Posse de bola no Facebook

Translate

domingo, julho 21, 2013

Zidane contra Portugal - Euro 2000

Sofrimento a cada toque na bola de Zizou


21 comentários:

Anónimo disse...

A perfeição na mudança de velocidade.. Quem será o melhor a dançar isto?

Zidane

ou

http://www.youtube.com/watch?v=3BgnbsgnBes

ou

http://www.youtube.com/watch?v=G6BcPmMUahE

Difícil decisão :)

Cumprimentos,
António Teixeira

Anónimo disse...

A perfeição na mudança de velocidade.. Quem será o melhor a dançar isto?

Zidane

ou

http://www.youtube.com/watch?v=3BgnbsgnBes

ou

http://www.youtube.com/watch?v=G6BcPmMUahE

Difícil decisão :)

Cumprimentos,
António Teixeira

PP disse...

Epá, o Zidane que me perdoe, mas essa meia-final deveria ter sido nossa...

Outra coisa sobre o Zidane... nunca o achei um jogador super-intenso, como é "moda" os treinadores agora procurarem. Fazia tudo com uma souplesse, como se lhe fosse tão natural como respirar. O que outros faziam a morder a língua, quase a rasgar os seus próprios limites, Zidane fazia com uma graciosidade ímpar.

Era de facto muito especial e com a mentalidade competitiva e vencedora que tinha tornou no jogador que foi.

Por isso, quando falam-me dos jogadores pouco intensos como se não tivessem lugar no futebol, torço um pouco o nariz...

PS: poderias ter colocado o clip do golaço na final da liga dos campeões... ao menos trazia-me melhores lembranças... ;P

Roberto Baggio disse...

Melhor um jogo inteiro, que um golo apenas. E essas foram todas as acções dele no jogo.

Quanto à questão da dança, António, todos esses eram muito bons, Maradona melhor que Zidane, nesse aspecto, e Messi melhor que os dois. O que é normal porque agora há menos espaços e ele teve de se adaptar a isso.

A intensidade é uma questão de estímulos. E é preciso perceber que cada jogador é intenso da sua forma. E é preciso perceber, também, que se tens um jogador tão forte e decisivo vais fazer gravitar a equipa à sua volta, jogando de forma a que ele tenha total liberdade para jogar, bem, o melhor futebol dele. Eu que não gosto de duplos Pivots, com Zidane seria obrigado a jogar com um, por exemplo, no momento da perda de bola.
Abraço

Anónimo disse...

Eu acho o Zidane um jogador de uma intensidade tremenda com bola (sem bola não posso opinar).

Cumprimentos,
António Teixeira

Roberto Baggio disse...

António, intenso ou agressivo? Intensidade com bola, soa estranho.

PP disse...

O Zidane com a bola nos pés, quem é que lhe tirava a bola?

E o mais engraçado é que ele fazia as jogadas quase sem esforço... mas, sou-vos sincero, naquela altura não o curtia mesmo nada.

Primeiro, porque acho que o Rui Costa se tivesse seguido outra trajectoria na carreira poderia ter atingido outro nível, igual ou talvez superior ao Zidane, por outro, este era francês e naquela altura aquela selecção francesa transbordava a vaidade e arrogância.

Ah! E, depois tinha a certeza que o tipo tinha mal perder e fervia em determinadas condições... viu-se na célebre final de 2006. Quer se goste ou não, o Materazzi expôs ao mundo os defeitos do Zidane, e desequilibrou-o completamente a nível emocional.

Anónimo disse...

Hum, sim, posso usar o termo "agressivo", visto que não sei qual o termo correcto. Ele pode ser intenso com bola, mas não era isso que queria dizer e, realmente, soa mal.

PP, já te respondi no post do Barça, mas penso que mais uma vez me devo ter enganado a publicar, pelo que responderei, em princípio, nas próximas horas.

Sobre o Rui Costa, eu não concordo. Aliás, poderia dizer o mesmo do Deco ;)

Cumprimentos,
António Teixeira

Roberto Baggio disse...

Quanto ao comportamento do Zidane, ele teve um, no final da carreira. Um em todos esses anos não é regra, é excepção.
Quanto ao Rui Costa, nunca poderia chegar onde Zidane chegou por não ter a qualidade do francês. Rui jogou na Fiorentina com grandes jogadores e esteve no Milan de Ancelotti... Portanto, se não foi melhor, foi porque não o era, porque esteve sempre em grandes clubes, inclusive jogou no mesmo campeonato de Zidane, durante vários anos.
Quanto ao resto, bom, Zidane era muito forte fisicamente era realmente uma tarefa hercúlea tirar-lhe a bola, porque tinha também muita técnica mas sobretudo porque era inteligente. Quando eles pensavam que ia chegar, ele dava mais um toque, mudava de direcção, tocava nos colegas, era incrível ele

DC disse...

Era o verdadeiro treinador da França.
A França jogava como e por onde ele queria. Os seus passes a indicar o caminho aos colegas eram geniais.

PP disse...

@ Baggio: Na minha opinião, o Rui Costa, noutra equipa teria atingido o nível do Zizou... se tivesse ido para o Barcelona... ;)

Quanto à "excepção", não é bem assim, já no mundial de 1998 ele teve uma expulsão que poderia ter prejudicado a selecção gaulesa. Já mostrava um pouco o seu "mau" génio. Com isto não quero dizer que ele seja de má pessoa. Enfim... ninguém é perfeito. ;)

Já viste o filme no youtube do Zizou a jogar futsal nas férias com os amigos? O tipo a proteger a bola é tipo "freestyler", ou seja, tem resina nas botas. E sabe utilizar bem o seu corpo, aguentando as cargas. Gosto imenso do seu toque de bola.


PP disse...

@ António Teixeira: Já estive a olhar para o tópico do Vilanova, à procura do teu comentário, mas não vi nada...

Era sobre o quê?

Gonçalo Matos disse...

Não conhecia isto:
http://www.youtube.com/watch?v=S7QpfKP6l3Y

Roberto Baggio disse...

Isso é engraçado

Interior-Direito disse...


Melhor que o Zidane ou o Rui Costa, era o Laudrup. Classe, pura classe.

http://www.youtube.com/watch?v=G3NWjZhGh5U

Roberto Baggio disse...

Não sei, não o vi jogar.
Abraço

Interior-Direito disse...


Uma espécie de Iniesta meets Xavi meets Zidane. Melhor jogador do Barça do Cruyff...

Conseguiu acabar a carreira após um Mundial (1998) em que foi um dos melhores, por exemplo bem melhor do que o Zidane, que até se sagrou campeão mundial.

Roberto Baggio disse...

Hmmmm, vi a final do Barcelona de Cruyff contra a Sampdória e ele não jogou. Tenho os jogos da Dinamarca contra a França e contra o Brasil desse mundial, assim que tiver tempo vejo. Abraço

Edson Arantes do Nascimento disse...

Oh interior-direito, menos... Menos! Adorava o Laudrup, era um jogador de grande nível, mas o Zidane está no patamar dos Maradonas, Messis, Pelés e por aí adiante. Top dos topes!

O futebol é engraçado: há pessoas que andam sempre à procura da sua própria versão/opinião dos acontecimentos. Mesmo que seja algo factualmente impossível.

E comparar o M. Laudrup com o Zidane no França 98 e dizer que o dinamarquês até foi melhor é algo mesmo muito corajoso.

Bem, tens obrigatoriamente de dizer que o francês foi expulso na primeira jornada da fase de grupos, num jogo contra a Arábia Saudita, e que só voltou na meia-final.

Altura em que a Dinamarca já estava fora da competição (foi eliminada pela Nigéria nos oitavos).

Este interior-direito e o PP a ponta-de-lança faziam uma boa equipa de líricos.

PP disse...

Depois de ler o que o Edson escreveu só tenho uma coisa a dizer: o "baixinho" tinha razão...

;)

Gonçalo Teixeira disse...

Parece-me unânime que Zidane foi melhor que Rui Costa. Também é verdade que Rui Costa foi considerado o melhor médio ofensivo em Itália pela Fiorentina e Zidane jogava na Juventus por essa altura mas vale o que vale. Gostava que Rui tivesse ido para o Barcelona, talvez lhe tivessem dado outro valor agora a classe que transbordava nos relvados era ímpar e continuará nas minhas memórias.