Posse de bola no Facebook

Translate

sexta-feira, agosto 02, 2013

Ola John

Discutia-se a opção dos cruzamentos cegos para a área por parte dos extremos, aqui, no Lateral Esquerdo. Nesse mesmo post, mostra-se um pequeno excerto da opção que garante, na maior parte do tempo, mais soluções ao portador da bola (mais e melhores), que é trazer o jogo para dentro, abrindo o campo.

"Porque não tem a intensidade tão adorada por todos de outros colegas é desconsiderado"

A verdade é que o público, no geral, não está habituado a ver um jogador "pensar", e a perceber que na maior parte das suas acções, ele temporiza, porque está a ver o que o rodeia, para que possa decidir melhor. Como não se precipita para cima do adversário, com a ferocidade com que os outros avançados do Benfica o fazem, não entusiasma os adeptos do seu clube.

Este, é o Extremo do Benfica com mais critério. Para mim, é o melhor deles!

Convido os nossos leitores a ver e rever todas as acções de Ola, no jogo em questão e a tirar as próprias conclusões, deixando na caixa de comentários as avaliações positivas e negativas dessas mesmas acções, do que poderia/deveria ter feito melhor, como o poderia/deveria ter feito, porquê de não ter acertado na decisão que tomou.


PS: Coloquei apenas os pontapés de canto que tiveram uma sequência de jogo corrida ( Ola, marcou todos os cantos do SLB neste jogo), por não achar interessante avaliar ou não um pontapé de canto.

Aguardo pelo vosso feedback

137 comentários:

Miguel Nunes disse...

N vi este jogo, como n vi nenhum do SLB na Liga dos Campeões. Tem mt critério. Anormal para quem podia ter sucesso só pela velocidade. Sem dúvida que de todos os extremos é o que tem maior potencial. Pela idade, inteligência, qualidade técnica e física.

Miguel Nunes disse...

só p concluir, Às x é fodido ser-se mm bom jogador de futebol, isto é: mt inteligente em td o q se faz, dando primazia pelo resultado da equipa e não o seu próprio sucesso, pq 90 porcento das pessoas n percebe minimamente o que vê, e nunca chegam a perceber quem são os bons e os medíocres.

Vi a última meia hora do Sporting ontem. O Capel jogou 15'. Em 15' despejou a bola lá para cima algumas 10x. Sem exagero... 10 bolas que seguiram para o adversário. É exasperante.

Roberto Baggio disse...

O que público gosta, é de jogadores que estão sempre a desafiar as probabilidades de sucesso!!!!!
Ser jogador não é nada fácil!
Sair valorizado no meio de tanto jogador medíocre é muito difícil. E como quem escolhe, também, não está tão apto quanto isso, temos muita mediocridade dentro do futebol profissional.

Ricardo Correia disse...

Como Benfiquista só espero estar enganado..

Provavelmente utilizamos diferentes taxonomias, porque o que chamam de "temporizar" eu chamo de "lentidão a decidir".

Até no próprio contacto com a bola demonstra a falta de qualidade técnica, ao verdadeiro estilo Djálo.

Não sei se jogou futsal durante muito tempo, mas aquela recepção em que pisa a bola e pára completamente o ritmo do jogo, numa equipa fortíssima em ataque rápido, é de deixar qualquer treinador à beira de um ataque de nervos. Quando arrisca numa recepção orientada, a dificuldade passa por manter a bola dentro do terreno de jogo.

A velocidade e os bons cruzamentos que é capaz de fazer têm disfarçado um bocado, mas é pouco provável que o faça durante muito mais tempo.

Em relação ao que chamam de "potencial", assusto-me sempre um bocado quando ouço essa palavra, faz-me lembrar um jogador que esteve há umas semanas no "Querida Júlia", mas se forem capazes de me explicar o que é e como é determinado ainda sou capaz de mudar a minha opinião.

Aquele Abraço,

Ricardo Correia

PP disse...

Baggio e Miguel,

Lamento mas estão equivocados nas vossas leituras. Percebo o tom de crítica, mas neste caso em particular não se aplica.

Ola John é um talento, mas acho o seu enquadramento na estratégia de jogo do Benfica muito desajustada.

Roberto Baggio disse...

Ricardo, PP
Boa noite,

O objectivo é ver as acções, e comentar. Se acharem alguma desajustada ou se acharem alguma ajustada que queiram realçar.
Nos casos do desajuste, explicar o porquê, que outras opções tinha melhores e qual seria, caso fossem vocês no lugar dele a vossa opção.

Ricardo,
Ele decide Temporizar, isso é uma decisão e portanto ele não é lento a decidir. E é uma decisão muito positiva, de quem percebe que no futebol, fazer as coisas por fazer é estúpido. Então, ele temporiza quando tem de temporizar, para que o que ele faça, seja bem feito. Mas não o vez temporizar noutras situações, por exemplo: Quando não é preciso temporizar.
Dizer que Ola John tem dificuldades técnicas, é o mesmo que dizer que todos os jogadores de futebol o têm, do ponto de vista.
Quanto ao explicar o que é potencial, é o mesmo que explicar o que é futebol, e portanto pela extensão da resposta, que equivalem a uns 100 posts, deves compreender a dificuldade que é.

Abraço e reitero o objectivo do Post.

Roberto Baggio disse...

Ahhhhh PP, ninguém disse que era o melhor extremo para o futebol do Benfica.
É o melhor extremo do Benfica... O que são coisas diferentes...

Anónimo disse...

Não conheço o jogador, mas há uma questão importante: o que pede Jesus ao jogador? que temporize em situações de ataque rápido/contra ataque, ou que procure entrar em 1x1 ou soltar rápido, ainda que com menor % sucesso? É que duvido que Jesus lhe diga para temporizar, e também dúvido que dê azo ao critério de decisão individual. Posso estar errado, até porque não conheço, mas à primeira vista, é o que transparece. E se assim for: temos um jogador que decide bem, ou temos um jogador que não interpreta o que lhe pede o treinador?

Cumprimentos,
António Teixeira

PP disse...

Baggio, nem isso ele é.

Roberto Baggio disse...

António,
Temos um jogador que decide bem, ainda que não interprete o que o treinador lhe pede.
E isso devia ser um sinal ao PP, relativamente a aprendizagem dos jogadores. Ola John, tem o vício de jogar bem. E por mais que Jesus lhe peça outra coisa, na maior parte das vezes o que vai emergir é: Experiência anterior.

Abraço

Roberto Baggio disse...

PP,
Faz o exercício que o post propõe, se quiseres.
Depois discutimos logo, logo isso.
Sem o fazeres vai ser difícil explicar o porquê de o afirmar.

Miguel Nunes disse...

PP lamento, mas estás claramente nos 90 porcento :)

independentemente de as nossas opiniões poderem coincidir ou nao, quem n percebe o alcance do jogo do Messi, está nos 90 porcento :)

como dizia alguém na blogoesfera q até tem um cargo importante num grande em Portugal "o mecânico fala de mecânica, o cabeleireiro de cabelos e o pasteleiro de doçaria. E todos eles de futebol. Mas o profissional do futebol não fala de pastelaria, mecânica ou penteados"

PP disse...

@ Ricardo Correia: Já somos dois...

@ Baggio: Tu também és tramado em ir logo buscar imagens de um jogo de liga dos Campeões e logo frente ao Barcelona. Vai lá buscar o "resumé" do Ola John frente ao Porto no Dragão, para tirares bem as medidas ao "malandro".

;)

@ Teixeira: o que o Jesus pede-lhe é que ele esteja atento às desmarcações dos dois avançados com que o Benfica joga. O problema é que ele não é como o Messi (;D) e é lento a ler o jogo.

A sensação com que tenho muitas vezes é a equipa está a jogar a 80 à hora e ele ainda pensa que está dentro de uma cidade onde o limite é 50... e isso quando não pensa que está numa zona escolar, com limite de 30...

Temporizar é uma coisa e tal como o Correia escreveu, o que ele tem é "lentidão a decidir".

Tirando isso, em termos físicos fica muito a desejar quanto ao que o seu perfil físico dizia. Velocidade de ponta parece-me ser até mais lento do que o Sulejmani. Capacidade de explosão é coisa rara... acho que vai ter muitas dificuldades em manter-se no Benfica.

Anónimo disse...

Eu não conheço bem o jogador, mas potencialmente, qualquer um pode ter razão: Ele pode ser lento a decidir, ou pode temporizar.
Cumrpimentos,
António Teixeira

Signori disse...

Fogo, ainda bem que puseram este vídeo. O homem é praticamente perfeito a decidir, de acordo com as suas capacidades técnicas. Claro que se fosse o Messi podia usar mais o 1x1 porque sabe que pode daí tirar vantagem. Mas o Ola simplesmente é excepcional no critério com que decide, e, se repararem, grande parte das intervenções dele neste jogo aproximaram bastante a equipa de chegar à zona de finalização com sucesso. Muito bom, e espero que quem o critique veja o vídeo todo, para perceber melhor do que se está a falar. Não custa nada

Roberto Baggio disse...

PP,
Eu não sou tramado. Eu sei que futebol tem uma forma correcta de ser jogado. Há formas que te aproximam mais do objectivo que outras e isso é o que chamo de jogar bem. Tal como no xadrez, há movimentos certos a fazer perante a situação do jogo, que te aproximam mais do objectivo que outros. E isso é jogar bem xadrez.
Isso leva a uma coincidência: o futebol, tal como o xadrez exige pensar. E isso leva a outra: a maior parte dos adeptos, praticantes e agentes do futebol (treinadores incluídos) não estão habituados a pensar o futebol. O que leva a outra questão engraçada: como ninguém o pensa, toda gente estranha quando vê um pensador. A não ser, claro, que ele seja rápido como o Messi e aí nem parece que ele pensa. Mas a má notícia é que Messi só há um...
E os pensadores, são tão raros, que quando vemos um estranhamos logo e o agente, por fazer bem, é ostracizado... Naturalmente... Não sabemos o que é fazer bem, porque não pensamos o jogo...

Miguel Nunes disse...

Signori, o problema é q a maior parte da malta n sabe o que é tomada de decisão, que é só o principal traço do jogo moderno. E depois da parte dos que até sabem o q é a tomada de decisão, não sabem o que é uma boa e uma má decisão. Dão avaliações diferentes à mm decisão, dependendo da consequência final da decisão. É por isso q tanta gente ainda n percebeu o q é o Messi. Pensam q é as assistências ou os golos. Quando n é nada disso. Isso apenas o torna o melhor de toda a história sem qq competidor perto sequer.

Anónimo disse...

Atenção, o Futebol é um desporto com possibilidades finitas, mas que são tantas, que a sua solução é impossível, i.e. existem tantas variáveis, que procurar um resultado ideal não é possível. Podes é, lá está, aproximar te pela probabilidade do ideal. Se amanha algum génio me provar que é ideal, a nível de probabilidade de sucesso, rematar do meio campo, então temos que comer e calar. Mas actualmente os factos provam o contrário.

Cumprimentos,
António Teixeira

Roberto Baggio disse...

António, vê o vídeo, vê as acções como propõe o post. E carrega aqui as tuas conclusões...

Abraço

Miguel Nunes disse...

António, sobre a lentidão dele a decidir é ver ai http://www.lateral-esquerdo.blogspot.pt/2013/07/fugir-para-ir-linha-cruzar-ou-procurar.html o golo do Rodrigo após passe do Djuricic. Ui, foi tão lento a decidir...

Temporiza qd o deve fazer, acelera qd assim se impõe (acelera a decisão, como foi ai qd de primeira deixou o Djuricic sem oposição de frente p a linha defensiva adversária.

Edson Arantes do Nascimento disse...

Objectivamente falando: se não conhece o jogador então como pode comentar alguma coisa? É só para chatear?

O Benfica tem uma série longa de jogadores especialistas "a temporizar" e muitos deles foram e são apostas claríssimas do treinador.

Desde logo a começar no Aimar, passando pelo próprio Gaitan, Matic e acabando no Axel Witsel, por exemplo.

O Ola John é excelente e nunca vi o Jesus a dizer-lhe para não ser inteligente. Aliás, o primeiro jogo do jovem a titular foi contra o Gil Vicente, em Barcelos, depois de dois ou três meses sem aparecer na equipa - e foi o melhor em campo.

A temporizar durante 90 minutos.

PP disse...

Baggio,

Estás a partir do pressuposto que todas as tomadas de decisão estão certas.

Que a temporização que ele faz está correcta e, por exclusão, as movimentações de desmarcação que os colegas fazem estão erradas...

Depois, falaste em "experiência anterior" que até concordo. Mas, a minha questão aqui não é tanto com o Ola John, mas para ti e até para o Miguel, visto que vocês partilham muitas destas opiniões. Ou seja, será que vocês não estão a interpretar as coisas segundo o vosso modelo de jogo favorito? A forma como vocês veêm o jogo?

É que pode ser diferente daquela que o Jesus vê...

Roberto Baggio disse...

António,
Mas é isso que se define o jogar bem, aproximar da vitória... Isso é o mais inteligente... Garantir maior probabilidade de... Depois, se tens sucesso ou não, isso é outra história... Mas inteligente, é garantir mais odds para o teu lado! E é de facto o melhor...
Não sei qual é a discussão sobre isso :)

Signori disse...

Revi o vídeo e é assim: este jogador, tendo uma evolução normal, no seu auge ou antes disso, com esta capacidade de execução e com este tipo de critério irá jogar de caras em qualquer equipa deste mundo. Quem vê este vídeo e não percebe que 9 em 10 das decisões dele são perfeitas e aproximam o colectivo de chegar mais perto e com mais hipóteses de finalizar com sucesso, sinceramente ou não percebe disto, ou embirrou com o homem.. Ele não joga apenas simples, sabe usar as suas capacidades de 1x1 com um objectivo colectivo, e a temporização e posterior decisão dele é simplesmente finíssima e cirúrgica, no timing perfeito.

Signori disse...

PP

a questão ´´e que se as movimentações dos colegas são "erradas", mesmo assim neste vídeo vemos que o Ola decide sempre bem em função dessas movimentações "erradas", e conseguindo aproximar mais a equipa do sucesso e da zona de finalização com boas possibilidades de marcar

Roberto Baggio disse...

PP,
O que tu estás a dizer, Jesus responde no post que tenho da palestra dele a fmh...

Ele (Jesus) decide os movimentos do jogador sem bola, e depois a criatividade, e liberdade está no jogador com bola. Ou seja, ele não diz que o jogador com bola tem de passar a qualquer custo para o que se desmarca. Só o deve fazer se isso for a melhor opção. Porque se não o for, de que vale meter lá a bola sai as chances de sucesso são poucas?
E o Jesus sabe disso, daí dar a liberdade de decidir sobre meter lá a bola ou não ao jogador, como deve ser...


Não, não estou a dizer que ele acertou todas as decisões. Isso é o Messi e se assim fosse ele já não estaria no Benfica. O que estou a dizer é que ele acerta a maior parte delas. Ao contrário dos outros alas do Benfica, que têm um índice de acerto na ordem dos 40%.

Signori disse...

Sempre bem, isto é, pelo menos 8 em 10 vezes, vá lá, o que é top, com esta idade, etc etc

Anónimo disse...

Edson, tenha lá calma, levantei mais questões no meu post que você no seu. Se não sabe qual a composição química de uma bola, como pode falar de futebol?;)

Já estive a ver. Há situações que não percebo, mas do que entendi: minuto 2, corta a linha (e não foi nada lento). Perto do minuto 2:20, cria igualdade, quando a maioria dos jogadores tocava logo no gajo que está no centro (não sei quem é). Na jogada seguinte, não pode progredir nem tem linhas, temporiza e espera a subida do lateral (é o lateral certo). 0:25, podia ter dado no Maxi, que tem linha à entrada da área, para criar igualdade (aliás, alguém vai ter que sair dali, e o Interior vai ter boas opções, e até pode passar para organização).

António Teixeira

Zé Pelé disse...

Aos 3:11 podia ter aberto no Maxi em vez de parar e passar para trás.

Boas,

Neste jogo o Ola John decidiu mais de 90% das vezes bem e agradeço por terem colocado o vídeo. Eu, que sou muito mais adepto que entendedor (e daí vir aqui regularmente para aprender qualquer coisa), confesso que coloco o Ola John bastante abaixo do Sálvio, por exemplo. Em relação a este vídeo, aí vai a minha opinião (mas que é a de um leigo na matéria)

Aos 6:54 em vez de encostar à linha lateral poderia tentar procurar as costas do lateral. Mas admito que no final do jogo fosse difícil fazer uma aceleração.

Aos 7:48 podia ter entrado na área e atacar o segundo poste após ter feito o cruzamento largo para ser mais um elemento na zona de finalização.

O mesmo aos 8:02, podia ter sido mais rápido a avançar para a área para dar uma linha de passe ao colega sem que este tivesse de ser obrigado a guardar a bola.

O meu problema com o Ola John não é tanto o da qualidade, mas o da irregularidade. No ano passado vi-o fazer exibições fantásticas, mas na maior parte dos jogos pareceu-me sempre pouco interventivo. Não é tanto uma questão se é lento ou se é rápido, mas é mais uma questão de que na maior parte dos jogos parece que se esconde. Outro aspecto em que acho que Ola John podia melhorar era a defender. E, mais uma vez, não é uma questão de rapidez ou lentidão, mas de agressividade. Principalmente contra equipas mais fortes que consigam jogar no meio-campo defensivo do Benfica, parece-me que dá muito espaço ao lateral adversário e que chega tarde para o impedir de conseguir cruzamentos. Agora que tem talento, tem. E até admito que possa ser o extremo com mais talento do Benfica. Mas se fosse treinador, e dada estes factores que enumerei, pretenderia ter outro tipo de jogador que se mostrasse mais efectivo.

Roberto Baggio disse...

Zé Pele,
A irregularidade é da idade e de ter saído de um campeonato de menor exigência.
Fazendo das palavras do Miguel minhas, ele vai explodir, pode é não ser no Benfica.

Abraço

Miguel Nunes disse...

para quem ainda n consegue perceber o q é tomada de decisão. Esta n tem nada a ver com sistema táctico, modelo de jogo, ideias do treinador. Absolutamente nada a ver com isso. Tem apenas a ver com situação de jogo. Quantos contra quantos? o q é melhor fazer nesta situação.

O Barça tem o Tata Martino e já hoje deu 8 no Santos... Toda a gente decide bem ali. É raro haver erros em relação aquilo q a situação de jogo pede, por isso estão perto de golear praticamente todos os jogos em que entram. Até pode ir lá um qq adepto pegar naquilo, que desde que lhes mantenha as capacidades físicas intactas, os seus níveis de tomada de decisão serão absurdamente elevados. Por isso tanta faz jogarem em 3x4x3, 4x3x3... isso n interessa nada. Tomada de decisão é. Tenho x adversários x colegas neste lance, o q devo fazer para aproximar a equipa do golo?

Zé Pelé disse...

Só para acrescentar que apenas enumerei aqueles lances em que na minha opinião de adepto Ola John poderia ter decidido melhor, porque nos outros optou sempre pela que considero ser a melhor solução. Nada contra o rapaz.

PP disse...

Baggio,

Tu estás a basear-te a exibição do Ola John frente a um Barcelona sem os seus laterais titulares e que jogou com a equipa de reservas. O Messi nesse jogo só entrou na segunda parte, por exemplo. E, teve que sair pouco depois.

Faz o favor é de meter o vídeo da exibição do Ola John frente ao Porto no Dragão. A decidir com adversários a 2 metros também eu. O problema é quando eles te querem arrancar pela raiz e apanham-te de costas para a baliza.

Já agora, vai ver as exibições dele frente a adversários mais fracos, para entender até que ponto a motivação do rapaz não lhe toa a perfomance...

E, quanto às decisões... estás a querer dizer que a culpa é de quem se desmarca? É que já não falo só dos avançados. Falo também do Enzo e do Matic. Quantas vezes é que o Ola acaba por não conseguir passar-lhes a bola com qualidade?

Ele tem pés de "veludo", admito, mas para o nível do Benfica, como eu penso que o Benfica tem de ter, acho-o muito curto.

Roberto Baggio disse...

Signori, António, e Zé Pele,

A percentagem de acerto é o suficiente para eu achar que tem imenso potencial certo?
Mas eu acho mais, porque conheço a percentagem de acerto dos outros extremos do Benfica...

ZÉ Pele, concordo com a agressividade, mas sobretudo defensiva.

Abraço

Anónimo disse...

E olha, imagina que o gajo até executa mal o passe, contas isso como tomada de decisão certa, não é? É que há jogadores que o tem na cabeça, e não o tem nos pés.
Cumprimentos,
António Teixeira

PP disse...

Signori,

Este vídeo é de um jogo contra a equipa de reservas do Barcelona. Vai lá ver quem era o lateral esquerdo deles... o Planas!

Sejamos sérios... uma andorinha não faz a primavera...

Miguel Nunes disse...

"Tu estás a basear-te a exibição do Ola John frente a um Barcelona sem os seus laterais titulares e que jogou com a equipa de reservas"

PP, continuas sem perceber absolutamente nada daquilo que é o principal de tudo no futebol. A tomada de decisão. Q importa se eram os laterais titulares ou a equipa de reservas? Ele n andou lá a fintá-los todos. Ai essa afirmação era correcta. A boa tomada de decisão não depende do nome dos adversários. Mas do nº de jogadores na situação.

lá está... como todos os adeptos do jogo pegas na consequência p achar q é bom ou mau, e não na acção...

Roberto Baggio disse...

Depende, porque mesmo o passe pode ser mal decidido.
Por exemplo: Um passe que deveria ser para o espaço ir para o pé e vice versa.

Mas no geral sim, acerta a decisão, mas não tem técnica para executar o que pensou.

Miguel Nunes disse...

amanhã c tempo pego nisto p um post sobre tomada de decisão. Esse mistério do futebol.

Zé Pelé disse...

Baggio, eu não duvido do potencial. Mas se estivesses a treinar um equipa que tivesse no plantel Sálvio, Ola John e Gaitan e apenas pudesses escolher um destes três para o 11 para um jogo que se realizasse hoje (isto é, esquecendo a questão do potencial), qual escolherias e porquê?

Signori disse...

Sim Baggio, eu só disse que não era sempre, era 8 em 10, pq no post anterior eu disse "sempre" e queria ser mais exacto. Este miúdo com o critério que tem com esta idade, a capacidade técnica de execução, o timing, a leitura, porque antecipa bem os lances, tal como no xadrez um bom xadrezista antecipa as possibilidades(há vários lances em que ele recupera a bola assim no vídeo). enfim. Estão a dizer que neste jogo e tal compreende-se este acerto. Será que os outros 13 jogadores do Benfica tiveram este acerto neste jogo? Se for assim aceito esta ideia

Gonçalo Matos disse...

É tramado ser "lento" numa equipa de correrias.. Se fosse treinador do Benfica, este jogava sempre e o Nolito teria igualmente ficado e jogaria. Mesmo que tenha sido o seu melhor jogo de carreira é raro ver um jogador com tão boa capacidade de decisão.

Não me lembrava da exibição do Ola em Barcelona, mas diria que deve ter sido o melhor benfiquista.

Anónimo disse...

PP,

Offtopic: Olha que o Planas no meu PES é suplente do Alba (também, o Alba tem 104, e o Planas, salvo erro 92), Rotfl.
António Teixeira

Roberto Baggio disse...

PP,
Manda-me o vídeo desse jogo e certamente assim o farei.
Depois, Manda-me o vídeo do melhor jogo que achas que os outros extremos fizeram, e também o farei, para que se possa comparar.

Mas lá está, como já te disse no lateral-esquerdo.blogspot.pt e aqui, são coisas que dificilmente vais perceber, sem perceber primeiro o jogo (futebol).
Se não souberes o abecedário, não saberás comunicar, na sua plenitude. Assim como o futebol, se não conheces o básico, não vais conseguir entender estes conceitos na sua plenitude.

E mesmo com esses vídeos, vais perceber que apesar de outros terem acções com consequências mais vistosas para a equipa, normalmente, decidem mal. Ao contrário deste holandês.

Signori disse...

Aliás, os 13 não, mas os que tÊm de decidir em zonas semelhantes

Roberto Baggio disse...

Zé Pele,
Escolheria Gaitan.
E rodaria com o Ola.
Ou seja, iam acabar os dois, mais ou menos com o mesmo número de jogos. Que foi exactamente o que Jesus fez com o Ola. Jogar muitos jogos, aprender, errar, jogar, errar, corrigir, jogar, aprender...

Signori disse...

Aliás, alguém disse que conhecia os números relativos às decisões dos extremos do Benfica durante a época passada. Podes dar uma ideia da diferença entre o sr. John e os outros?

Roberto Baggio disse...

O Salvio desses é o pior, só corre mesmo.
Tudo pelo físico. Isso para mim não serve. Aliás, serve, para adversários fisicamente e tecnicamente inferiores a ele.
Escolhia Gaitan porque tem uma criatividade tremenda, apesar das más decisões.

PP disse...

Miguel Nunes, eu posso não ser treinador de futebol, mas sei o que é a tomada de decisão. E sei tão bem que ela é tão ou mais importante quando o jogador joga sobre pressão.

E dizeres-me que o facto do Ola John fazer bem frente a uma equipa de reservas num jogo de Liga dos Campeões (de alta motivação), fará o mesmo frente a um Porto com o Danilo ou o Alexsandro a morder-lhe os calcanhares... acho imprudente.

Vai lá ver o filme do Ola John frente ao Porto no Dragão e depois falamos. Vê, mas vê bem quantas vezes ele poderia ter decidido em dar continuidade ao contra-ataque encarnado e optou, como quase sempre, por um passe interior, quando 3 homens se tinham desmarcado para a frente e o Porto acabava por recuperar a bola com 5 ou 6 do Benfica lá atrás e mal posicionados...

Há coisas que são evidentes. E, ao contrário de muitos teóricos o futebol é simples. Aliás, sabes como descreveria a "tomada de decisão"? Apenas por uma palavra: KISS (Keep It Simple Stupid)!

Era o que diria aos jogadores. O que olhando para a forma de jogar do Barcelona é o que eles fazem. Um e dois toques (recepção e passe) e assim sucessivamente, mas sem grandes demoras.

Roberto Baggio disse...

E o problema é esse Zé Pele, as pessoas olham, vêm o Salvio, corre, está 2*1 e o colega está claramente solto, ele vai para cima, dribla o adversário, depois remata e é golo... E depois dizem, este Salvio é bestial!
Não é... A decisão foi péssima, mas como só olhamos para o resultado...
E é isto que o Miguel quer dizer.

Signori disse...

Há uma coisa curiosa relativa à tomada de decisão que também podia dar azo para debate. Se eu soubesse que fazendo 1x1 podia ter espaço para isolar um colega, essa seria uma boa decisão se eu tivesse capacidade para ultrapassar o defesa. Como eu sou meio cepo, posso pensar dessa forma mas a melhor decisão para mim se calhar é temporizar e aguardar por um colega mais próximo. Se me pusessem a jogar no Benfica e tivesse a chance de cruzar para a área com 3 colegas meus contra 2 defesas, essa seria uma excelente decisão se fosse o Ola por exemplo, mas como eu tenho os pés meios quadrados a melhor decisão pode não ser essa. A boa decisão tem que estar relacionada com as minhas capacidade e limitações.

Roberto Baggio disse...

PP,
Precisas urgentemente de olhar para o Iniesta e ver quantas e quantas vezes ele repete uma coisa que o Ola faz muito: Temporizar!
Depois de veres que ele faz isso o tempo todo, vem cá outra vez dizer que o Barcelona joga sem grandes demoras...

O que não percebes é que o Barcelona jogava devagar quando se impõe jogar devagar, e depressa quando se impunha jogar depressa. Tudo na mesma medida! E na maior parte do tempo as pessoas diziam que o Barcelona lhes dava sono, exactamente por eles o fazerem muitas vezes devagar.

Miguel Nunes disse...

O Keep it simple n é p o Barça, PP... é para o Watford. Joga de primeira, bate na frente... n envolve decisões...

Miguel Nunes disse...

como podes relacionar o keep it simple com cruzamentos e cruzamentos e depois relacionares isso com o Barça? Oh meu Deus... n tens mm noção nenhuma do jogo q observas...

Zé Pelé disse...

Ok. Agora fizeste-me lembrar um treinador que tive nos juvenis. Num jogo, o nosso defesa-esquerdo começou a correr com a bola e o mister "solta a bola e não subas". Ele não o fez. Continuou a avançar e já perto da área adversária remata e pumba: grande golo. Toda a gente contente. Já o treinador, passado da cabeça, insultou a sério o nosso defesa esquerdo.

Roberto Baggio disse...

http://possedebolla.blogspot.pt/2013/06/melhor-futebolista-espanhol-de-sempre.html?m=1

Roberto Baggio disse...

Zé Pele
Se eu te disser que um jogador nosso, fez 3 golos num jogo que ficou 5-1 e no jogo seguinte não jogou porque fez uma exibição de merda, talvez ficasses surpreso.
Se te disser que já fizemos substituições aos 5 minutos, talvez também fiques.
Se te disser ainda que já substituímos um jogador que tinha entrado 15 minutos antes talvez ainda te choque mais.

Porque o nosso interesse é na acção, lá está. Não no resultado e fazemos questão de deixar isso bem claro aos nossos jogadores.

Abraço

Gonçalo Matos disse...

Pensem em Busquets e no que é capacidade de decisão. A mim ajuda-me sempre pegar no exemplo do Buqui, para perceber a relevancia de decidir bem. O homem não cria desequilibrios a favor da equipa e não aparece nos melhores momentos do jogo, mas equilibra a equipa com a sua inteligencia.

Roberto Baggio disse...

Ahhhhh o que fez três golos, era ponta de lança

Signori disse...

eheheh, esse vídeo vai totalmente contra o keep it simple. se fosse oKISS tava bonito o Iniesta. Lá está, a boa tomada de decisão envolve factores desde o aproximar o colectivo do objectivo, maximizando as suas capacidades individuais. Eu podia ter uma excelente leitura, fazer excelentes decisões, mas tendo em conta a minha capacidade técnica era passe para o lado ou para trás, a menos de 10 metros. E tendo em conta as minhas limitações, era muito bom e era uma decisão boa para o colectivo devido a estes factores que enumerei. Mas o Iniesta sabe aliar a capacidade técnica que tem, servindo o colectivo e aproximando-o do objectivo. o contrário de Capel, Denilson ex Bétis e outros que tais, que com melhor capacidade técnica têm decisões piores para o colectivo

Zé Pelé disse...

Baggio. Não me surpreende e até acho bem que o faças, porque só assim é que se aprende e se constroem jogadores (do caso que te falei nenhum dos que andaram lá na tal equipa de juvenis chegaram ao futebol senior, por manifesta falta de talento alguns como eu e outros por flata de cabeça)). Não sei que equipa treinas, se são equipas de formação ou seniores nem em que competição. Mas se fosses treinador de um grande, farias o mesmo? Desculpa estar a bombardear-te com perguntas a estas horas da noite, mas a discussão está interessante e estou a aprender algumas coisas.

Signori disse...

melhor capacidd téncica que eu, não que o iniesta cm é obvio!

Gonçalo Matos disse...

Zé Pelé,

Conhecendo o Baggio como conheço, até porque também já foi meu treinador, digo que especialmente num grande ele faria o que disse. O meu melhor ano como jogador foi quando fui treinado por ele, porque percebia o que era suposto fazer, quando fazer, como fazer e para que servia a minha acção. Vi colegas de equipa que não compreendiam a sofrer com essas tais substituições, vi gente que evoluiu imenso e vi outros que regrediram. Mas sei que quem realmente quis aprender, quem abriu a sua cabeça aos seus ensinamentos evoluiu e percebe o porque destas tomadas de decisão.

Signori disse...

Olhem, posso dar um excelente exemplo. Joguei no Nacional com o Miguel fidalgo, ponta de lança ex nacional e união da madeira. Ele na altura, mesmo destro, jogava a lateral esquerdo devido à pouca qualidade dos jogadores para essa posição. Excelentes leituras, técnicas e decisões muito acertadas. O que fez o nosso treinador nos juvenis? Muito bem, a partir das capacidades do jogador, meteu-o a ponta de lança, onde a sua capacidade técnica e poder de decisão podiam fazer a diferença, mesmo sendo muito franzino, o que inicialmente foi muito criticado por muitos nacionalistas. E chegou ao futebol profissional e foi titular marcando um golo no Porto-0-Nacional-4. O nosso melhor jogador com 15 anos no meio campo era um poço de força, come linhas, mas era gajo que decidia muito mal em termos colectivos, e à medida que os anos avançaram, a sua melhor arma, o físico, perdeu a sua influência, porque todos cresceram. Mesmo assim lá foi andando na IIB

Miguel Nunes disse...

o keep it simple é a razão pela qual o futebol britânico morreu há várias décadas atrás...

Equipas sem britânicos, mesmo que britânicas, n contam ne?

Roberto Baggio disse...

Zé Pele,
Não muda nada, porque o objectivo é aproximar a equipa da vitória. E isso vale do primeiro ao último minuto.
E os jogadores sabem disso e se não souberem, e dormirem, ficam logo a saber.

Eu e o Ronaldinho treinamos escalões de formação. Já treinamos seniores.

Dos jogadores que temos, os que tinham realmente qualidade, conseguiram dar o salto, por estarem nos distritais e irem para os nacionais. E depois chegados lá, dizem todos o mesmo. Realmente o que aprendemos com o mister no distrital, é como se joga ali. E isso dá nos mais satisfação que ganhar títulos, honestamente.

Nem de propósito,
http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=418937

«Óbvio que ganhar títulos é importante, mas não é tudo. O que me interessa é que, a certa altura, os meus jogadores me digam: “Treinador, você ajudou-nos e tornou-nos melhores jogadores. Aprendemos muito consigo”»

Signori, claro. Se ele tem 1*1 e 1*2 e com isso pode libertar colegas, tem de o fazer e depois soltar nos colegas livres.
Se o Messi tem aquela capacidade de romper em espaços curtos, tem de o fazer e aproximar mais a equipa do golo, quando não conseguem de outra forma.
É isso mesmo...

Signori disse...

sim, e basta ver o que as méidas altas equipas inglesas, com os meios que têem, fazem nas competições europeias com treinadores britânicos.

Zé Pelé disse...

Signori e Gonçalo. Obrigado pelas partilhas. Agora até eu fiquei com pena de não ter sido treinado pelo Baggio.

Signori disse...

Uma questão para picar. A decisão de Maradona no golo do século será que foi das piores decisões de sempre, porque teve n oportunidades para decidir de forma mais colectiva? Ou foi a melhor decisão, tendo em conta a consciência dele das suas capacidades, e usou-as em prol do sucesso colectivo?

Zé Pelé disse...

O Maradona (dentro de campo, atenção) é deus, portanto é infalível e omnisciente.

Signori disse...

Sim Zé Pelé, mas a questão não é essa, é se decidir de uma forma daquelas, como outros jogadores como messi, ronaldinho, gajos de campeonatos da arábia que fintam 8 de vez em quando Vários decidem assim, uns melhores e outros piores. Quando é que é a melhor decisão? nunca, sempre, tendo em conta a consciÊnca das suas capacidades, etc etc

Roberto Baggio disse...

Isso muito difícil de analisar, por não conhecer o contexto daquele tempo.
Nomeadamente da forma como se jogava o futebol.
Mas diria que foi uma genial acção de criatividade!
Como por exemplo Messi também fez, contra o Getafe julgo, ainda era Rijkaard o treinador.

Gonçalo Matos disse...

Zé Pelé,

Baggio e Ronaldinho! Lembro-me de chegar ao final dos treinos e ficar chateado, porque queria mais exercicios, queria evoluir, passar por novas experiencias. Lembro-me de que no inicio dessa época era lateral direito enxertado (vim do futsal) e pediram-me pra jogar a extremo, sem que soubesse o que fosse da posição. A realidade é que acabei por jogar todos os jogos em que estive disponível, basicamente porque tudo o que era necessário saber foi-me explicado por eles. nunca me foi retirado espaço para ser criativo, nunca me foi dado uma tareia física, nunca foi necessário aplicar redea curta a nossa equipa. E isto já foi há uns anos, quando ambos eram ainda estreantes nestas andanças.
Se tivesse de por as mãos no fogo por alguém que já me tenha treinado (que inclui alguns "mestres" com passagens pelos grandes do futsal) poria por eles. Sem duvidas que com uma boa oportunidade, mostrarão muito e bom trabalho

Miguel Nunes disse...

Signori, naquele tempo era bastante mais fácil ser-se bem sucedido daquela forma. Sobretudo para o Maradona. Isto pq... linhas afastadas, coberturas demasiado longe. O Maradona foi enfrentando situações de 1x1 após situações de 1x1. Hj é complicado... é sp 1x2 ou 1x3, face à proximidade de coberturas.

Teria de rever o lance todo outra x para perceber se há ali má tomada de decisão. Mas, pode n ter havido...pq como disse, foi sp 1x1 por adversários estarem longe uns dos outros...e no 1x1 ele era imbativel.

Tu que jogaste à bola, tenho um bom post para ti...acabado de publicar. Inspiração veio daqui :)

Signori disse...

Claro que sim. Mas actualmente tal acontece, volta e meia vemos coisas dessas. Quando é que é uma boa decisão? Nunca? Sempre? Depende da fezada, eheh? Depende da capacidade técnica e habilidade? Como é que se analisa isso, pelo sucesso? E se quem tenta e consegue marcar, afinal falhasse? Sei que não é fácil, mas quem diz fintar 8 e marcar diz tentar fintar 2 para isolar um colega...é um exemplo apenas

Roberto Baggio disse...

Ah não acreditem no Gonçalo, é nostalgia a falar.

Abraço a todos

Zé Pelé disse...

Signori, jogadores fora de série como Maradona ou Messi têm recursos técnicos que nunca mais acabam, o que lhes dá um maior número de boas decisões que podem tomar em relação a jogadores medianos. Por exemplo, um Maradona ou um Messi numa situação de jogo podem tomar 5 ou 6 diferentes tipos de decisão (todas elas boas), enquanto eu só posso tomar uma (que é passar para quem estiver mais perto). E é por isso que são imprevisíveis e difíceis de anular. Um defesa ao pé do Messi não sabe se ele vai fazer um passe curto, uma abertura, se o vai driblar, se vai rematar, o que lhe dificulta a tarefa. No caso do Maradona talvez tenha sido um conjunto de boas decisões. Recebe a bola e finta para ganhar espaço perto do meio campo e lançar o ataque (boa decisão), já agora "passo por outro que isto são ingleses e têm os rins duros e não sabem o que vou inventar a seguir" (boa decisão) e por aí adiante. Depois quando entra na área até tem um colega em melhor posição para finalizar que ele, mas há um inglês a cortar a linha de passe o que tornava a assistência uma opção difícil. Vai daí, desvia a bola do guarda-redes para impedir a mancha e finaliza (boa decisão). E jogadas como estas só são uma boa decisão para jogadores fora de série e quando sentem que têm a capacidade para as fazer. Sei que me podem dizer que estou enganado, mas na eventualidade de considerares isto uma má decisão, prefiro um futebol cheio de más decisões destas do que de boas decisões. Mas isto eu, que sou adepto e não um conhecedor profundo do jogo.

Signori disse...

MAs tem muito a ver com a liberdade que se dá a determinados jogadores. um gajo de grande capacidade técnica no 1x1 para se isolar: vai em frente e tenta, é uma boa decisão. Se for eu contra o Pepe, certamente não será essa uma boa decisão. Tema ver com a liberdade que se dá e a consciência do jogador da sua capacidade técnica e de execução. Há gajos que podem pensar com o Messi e tentam fazer o que ele faz, mas é uma má decisão pq não têm capacidade para isso.

Signori disse...

Concordo, Zé Pelé, nem mais. As decisões do Maradona tiveram a ver com a consciência real da sua capacidade. Se calhar o Paim nauqlea situação acharia que poderia ter algumas daquelas decisões e falharia, porque tem uma noção errada das suas capacidades, isto sem contar com a má sensibilidade colectiva (tou a usar o Paim só naquela do gozo, podia ser qq um nessa onda)

Signori disse...

É como o vídeo do iniesta, ele potencia e decide em situações, juntando a sua capacidade técnica e o pensamento em prol do colectivo E sito é muito difícil de fazer e de ter consciÊncia. Há quem consiga arriscar mais e não o faça, e há quem não tenha capacidade e o tente. Conseguir aliar isto e equilibrar na perfeição, o Iniesta faz. e Acredito que o Ola vá por esse caminho. O Busquets pode pensar da mesma forma que o Iniesta, mas a sua capacidade não o permite fazer, então não o faz e usa a capacidade que tem da melhor forma de acordo com o colectivo

Zé Pelé disse...

Eu uma vez pensei que conseguia marcar um golo de pontapé de bicicleta. Fiquei quase dois sem me mexer :)

Signori disse...

lá está. Mas se acertasses não o tornaria necessariamente uma boa decisão. Ou a fezada conta eheheh? Há muita gente que anda lá dentro e aceite a fezada como justificação. E o Bojinov e o penalti, era fezada eheh. E o adepto iria idolatra-lo se marcasse, e o treinador ? aceitaria a fezada, não aceitaria e puniria, ou não aceitaria mas devido ao contentamento dos adeptos fecharia os olhos? Baggio, que dizes a isto tudo que temos vindo a falar ?

Zé Pelé disse...

Há uma história que ouvi mas já não me lembro dos jogadores. O habitual marcador dos livres directos ia cobrar um desses lances e vai um colega de equipa e diz "deixa-me marcar que tou com uma fezada do caraças". Resposta do outro: "Se tens fé vai rezar para trás da baliza".

Roberto Baggio disse...

A parte cómica? Hahahaha ri muito :)
Quanto ao resto, de acordo. Nunca pediria a um jogador que não tem 1x1 que o tentasse. E se ele o fizesse nunca seria uma boa decisão.

Já viram o lateral-esquerdo.blogspot.pt?
O Miguel tem lá outro texto brilhante

Signori disse...

Baggio e malta, nessa notícia do Guardiola na bola fala que a imprensa compreendeu certas declarações de jogadores como críticas ao esquema de Guardiola. Sabes de mais sobre isto, terá algum fundo de verdade? Achas que o jogador a este nível achará as ideias do Guardiola nesta fase da época "complicadas" comparadas com as ideias do Bayern do ano passado? Ou será possível achar complicado agora mas com o tempo perceberão melhor o alcance da coisa?Ou outra ideia qualquer para podermos discutir melhor isto

Roberto Baggio disse...

Signori,
No nosso primeiro ano de treinadores, pegamos nos juniores no final da época e eles estavam para descer de divisão.
Temos uma forma de ver o jogo diferente e de organização diferente, mais complexa que exige predisposição do jogador para pensar.
Então começamos a trabalhar sobre isso. Conhecíamos a equipa e os jogadores. Sabíamos exactamente do que precisava e pegamos por aí. Quando começamos a implementar as nossas ideias, nas primeiras duas semanas eles não gostaram. Por exemplo: Eles só jogavam chuto no ar à velha moda da distrital, então, nós todos os treinos, em todos os exercícios, proibimos levantar a bola mesmo, e parámos o treino, para reforçar isso e de forma negativa, assim que o fizessem.
Só se podia jogar pelo chão.
Eles não percebiam o porquê daquilo e como tinham tido anteriormente muito sucesso a levantar a bola, ficavam fodidos connosco.
No entanto passado essas duas semanas, começaram a ver benefício, em jogo e no treino daquilo. Tinham mais vezes a bola, jogavam em equipa, com mais apoios perto. Podiam divertir-se mais a jogar.
E queres saber que mais? Passado um mês, já não queriam levantar a bola, por terem totalmente percebido as vantagens de jogar pelo chão.

O caminho do treinador é difícil quando quer implementar algo de novo, principalmente quando há muito sucesso anterior jogando de outra forma.
Mas os mais inteligentes pegam naquilo que Guardiola passa, começam a criar as dinâmicas, os outros começam a ver que faz sentido e está feito. Este ano o Bayern vai jogar melhor que no ano passado, lá para meio da época. Mas no próximo ano, vai estar a anos luz deste ano.

Quanto aos rumores não sei, mas certamente Guardiola percebe isso como nós, não vai desistir das ideias e vai conquistar os jogadores a tal ponto que eles só vão acreditar naquilo e em mais nada.

Abraço

Signori disse...

sim, claro e se for verdade acredito que a situação é semelhante à que vocÊs passaram e que o futuro tenderá a que os jogadores do Bayern percebam o alcance da coisa. O que é chato é as proporções que isto alcança a este nível, mas o Guardiola escolheu o Bayern por ser um clube que lhe dá condições e certamente tempo. Lembro-me que o 1º jogo do Guardiola no Barça para o campeonato foi uma derrota por 1-0, com o Numancia ou algo do g´nero, e lembro-me como se fosse ontem do que li na imprensa. jogadores estáticos (certamente o fazerem campo largo com bola) e lentidão. Acredito que no início, até no Barça, possa levar o seu tempo, mas o caminho é por aí

Signori disse...

aliás, perde esse e empata o seguinte 1-1 em casa. Depois, até à derrota seguinte, foram 19 vitórias e 2 empates

Roberto Baggio disse...

Sim e levou. E sofria muitos golos, e não dominava de forms tão clara os adversários, etc.
Sim, daí eu ter dito que ele começava a ganhar quando escolheu o clube, por lhe dar tempo.

Signori disse...

os comentários do zero zero relativos a esse jogo:
Este Barça desk comecei a ver as suas contrataçoes e dispensas!
Disse logo k este ano e mais um fiasco!

Este nunca me convenceu!
Os adeptos do Barça ainda vao gritar pelo nome do Rijkaard outraves, esse sim sabia fazer ekipas e polas a jogar um futebol espectacular mxm de encher o olho!!!!
O problema Rijkaard foi alguns jogadores no balneario k o lixaram!!!!

beifetosssssssssss dispesaram o ronaldinho deco e zabrota e a keria dispesar o etoo força real madrid

a jugarem assim levam um cabaz do sporting!!!!!

COITADOS!!!!!



FORÇA SPORTING!!!!!!!!!!!!!!!

Sinceramente nao percebo o que vai na cabeça dos Presidentes destes colossus, por um treinador inexperiente a comandar um Barcelona? Acordem, e enquanto nao o fazem, la vai o Real conquistar mais um titulo, Valencia para 2, Atletico para 3, vamos la ver em que ligar fica o Barça este ano..

Roberto Baggio disse...

Esses são os iluminados, que julgam poder julgar pelos resultados, e mais do que isso, pelos primeiros resultados... A longo prazo é que se vê, se bem que com dez jornadas a organização colectiva deve já estar bem visível

Signori disse...

Por falar em primeiras imagens, gostei do Chelsea contra o Inter, senti aqueles jogadores com um pensamento muito colectivo, e um jogo de posse que não tinha nada a ver com os últimos anos do Real das transições. Este Chelsea raramente irá ser apanhado desequilibrado atrás. O Real de Ancelotti foi engraçado, sectores juntos, jogo de apoios e muita mobilidade na frente, com aqueles jogadores. E Modric a fazer de Pirlo / Verrati

Roberto Baggio disse...

Só estou a pensar ver o Chelsea e o Real em competição. E conclusões só mesmo depois de dez jogos. Até lá, só impressões.

B Cool disse...

Contei uma tentativa de remate na primeira parte com um adversário a 1 ou 2 metros que obviamente interceptou a bola e 4 ou 5 cruzamentos durante o jogo que eram de muito difícil execução e portanto quase todos eles foram condenados e o que não foi não deu grandes hipóteses de sucesso a quem o recebeu. De resto aqui ou ali umas más execuções técnicas mas em geral boas decisões

YilmaZ disse...

O vídeo vale pena só pelo dribble (à la Zidane)do André Gomes entre 3 barcelonas(6:42)... OMG,isso é que é "Classe"!

PP disse...

Miguel Nunes,

Desde que comecei a ter uma opinião diferente da tua, já é para aí a 5ª vez que tens coragem de dizer-me que não percebo nada de futebol e tal. Estás tão centrado em ti, que nem sequer tentas ter a mente aberta para outras formas de ver as coisas. E, mais, não te reconheço autoridade para dizeres isso.

Até poderias ser o Mourinho, mas acho que não tens que vir com essa lenga lenga de só tu sabes e tal para justificar o injustificável. Que idade tens? 17? 18? Mais, o limite entre ser arrogante e a estupidez é muito ténue. Acho que deverias considerar a tua forma de falar com os outros. Não te fazia nada mal.

E quanto ao KISS, keep it simple stupid, é uma forma de decidir pelo mais simples e prático. E, isso é o que toda a equipa do Barcelona faz quando joga. Passes simples e precisos a um ou dois toques e muita movimentação sem bola para dar linhas de passe. Tu só vês "ró-có-cós" apenas no último terço do terreno.

O KISS quando aplicado a equipas com jogadores de grande nível técnico é super. E, já agora o KISS não é algo de futebol meu caro. É algo que nós em Engenharia utilizamos muito. É uma expressão de engenheiros.

Lá por ser em inglês, não significa que fosse aplicado apenas em ingleses. O que tu falaste é outra coisa: "Kick and Rush".

PP disse...

Baggio,

Eu já percebi porque é que gostas do Ola John, no momento em que o comparaste com a tomada de decisão do Iniesta.

O que acho que tanto tu, como outros por aqui não percebem, é que o modelo de jogo do Benfica é muito diferente do Barcelona.

Em primeiro lugar o Ola não joga numa posição mais central no terreno, nem tão sobre o meio-campo adversário como o Iniesta joga a extremo-esquerdo.

Segundo, o Benfica não envolve tanto o adversário sobre o seu meio-campo, como o Barcelona faz.

Terceiro, o Benfica não tem 3 ou 4 jogadores sempre no corredor central. Se tiver o Matic e o Enzo já é muito. Ou seja, sempre que o Ola John "temporiza", aka, vira para dentro e tenta fazer o passe interior, só terá quase sempre e na melhor das hipóteses dois jogadores para o fazer. Por isso é que frente a equipas com outros pergaminhos os passes do Ola John acabam invariavelmente em "turn-overs".

Quarto, nem o Lima é um Pedro, nem o Cardozo é um Messi no que toca a envolvência na construção de jogo ofensivo do Benfica. A minha esperança é o Djuricic que seja mais um terceiro médio do que um segundo avançado. Para ajudar nessa fase de construção. Mas, ao que parece o Jesus vê-o como um segundo avançado...

Ou seja, não podemos comparar os modelos de jogo. E, isto influencia imenso a necessidade das qualidades do Ola.

Este é o link para o jogo do Porto-Benfica de Maio deste ano. O Benfica jogou em 4-2-3-1 o que quanto a mim beneficia mais o estilo do Ola John, porque o protege mais em termos defensivos. Contudo, vê a sua tomada de decisão.

http://forum.rojadirecta.es/showthread.php?196086-FUTBOL-Liga-Zon-Sagres-FC-Porto-v-Benfica-11-5-2013

E, depois diz algo. ;)

PP disse...

Signori,

A meu ver o mais difícil no modelo do Guardiola é os jogadores conseguirem interpretar bem o modelo defensivo.

Para defender como o Guardiola gosta é preciso estar sempre concentrado em campo. É preciso estar sempre a posicionar-se correctamente, quanto à nossa equipa (encurtar linhas), como estar sempre atento à posição do avançado adversário.

O golo do City é um bom exemplo de como isso pode custar muito caro ao Barcelona.

Afinando isso, tudo o resto virá com naturalidade, até porque a recuperação de bola será mais rápida do que era até então.

Roberto Baggio disse...

PP,
Eu não ignorei nada disso... Tu é que interpretas mal, ou decidiste saltar algumas partes dos meus comentários.
Vou repetir o que já tinha dito: Não é o melhor extremo para jogar no modelo do Jesus... Ainda assim é o melhor que ele tem...

Quanto ao Barcelona, estás mesmo muito enganado.
Eles são a equipa que mais temporiza, e bem, no mundo... Desde a primeira fase de construção, até a criação e se necessário finalização...
Eles jogam ao primeiro e segundo toque se for necessário, tal como conduzem e driblam se for necessário e isto é válido para os centrais, laterais, médios ou avançados...
E é isso que não percebes... Eles não jogam de primeira ou segunda porque faz parte do modelo. Jogam, quando é necessário fazer. Porque se o Piqué tem a bola durante muito tempo e depois decide avançar, temporizou para ver a posição dos colegas, viu que não havia espaço, então decidiu conduzir para ser ele a criar superioridade. E isso não é keep it simple... É um conceito que Guardiola tem, de assumir riscos a todo momento, em nome do bem jogar, que mais nenhum treinador do mundo faz. Porque quando avança um central, recua o mdef, mas ele não faz isso... Mantém os homens no corredor central para criar superioridade. E isso reitero não tem nada haver com o jogar simples, tem haver com jogar bem e jogar bem, implica como o Iniesta faz, por vezes, dar 10 ou 20 toques na bola. Ficar com ela 10 ou 20 segundos, até encontrar os colegas...
Isso é jogar bem. Não é jogar simples que é jogar bem.

Roberto Baggio disse...

Continuas a interpretar mal...
O sistema não protege nada se no modelo não houver dinâmica para isso.
E o Benfica não tendo uma reacção forte a perda, não é por ter mais um médio que se protege melhor as perdas de bola. Vai ser sempre apanhado em transição.

E diz-me quais foram os melhores jogos que viste dos que consideras melhores.

PP disse...

Baggio,

Eu não vou mudar a equipa toda do Benfica por um jogador.

Quanto ao Barcelona temporizar, não disse o contrário. Faz parte do estilo de jogo deles. Não faz é parte do estilo de jogo do Benfica.

E muitas vezes aquilo que chamas de temporizações do Ola John, não o são. Se assim o fosse os restantes companheiros perceberiam disso e ajudavam-lhe na tomada de decisão criando linhas de passe mais conservativas.

O keep it simple que falei é uma forma de decidir. Não significa que no futebol a decisão seja sempre o passe. Poderá ser também um drible sobre um adversário e depois um passe se essa for a solução mais simples para o problema naquele momento.

Epá, estar a discutir semântica não leva a nada. O que eu acho é que o Ola John não tem o perfil indicado para aquilo que o Jesus realmente pretende.

Signori disse...

Concordo bastante, PP. Defender consoante a bola, equipa,espaço e homem.Há dias falei num post qq sobre esse golo nas costas da defesa do Bayern. Mas sim, com tempo vai lá e ele fez uma excelente escolha nesse sentido, pois o Bayern dá-khe a estabilidade necessária, ao contrário da esmagadora maioria das equipas por este mundo

Roberto Baggio disse...

"Eu não vou mudar a equipa toda do Benfica por um jogador."

O que disse no meu comentário, deveria ser o suficiente para perceberes que eu percebo o porquê de ele não ser indiscutível... Tal como já te tinha dito atrás, os extremos no modelo do Benfica têm que ser "burros".

"E muitas vezes aquilo que chamas de temporizações do Ola John, não o são. Se assim o fosse os restantes companheiros perceberiam disso e ajudavam-lhe na tomada de decisão criando linhas de passe mais conservativas."

Lá estás tu... Jesus decide a movimentação dos jogaores sem bola... Leste isso atrás. E digo-o porque Jesus o disse na palestra da FMH. Os jogadores sem bola movem-se de acordo com as minhas ideias.

E de acordo com o modelo dele, não tem de haver essa aproximação ou criação de superioridade...
Derivado disso, os jogadores sem bola não se vão mover no sentido em que tu indicas... Percebes isso? Faz parte do modelo do Benfica. É consequência daquilo que Jesus pede aos jogadores (sem bola).
E depois, aqui entra, aquela discussão da idade e do atingir a excelência com os estímulos certos.
Ola John, já tem um estilo de jogo formado e enraizado, e por mais que Jesus tente mudar isso, não o vai conseguir. A experiência anterior acaba sempre por emergir, e agora só podem mudar pormenores e detalhes.

Anónimo disse...

PP,

Eu não gosto do modelo do Jesus. Mas lá está, quero acreditar que o homem quer superioridade ou igualdade nas transições ofensivas. Dai a qualidade na decisão certo? A acção do gajo depende, portanto, de diversos factores. Se tiver o Cardozo a fixar os centrais, o Salvio perto da linha com um lateral, um jogador adversário a ocupar o centro do campo, e um jogador em contenção, é óbvio que o Ola John vai temporizar e esperar que chegue um colega. E, pelo que percebo, isso é indiferente de o Jesus pretender ou não contra ataque/ataque rápido, porque o gajo deve querer, acima de tudo, contra ataque e ataque rápido em condições ideais. Se não consegue, passa a organização ofensiva. Que o Benfica não seja competente nessa questão, é outra coisa, e poderias dizer que é mais fácil ao Benfica chegar ao golo em inferioridade em c.a. ou a.r. do que em construção (o que pode ser debatível, dada a existência de mais espaço e as virtudes, por exemplo, do Salvio em 1x1 ou 1x2), e por ai colocar em causa a decisão do jogador.

Cumprimentos,
António Teixeira

Roberto Baggio disse...

"O keep it simple que falei é uma forma de decidir. Não significa que no futebol a decisão seja sempre o passe. Poderá ser também um drible sobre um adversário e depois um passe se essa for a solução mais simples"

O problema disso é que por vezes são necessárias soluções complexas, como atrair adversários e depois soltar nos espaços... E isso atenção, não é a solução mais simples. a mais simples seria fazer circular a bola noutro colega, sempre...

Alberto disse...

As criticas a Ola John neste post só se explicam se forem feitas por pessoas que não viram o segundo terço de campeonato que ele fez.

Ola John fez mais num ano que o Di Maria fez em 2.

Quanto às qualidades referidas neste e no post do LE foram das coisas que mais me impressionaram. A sua qualidade de passe foi algo que logo no seu segundo jogo comentei cá em casa, que não é normal num jogador da sua posição e idade.

LGS disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
LGS disse...

As pessoas que criticam o Ola são as mesmas que dizem que o Cardozo é um cêpo e não vale nada? (PP a tua opinião sobre o Cardozo sff)

Signori disse...

Sim, Alberto, não é normal num jogador naquela posição e idade. Extremos inteligentes não há muitos, porque a esmagadra maioria foi estimulado e reforçado a abusar das suas características individuais e a partir o adversário, independentemente de ser ou não a melhor decisão. Não os põem a pensar, e reforçam apenas 2 ou 3 situações tipo, daí normalmente os extremos serem limitados. Extremos assim há poucos, lembro-me de Figo, por exemplo. De resto, curto e grosso, extremos que pensam levam o comum adepto a chamarem-no de lento ou alheado do jogo, porque não anda sempre a explodir e a dar nozadas, e é isso que fica e conta para o adepto comum. Olha o Pedro Barbosa também

Signori disse...

Aposto que há muita gente que acha que o Nani não evoluiu ou evoluiu pouco no Manchester Utd porque "ele pára muito o jogo agora,", ou não procura tirar 3 do caminho, ir à linha e cruzar À toa. Ou que o Quaresma é um génio da bola porque em 10 situações, 8 são más decisões, optando por ser individualista mas como 1 dá certo é isso que fica, e é um génio.

Anónimo disse...

Signori,

Mas o Quaresma tem criatividade e capacidade técnica para tornar algumas más decisões em boas decisões. O Nani já não, o Bruma já não, o Ronaldo tinha, mas acho que a perdeu, etc etc etc.

Baggio e Miguel Nunes,

Seria interessante analisarem os dois jogos do Porto deste fim de semana.
Cumprimentos,
António Teixeira

Roberto Baggio disse...

António,

Sempre que houver tempo, disponibilidade e jogos na internet, eu e o Miguel daremos primazia ao campeonato nacional.
O problema é que há poucos jogos para fazer download deles.
Mesmo dos grandes tenho grande dificuldade em encontra, por exemplo, ainda não encontrei nenhum do Sporting.

Se vocês tiverem links dos jogos no youtube ou noutros sites, dá para fazer uma análise por imagens. Se conseguirem um link para download, é sempre mais engraçado fazer o vídeo.

Abraço e cria o Gmail :-)

Gonçalo Matos disse...

O Nani tem capacidade técnica e física pra tirar vários adversários do caminho! Mas desde há uns anos que se tornou num jogador muito mais interessante que o Quaresma, pela sua capacidade de jogar com o colectivo e de estar sempre forte nos 4 momentos de jogo.
Pessoalmente acho-o excelente e é uma pena que não jogue no Man Utd.

Signori disse...

Anonimo, se eu tiver capacidade técnica para fintar 5 e marcar golo, apesar de ter 1 companheiro em melhor posição, se eu o tentar e tiver sucesso, isso não o torna uma boa decisão. A questão do Quaresma é que toma muitas más decisões e de vez em quando tem sucesso. Mas isso não é ser jogador de uma EQUIPA de futebol. As pessoas criticam o quaresma pelas razões erradas, não é pela má decisão, é por não ser bem sucedido é que o chamam de individualista. Quando toma más decisões e é bem sucedido chamam-no de génio

Signori disse...

Olhem para isto e comentem sff, golo do Fenômeno contra o Compostela

http://www.youtube.com/watch?v=NC57WLJYmUE

Signori disse...

Tnh que desabafar. Credo, Jasus, que penalti horroroso falhado pelo Jackson.

Roberto Baggio disse...

Signori,

http://possedebolla.blogspot.pt/2013/06/fenomeno-e-futebol.html

Signori disse...

disseste tudo num dos comentários ao post. Um jogador que decida mal tem de ter boa eficácia e ser bem sucedido no que faz. Mais nada ponto linha a baix travessão. E mais, jogadores destes que decidem mal, de forma menos colectiva, ou que têm uma capacidade genial em certoas situações, o treinador tem que os entender e aqui sim, ajustar a equipa em função dele, como porto e sporting em relação a Jardel, ou o que Mourinho procurou fazer com CR7, e o que Ancelotti começa a dizer do mesmo CR7, que a equipa tem de se adaptar a ele
- O problema é que há uns que acham que podem decidir mal e ser muitas vezes bem sucedidos, como o Quaresma, e muuuuuuuuuuitos outros.

Signori disse...

Mais, para mim há poucos jogadores que sabem atingir um equilíbrio entre até onde é que podem ir a nível de más decisões potenciais e serem bem sucedidos. Há os que podem arrixcar mais e não o fazem, não explanando todo oseu potencial, como por exemplo jogadores da formação com muita qualidade mas que são castrados pelo estrangulamento táctico de alguns treinadores nessa idade, e outros que acham que podem arriscar mais mas têm uma taxa de sucesso que não o aconselha, como o Quaresma, que ganharia mais com decisões mais colectivas, e consequentemente, melhores decisões. Acredito que o potencial de Ola John estará aí, actualmente faz o que faz, e penso que irá atingir cada vez mais esse equilíbrio e conhecer melhor o jogo e os seus próprios limites e ser fantástico e ter lugar em qq equipa do mundo. Os jogadores do Barça são brilhantes nisso

Signori disse...

é uma boa questão Baggio. normalmente falamos de jogadores que decidem mal e arriscam e tomam más decisões e têm taxa de sucesso que o desaconselha, como Quaresma. Agora coloco a questão contrária, exemplos de jogadores que podiam arriscar mais, porque têm capacidade de arriscar más decisões potenciais e ter taxa de sucesso que apoie essa decisão, mas que não o façam em detrimento de soluções mais seguras e colectivas. Consegues lembrar-te de algum destes?

B Cool disse...

Hora da provocação. Miguel e Baggio, só há uma forma de jogar bem, isto é há um modelo de jogo, em termos de concepção que em absoluto seja superior a todos os outros, ou a valorização da validade de um modelo de jogo depende também do sucesso do referido modelo ? Estaremos perante o ultimate modelo de jogo ? E não, não falo de 4-3-3 ou 4-4-2, mas do modelo de coberturas e apoios, versus modelos que apostam mais nos desequilíbrios individuais ? Até que ponto é que a validade de um modelo de jogo pode depender também dos executantes ?

Roberto Baggio disse...

BCOOL,

"só há uma forma de jogar bem, isto é há um modelo de jogo, em termos de concepção que em absoluto seja superior a todos os outros, ou a valorização da validade de um modelo de jogo depende também do sucesso do referido modelo?"

Não. Há várias formas de jogar bem.
Há vários modelos de jogo válidos e que se aproximam do cumprimento dos princípios gerais de jogo.
O que valida o modelo, é sempre o resultado. E por resultado não se entenda vitória ou derrota. Entenda-se os princípios de acção que a equipa contém, aproximarem ou não a equipa da vitória. O que no final não significa que ganhe, significa que pelo que fez em campo, esteve mais próximo de o fazer.

E sim, existe um modelo de jogo melhor que todos os outros, que é o que cumpre de forma regrada com os princípios gerais de jogo, ou seja: Criar superioridade numérica, evitar igualdade numérica, recusar inferioridade numérica.

"Estaremos perante o ultimate modelo de jogo ?"

Ele já esteve aí. Era o Barcelona de Guardiola
Melhor equipa que vi jogar. Nunca mais nenhuma equipa vai ter a qualidade de jogo, cumprindo com os princípios de jogo, como Guardiola o fez.

"Até que ponto é que a validade de um modelo de jogo pode depender também dos executantes ?"

Claro, é uma relação interdependente.
Por exemplo: O modelo de Guardiola é bom, claro, mas teria atingido a excelência se não tivesse Xavi, Iniesta e sobretudo Messi!
O modelo faz os jogadores melhores, os jogadores melhoram o modelo. É uma perfeita e boa relação de reciprocidade. Se o modelo for de encontro ao melhor do jogador, e o jogador for de encontro ao melhor do modelo, o jogo da equipa passa para um nível qualitativo inatingível.

Signori,
Ozil

Signori disse...

Baggio, Ozil penso que é um bom exemplo

Achas que Rinaudo pode ser um médio que faça bem aquele lugar, e que decida bem na maioria das situações, ou não, por causa dos vícios que já tem e/ou falta de caraterísticas

Roberto Baggio disse...

BCOOL,

Correcção

"Por exemplo: O modelo de Guardiola é bom, claro, mas nunca teria atingido a excelência se não tivesse Xavi, Iniesta e sobretudo Messi!"

Roberto Baggio disse...

Signori,

Acho que Rinaudo, tal como Cardozo por exemplo, dentro de uma organização colectiva de qualidade consiga esconder muitos dos erros, e realçar mais as suas qualidades que os defeitos.
O que não vai fazer com que ele chegue ao nível dos melhores na posição dele, mas pode fazer dele um jogador bom.

Signori disse...

O mesmo posso perguntar de Rojo, Carrillo, Labyad, Cedric. O Sporting continua a ser uma incógnita pq ainda não teve um trabalho continuado com um treinador que permitisse ver até onde é que aqueles jogadores possam evoluir. E com a entrada de mais jovens que se estão a adaptar ao futebol profissional, mais incógnita é. Sou sportinguista, e espero que LJ que me parece com ideias interessantes tenha tempo e que mesmo que faça uma boa época que não saia, ou se sair deixando bons princípios, que saibam escolher o treinador seguinte.

Signori disse...

Frase para comentar: Michael Thomas e Farnerud eram excelente decisores, dentro das suas características, potencial e limites.

Roberto Baggio disse...

Não conheço nenhum deles Signori...

Ricardo Correia disse...

Mano Blessing,

Não consegui ler todos os comentários, algo que considero como um bom sinal relativamente à quantidade de respostas, por isso vou continuar o raciocínio onde paramos.

O Futebol não é jogado num ritmo constante, pelo que a necessidade de temporizar as acções torna-se fundamental. Mas neste aspecto em questão, saber quando fazer é muito mais importante do que saber fazer. Se a tua equipa recupera a posse de bola, sai no contra ataque e o jogador em questão ao segundo toque na bola trava o ataque, então devia estar a jogar à defesa na equipa contrária..

"Temporizar" significa saber QUANDO acelerar ou abrandar o ritmo de jogo, se o fazes e matas um contra ataque estás a fazer o papel da defesa..

Em relação à técnica:

Cada posição tem aspectos técnicos específicos associados e, para a posição em questão, a qualidade da recepção, drible, cruzamento e remate são determinantes. Tive a oportunidade de ver ao vivo todos os jogos em casa do Benfica, e infelizmente este menino só se destaca ao nível do cruzamento, quando o consegue fazer.

Em relação ao potencial:

Não é preciso escreveres nada, tenta definir na tua cabeça o que é para ti o potencial, e depois vê quantos jogadores consegues incluir nessa definição, vai ficar perto de todos ;)

Sabes o que fazem os responsáveis pelo scout nos clubes grandes? Escrevem algo do género nos relatórios individuais: "Jogador com muito potencial, que caso se concretize terá qualidade para integrar o plantel". Depois é fácil, se der jogador, "eu sempre disse que ele tinha 'potencial'..", se não der jogador "não se concretizou, mas tinha 'potencial'.."

É preciso muita atenção ao que não se consegue medir..Características físicas, dados estatísticos, mesmo as capacidades técnicas, são passiveis de mensuração, se me disseres como é que é possível "medir" o potencial pode ser que mude a minha opinião ;)

Não quero acabar sem referir o objectivo do post:

O 1º lance em que ele toca na bola é para mim o exemplo perfeito do que estivemos a falar, 1 contra 1 no corredor lateral, na área estão dois colegas de equipa contra dois defesas adversários, abranda o ritmo de jogo, sofre o 2 contra 1 e tem de jogar atrás.

Grande Abraço,

Ricardo Correia

PP disse...

@ Correia:

Grande comentário. Concordo a 100% com o teu comentário.

E deixo já uma ideia para um futuro artigo sobre os critérios para se aferir das reais potencialidades dos jovens jogadores de futebol.


@ Baggio:

O Correia escreveu aqui uma coisa que acaba por explicar o porquê acho que estás errado quando vais buscar a temporização do Iniesta:

«1 contra 1 no corredor lateral, na área estão dois colegas de equipa contra dois defesas adversários, abranda o ritmo de jogo, sofre o 2 contra 1 e tem de jogar atrás.»
No Benfica o Ola John tem dois avançados lá na frente. A diferença é que o Iniesta quando está a jogar a extremo esquerdo, tem o Messi e o Fabregas no centro e um pouco atrás dele, na entrada da área. E, mesmo assim, por vezes força o 1 contra 1 fente ao lateral ganhando a linha, ao qual um desses dois ou até mesmo os dois aparecem no coração da área para finalizar. Mas, na maioria das vezes tenta o apoio com um deles para ganhar o espaço nas costas do defesa.

O Benfica não joga assim, logo a posição do Ola John necessita de um jogador com outras características.

Roberto Baggio disse...

Ricardo, amigo,

"O Futebol não é jogado num ritmo constante, pelo que a necessidade de temporizar as acções torna-se fundamental. Mas neste aspecto em questão, saber quando fazer é muito mais importante do que saber fazer. Se a tua equipa recupera a posse de bola, sai no contra ataque e o jogador em questão ao segundo toque na bola trava o ataque, então devia estar a jogar à defesa na equipa contrária.."

Sim, mas tu tens aí o vídeo... E vês quantos contra-ataques ele parou? E dos que parou, consegues dizer que foi uma má decisão?
Não estou a dizer que ele acerta sempre. Estou a dizer que acerta a maior parte do tempo. E estava num campeonato com menor exigência e a irregularidade é derivado disso mesmo. No final, quando se habituar as condicionantes (menos tempo e espaço para pensar) de um futebol mais exigente, a excelência dele vai emergir, porque ele já está habituado a decidir bem.

""Temporizar" significa saber QUANDO acelerar ou abrandar o ritmo de jogo, se o fazes e matas um contra ataque estás a fazer o papel da defesa.."

Coloquei aí um vídeo do Iniesta, onde ele mata um contra ataque, por perceber que não ia decorrer nas melhores condições. Então, entrou em organização ofensiva, e no final desse mesmo lance queres adivinhar? Golo...

Aliás, reitero, que o Iniesta, Xavi, Messi, etc, param muitos contra-ataques, por considerarem não haver condições ideias para se executar depressa.
E falo desse, não para dizer que Ola está ao nível deles. Mas para dizer que partir cegamente para um contra-ataque não é a melhor opção. O contra-ataque deve seguir se isso for a melhor opção.
E reitero, não é que ele esteja sempre correcto e acerte nisto tudo, mas está a maior parte do tempo (Ola John).

"Cada posição tem aspectos técnicos específicos associados e, para a posição em questão, a qualidade da recepção, drible, cruzamento e remate são determinantes. Tive a oportunidade de ver ao vivo todos os jogos em casa do Benfica, e infelizmente este menino só se destaca ao nível do cruzamento, quando o consegue fazer."

Não, Ricardo, não.
Isso são capacidades que qualquer jogador deveria ter. Saber driblar quando se deve driblar, passar quando se deve passar, cruzar quando se deve cruzar, rematar quando se deve rematar, receber quando se deve receber... São características comuns, que deveriam ser inerentes a qualquer jogador repito. Não é por ser central ou lateral que não o devo fazer, porque serei obrigado em muitas situações a utilizar todos esses recursos, jogue em que posição jogar.
A ideia de que os extremos servem para driblar e cruzar é a de Jesus. Aliás, daí ele privilegiar o 1x1 dos alas.
Mas não é por exemplo a ideia de Guardiola. Olhas para os extremos que utilizou no Barça, e dirias que eles só servem para finalizar...
Portanto, estereotipar características técnicas ou físicas para determinadas posições, é o que leva a um menor desenvolvimento dos jogadores.

Vou-te dar um exemplo exagerado: Eu se tivesse uma equipa com o 2GR e 18 Xavis, era campeão em qualquer parte do mundo. Acreditas nisto?

"Não é preciso escreveres nada, tenta definir na tua cabeça o que é para ti o potencial, e depois vê quantos jogadores consegues incluir nessa definição, vai ficar perto de todos ;)"

O problema é que não me vêm assim tantos... Porque os jogadores aos quais associo maior potencial, são aqueles que revelam desde cedo, capacidades cognitivas (específicas do jogo) acima dos outros. E como deves imaginar esses são poucos, muito poucos.

Como disse há uns posts atrás, quem desenvolve essas capacidades cognitivas em conjunto com atributos técnicos e físicos (específicos do futebol) são aqueles, que para mim, terão maiores chances de sucesso.

Grande abraço

Roberto Baggio disse...

PP,

"O Benfica não joga assim, logo a posição do Ola John necessita de um jogador com outras características."

Esqueceste que já disse isso.
Esqueceste que há outras situações no jogo onde ele faz como descreves.
E sobretudo esqueceste, que eu não disse que ele acerta todas as decisões. Disse, sim, que ele acerta a MAIOR parte delas!

E isso é uma diferença para outros extremos do Benfica.

O que não percebes, ainda, é que o facto de o modelo do Benfica não ir de acordo as características dele, não invalida que ele seja o melhor desses extremos. Até porque, como sei, o modelo do Benfica em organização ofensiva, não se aproxima tanto dos princípios gerais de jogo quanto isso. Ou seja, quanto mais a organização ofensiva do Benfica estivesse próxima daquilo que são os princípios gerais de jogo, mais Ola se iria aproximar da excelência, e menos espaço iria sobrar para os outros, que na tua opinião são melhores.
E é isso que não percebes...

Ronaldinho disse...

"O 1º lance em que ele toca na bola é para mim o exemplo perfeito do que estivemos a falar, 1 contra 1 no corredor lateral, na área estão dois colegas de equipa contra dois defesas adversários, abranda o ritmo de jogo, sofre o 2 contra 1 e tem de jogar atrás."

Isto realmente tem tudo a ver com a maneira como cada um interpreta do que vê no jogo e do seu conhecimento do mesmo.

Eu vou dizer aquilo que eu vejo nesse lance, assim que consegue dominar Ola tenta o 1 contra 1 mas o defesa controla sempre muito bem e nunca é batido, poderia até ter feito o cruzamento quando acelera para a linha mas por essa altura já perdeu noção do posicionamento dos colegas, estes já não se encontram 2 para 2 como dizes e com o defesa sempre tão perto dificilmente o cruzamento sairia em condições, ou seja, se tivesse cruzado até poderia ter sido golo mas o mais provável era não ter sucesso e por isso resolveu manter a posse de bola para a equipa. Quando sofreu o 2 contra 1 já ele tinha decidido manter a posse.

Se isto não é decidir bem então não sei...

PP disse...

Baggio,

O Ola é o pior dos extremos do Benfica. Melhor que ele até é o Enzo, portanto, ele neste momento estaria em 5ª ou 6ª posição, para mim.

Decidir como ele fez no filme é fácil. Adversários a 2 ou 3 metros, tem tempo para rodar,... continuo e volto a dizer-te, tenta ver as decisões dele sobre pressão e depois falamos.

Depois, tu naquela equipa precisas de desequilibradores naquela posição, pois o Benfica joga fundamentalmente em transição. Mas, precisas de desequilibradores inteligentes. Que saibam meter "medo" ao lateral de tal forma que ele esteja sempre mais expectante, mas também que saiba travar o ataque, temporizando, quando vê que a equipa precisa de "respirar".

O tipo que deve temporizar e ser mais cerebral na manobra da equipa já foi contratado e é o Djuricic. O Ola John não arrisca. Não desequilibra pura e simplesmente.

E essa comparação com o Iniesta da tomada de decisão está incorrecta. Não acho que sejam sequer equiparáveis.

Roberto Baggio disse...

Pronto, se os outros desequilibradores do Benfica são inteligentes, é aí que esgoto os meus melhores argumentos.

:)

João Nogueira disse...

05:22 - Em vez de ter arriscado o passe para o Rodrigo, metia a bola no pé do André Gomes e este fazia o passe de 1ª para o Rodrigo (o Song e o Carles Planas estavam na contenção ao John) ou temporizava e esperava pelo apoio.

05:33 - Passe sem nexo, o posicionamento da defesa do Barcelona impossibilitava esta ação, devia ter jogado no Maxi ou no colega à sua esquerda que não consegui identificar.

06:06 - Matić completamente sozinho, era só meter a bola.

Romário disse...

João Nogueira,

"05:22 - Em vez de ter arriscado o passe para o Rodrigo, metia a bola no pé do André Gomes e este fazia o passe de 1ª para o Rodrigo (o Song e o Carles Planas estavam na contenção ao John) ou temporizava e esperava pelo apoio."

Concordo.

"05:33 - Passe sem nexo"

Concordo.

"06:06 - Matić completamente sozinho, era só meter a bola."

Certo!