Posse de bola no Facebook

Translate

quinta-feira, agosto 22, 2013

Criação de um morfociclo padrão

Na minha óptica e como defensor acérrimo da periodização táctica, não me refiro a uma semana de trabalho como um microciclo. Um microciclo de treino é um conjunto de sessões de treino entre duas comeptições  (2jogos). Mais do que criar um microciclo é preponderante construir um morfociclo padrão. Quando se diz padrão, não significa que os treinos e os exercícios que se fazem nesses são sempre iguais. O que se deve definir é o que cada dia da semana de trabalhos significa na nossa forma de treinar. Terça-feira o objectivo e o conteúdo têm um propósito, sexta~feira tudo será diferente. Microciclo refere-se a um conjunto de sessões, morfociclo refere-se à evolução de sessão para sessão, aquilo que se quer atingir em cada dia da semana, porque o treino é isso mesmo, um processo evolutivo.

Aqui fica um exemplo de um padrão semanal:

O morfociclo padrão, começa com o dia da competição. Este dia é muito importante no processo de treino, uma vez que é através da competição que se observa se os comportamentos desejados estão a surgir no jogo. No treino, procura-se atingir uma determinada forma de jogar e é no dia da competição que se pode observar e avaliar o sentido do processo.

No dia seguinte à competição a equipa folga.

Terça-feira. Dia da recuperação activa. Neste dia procura-se abordar alguns sub-princípios face ao jogo anterior e perspectivando o próximo. O objectivo passa por promover um esforço característico do nosso jogar mas com uma redução a nível da velocidade, tensão e duração da contracção. É uma sessão que deve ser muito descontínua com diversas paragens. Exercícios centrados no nosso modelo de jogo mas com pouco desgaste, onde existe pouca oposição. Este dia serve para recuperar as estruturas que forma solicitadas na competição e a grande preocupação é recuperar emocionalmente.


Quarta-feira: Fracção intermédia do jogar. Abordam-se aspectos sectoriais e inter-sectoriais. Em espaços reduzidos e com duração reduzida, uma vez que a recuperação neste dia ainda não é completa. Contracções da tensão elevadas e duração da contracção reduzida. Muitas paragens na sessão e rapidez de execução.

Quinta-feira: fracção total do nosso jogar. Dinâmica colectiva. Este dia da semana é o que se encontra mais longe do último jogo e do próximo. Logo faz sentido que seja o dia em que se exige mais dos jogadores. Priveligia-se a dimensão colectiva ecom exercícios em espaços grandes e com maior tempo de duração. Neste dia ocorre um esforço semelhante ao da competição. Trabalhar grandes princípios e dinâmicas colectivas. Ainda assim, não acho que se deva trabalhar no campo todo, porque dessa forma não se respeitaria o princípio das propensões. Se queremos que diversos comportamentos surjam o espaço não pode nunca ser o máximo possível.

Sexta-feira: Pequena fracção do jogar. Sub-princípios, onde a preocupação deve ser que nos exercícios contenham uma enorme velocidade de decisão. Pouca oposição em espaços reduzidos. Contracções elevadas e tensão da contracção elevada também. A velocidade neste dia deve ser máxima.

Sábado: Predisposição para o jogo: Relembrar alguns aspectos que se treinaram durante a semana mas com grau de dificuldade baixo para que não se force os jogadores a grandes solicitações. Neste dia o lado aquisitivo é muito menor.

46 comentários:

Gonçalo Matos disse...

Olá Cláudio, tudo bem?

Tenho uma questão desde há muito e que sozinho não consigo responder. Se tiveres um jogo e outro 72 horas a seguir, como organizarias as sessões de treino?

Cláudio disse...

Tudo Gonçalo e ctg?
Neste caso teríamos quantos dias livres entre jogos?

Gonçalo Matos disse...

Está tudo bem!

Seriam 3 dias.

Cláudio disse...

Sem folga. Recuperação no dia seguinte mas sempre trabalhando aspectos do modelo de jogo. Sub-princípios. Exercicios com pouca oposição. Corrigir coisas que correram mal no ultimo jogo e potenciar aspectos mais fortes.
Segundo dia seria o de quinta feira na semana normal, mas com menos dimensão colectiva. Procurava trabalhar os grandes princípios e sub-princípios ao nível inter-sectorial, era o dia que exigiria mais dos jogadores.
terceiro dia, novamente pouca complexidade e espaços reduzidos para potenciar alguns sub principios. Nada muito díficil pq no dia seguinte ha jogo.

Gonçalo Matos disse...

ok, obrigado!

A minha duvida tinha a ver com fazer ou não folga.

Roberto Baggio disse...

Sem folga aí! Recuperação activa

Fred disse...

Penso que esta maneira de pensar o treino é bastante válida para equipas profissionais, para equipas amadoras e principalmente para escalões jovens não faz muito sentido pois os jogadores na sua grande maioria já chegam recuperados fisiologicamente ao 1º treino da semana.

Fazer mal não faz, mas perde-se tempo com uma componente que não faz muito sentido.

Fred disse...

Lá vai o Fred criar polémica! kkkk

Gonçalo Matos disse...

Fred, pelo que sei, segundo a periodização táctica, a recuperação não é só fisica mas também psicológica. Um primeiro treino com menor intensidade serve para recuperar os jogadores a vários níveis, trabalhando os principios de jogo da tua equipa ao mesmo tempo. Acredito que o planeamento que se faça para uma equipa das que referes (normalmente com 3 treinos semanais), seja semelhante ao que o Cláudio escreveu neste caixa.

Gonçalo Matos disse...

Bem, certamente não é só a P.E. que defende que é necessário haver uma recuperação psicologica, mas acho que se percebeu o que queria dizer.

Fred disse...

gostava que me explicassem o que é a recuperação psicológica é ter os miúdos em exercícios de pouco intensidade e de grande volume?

Sendo bastante prático aqui vai o meu micro padrão para a minha equipa de juvenis.

1º treino : org defensiva / transição ofensiva, Método de jogo global, força rápida, normalmente estações de skips + saídas de 5 mts

2º treino: Transição ofensiva/ org ofensiva, esquemas tácticos, Método de jogo global, potencia numa semana aeróbia na semana seguinte láctica.


3º treino: org ofensiva/ transição defensiva, Esquemas táticos, método de jogo global.


A nível de intensidade/ volume não faço grandes alterações a nível da densidade do treino, é sempre a rasgar!!

Ps: em equipas profissionais é claro que tem-se que ter cuidado com a recuperação principalmente em equipas que fazem 50 jogos/ época.

Roberto Baggio disse...

Em exercício de duração curta e com pouca complexidade. Com muita pausa, muito feedback, principalmente corrigir o jogo anterior. Mas a intensidade dentro da execução é sempre máxima!

Fred disse...

Roberto Baggio, experimenta 2 semanas nos teus juvenis não teres a tal preocupação com a recuperação e vais ver em 2/3 semanas a diferença de ritmo que os miúdos vão ter!!

Roberto Baggio disse...

O problema não é do ritmo, é de concentração... Em dois anos não os conseguimos ter totalmente focados no treino no primeiro dia de treino a seguir ao jogo.
Daí exercícios mais curtos (em termos de espaço) com menos jogadores envolvidos, logo com mais repetições, mas também com muitas pausas para focar aspectos do jogo anterior a corrigir. É aí que incidimos no treino seguinte.
Portanto não perdemos intensidade, aí

PP disse...

Cláudio,

Artigo super interessante. Mas, embora tenha percebido a lógica quando se tem "três jogos por semana", a minha pergunta é quando é que os jogadores têm folga? Só depois do 3º jogo? Então se a semana seguinte o ciclo do número de jogos é o mesmo?

Considero este assunto super importante e de alguma complexidade para os treinadores. Não é à toa, que muitos treinadores enquanto têm 2 jogos por semana fazem excelentes trabalhos, mas quando apanham com competições europeias a meio da semana, ficando com 3 jogos, começa a qualidade a decrescer imenso.

Qual será o segredo dos treinadores de topo? A boa gestão desse reduzido tempo, parece-me óbvia, mas como? Exercícios de treino específicos?

E, deixo aqui o desafio: para quando um artigo sobre prós e contras de treinar ou não antes dos jogos?

Anónimo disse...

Treinar no dia de competição é estúpido!
Quando há muitos momentos de competição não há folgas. Mas espera, isso já foi dito acima! Recuperação activa! Única preocupação desses treinos é recuperar os jogadores para o jogo seguinte!

José Mourinho disse: muitos vão ler, poucos vão entender.
Porquê?
Porque claro, quem não percebe de culinária, decora receitas, não as percebe.

PP desiste, és triste!

Jorge Ferreira

josé carlos disse...

Isso é interessante, mas e para quem treina iniciados e só treina à segunda, quarta e sexta?

Roberto Baggio disse...

José a padronização do Fred está aí para isso. Ele também é um dos autores do blogue a aceito a dele.

Fred disse...

Roberto Baggio, a concentração no treino consegues com ter os miúdos em atividade, sinceramente não acredito em treinos de recuperação a este nível, até porque até juvenis a recuperação faz-se em cerca de 32H ou seja mesmo que jogues domingo e treines segunda os miúdos já estão recuperados, e essa necessidade fisiológica já não existe.

Se treinas na terça então já estão mais que recuperados e o ciclo de sobrecarga já está na fase mais descendente portanto já podes por isso dar carga para a curva de estimulo entrar na fase ascendente.

Os treinos de recuperação fazem sim muito sentido no período pré competitivo onde as cargas são normalmente muito mais altas que durante a competição, aí a recuperação é fundamental para os atletas não entrarem em sobre treino logo na pré época.

Abraço

Roberto Baggio disse...

De lembrar que desde metade da época passada estamos com juniores.
Entretanto a verdade é que não o conseguíamos. Fisicamente, até se apresentaram bem, mas só faziam merda dentro do exercício. Muito pouco acerto, muito distraídos. E se sei que por experiência eles estão distraídos, adapto o treino retirando complexidade do exercício. Obrigado a pensar menos, mas mais depressa, mais repetições, muitas correcções.
As nossas equipas estiveram sempre muito bem ao nível da intensidade e agressividade. Não estou a falar do que é teoricamente correcto, mas sim da experiência prática que nos levou a adaptar.

Abraço

Roberto Baggio disse...

Portanto um ano e meio com juniores, 2 com juvenis.

PP disse...

Jorge Ferreira,

Desistir é para fracos. Se tu estás realmente nesta área, nem sequer deverias ter esse tipo de discurso.

"Treinar no dia de competição é estúpido!"
Aparentemente, até poderei concordar contigo, pois é algo que o Jesus faz muitas vezes e como tem tido o sucesso que tem... de qualquer das formas gostava de saber mais sobre os prós e contras dessa metodologia, porque certamente deve existir.

"Quando há muitos momentos de competição não há folgas."
Vai dizer isso aos jogadores habituados a estarem com as mulheres deles e com a família... podem estar uma semana sem folgas, mas quando são duas e três semanas, com 3 jogos por semana... acho que tem grande impacto, até em termos mentais... claramente, não deves ter experiência em equipas de alto rendimento.

A recuperação activa é resposta para uma semana de trabalho, mas duas... não sei... e estou curioso em saber pelo Cláudio, que parece ser o único a perceber da poda, sobre este assunto.

"José Mourinho disse: muitos vão ler, poucos vão entender."
Completamente de acordo! Acho que deste uma boa mostra disso mesmo, com a tua tentativa de ridicularizar o meu comentário...

E, só de saber que o fizeste às 6:57 da manhã... deves ser mesmo doente Jorge Ferreira e termino com um...

O triste és tu!

Um abraço e um queijinho! ;)

PP disse...

Cláudio e Fred,

Tendo o seguinte calendário, como se organiza os treinos:

1ª semana:
- 1º jogo: Sábado
- 2º jogo: 4ª feira (fora do país)
2ª semana:
- 3º jogo: Domingo
- 4º jogo: 4ª feira
3ª semana:
- 5º jogo: Domingo

Quando é que a equipa faz a sua folga?

Cláudio disse...

PP, faria igual. Como existiam poucos dias entre os jogos, não podia conceder um dia de folga nessa fase. No entanto teria em atenção em não fazer sempre treinos bi-diários. Daria folgas da parte da manhã ou da tarde. Mas um dia livre não era possível no calendário que referiste

Pedro7 disse...

PP para além de limitado na aprendizagem és mesmo muito burro! Já te tinham dito que se houvesse 3 jogos por semana não se poderia folgar um dia inteiro independentemente de serem 1 ou 5 semanas é sempre o mesmo modelo! Tu tens de começar a pensar no que dizes porque sinceramente quando me quero rir leio o que escreves! Ontem diverti-me imenso a ler o que pensas HxH ahahahahahahanah

Que zé!

Roberto Baggio disse...

Treinar uma hora e meia por dia, tendo o resto do dia livre, se não há tempo para estar com as famílias, não sei quem terá. Recuperação activa sempre.

Cláudio,
Colocarias bi diários no teu microciclo padrão? O ano inteiro?

Cláudio disse...

Sempre não. Ao longo da época dependendo das circunstâncias podia decidir quando fazer bi diários ou não. Mas por regra todos os dias não.

Roberto Baggio disse...

Malta vamos ter calma com os comentários sfv

Le Cock Grande disse...

Que ganda trengo esse Pedro7! És mesmo burro! Então para ti os jogadores nunca têm dias de folga como os outros trabalhadores?! Trabalham tipo asiáticos durante 5 semanas sem descanso?! Para dizer merda mais vale estares calado! Deixa-te de FM's puto!

Le Cock Grande disse...

Il Codino Divino, "Treinar uma hora e meia por dia, tendo o resto do dia livre, se não há tempo para estar com as famílias, não sei quem terá." Então e se tiveres viagens entre esses dias que comem o tempo para eles estarem com as famílias?

Roberto Baggio disse...

Impossível, num mês, teres mais que duas viagens. Ou tens apenas duas viagens, ou tens folgas.
Esse cenário nunca se coloca porque não acontece.

Le Cock Grande disse...

Ai agora não acontece. Impossível não é! Ainda esta temporada o Benfica em menos de um mês foi a Newcastle e depois à Turquia, se não me falha a memória. Podes ver aqui:
http://www.zerozero.pt/equipa.php?id=4&epoca_id=142&menu=allmatches
E, recordo-me que nessa altura houve a final da taça da Liga, à qual muita gente tinha dito que o Jesus não queria ir jogar por causa da calendarização e dos problemas que isso trazia. A final foi a 13 de Abril. 2 dias depois da 2ª mão frente ao Newcastle... Mesmo havendo ajuste na calendarização, o Jesus iria segundo o teu método, de não dar folgas, passar três a quatro semanas sem folgas diárias... isso é impensável e irrealista. Os jogadores faziam-te logo a folha! Se calhar tu onde treinas não tens esses problemas, jogas de semana a semana, mas quem quem treina equipas de top tem de entender e pensar como fazer isso. Um treino por dia, parece ser uma solução "q.b." de curto prazo, mas em situações destas como o do Benfica, acho que seria mais complicado aplicar.

Roberto Baggio disse...

Amigo lê de novo o que escrevi...
Newcastle e Turquia são duas viagens, num mês! Duas!
Eu escrevi não tens mais que duas num mês! E sendo assim, há tempo para estares com a família!
E não é por eles estarem uma semana "fora de casa" que te matam.

Portanto não compliques o simples. No calendário competitivo ou tens duas viagens, e uma semana atribulada, no máximo, sem folgas, ou tens sempre tempo para folgas.
Como duas viagens ocupam no máximo uma semana, nas seguintes eles podem estar com família.
Mas claro que não tenho esse problema, porque não o é. Tu é que estás a fazer dele um bicho q não existe.

Roberto Baggio disse...

PS: Olha melhor para o calendário que tu próprio mandaste. Olha bem para o número de dias entre o jogo do Paços para a taça da liga, e o Jogo contra o Sporting...
Não faz sentido nenhum o que disseste, como vês.

Le Cock Grande disse...

Faz todo o sentido, pois perguntei como poderia fazer uma folga completa de um dia se o Jasus tivesse ido à final da Taça da Liga. Se reparares, com a tal regra das 72horas a ser respeitada, o Benfica teria durante essas duas ou três semanas, jogos de 72 em 72 horas. A questão então é pertinente, pois se podes dar meias folgas numa semana, compensando noutra, por exemplo, tu nesta situação estás bem tramado. Por isso é que todos os anos muitos treinadores profissionais criticam os calendários das competições. São situações pontuais, mas são sempre numa fase crucial da temporada.

Roberto Baggio disse...

Percebe uma coisa: Com as viagens, que são no máximo duas, eles perdem no máximo uma semana de contacto com a família. Depois têm treinos que lhes ocupam no máximo 3 horas durante o dia. E têm o resto do tempo para estar com a família!
Não há problema nenhum com a recuperação dos jogadores, nem com a vida pessoal.
O Benfica teve um problema, de facto, entre a Madeira e a segunda mão da meia final. E aí Jesus podia ter feito uma gestão diferente dos jogadores, mas a verdade é que conseguiu ganhar.

Portanto estás mesmo a fazer disso um bicho, que não o é.
Se vai a final da taça da liga, tem de continuar a rodar jogadores como o fez na meia final, e é por isso que existe um plantel e não apenas onze.
Agora explica onde está o problema de gestão física e emocional dos jogadores e em que espaço de tempo nessas três semanas treinando todos os dias, eles não têm tempo com as famílias...

Anónimo disse...

Le Cock grande, o que é que tu percebes de fisiologia de esforço ou de anatomia? Ou de fadiga do SNC e recuperação?

Filipa Matos

Le Cock Grande disse...

Perguntei-te aguma coisa garota?

vai tomar banho pah...

Recuperação do SNC precisas tu 24 horas por dia

Roberto Baggio disse...

LOL

Le Cock Grande disse...

então não é verdade... vem esta caveira para aqui meter o bede-lho em conversas que não lhe diz respeito. antamonia, fisiologia, fadiga do SNC e recuperação. estamos a falar de Futebol caralho, não é de cientistas e tubos de ensaio e ratos de laboratório.

Roberto Baggio disse...

Hahahah

Gonçalo Matos disse...

Le Cock,

"antamonia, fisiologia, fadiga do SNC e recuperação. estamos a falar de Futebol caralho".
Quererás tu com isto dizer, que esta lista (antamonia, fisiologia, fadiga do SNC e recuperação) nada tem a ver com o futebol? Não estudo na FMH mas para mim é obvio que tudo o que foi dito tem a ver com futebol. Achas que a folga serve para que? E não dar folga e fazer recuperação activa? Do ponto de vista do treinador, não dos jogadores. (não é pergunta retórica)

Dou-te um conselho: pensa criticamente antes de escreveres. Eu aqui no blog devo ser o gajo que mais benefício da dúvida dá às pessoas, até porque sou o que percebo menos e acredito que até percebes de futebol. Tens é de perceber que hoje em dia o desporto engloba áreas multidisciplinares. Aconselho-te a ler o livro "Mourinho: porquê tantas vitórias?"

Outra coisa, não só para o Le Cock mas para todos, este blog foi criado por um grupo de amigos para se debater futebol. Não foi criado para haver trocas de insultos. Pra isso já chegam os programas da TV com os "especialistas" a analisar. Acho lamentável termos bloqueado a caixa de comentários.


Le Cock Grande disse...

tu com essa pressão toda no SNC estás é a precisar de passar no elefante so pode! tu não ves que foi uma maneira de falar (brincadeira)? não, não é retórica!!

Gonçalo Matos disse...

Tudo bem, tb gosto de uma boa galhofa. O que eu gostava de saber mesmo é a tua opinião sobre para que servem as folgas! Achas que a folga serve para que? E não dar folga e fazer recuperação activa? Do ponto de vista do treinador, não dos jogadores. Que optarias se fosses treinador? E como ias gerir a questão das viagens? Um gajo tá a tentar ter uma discussão saudavel contigo.

Quanto ao meu SNC, escrever uma tese não é fácil de facto. Arranja então o contacto do elefante por favor.

Le Cock Grande disse...

a folga é isto mesmo amigo!!!

espero ter ajudado!

http://elefantebranco.pt/pt

Gonçalo Matos disse...

Obrigado!

Gosto do teu ponto de vista! Se algum dia for treinador vou considerar o teu input.

Um abraço