Posse de bola no Facebook

Translate

terça-feira, agosto 27, 2013

"O Chelsea fez um grande jogo do ponto de vista táctico" Não. O Chelsea fez um grande jogo do ponto de vista defensivo...

«Facilmente se constata o quanto é comum adjectivar-se de “táctico” um jogo muito defensivo de uma equipa, onde são evidentes grandes preocupações com determinados jogadores adversários, onde a grande missão colectiva quase se resume a anular o jogo adversário. Em suma, onde a grande preocupaçãp passa muito mais por não sofrer golos do que por marcá-los. Muitas vezes, nem é uma das equipas. São as duas. Um jogo mal jogado de parte a parte que alguém resolve adjectivar de “táctico”, no sentido de meter alguma água na fervura... numa espécie de redenção intelectual face àquele que foi um espectáculo deprimente.»

Como vimos da parte do Chelsea ontem em Old Trafford, provavelmente quase todos ouvimos que «“o jogo está a ser muito táctico”, porque “estamos a assistir a um Chelsea muito táctico” ou, já em jeito de resumo final nos últimos minutos do encontro, “o Chelsea, no lado táctico, esteve tremendo”. »

«Portanto, segundo o entendimento de alguns, uma equipa que, praticamente, apenas jogou meio jogo, o defensivo, é “muito táctica”, tremenda no “lado táctico”... Como se a táctica se esgotasse nas coisas do jogar que têm a ver com o defender, com o anular pontos fortes do adversário, com o cumprir a intenção inicial de, acima de tudo, não sofrer golo.» 

«Para mim, o lado táctico tem a ver com o jogo todo» e, nessa medida, o nenhum elogio deverá ser feito a equipa de José Mourinho, exceptuando, claro, que esteve bem a nível defensivo. «falar de táctica é falar de intenções e de interacções e, neste sentido,», o jogar do Chelsea mostrou  pobreza e pouca complexidade táctica. Por isso, a meu ver, o jogo do Chelsea foi muito pouco táctico, ou pelo menos, foi muito menos que o do Manchester United.
Isto porque os de Manchester jogaram um jogo completo, articularam com sentido a defesa e o ataque, criando interacções constantes que lhes permitiram jogar todos os momentos do jogo.

 As acções ofensivas, tais como as defensivas, são resultados do treino e todas elas revelam a construção táctica do treinador. Afinal de contas o que é a Táctica? «Ela é o fio invisível que faz emergir aquilo que reconhecemos como traços marcantes do jogar de uma equipa. » 

  • Todas as citações, são excertos retirados de uma reflexão de Nuno Amieiro

17 comentários:

DC disse...

Para mim, foi acima de tudo um jogo muito pobre.

Já não assistia há uns meses a um jogo completo da liga inglesa e recordei-me do porquê.

Gonçalo Matos disse...

Baggio,

Como te disse, acho que defensivamente o Chelsea esteve muito, mas muito forte. Não me lembro sequer de ver igualdade numérica, tinham sempre 1 ou 2 coberturas, sempre em superioridade na zona da bola. Mas concordo contigo, ofensivamente falta quase tudo. Sectores separados, muita transição pelas alas em inferioridade, poucas linhas de passe, o duplo pivot fica muito atrás sempre.. Vamos ver como isto evolui e como estarão daqui a 10 jogos.

Pedro Mendes disse...

Não sei se o mérito é da defesa construída pelo Chelsea, se pela falta de cojones por parte do Manchester. Jogar com um Valencia muito desprovido de intelecto quando se tem um jogador que cria desiquilíbrios constantes no banco (Nani) é permitir à equipa contrária uma maior facilidade na organização defensiva e jogo defensivo.

O Chelsea mostrou o que eu estava a espera, uma equipa que ainda está a ser "montada".. gostei de ver o Torres no banco. E foi visível que este jogador nada traz ao ataque londrino. Ramirez teve um jogo meh.. Lampard teve um jogo meh.. jogadores chave do Chelsea passaram despercebidos no jogo.

O Man Utd mostrou que consegue chegar facilmente à grande àrea contrária, mas faltam alguns argumentos (vontade, confiança) para levar a bola para dentro da baliza.

Anónimo disse...

Mourinho tenta controlar tudo, sem que se aperceba que esse controlo condiciona a equipa de tal forma, que os jogadores não sentem confiança para colocar em prática aquilo que realmente importa.
Depois ele vem queixar-se a dizer que os jogadores falharam muitos passes (longos), sem ter percebido que foi o condicionalismo que ele colocou (tentar rapidamente efectuar a transição) que fez com que isso resultasse dessa forma.

Filipa Matos

Edson Arantes do Nascimento disse...

Exacto, Filipa. Ao Chelsea faltou foi qualidade e classe com bola. Não é nada de vontade e atitude - este é sempre o argumento dos incautos...

E ao Manchester faltou ainda mais classe e ainda mais qualidade em todos os sectores e momentos do jogo.

Comecei a partida a esfregar as mãos e a pensar "eh pá isto vai ser um jogo do caraças" e acabei o primeiro tempo a pensar se valia a pena ver mais.

Fui jantar.

Yilmaz disse...

Que jogo de merda..(ao ponto que adormeci antes do intervalo...)

E só de ver o maratonista Ramires dá-me vontade de apagar a TV...

De Bruyne não fez grande coisa tbm...

Não sei bem como Mourinho vai poder ganhar ao Guardiola sexta-feira;é verdade que este Bayern versão Pep ainda está em rodagem mas já é muito mais equipa que este Chelsea...

(Cheira-me que Mou vai apostar no Lukaku;apostar o máximo no contra-ataque...)

DC disse...

Quem deixa Mata no banco o jogo todo não quer de certeza ganhar o jogo...

Roberto Baggio disse...

DC,
Não é por aí. O Mata nos jogos que fez, não me lembro de uma acção verdadeiramente positiva ou criativa. MAs lembro-me de ter feito uma data de asneiras e ter perdido muitas bolas.
É um problema de dinâmica.

Com Oscar, Hazard, De Bruyne, Shurle, tem que fazer muito mais. Não estar constantemente a procurar transições, ou a não arriscar bolas entre linhas e apoios frontais. Quase sempre que eles tentaram sair apoiado e curto, conseguiram criar uma hipotese de finalizar (os dois remates na meia lua do Oscar). Por isso o problema é dos princípios, não dos jogadores.

Roberto Baggio disse...

"Que jogo de merda..(ao ponto que adormeci antes do intervalo...)"

"Comecei a partida a esfregar as mãos e a pensar "eh pá isto vai ser um jogo do caraças" e acabei o primeiro tempo a pensar se valia a pena ver mais."

"á não assistia há uns meses a um jogo completo da liga inglesa e recordei-me do porquê."

Ficamos com as mesmas sensações

Saber Sobre o Saber Treinar disse...

Absolutamente de acordo.
Uma vez mais, o reducionistmo e a incompreensão da complexidade, no seu melhor...

Abraço

Rafael Antunes disse...

Saber sobre o saber:

Não sei se consigo concordar com o que dizes... Dizes isso em que sentido?



Anónimo disse...

Acham que o Mourinho estava realmente interessado em ganhar este jogo? claro que se ganhar óptimo, mas no fundo o pensamento dele, era... ok, se ganhar espectaculo, mas perder isso é que não pode acontecer... por isso é que ele jogou estrategicamente este jogo desta maneira, a pensar no jogo seguinte!!! ouçam bem a comunicação dele após o jogo, o que ele disse e da maneira que ele disse!!!
Outra questão que devemos colocar é... Com quem joga, quando joga, e para que joga o Chelsa? ora bem Joga já nesta sexta-feira contra um adversário altamente Poderoso, contra um treinador muito mas muito inteligente, para uma SUPERTAÇA EUROPEIA!!! e o jogo de Manchester foi a pensar nisso e nada mais meus amigos!!! e estejam atentos ao jogo que o Chelsea vai realizar já esta sexta feira, do ponto de vista de intensidade, agressividade e dos tais principios que voçes falam!!!
José Mourinho está muito adiantado no tempo, pensa o jogo e a competição e uma forma tão metódica, tão detalhada, tão Humana que arrasa com tudo o que foi feito e escrito até a data sob o que é o futebol!!!!

António Dias disse...

Acho o JJ, melhor que o Mourinho... mas são opiniões... o JJ é muito mais táctico, o Mourinho é os mindgames.

Saber Sobre o Saber Treinar disse...

Rafael,

Muito simples. Como o "Baggio" defendeu, ser "táctico" não tem nada a ver com assumir uma estratégia / postura defensiva, seja ela boa ou má. A Táctica é muito mais do que isso, é um grande exemplo na óptica da ciência da complexidade.

Logo, se recorrentemente ouvimos comentários a jogos em que se reduz um conceito dessa natureza a algo "simplório" e superficial, estamos perante um exemplo do pensamento reducionista que ainda impera na nossa sociedade.
Foi, e ainda é assim, com o treino dos desportos colectivos, e também, como é o caso, com a análise ao jogo.

Rafael Antunes disse...

Sim... Se te referias às comentadeiras da televisão, assino por baixo.

Por momentos, após ler os vários comentários, pensei que estivesses a referir-te à qualidade do jogo por parte do Chelsea, e à sua aposta apenas na fase defensiva.

Como é óbvio esta ideia não faria sentido nenhum.

Cumprimentos

Le Cock Grande disse...

Eu acho que mais do que semânticas, este jogo poderia ter servido para perceberes outras coisas Baggio, que eu noutro dia estava a tentar ver se tu percebias. O Chelsea jogou basicamente num bloco baixo tentando aproveitar contra-ataque como tu defendes, ou seja, meter-se pela boca do lobo (afunilando-o) e fazendo vários compassos, permitindo a recuperação do adversário. Por outro lado, interessante ver que o ataque mais linear e directo do United, no sentido de meter nas faixas e ser mais vertical, numa equipa que estava a jogar em bloco alto, não surtiu efeito. Em suma, tivessem trocado as estratégias ofensivas e talvez tivéssemos assistido a um excelente jogo recheado de golos e bom futebol. Moral da história: não é sistemas perfeitos e é o condicionalismo do jogo que exige a melhor forma de jogar.

Roberto Baggio disse...

Heheheh