Posse de bola no Facebook

Translate

segunda-feira, maio 20, 2013

Há 20 anos atrás estava mais treinado para ver futebol...

A frase não é minha, é de Vítor Serpa director do jornal A Bola.
Ele explicou na palestra em que participou, na faculdade de motricidade, que quando começou, como jornalista, os temas que mais tinham relevância eram os relacionados com o futebol. Hoje, por culpa da direcção em que evoluiu o futebol, ele admite não ter a mesma capacidade para o fazer, pois o futebol divergiu de si próprio e é dada maior relevância aos temas que resultam como consequência do jogo e não ao jogo em si.

A culpa é obviamente de todos os agentes desportivos. Quando um jogador vem às conferências de imprensa criticar o trabalho da equipa de arbitragem, quando um treinador vem declarar-se prejudicado com a mesma, e vem dar-lhe uma importância decisiva no desfecho de uma época desportiva, quando um presidente decide "exonerar" alguns árbitros dos jogos da sua equipa e quando os meios de comunicação vendem e relevam esse tipo de informação, não percebemos o mal que estamos a fazer a este desporto.
Este clima de suspeição constante e o colocar dia após dia em causa, só prejudica o crescimento da modalidade.
Não percebemos que "estamos" a educar jovens para o desporto, para que gostem de futebol, para que se divirtam a joga-lo e depois tudo o que fazemos vai no sentido oposto ao desenvolvimento saudável de praticantes e ao aparecimento de adeptos da modalidade.
Não admira que muitos jovens, desde tenra idade, vão para o campo de futebol apenas para protestar contra a arbitragem, pois o que lhes temos ensinado é que os árbitros são maus e são eles quem mais decide o resultado de um jogo de futebol.

Eu tenho 25 anos e não tenho a experiência de outros, mas consigo ver com clareza que os últimos 4 campeonatos de futebol disputados em Portugal atingiram um nível que nunca tinha visto e o melhor disso é que o nível tem-se elevado ano após ano. A evolução das equipas portuguesas está aí e não estranho as chegadas às fases decisivas de competições europeias, mesmo não abundando, em média, talento individual como noutras ligas europeias. Da experiência que tenho de futebol, nunca vi tanta equipa organizada e bem trabalhada como agora. Nunca vi tamanha competência dos treinadores que ocupam posições no escalão máximo do futebol português e sobretudo nunca tinha visto um campeonato tão bem disputado e competitivo como o desta temporada. E ao contrário do que se diz, foi disputado porque o nível era alto não o contrário.
E quando penso que o futebol português está no caminho certo e que só se arrisca a progredir, todo este circo vem-me a cabeça. Talvez seja muito novo, talvez não...

Eu gosto de futebol, e gosto de futebol não como gosto de circo e vocês que dizem gostar de futebol, pensem bem se realmente gostam. É que se gostam, como eu, têm obrigação de o proteger. Quem gosta cuida, quem cuida não destrói, e o que estão a fazer está simplesmente a matar o jogo.
Ou não percebem que já ninguém quer saber do jogo?
Ou não percebem que no final de cada jogo a pergunta mais frequente deixou de ser: Jogaram bem?
Ou não percebem que futebol é aquilo que os treinadores fazem com os jogadores e aquilo que os jogadores fazem com a bola?

Hoje já não se fala de futebol, hoje fala-se de outras coisas quaisquer...

Fica aqui o desabafo, pois vejo um campeonato assombroso como este ao nível da competência colectiva e no final, quando tínhamos obrigação de destacar os seus principais intervenientes, que elevaram o nível de exigência a patamares nunca antes vistos, não vejo futebol...
Não vejo Vítor Pereira, Jorge Jesus, Paulo Fonseca, Pedro Martins, Rui Vitória, Marco Silva ou José Peseiro, não vejo um agradecimento a estes homens ou aos clubes pelo campeonato fantástico que nos deram.

Parabéns ao campeão, que o é com justiça. Parabéns ao Benfica porque se o fosse era igualmente justo.
Parabéns a todos os que fizeram da Liga ZON Sagres o que ela é hoje.


25 comentários:

António Teixeira disse...

Caro Baggio,

Concedendo-lhe toda a razão no que diz, apenas gostaria de afirmar que o Ex.mo. Vitor Serpa não é a pessoa indicada para fazer tal reparo.

Cumprimentos e continuação do excelente trabalho, seu e do Blessing.
António Teixeira

Luis Forra disse...

Excelente, partilhado no facebook

DC disse...

E não é só isso. Fico estúpido quando ouço portistas a dizer que o VP deve sair porque não sabe falar.
Mas queremos treinadores ou relações públicas?

É impressionante a ignorância do típico adepto de futebol em Portugal. Só se fala do que não interessa...

Gonçalo Matos disse...

Concordo totalmente com o que dizes, mas infelizmente há quem ache que somos nós que não percebemos nada de futebol português...

Tenho pena que se chegue a este nível, porque parece que não interessa o que de bom/mau se fez num ano desportivo. Para alguns adeptos a razão da derrota/vitória num campeonato é um conjunto de mãos na bola, foras de jogo, penalties mal marcados e por aí fora.

Admito que hajam erros e que inclusive hajam equipas mais vezes beneficiadas. Mas no dia em que achar que o futebol portugues está entregue aos árbitros, deixo de o ver.

Roberto Baggio disse...

António Teixeira, boas
Obrigado pelas palavras.
Quanto ao senhor que citei, não conheço a história dele, apenas citei o que achei interessante da intervenção dele.
Mais uma vez agradeço e o Baggio é o jogador preferido de sempre do Blessing, portanto agradeço.

Roberto Baggio disse...

Luís Forra, muito obrigado

Roberto Baggio disse...

DC, aqui no blogue já debatemos isso.
Nem sei como é que a continuidade de alguém que demonstra grande competência na operacionalização e conhecimento de jogo é posto em causa.

Roberto Baggio disse...

Gonçalo,
Tenho para mim a ideia de que o rendimento de uma equipa num ano nunca vai ser decidido pela arbitragem. Não acredito nisso, são simplesmente demasiados jogos para que isso possa acontecer.
É uma coisa da qual nunca vou acreditar. Eu acredito no trabalho de qualidade e quando o trabalho tem, é 90% das vezes recompensado.
E vejo equipas que nada fizeram e nada mais fazem que não queixar-se da arbitragem.

Gonçalo Matos disse...

Concordo, claro. O problema é que isto tá no DNA de muita gente. A malta sabe mais de leis de arbitragem que de aspectos mais teóricos do jogo. As pessoas não têm totalmente culpa, porque tu ligas a tv em 90% dos talkshows de futebol e os "especialistas" convidados só falam de casos, contas dos clubes e movimentos de bastidores.

Quando raramente convidam um treinador a falar, invariavelmente vemos as mesmas perguntas serem feitas. Raramente têm a ver com a organização das suas equipas ou metodologias de treino. Sem estimulos da imprensa, a malta tb não pode mudar..

Postiga disse...

É isso mesmo Bless, infelizmente é cada vez mais fácil para a maioria das pessoas de se desculpabilizarem com as arbitragens. No jogo jogado, só posso ficar contente pelo trabalho feito pelas diversas equipas da Liga. Fico ainda mais contente por as 10 primeiras equipas da tabela terem adoptado uma atitude positiva para com o jogo (nem sempre foram felizes com isso mas foram mais vezes felizes que infelizes).
O ideal era uma limpeza de espírito ao nível do dirigismo português mas quando a imprensa incentiva a que haja isso (entenda-se comentadores) fica complicado. Nesse aspecto premeio o programa da RTPN ás terças-feiras (aquele Carlos Daniel percebe muito e fala bem na minha opinião)

Gonçalo Matos disse...

Gosto do Carlos Daniel mas costumo ver o resultado final da sporttv a segunda feira, tem sempre convidados de qualidade. Esta semana foi o marco Silva, também já lá apanhei o Paulo Fonseca, o Paulo Sérgio e inúmeros jogadores.
Gosto dos comentários do Pedro Henriques, sinceramente considero-o o melhor comentador em Portugal.

Postiga disse...

Sinceramente já gostei mais do P.Henriques. Não conheço o programa mas é sempre de louvar quando os treinadores aparecem e dão os seus pontos de vista sobre a sua equipa, sobre os seus adversários,etc. Acho que ele é sincero na sua análise mas estica-se um pouco principalmente porque fica agarrado à cena das arbitragens de querer sempre deixar jogar e desculpabilizar-se o que eles façam em campo.
Por acaso acho que hoje é o Paulo Fonseca que vai ao programa da RTPN. Quanto aos comentadores o Carlos Daniel é um dos meus favoritos (a mim convenceu-me) porque a ideia que fico com os restantes é que o discurso deles muda a cada jornada que passa e consoante o que acontece, não gosto disso.

Edson Arantes do Nascimento disse...

Tens sem dúvida muita razão, mas há certas coisas que não podem ser passadas em claro. Não vale a pena estender os argumentos porque felizmente existe o youtube.

Ainda há bocado estava a ver uma coisinha (mais uma...) que é simplesmente vergonhosa. Mas destes temas A Bola e a maioria dos meios de comunicação ligados ao desporto falam, investigam e noticiam muito pouco. Quase nada.

E não aprofundam o debate - pelo contrário. Enchouriçam-no com a clubite.

Portanto, vamos é falar de tudo aquilo que diz respeito ao jogo... Mas de tudo mesmo. Só assim faz sentido.

Ou será que é possível falar de ciclismo - uma modalidade potencialmente incrível - sem falar do doping generalizado (e comprovado) dos principais atletas?

Ou será que é possível falar da banca-alta finança americana/internacional e não falar dos yuppies engravatados que vivem em viagens de folha de excel?

Não sejamos ingénuos. Nunca.

Roberto Baggio disse...

Edson amigo,
Com todo o respeito que me mereces vou explicar a minha posição sobre tudo. Mas só porque és tu.

Sou treinador e até o final deste ano praticante, como todos, já houve jogos/momentos em que me senti prejudicado pela arbitragem. E já houve jogos/momentos em que fui beneficiado. Agora de todos os jogos onde essas oscilações aconteceram apenas em dois deles a arbitragem teve influência sobre o resultado. Um deles claramente a nosso favor e outro claramente contra.
Agora diz-me como é que é possível que esses resultados (3 pontos) em 90 possíveis podem ter influência no desfecho de uma época desportiva?
É que se naquele momento específico teve, então o que andou a fazer a equipa no momento anterior onde o árbitro não teve influência decisiva?
Não digo que os árbitros não possam influenciar jogos. Digos é que os erros que eles cometem não são nunca decisivos, se fizeres as contas de erros anteriores das equipas. A não sr que uma equipa ganhe os jogos todos e no único onde é prejudicado perca. O que não acontece.
Se os treinadores erram, os jogadores erram, os dirigentes erram, os árbitros também...
E os erros dos treinadores, jogadores, esses sim são o principal factor de decisão num campeonato, que é uma prova de regularidade.
O campeonato acabou, achas que a arbitragem teve influência directa no desfecho final? Eu não acredito nisso. Acho que isso é impossível.

Acredito no trabalho de qualidade e acredito que fazendo as coisas bem, nem o árbitro vai ser capaz de mudar o desfecho de um jogo. Meia final da liga Europa no estádio da Luz, lembra-te alguma coisa?
Pah já me aconteceu muitas vezes... Estar a perder, inclusive por dois golos de diferença, com uma arbitragem horrível e virar o resultado.
Acontece a quem prepara a equipa para lidar bem com o erro do árbitro. Porque sim eles erram, mas não, não são nunca, nunca decisivos no desfecho de 30 jogos. E é nisso que se deve pensar. Como preparar melhor a equipa para lidar com a frustração das decisões por vezes errados dos homens do apito, Mourinho, que tanto protesta a arbitragem quando chegou ao Porto, na primeira pre temporada que fez lembras qual foi uma das coisas que ele incutiu nos treinos?
Eu vou lembrar-te : Mourinho dizia que os jogadores protestavam em demasiado com os árbitros não se concentrando no jogo. Então ele nos treinos a cada protesto de um atleta, dava cartões amarelos. E por consequência quem visse dois, era "expulso" do treino e fazia todo o restante tempo a trabalhar à parte do grupo.
Isso chama-se trabalhar com qualidade, isso é algo a incutir aos jogadores que vai favorecer a equipa e consequentemente diminuir ao máximo o erro.
É nisto que eu acredito... Trabalho, competência, diminuição dos erros que podemos controlar. Esses são 95% dos jogos...

Roberto Baggio disse...

E para finalizar Edson por sinal há mais especialista em leis de jogo (público geral) do que em princípios de jogo...

Quando há um caso, toda gente vai logo às leis de jogo ver o que dizem se houve erro ou não.
Quando um jogador erra já não vamos verificar se cumpriram ou não com os princípios de jogo para tentar perceber o erro. Simplesmente porque isso não interessa para nada. Só queremos polémica. E isso para mim é circo, não é futebol.

Abraço

Gonçalo Matos disse...

O Pedro Henriques de que falo é um ex jogador formado no Benfica, se não me engano!

Em Inglaterra, Espanha e Itália também se houve falar de compras ou favorecimentos de árbitros, nomeadamente favorecendo os campeões. Será que todos são ajudados? Ou será que por serem campeões justamente os erros servem de desculpa para os derrotados?

Só me entristece que se dê igual importancia ao erro em Paços como à derrota contra o Estoril ou Porto.

Postiga disse...

Eu sei Gonçalo, estava me a referir a esse e não ao arbitro.

Quanto à questão das arbitragens e sem querer falar muito porque se deve privilegiar sempre o jogo jogado, eu considero que a influencia das arbitragens nas equipas é bem maior que a que o Blessing falou, no entanto e este ano em particular porque estive interventivo no site que criei e que foca esse tema www.quatrolinhas.pt valorizo cada vez mais o papel dos árbitros e a dificuldade que eles têm em decidir em fracções de segundo, tomando por jogo centenas ou milhares de decisões sem auxilio.
No entanto toda a gente sabe que um erro do arbitro pode desbloquear um jogo difícil ou pode tornar um jogo mais facil ou até mesmo pode permitir à equipa continuar a vencer e com isso a confiança em alta e isso o Bless saberá melhor que eu (o simples facto de ganhar injecta uma confiança enorme na equipa)

Edson Arantes do Nascimento disse...

Mas Baggio eu concordo, no essencial, com aquilo que escreves. Sim. Também fico passado quando, no final de um jogo que foi bastante bem jogado, a primeira coisa que se diz é que o árbitro é ladrão! Normalmente mudo logo de canal ou vou fazer outra coisa.

No entanto há determinados factos que são indesmentíveis... Tu achas que os árbitros não condicionam o resultado final de um campeonato a 30 jogos. Mas em Itália, por exemplo, a Juventus perdeu títulos e foi despromovida.

Porquê? Porque tinha montado um esquema que os beneficiava e lhes facilitava a vida...

Roberto Baggio disse...

Já adicionei o teu site Vasco.
Não sabia que o tinhas.
Isso é discutível. Depende da equipa...
A minha primeira equipa de juvenis ganhava e caso jogasse mal ficava um ambiente super pesado no balneário mesmo sem a nossa intervenção.
Mesmo por vezes ao intervalo íamos a ganhar por 2 golos ou mais de diferença e eles próprios sentiam que não estavam a jogar bem e talvez não estivessem tão confiantes.

Depois sim, na maioria dos casos claro que dá confiança. Sem vitórias é difícil a equipa encontrar estabilidade que lhe permita continuar a jogar bem.
Mas não acho que às decisões sejam assim tão determinantes a esse ponto. Claro, que expulsões influenciam sempre. Mas posso dizer-te por exemplo que já tive várias expulsões, e nunca perdium jogo aassim. Aliás até te digo mais: Tive 6 expulsões entre juvenis e juniores, duas delas foram ao minuto 60 uma aos dez minutos e às outras 3 logo depois do intervalo.
Nas duas do minuto 60 estávamos em vantagem e conseguimos alargar, numa delas so ganhavamos por um golo de vantagem.
Na que tive aos dez minutos, perdia 2-1 e ganhei 6-2.
Nas que tive depois do intervalo numa ganhava 2-1 e ganhei 4-1 e noutra perdia 2-1 e empatei 2-2 e na última perdiamos 2-1 também e empatamos 3-3, nesta até estivemos a ganhar 3-2 mas acabamos por sofrer mesmo no final.

Eu lembro que o Porto do Mourinho quando alguém era expulso até parecia que jogavam com mais, o segredo que se sobrepõe a tudo, para mim continua a ser a organização.

Abraço

Roberto Baggio disse...

Edson, sim há excepções... E em Portugal já aconteceu... Tens razão claro... Mas isso, como digo são excepções :)

Cláudio disse...

http://www.tacticzone.com/entrevista-com-vitor-pereira/

Cláudio disse...

Não tem a ver com o post, mas fica mais uma entrevista que permite observar a competência deste treinador!

Roberto Baggio disse...

Boas Cláudio,
Obrigado pela partilha.
Eu já comi todo tipo de trabalho que o VP tem. Só não li a tese de mestrado dele, de resto já vi tudo dele. Do ponto de vista do leitor é interessante, vou colocar o link para essa entrevista no post do VP. Tenho isso aqui no PC mas está em PDF é difícil de desfazer.

Abraço

Cláudio disse...

Alguém altamente sub-valorizado...

Abraço

Roberto Baggio disse...

Sim, mas mais por malta que não percebe o jogo que outra coisa.
Eu sei bem das competências dele a nível de treino. Vê-se tudinho ao olhar para à equipa dele.