Posse de bola no Facebook

Translate

domingo, julho 21, 2013

João Mário

Reparem na forma como orienta Viola, para continuar na linha de passe sobre a esquerda. Tem tudo para dar jogador, e ontem provou-o novamente. É muito melhor jogador dentro de um colectivo, e será ainda melhor a jogar com melhores jogadores. Precisa de muitos minutos de jogo, já. É um menino que já conhece o jogo, felizmente. A questão que fica aos dirigentes do Sporting, e do futebol nacional é: Se temos isto nas academias, para quê contratar? E se os temos nas equipas, porque é que não jogam?

Assim vai a formação em Portugal!

19 comentários:

Ronaldinho disse...

Muito bom este miúdo, mas vamos antes apostar em renatos netos que é mais giro...

Gonçalo Matos disse...

No jogo reparei nesse lance em que da indicações ao Viola.

Vou insistir num tópico que já falámos. Na minha opinião, o Sporting deveria jogar em 4-1-3-2 este ano. O forte do plantel são os seus médios, é aí que encontras os jogadores do plantel com melhores ideias e que te conseguem criar mais desequilibrios, fundamentalmente pela criatividade.
Por outro lado, não vejo nenhum jogador que consiga jogar como ponta-de-lança num 4-3-3; quer como homem de área, quer como ponta de lança mais móvel

Gonçalo Matos disse...

Patricio

Esgaio/Cedric; Rojo; Dier; Jefferson

André Santos

João Mario; João Martins; Adrien

Wilson Eduardo; Montero

Roberto Baggio disse...

O que interessa não é sistema, é o modelo...
O Paços jogava 4-3-3 e o Josué era extremo... Ou 10... Ou interior... Como quiseres... O sistema não é mesmo relevante...
Às dinâmicas é que ditam isso. Não o sistema.

Gonçalo Matos disse...

O que quero ressalvar aqui é a ausencia de extremos puros vs 4-3-3 com extremos à lá Capel. Quero ter bola, quero controlar o jogo com posse, vou jogar com os jogadores que me permitam mantê-la e que consigam desequilibrar pela sua criatividade e capacidade de execução. Depois quero pressionar alto e limitar ao máximo a saida do meu adversário e pra isso não posso ter extremos a correr sozinhos junto a linha e a bombearem bolas.
Depois não quero jogar com um 10 puro, porque não gosto do espaço que deixa nas suas costas, no meio; prefiro que seja o medio centro com a sua dinamica a surgir na posição 10.

O 4-1-3-2 é só um desenho no papel, não implica que seja estático, posso-te por os mesmos jogadores noutro modelo. Nenhum modelo de uma grande equipa hoje em dia é estático. O Porto aparecia desenhado no 4-3-3 e tinhas o James sempre a flectir pra posições interiores

Roberto Baggio disse...

O porto era mesmo 4-4-2 losango.
Mas acho que essa ausência de extremos puros não é desculpa. É tudo uma questão de dinâmica.
Quanto ao 10 o Josué transformava o 4-3-3 em 4-4-2... Mas esse começava mesmo pelo exterior, o James não, estava sempre dentro.

Gonçalo Matos disse...

não é losango. então na tua mente, todas as equipas devem partir de um 4-3-3? O que pões em causa aqui é a maneira como organizo os jogadores no papel? Um 4-3-3 estático é igual a um qualquer outro esquema estático. Qual é a critica ao modelo, mesmo?

Roberto Baggio disse...

O losango é referente ao meio campo e o porto jogava em losango. O James era o 10. Os avançados, um era extremo o outro mais central.

Não, o meu sistema preferido é o 4-4-2 losango.

Estou apenas a dizer que, independentemente das características dos jogadores, podes jogar no sistema que queres. Depois as dinâmicas é que vão ditar se está tudo bem ou tudo mal. Uma simples mudança de sistema não garante nada. Sim o 4-3-3 é igual a qualquer um. Mas o que te estou a dizer é, o 4-1-3-2 não garante que os jogadores do Sporting vão ser melhor aproveitados que no 4-3-3... Só isso... Porque o 4-3-3 pode ser tão bem trabalhado, lá está, em termos dinâmicos, que isso se torne irrelevante. E essas dinâmicas, são o modelo de jogo. E é isso que é o mais importante.

Roberto Baggio disse...

Não é o sistema que beneficia os jogadores, é essa a conclusão...

Gonçalo Matos disse...

Percebi que o losango era referente ao meu esquema, sorry!

Sim, mas eu concordo com tudo o que afirmas. Não é por mete-los em 4-1-3-2 que sai dali um milagre. entretanto, jogarias como se fosses o treinador do Sporting?

Dejan Savićević disse...

Betinho é craque

Roberto Baggio disse...

Não conheço de perto todas as características dos jogadores para escolher em função deles. Há muita coisa que se descobre nos treinos porque num contexto diferente nunca se viu. Mas eu jogaria no meu sistema preferido 4-4-2 losango. Dois interiores, um 10,
Dois avançados :)

Gonçalo Matos disse...

Entao e as dinâmicas? :))

Roberto Baggio disse...

Era o que mais faltava estar aqui a construir um modelo de jogo lololololol
Abraço xD

PS: Vimos o treino dos seniores do Gil Vicente de manhã.
Agora vamos ver o dos juniores à tarde. Depois dou notícias ;)


Gonçalo Matos disse...

Só te digo isso, porque a critica que fizeste foi que a disposição táctica não é tão fulcral como a dinamica. Mas acredito que farias algo semelhante, pelo menos em organização defensiva, ao que disseste no post em que discutimos o Bayern do Pep

PP disse...

A formação em Portugal está super condicionada.

Só há êxito se houver jogadores a chegarem a seniores e fazerem boas carreiras.

O problema é que o preferencialismo que existe por estrangeirada mina tudo isso.

Porque é que é assim? Por uma questão de dinheiro. Os presidentes dos clubes, estão nos clubes para enriquecerem rapidamente e a forma mais rápida para eles o fazerem é nas contratações. Como?

Simples! Cada contratação estrangeira pressupõe uma transferência financeira para uma instituição bancária sediada num dos paraísos fiscais. Para evitar pagamento de mais impostos. Até aqui tudo bem... é um mal necessário. O pior vem a seguir. Se o presidente do clube que vai comprar o jogador, o presidente do clube que vende, o empresário do jogador e até o jogador estiverem em sintonia, poderão facilmente dispersar em forma de comissões as suas partes...

O que mais me entristece é a falta de visão desta gente e a forma gritante como praticamente todos da tribo do futebol fazem isto. É uma falta de ética brutal e de uma imoralidade gritante. Mas, nada que surpreenda dada as circunstâncias do resto do país. O futebol é de facto o reflexo da nação...

É uma pena toda esta gente do futebol não ver que apesar de todo o lodo, somos a única nação europeia a colocar dois nomes premiados como melhor do mundo na última década (o que só por si atesta da qualidade do jogador nacional), mas também da boleia que tal poderia dar ao negócio futebolístico nacional: poderíamos e deveríamos ser hoje um país exportador de futebolistas!

O que seria da nossa liga se os grandes fossem capazes de vender todos os anos 2 ou 3 por 15-20 M€, tendo tido um custo "0" da formação?

Como estariam as contas dos clubes pequenos se apostassem na formação de qualidade, com um ou outro jovem a despontar?

Mas, não! Mais uma vez o português prefere o caminho do seu umbigo ao do bem comum... e, assim vai o nosso futebol que pouco ou nada cresce (de forma sustentável).

Quanto ao João Mário, o único conselho que lhe dou é de seguir sempre um treinador que o queira mesmo. Pelo menos nesta fase da carreira, pois precisa de jogar.

Ele que olhe para os exemplos no vizinho Benfica, com Miguel Vítor, David Simão, Miguel Rosa e Nélson Oliveira, tudo jogadores com potencial e que foram sempre "desprezados" pelo treinador, em detrimento de projectos de jogadores que eram e são constantemente abandonados ao fim de 6 meses.

Perdoem-me o desabafo, mas se há coisa que mais detesto é desperdiçar talento e pessoas, e é isso que esta "mitra" está a fazer!

Roberto Baggio disse...

É triste, estes meninos talentosos não terem a sua oportunidade no devido tempo.

Assim, vamos continuar a perder jogadores.

Abraço

PP disse...

Completamente!

É que, até do ponto de vista financeiro, é uma política sem sustentabilidade aquela que o futebol nacional segue!?

Roberto Baggio disse...

Falência... É o destino