Posse de bola no Facebook

Translate

terça-feira, julho 23, 2013

Guardiola começa a mostrar-se

Ainda há, naturalmente, muito por trabalhar. Entretanto começam a sobressair alguns princípios de jogo que Pep defende. Talvez seja desta que o mérito todo seja colocado em quem o merece. Por ter a melhor proposta de jogo neste momento, Guardiola, é para mim o melhor do mundo na actualidade.

50 comentários:

Anónimo disse...

Quanto tempo é que vai demorar até nos começarem a tentar explicar que os jogadores do Bayern jogam todos juntos desde os 12 ou 13 anos...

Ricardo Nascimento

Ronaldinho disse...

Já começa a cheirar a Barcelo... ups, a Guardiola!
Ridículo quem alguma vez tirou nem que seja 1% de mérito ao Pep para dar à suposta cultura do Barcelona ou à qualidade dos jogadores que tinha. Daqui a algum tempo já ninguém disse o que disse e todos tinham a certeza que iria ter sucesso na Alemanha lol enfim já estamos habituados...

Roberto Baggio disse...

Ricardo, boas, vão dizer, de certeza, que é uma equipa que já joga junta há alguns anos hahahaha

Abraço

Gonçalo Matos disse...

Fiquei bastante admirado com a capacidade de passe do Stark, o Neuer estava lesionado ou foi opção? Quanto ao resto, só fico surpreendido por ver que houve tao rápida assimilação por parte de alguns jogadores. Ta ai a futura melhor equipa do mundo, de longe

Roberto Baggio disse...

Foi opção, estava no banco. Está a rodar os Gr

Luis Santos disse...

Brutal! O trabalho do pep é fantástico.
Faz-me alguma confusão o thiago a 6, mas é muito bom ter alguem tao bom numa zona tao recuada. E a dupla thiago-ribery vai dar muito que falar.

DC disse...

Não te iludas Baggio, tudo o que o Pep conseguir este ano será desvalorizado e associado ao Jupp.

Da mesma forma que alguns dizem que o Messi só será bom se for para Inglaterra (um campeonato com muito mais espaço para os avançados onde o Messi seria imparável), também haverá muitos a dizer que o Pep só será bom se pegar no Arouca e ganhar a Champions.

DC disse...

Já agora, depois de ver isto, será que o lugar do Neuer está em risco?

Ou também tem esta qualidade a sair a jogar?

Roberto Baggio disse...

Luís, A ti e ao Ronaldinho. Pode ser circunstancial apenas. Ou uma forma de conter o ímpeto dele e a verticalidade, até ficar mais capaz de jogar como interior.
Mas ele, ali, fez um jogo assombroso, a imagem de Pirlo.

DC, sim, eu já estou a espera desses comentários, equipa feita. Etc... Não percebem que mesmo que não ganhe tanto, o futebol melhora de forma substancial. Vamos lá ver.

Abraço aos dois

Bruno Pereira disse...

Obviamente que Guardiola vai novamente triunfar mas provavelmente até nem ganhará a Champions este ano (azares acontecem...) e esse será o facto que todos apontarão na defesa de que Pep fora do Barça não seria o treinador que é e que, como se pode ver, aquele estilo de jogo só funciona porque o Barça tem os melhores jogadores do mundo. Esquecendo por completo o facto de que o Bayern será quase de certeza a melhor equipa de 2013/2014 e a jogar um futebol muito mais sustentado e seguro do que o ano passado. E a Alemanha crescerá enquanto seleção, e Pep irá para outro sítio e tornará a ganhar etc...mas tudo isso terá sempre uma desculpa qualquer. Até que ele se reforme e alguém se dê ao trabalho de olhar para trás e ver o impacto que a bomba Guardiola causou em todos os sítios em que passou...

Roberto Baggio disse...

Estou a estranhar a ausência se Neuer porque no jogo com o Borussia M. Do mesmo torneio, logo no dia seguinte, na final, também jogou Starke o jogo inteiro. Não sei se está lesionado, não sei se é opção. É estranho.
Quanto ao jogo de pés do Neuer é francamente bom, mas pode e vai melhorar. Acho que mais cedo ou mais tarde vai acabar por ser titular, pela qualidade entre os postes.
Mas nada como esperar para ver

Roberto Baggio disse...

Bruno, em número, género, e grau.
Reforçando que mesmo que não ganhe em troféus, ganha em futebol, que é o que ninguém percebe.

Abraço

DC disse...

E do Tata Martino, tens alguma opinião?

Será verdadeiro o que dizem sobre ele, que é mais próximo do estilo Guardiola até do que Tito ou isso é só o wishfull thinking da imprensa catalã?

Bruno Pereira disse...

Roberto Baggio,
O que as pessoas não percebem é que quem está mais perto de praticar bom futebol está muito mais perto de ganhar! Não é se ganhou da última vez ou se vai ganhar desta que é relevante, interessa é saber quem ganhará nas próximas 10 vezes...e Guardiola terá sempre acima de 5 quando comparado com qualquer outro no mundo...

Roberto Baggio disse...

O Ronaldinho poderá estruturar melhor uma opinião sobre ele.

Roberto Baggio disse...

Exactamente Bruno. Jogando bem, vou ganhar mais vezes. E vou de certeza à médio prazo ganhar títulos e a longo prazo ganhar consecutivamente, pela sustentabilidade que o bom jogar dá.
Abraço

Ronaldinho disse...

DC, não vi um jogo sequer do Tata martino, o que vi foi um tipo na tv a analisar a ex equipa dele. Pelo que vi, ele realmente parece ter a intenção de trabalhar a bola mas também vi muita verticalidade e defensivamente não convenceu. Para já o veredicto é que não é tão parecido como querem fazer querer mas volto a dizer que vi muito pouco para formar uma opinião credível. Talvez venha a postar o vídeo que vi

josé carlos disse...

Já agora, qual acham o motivo de Guardiola colocar os extremos na mesma linha dos interiores em 4x1x4x1 e não colocá-los mais à frente um pouco como acontecia no Barça? É que é mesmo um 4x1x4x1...

Luis Santos disse...

Baggio, não duvido que seja uma situação casual, principalmente porque javi, gustavo e bastian ainda não estão a jogar (tanto quanto sei). Só comentei porque é estranho vê-lo tão longe da baliza adversária. Quando estiver em casa tenho que ver este jogo.
Abraço!

Roberto Baggio disse...

Não sei José, não me foquei nisso por não ser essencial.
Abraço

Roberto Baggio disse...

Sim, vê, Luís.
Foi melhor que o 5-1 este jogo.
E como vais ver também, falta muito, muito trabalho.
Abraço

Gonçalo Matos disse...

E o que acharam das variações de flanco entre os laterais? Achei mto interessante o aproveitamento do espaço livre por parte do lateral do lado contrario.

Gonçalo Matos disse...

E o que acharam das variações de flanco entre os laterais? Achei mto interessante o aproveitamento do espaço livre por parte do lateral do lado contrario.

Ronaldinho disse...

Esse aproveitamento do espaço livre no lado contrário criado pela basculaçao do adversário é uma das marcas do Guardiola, fazia o muito com o Alves. A questão das variações entre os laterais não me parecem as mais eficazes mas é normal que uma ou outra vez aconteçam porque estão atentos a esse espaço livre e reconhecem essas variações como dinâmicas da equipa.

Emanuel Guerreiro disse...

Ola Roberto Baggio,

Obrigado pela forma como didáctica como escreves e ensinas futebol a uma vasta legião de admiradores do futebol.

Gostava de te pedir que me explicasses um bocadinho mais em profundidade o comportamento da linha defensiva. Como se fosse tipo a lição numero 1, peço-te isso porque nos videos dás como garantido que todos percebem sobre o tema.

Como deve ser uma defesa em linha? Quando deve subir e quando deve descer? Que fazer quando o portador da bola não tem pressão? Que comportamentos devem ter os defesas na formação da tal linha? Será uma linha recta? Porque não usar como referência também o numero de atacantes em determinada zona?
Abraço e parabéns pelo blog

Ronaldinho disse...

Ola Emanuel,

Eu sei que a pergunta é para o Baggio e vou deixa-lo responder. Mas fiquei intrigado com a tua última questão, a referência do número de atacantes seria para quê? Para o número de jogadores que colocavas na linha defensiva?

masterzen disse...

Olá Ronaldinho,

Passo a explicar o meu ponto de vista como leigo na matéria.

Ao defenderes zona e não dares nenhuma importância ao posicionamento dos atacantes, estes podem através do estudo colocarem-se propositadamente em grande numero nas extremidades da zona ( defesas laterais, ou nos cantos por exemplo ao segundo poste), e dps tratam que a bola apareça nessa zona para fazerem superioridades numéricas, com a bola corrida mais de dois ou três já não trará benefícios nenhumas mas nas bolas paradas é vital.
Se reparares no golo do Chelsea do Ivanovic estão quatro do Chelsea numa zona onde só há um defesa do Benfica.
A zona que chegou ao futebol a relativamente pouco tempo é combatida por exemplo no basket com o overload ofensivo que significa a colocação propositada de várias atacantes numa zona de apenas um defesa. Tudo isto nasce do visionamento do Bayern onde eles mudam de flanco com toda a facilidade e intencionalidade.
Se quiseres ser tu a responder a pergunta estás a vontade.

Forte Abraço

Ronaldinho disse...

É uma óptima questão, explicaste-a muito bem.
O problema com a referência que falaste é que não é compatível com a defesa à zona, se começas ter como referência o adversário deixas de poder ter como referência o espaço, os teus colegas e a bola. Imagina que realmente o adversário põe dois ou três homens por exemplo na zona do lateral, punha-se quem lá para ajudar o lateral? central mais próximo e o trinco? Iam ficar outros espaços por ocupar, espaços até mais importantes que a zona lateral. Além disso para o adversário aproveitar essa superioridade teria que ser através de cruzamento para não dar tempo á defesa de bascular pois se fosse outro tipo de jogada enquanto um dos avançados recebe a bola ou não já o lateral tem cobertura dos seus colegas e lá se foi a superioridade. Se reparares, o Bayern por exemplo, a distância entre os defesas é muito reduzida.
A defesa bascula junta precisamente para reduzir espaços e evitar superioridade na zona da bola.

Depois tens o facto de que o adversário ao colocar lá dois ou três homens, sem a bola estar nessa zona, significa que está bastante descompensado noutras zonas inclusive na zona da bola o que me parece que quase nenhum adversário o vai fazer em bola corrida, não seria eficaz e seria perigoso. Podes ver que o Bayern usa apenas um homem (o lateral) para aproveitar a basculação do adversário pois colocar mais iria significar menos gente na zona da bola, menos superioridade e menos segurança na transição em caso de perda da posse.

Em bolas paradas a conversa já é outra. Dentro dos 5 ou 6 que o adversário põe na área, pode muito bem tentar criar essa superioridade de que falas.
A questão é que não consegues evitá-lo a não ser com marcação ao homem porque não sabes como é que o adversário vai tentar criar essa superioridade. Mas a marcação ao homem também tem os seus defeitos e fraquezas, por exemplo estão sujeitos a bloqueios, neste caso acho que é mais uma questão de gosto. Por exemplo o Mourinho, uma das nossas referências, prefere marcação ao homem nas bolas paradas e nós ao contrário preferimos zona.

Roberto Baggio disse...

Emanuel, és o Masterzen?
Já tinhámos saudades tuas pá, nem no Lateral-esquerdo tens aparecido :)

As respostas estão a chegar, porque é tema para um post.

Abraço

Ronaldinho disse...

Espero ter conseguido explicar minimamente :) Abraço

Emanuel Guerreiro disse...

Olá,

Antes demais muito obrigado Ronaldinho porque o teu esclarecimento foi excelente.
Roberto Baggio fiquei impressionado com o teu poder de investigação, sim sou eu.
Tenho tido um verão muito ocupado com trabalho e pouco acesso a net, sempre que estou de folga e ligo o computador o Posse de Bola e o Lateral Esquerdo são obrigatórios!
Como chego sempre "atrasado" aos posts porque já têm vários dias não tenho participado porque o assunto já foi amplamente discutido.
Muitos parabéns pelo vosso trabalho que a par do Lateral Esquerdo são uma pedrada no charco no panorama desportivo e futebolístico nacional.

Ps: O Jesualdo Ferreira não deve ter conseguido evitar um sorriso malandro no golo do Ivanovic porque ele na Luz mandava sempre o Llori e o Dier de propósito para o segundo pau.

Abraço aos dois!

Roberto Baggio disse...

Claro que sim, estava habituado a ver-te por lá e nunca mais vi nada. Então, estranhei :)

Felizes por te ver de volta

Sim, a "zona fraca" do Benfica é o segundo poste...

Abraço, o post está aí



Gonçalo Matos disse...

Achas portanto que é uma interpretação das ideias por parte dos jogadores, certo? No barça nao víamos isto, mas também estes jogadores do bayern tem uma capacidade de passe longo bastante boa

Anónimo disse...

O Baggio ou o Ronaldinho disseram, há uns tempos, uma coisa muito importante: não quero que a minha equipa saiba sair de zonas de pressão mas, antes, que saiba jogar em zonas de pressão (arrisco-me, a saber orientar as zonas de pressão para superar dificuldades). Basta olhar para a 1a fase de construção do Barça, hoje, contra o Bayern, e entender a actualidade do que eles disseram. São as tais diferenças Tito-Pep.

Ademais, e em resposta ao PP:

- o problema do Barça é de organização ofensiva e por conseguinte de transição defensiva. É um problema com uma solução muito simples: voltar ao modelo anterior. Mas, por motivos que são alheios à vertente táctica do jogo, essa opção é, hoje, impossível.
- O Neymar trás criatividade. É verdade. Vai marcar muitos golos bonitos e fazer fintas jogabonito? Vai. Vai melhorar algum problema a sério do Barça? Não. Tem, até, tendência para piorar. Repara, a grande função dos extremos no modelo do Pep era de movimentação, i.e., um extremo cria espaço e aparece, de igual modo, em zonas de finalização. Claro que o papel do jogador não se esgota ai: também é importante a capacidade de associação ao nível do passe curto e da tabela, etc. Mas o mais importante é mesmo isso: criação de espaços na criação de situações de finalização e a capacidade de pressão e de desgaste (aceitando papeis secundários na equipa, algo que convêm sempre sublinhar) na transição defensiva. Logo, por ai, pouco vai melhorar o Neymar.

Em organização ofensiva, o problema está na distância das linhas e no pouco jogo posicional. Porque as equipas jogam contra o Barça da mesma maneira que jogavam anteriormente. Antes o Barça perdia alguns, mas dominava. Hoje o Barça perde muitos e domina poucos. Não é o Neymar, nem o "delantero tipo nueve", nem os "quatro fichajes por linea" que vão solucionar isso. É o regresso ao modelo do Pep, com tudo o que traz de bom e mau.

Cumprimentos,
António Teixeira

PP disse...

Teixeira,

Não tive oportunidade de ver o jogo do Bayern e Barcelona (apenas vi agora a entrega do troféu), mas dado o teu comentário fiquei curioso em ver como foi o jogo.

Quanto ao que referiste sobre o Neymar, eu acho que há muito o preconceito do "moleque" como vem do Brasil irá ser um pouco "malandro" na hora de defender. Pessoalmente, acho que não. Mas, também irá depender do treinador que o treinar...

Não acho que o Barcelona esteja assim tão diferente do Barcelona de Guardiola. Acho sim que com a saída do mestre, há apenas uma replicação dos movimentos que foram aprendidos na sua era. Falta por isso inovar dentro do modelo.

Depois há a questão física dos jogadores catalães. Tirando o Busquets, aquele tridente de meio-campo deixa algo a desejar em termos físicos.

Uma equipa como o Bayern, com o poderia físico, técnico e agora táctico do mestre Guardiola, só terá sucesso...

Anónimo disse...

Caro PP,

Acredito que estás errado nessa leitura. As linhas estão muito distantes na maioria dos momentos e a organização ofensiva é muito vais orientada para a verticalidade. Só isso são diferenças imensas.

Sobre o Neymar, não estou a criticá-lo por ser brasileiro. Aliás, e pese embora desconfie da qualidade do jogador para entrar no pedestal no qual tem sido colocado, sucessivamente, pela imprensa, pelo menos desde 2011, reconheço-lhe grandes virtudes. Só que existem factores psicológicos que me impedem de aceitar que um jogador que peça 40milhões de prémio de assinatura, que apareça na apresentação com os amigos vestindo a camisola do Barça com o número 11 (que por sinal pertencia ao Thiago) e que mande beijinhos a outros jogadores, para além de certos tiques, possa cumprir o papel que cumprem o Pedro ou o Alexis. E sem esse papel o modelo não funciona.

Cumprimentos,
António Teixeira

PP disse...

Teixeira,

Por acaso, esse aumento das distancias entre sectores do Barcelona do Tito, não acho que seja uma consequência directa e única da verticalidade. Acho que o problema prende-se mais com a adaptação do sistema defensivo da maioria das equipas adversárias ao "tiki-taka". Isso leva a que o Barcelona tenha de adoptar movimentos mais verticais, é verdade, para ver se estica um pouco o jogo, criando mais espaços intersticiais entre sectores. Por outro lado, em termos físicos/atléticos, a equipa do Barcelona é algo carente, pelo menos a meu ver. No jogo frente ao Bayern, só conseguiram durar 60 minutos, depois foram-se.

Em suma, acho que os adversários já conseguiram arranjar o antídoto ao Barcelona do Guardiola. Se o Pep tivesse continuado no Barcelona, seria interessante em ver como ele iria inovar. O Tito inovou, mas acho que pecou porque não teve em conta o esforço físico que tal inovação acarretou à sua equipa e isso pagou caro a nível europeu a época passada.

DC disse...

Viram o jogo hoje?

Achei que realmente o Bayern ainda tem muito caminho para andar.

Os putos da B têm personalidade, gostei bastante. Já Mascherano, Song, Alexis, etc não andam lá a fazer nada. mais de 60 milhões nestes jogadores e qualquer puto da B faz melhor.

Anónimo disse...

Caro PP,

Se tens a bola, não há antídoto que sirva a não ser índices de eficácia muito altos na finalização.

Olha, eu não digo que a estratégia não seja viável noutras equipas. O problema é que desse modo não podes pressionar como o Barcelona. E olha, da maneira que as equipas jogam contra o Barça não precisas de "esticar o jogo", até porque se eles jogam com bloco baixo, não vale a pena atraíres porque eles não saem de lá para a linha do meio campo. A solução seria continuar a apostar nas combinações, como fez o Pep, pese embora tenha perdido um campeonato e uma Champions daquela maneira (40 remates salvo erro). Continuavas a jogar desse modo, e ias ultrapassando os obstáculos da maneira que sempre fizeste. Volto a dizer, fazendo uma análise desse prisma, porque se olharmos para os corredores do clube existem coisas bem piores.

DC,

Eu também acho. O Mascherano é útil em certos contextos. O Song, por sua vez, e embora tenha algumas qualidades técnicas, foi uma daquelas contratações que ninguém percebeu: basta ver o que o Tito, na sua última conferência, disse sobre a sua adaptação a central "o Wenger disse me que ele podia jogar a central". Isso já diz muita coisa.
O Alexis é muito útil, não há muitos jogadores no mundo que possam fazer o que ele faz, apesar de não ter certas qualidades que poderiam fazer dele melhor jogador. O valor pago por esses jogadores é claramente um balúrdio, do mesmo modo que são os 40M do Cesc ou os 40M de prémio de assinatura do Neymar. Já para não falar no Zlatan e no Chingrinsky.

Só pude ver a primeira parte, mas digo te já que podes deixar de pensar que os putos da B vão dar alguma coisa, porque com esta directiva a política do clube não passa por ai. Barta, um central com erros graves mas com muito potencial, está a ver a sua carreira gerida de um modo absurdo. A saída do Thiago é uma mensagem para os canteranos.

Anyway, da primeira parte, sendo a única que vi, tal foi o asco que me deu o jogo da equipa, gostei do SergiRo, acho que oferece algo de novo à equipa, gostei do Barta apesar dos erros, gosto do Montoya pela polivalência e por ser um perfil de lateral mais defensivo (acho que o Barcelona precisa de alguém assim) e, claro, do Tello. O Dos Santos é para dispensar, gosta mais de noite que de jogo, e não mostra muito em campo. O Adriano deveria ter seguido o mesmo caminho. O Pinto só lá está pelo Messi.

Olha, vai para ali uma embrulhada, é que é desde o balneário até à direcção. Por onde começar? o clube, neste momento, não tem futuro, o modo de gerir o clube mudou com o Róssel, e tão rápido e de um modo bem orquestrado que, a meu ver, as pessoas ainda olham para o Barça a pensar que é a mesma coisa do que era com o Pep. Nem o banho de realidade do Bayern e do Madrid serve. E mais ano menos ano o Messi sai e, a partir dai, já nem o campeonato que ele ganhou este ano ganhas.

Cumprimentos,
António Teixeira

Roberto Baggio disse...

DC, boas, como tinha dito neste post, ainda há, naturalmente, muito por trabalhar. Ainda há alguma verticalidade, bolas no ar, etc...
Mas a intenção é notória e está claramente lá. É isso que me vai saltando à vista, a intenção.

Depois de dez jogos oficiais, poderá verificar-se uma mudança abrupta do jogo deles (entenda-se evolução).

Quanto ao jogo de hoje, não vi. Vi apenas os dois da Telekom e dos dois o que meti aqui foi claramente o melhor.

Abraço

Gonçalo Matos disse...

Estou de acordo com o Teixeira, acho que o Barcelona só tem tendencia para piorar. Hoje em dia as pessoas começam a dar mais relevancia ao trabalho do Pep e conseguem perceber que era ele quem exponenciava a qualidade do plantel, com as suas ideias e metodologia de treino.
A politica de contratações do Barça tem mesmo sido um fracasso. Um clube que tem uma formação tão forte não precisa de contratar gente para ir para o banco. Não posso crer que alguem achasse que Mascherano ou Song fossem tirar lugar ao Busquets.
Os jogadores da B treinaram durante anos sob alguns dos estimulos dos seniores, pelo que é natural que se sintam à vontade no modelo do Barça dos ultimos anos! Lembro-me bem de ver Nolito quando chegou ao Benfica, a jogar à la Barça.

Veremos o que vale o novo treinador. Pessoalmente nao conheço, mas dificilmente se aproximará da qualidade de Pep.

DC disse...

Sem dúvida que aquele grande Barça era 99% Pep.

Mas se o Barça pelo menos mantivesse o estilo de posse e a aposta na cantera que sempre jogou assim, tendo Messi, Xavi e Iniesta seria sempre candidato a ganhar tudo.

Agora, com todos estes jogadores sem categoria, continuando neste rumo, mais 2 ou 3 anos e anda lá o Messi e o Iniesta sozinho no meio duma escola de samba.

Tem que se passar a batuta do meio-campo ao Sergi Roberto e a da defesa ao Bartra. Nem que no início cometam erros atrás de erros mas eles têm o ADN Barça.

Quanto ao Bayern vão ser muitos anos de domínio do futebol mundial, mas ainda acho que melhorariam dispensando algumas (poucas) das vacas sagradas que lá andam. Para o ano Ribery discute a bola de ouro com Messi.

Anónimo disse...

O problema é que o Messi não fica lá. Como adepto, é mau. Como apreciador de futebol, é bom. A escola de samba advém das anteriores ligações do Rossel à Nike brasileira. As coisas são tão óbvias...Ah, só não concordo com o Ribery... Não duvidando da sua imensa qualidade, mas o Messi é o Messi, e é um jogador que quando recebe e encara tem 6 jogadores em cima dele.. Isso diz muito..

Cumprimentos,
António Teixeira

Gonçalo Matos disse...

Até podes manter o estilo de posse, mas para mim o que sempre fez a diferença nesse Barça era a capacidade de pressão que foi a melhor que já alguma vez vi fazerem. Eles não só tinham muito a bola, como retiravam ao adversário quase todas as possibilidades de a terem.

como ja aqui tem sido dito, para se poder pressionar assim, não basta ter a posse, é preciso ter a posse no meio campo adversario e o mais perto do 1/3 do campo. E eu acho que isso dificilmente irá acontecer nos próximos tempos em Barcelona, jogando ou não com os miudos da cantera.

Enquanto Busquets jogar, estará na equipa uma parte do ADN não só do Barça como do Pep. Parece-me importante que arranjem um GR que jogue muito bem com os pés. De resto há jogadores de qualidade, mas a diferença terá de ser feita pelas ideias do treinador e a capacidade de passá-las para o modelo de jogo. Não basta apenas formar jogadores com a ideologia certa, é preciso depois criar um modelo que os faça exponenciar as suas características.
Até agora só vi um homem fazer isto em Barcelona...

PP disse...

Bom dia a todos,

A propósito do debate de ideias com o Teixeira sobre os porquês do Barcelona da época passada não ter sido um enorme sucesso, acho que o Matos diz muito do que eu penso quando se refere ao seguinte:

"para mim o que sempre fez a diferença nesse Barça era a capacidade de pressão que foi a melhor que já alguma vez vi fazerem"

Ora, na época passada o Barcelona não foi tão eficaz nesse aspecto. Porquê?

Para mim, foram dois pontos que contribuiram para tal:
1 - a organização defensiva dos adversários foi mais eficaz porque conseguiu perceber as jogadas tipo do Barcelona.

2 - souberam levar o jogo para um nível físico que deixa a equipa do Barcelona muito desconfortável.

Como apaixonado pelo futebol, acho o modelo de jogo do Barcelona espectacular, nomeadamente a forma como defendem. Contudo, acho-o demasiado formatado e optimizado para o tipo de jogadores que têm. E, isso pode ser um problema (o optimo é inimigo do bom)...

Por fim, pessoal do blog, vocês por acaso sabem como é que o Guardiola treina as equipas, ou seja, que tipo de exercícios ele faz?

À uns tempos deparei-me com os 5 princípios dele:
1 - O risco de sempre ir ao ataque
2 - O homem livre, a chave para manter a bola
3 - O Terceiro Homem e a profundidade
4 - Mover o rival para encontrar espaços
5- Defesa: situar-se entre os rivais para fazer a pressão

Podem ver isso aqui:
http://youtu.be/VwRIGbz2r-g

Não sei se já tinham visto isto, mas fica aqui.

Gonçalo Matos disse...

Bom dia!

PP, acho que o factor mais importante para a descida de qualidade do barca foi a partida do Pep.. Nao acompanhei a epoca passada tao bem como as anteriores, mas dantes eles nao tinham muito problemas com a dimensão física porque criavam sempre superioridade na zona da bola o que permitia que a ganhassem após contacto físico ou após disputa no ar. Quanto as jogadas tipo, referes-te a jogadas do tempo do tito? Ou do tempo do Pep?

Anónimo disse...

Caro PP,

Eu discordo da sua leitura, mais uma vez, porque a meu ver, o problema é de organização ofensiva e associado a isso transição defensiva, como já tentei mostrar supra. No seguimento do que disse, penso que correctamente, o Gonçalo: tens de criar superioridade na zona onde vais perder a bola com mais probabilidade; isso faz-se com um passe mais curto e com uma construção mais pausada, o que não acontece tanto no modelo do Tito.

Caro Gonçalo,

Essa transição defensiva (segundo creio, apenas a do Porto do Vitor Pereira chega sequer perto da do Pep) deve-se à organização ofensiva e à construção. Sem a última não podes ter essa transição tão forte. Acho que o Barça do Tito prova exactamente isso.

Cumprimentos,
António Teixeira

Gonçalo Matos disse...

Teixeira,

Concordo com o acima escrito. Pessoalmente demorou-me algum tempo a entender que era a organização ofensiva que possibilitava essa transição, porque estamos um bocado formatados a pensar doutra forma (enquanto espectadores, que é o que sou..).

PP disse...

Teixeira e Matos,

Eu não digo que o problema não seja na organização ofensiva. Aliás, quando falo em inovar, falo em dar nova vida a essa organização ofensiva.

Eu continuo a ver um Barcelona a aplicar os mesmos princípios do Guardiola.

Na época passada vi, para além dessa aplicação, menos rotatividade no onze titular do Barcelona. Algo que o Guardiola fazia muito durante toda a temporada. Penso mesmo que foram raras as vezes que ele apresentou o mesmo onze consecutivamente. Já o Tito, não foi bem assim.

Por outro lado, temos de ver que os movimentos do Barcelona já foram estudados até à exaustão. Temos que também dar o mérito aos adversários.

Embora possa por vezes parecer, o Barcelona não joga sozinho em campo...

Por tudo isso é que acho que inovar é bom. E, no caso do Barcelona acho que a inovação vai surgir com novas caras.

É mais fácil inovar com novas caras, porque acabas sempre por ter que adaptar a equipa ao perfil do futebolista e com isso vem inovação.

Se lá estivesse o Guardiola se calhar isto não seria assim tão necessário, mas como não está...

E, é por isso que acho que o Neymar poderá dar nova vida ao Barcelona.

Agora, só espero é que não percam aqueles 5 princípios fundamentais do "tiki-taka", pois acho que há condições para variar/inovar, mantendo aquela identidade.

Gonçalo Matos disse...

Mas que movimentos são esses? Eu não acho que tenham assim tantos movimentos estandardizados.. Não achas que as coisas mudaram do Pep pra Tito/seu adjunto, por responsabilidade do novo treinador? Eu já nao vejo o Barcelona a ter posse de bola de 80% como por vezes tinha com Pep, nao vejo tanta pressão, vejo muito mais verticalidade e isso não veio melhorar o que estava bom