Posse de bola no Facebook

Translate

sábado, agosto 24, 2013

Erros individuais, erros colectivos, conhecimento do jogo

Muitas vezes falámos aqui em erros individuais, erros colectivos, e falta de conhecimento do jogo. Sem explicar como podemos aferir sobre o tipo de erro que atribuímos.

Normalmente, definimos os tipos de erros pela regularidade do comportamento. Ou seja, quando um jogador, um sector, ou uma equipa pratica regularmente uma determinada acção, essa acção é o que define o padrão de comportamento desse jogador, sector, ou equipa.

Assim sendo, um jogador que cometa regularmente o mesmo tipo de erros, dentro de uma organização que age em sentido contrário ao dele, está a cometer um erro individual, derivado da falta de conhecimento do jogo.
Um outro jogador, que age regularmente em concordância com aquilo que são os princípios de jogo da equipa, e num ou noutro momento pratica uma acção "irregular", que não condiz com o seu padrão de comportamento, está a cometer um erro individual, derivado de um determinado contexto.
Um sector ou uma equipa que pratica regularmente o mesmo tipo de acções "erradas", em contexto, está a cometer um erro colectivo.

O treinador (de uma equipa profissional) tem maior peso na correcção dos erros colectivos, tem pouco peso nos erros individuais derivados do conhecimento do jogo, e tem muito pouco ou nenhum nos erros que estão fora do padrão comportamental do jogador.

Portanto, caso a equipa tenha um determinado padrão comportamental e surjam acções desajustadas, dificilmente será o treinador o culpado dessas acções. Caso o padrão comportamental do sector, ou de um grupo de jogadores, seja o erro, todos os créditos para o mister.



16 comentários:

DC disse...

Tens visto o Bayern?
Continuo a achá-los muito incompetentes no jogo interior e com uma aposta exagerada nas bolas bombeadas para a área.

Mas a verdade é que vão marcando assim devido à grande presença física que têm na área...

Roberto Baggio disse...

Tenho visto, e estou a ver agora. Concordo.
Não é fácil mudar isso ali, tendo em conta o sucesso recente dos jogadores. As alterações para a próxima época vão ter de ser muito profundas ao nível do plantel.

DC disse...

Pois e o Robben a marcar golos destes nunca vai ligar nada ao Pep quando lhe disser que o passe às vezes é a melhor solução...

Le Cock Grande disse...

Há pessoal que só sabe criticar! Então a quem o Robben poderia passar nesta jogada, sem que a bola fosse interceptada por um defesa contrário?
http://www.miragens.abola.pt/videosdetalhe.aspx?id=18979

Rafael Antunes disse...

Baggio concordo com toda a tua análise...

O 1º erro (Maxi), seguido do 2º (Garay) faz uma combinação irremediável.

No entanto, considero que na zona de terreno onde se encontra a bola, a concentração deveria ser maior, ou seja, o Garay mais perto de Luisão poderia fazer com que este estivesse na linha onde passou a bola.

Mas Luisão, está bem posicionado para um bom posicionamento do Maxi(quadrado amarelo).
O facto é que o Maxi erra, mas o Luisão também não adapta o seu posicionamento perante este erro do colega. O jogador do Maritimo desvia a bola do Maxi, e o Luisão também não se posiciona entre a bola e a baliza, abre ainda mais a baliza e o passe entra onde ele estava.

Já sentia falta disto após as miniférias!!

Abraço

Roberto Baggio disse...

"mas o Luisão também não adapta o seu posicionamento perante este erro do colega"

Deixa-me discordar. A distância relativa entre Luisão e Maxi é boa.
Deixa-me que explique:

Luisão está em cobertura ao seu colega. Não está em contenção na bola. A obrigação primária dele, é garantir a dobra, caso o seu colega seja batido, fechando a zona central. Ou seja, caso ele estivesse mais perto de Maxi, se esse fosse ultrapassado pelo avançado do Marítimo, pela linha, Luisão teria poucas hipóteses de não ser batido também com o mesmo movimento. Caso ele continuasse a progredir por dentro, a situação é a mesma. Luisão andaria basicamente a "bater" no Maxi.

Com isso, apenas concordo com a distância relativa do Garay ao Luisão e do Cortez ao Garay.

Abraço

Rafael Antunes disse...

Percebo que o Luisão não está "na bola", e está de facto bem posicionado em cobertura...
Mas o maxi falha a contenção... Não deveria ter havido um "reposicionamento" de luisão face a este erro de maxi? era neste sentido que falava...

Porque se repararmos... quando maxi é posto "fora" quando o jogador do marítimo vem pra dentro, o luisão volta a não reagir a este estimulo... não aproxima, apenas MAxi e o MD tentam pressioná-lo...

Rafael Antunes disse...

e a sua posição não permitia fechar linhas de passe em profundidade, o único que está em posição de o fazer é Luisão, e não o faz...

Talvez por sentir Garay muito longe e por receio de abrir o espaço interior...

Roberto Baggio disse...

Sim, aí concordo, num segundo momento. Não que tivesse de pressionar, mas fechar a linha de passe para a baliza ou remate frontal.

Mas é um erro que qualquer jogador do mundo cometeria, pela dinâmica dos lances e pela velocidade a que ocorrem.

Shattered disse...

Em primeiro lugar quero dar os parabéns pela dinâmica do blog bem como das temáticas aqui debatidas. Quanto à situação em análise considero que se o Luisão estivesse "bem posicionado" conseguiria intercetar o passe ou obrigar o adversário a optar por outra decisão. Caso a função "primária" seja dobrar o Maxi então não desempenhou bem a função pois como se vê não interceta o passe nem cria dificuldades ... Não ajustou e devido às características dele deveria estar mais perto para chegar mais cedo caso passasse pelo maxi. (Garay deixou-se dormir)

Roberto Baggio disse...

"Caso a função "primária" seja dobrar o Maxi então não desempenhou bem a função pois como se vê não interceta o passe nem cria dificuldades"

A dobra surge quando o colega é ultrapassado. O colega não foi ultrapassado. O colega simplesmente não soube colocar-se entre a bola e a baliza, como o deveria ter feito.

Ele não tem de interceptar o passe, tem de estar a pronto a sair caso o colega seja batido, por fora ou por dentro. E ele nunca foi batido...

Considero que não deveria estar mais perto. A distância relativa entre os dois é boa, caso contrário, como disse, caso um fosse batido, arriscava-se a ficar batido também, sem que o adversário fizesse mais por isso.

Luisão é o menos culpado. Comete um erro, que nem o é, porque o colega é que não soube cumprir com um princípio básico da defesa.

Como já tinha escrito acima.

Agradeço o elogio

Abc

Rafael Antunes disse...

Baggio

Eu aqui continuo com a minha... :D

O Luisão está bem posicionado, tendo em conta um bom posicionamento do Maxi. Mas esse acerto do Maxi não se verificou... É por isso que atribuo também um erro ao Luisão. O colega errou, mas ele também não ajustou face a esse erro.

No entanto, a distância entre Garay e Luisão parece-me ser o que gera este erro de anáçise, um a vez que pode ter dado a noção a Luisão que ao adaptar face ao erro de MAxi pudesse abrir demasiado o espaço interior.

Abraço

Roberto Baggio disse...

Rafael, eu compreendo.

Mas deixa-me colocar a coisa da seguinte perspectiva!

Como é que tu em treino corrigias esta situação?

Como orientavas o feedback, na altura do erro? Para onde guiavas na repetição seguinte?

Rafael Antunes disse...

Percebo completamente o que queres dizer.

Apontaste erro ao Maxi, totalmente de acordo e é recorrente, apontaste erro ao Garay, concordo e aqui não é normal.

Estamos de acordo nos erros. Apenas digo que considero que NESTA situação, não sou capaz de desresponsabilizar por completo o Luisão, pelo que já disse.

Em termos de correcção, e de treino, concordo que o Luisão é o que menos terá de "ouvir", visto que o erro dele decorre de erros de colegas, por conseguinte, se o Maxi acertasse o Luisão já não errava. Se o Garay estivesse mais perto o Luisão já poderia ter tido outra acção após o desvio feito ao MAxi.

Roberto Baggio disse...

Atenção que eu concordo contigo, que no momento em que o jogador do Marítimo enquadra, Luisão poderia e deveria ter fechado a baliza e o passe.
Mas compreendo que o erro dele deriva do dos outros e é uma situação muito difícil de corrigir em treino, a não ser que os outros estivessem sempre a errar. E é por isso que iria desvalorizar quase por completo, essa situação no treino. Daí não o considerar tanto aqui.

Rafael Antunes disse...

Sim estou a perceber-te...

O Luisão é o que erra menos no que à continuidade diz respeito... É difícil "treinar" o erro dele, uma vez que depende do de outros, o que quer dizer que se os outros fizerem o que é suposto, "não há nada para treinar no Luisão".

Estamos de acordo.