tempo. Mas respondendo ao DC com o maior respeito que eu leio os comentários dele. O que aconteceu ao Real/Barça é o que acontece no Porto/benfica em relacao as arbitragens, nao DC?

AC