Posse de bola no Facebook

Translate

domingo, abril 07, 2013

"O líder espiritual da minha religião"


A ideia que tinha de Jesus foi-se alterando ao longo do tempo. Hoje, por ter melhorado o meu conhecimento sobre o jogo, sobre treino e sobre futebol em geral, constato que lhe sobra competência para treinar futebol e liderar equipas de Top.
Apesar de não me identificar com várias ideias de jogo dele, nas quais assenta o seu modelo de jogo, percebo que é o treinador que o Benfica precisa.
O Benfica precisa de um treinador que perceba o jogo, que organize a equipa, que melhore a capacidade individual de cada elemento do plantel pelo aumento da qualidade colectiva. Precisa de um treinador que seja referência para os seus jogadores, rigoroso, ambicioso e que procure através do processo de treino materializar tudo que foi referido em resultados.

Jesus é o homem certo!
Joga um futebol de ataque, a equipa é competente do ponto de vista táctico e consistente em resultados, como temos visto nestes anos sob a sua liderança.

Imaginemos que acontece um cataclismo e que o Benfica não ganha nenhuma competição em que está envolvido. Ainda assim, Jorge Jesus é o homem certo, no lugar certo. Renovem com ele, pois todas as suas qualidades compensam os seus defeitos e porque em Portugal, nas divisões profissionais para mim/para já, não há melhor.


Esta palestra do treinador do Benfica elucida muito sobre o que ele pensa do treino, do jogo, do modelo de jogo e dos jogadores.

Ficou-me no ouvido: "Se há alguém que sabe fazer juízos de valor são os jogadores. Eles sabem melhor do que ninguém quem são os bons e os maus treinadores".

Sobre isso tenho uma história engraçada: Um jogador meu e do André na época anterior, que não subiu de escalão, teve problemas com o seu treinador da época corrente por ele ficar no final dos seus treinos a ver os treinos que nós estávamos a dar. Dado isso, o treinador dele o questionou sobre o porquê de ele ficar lá a ver os treinos, isto porque ele tem grau superior em termos de formação em futebol que nós. Então ele assumiu e disse com espanto não entender o porquê de o rapaz ficar a ver os nossos treinos, quando poderia aproveitar o facto de ele ter um grau superior para aprender com ele. O rapaz, inteligente como é, respondeu curto e seco: "Os misters dos Juniores fazem exercícios. Você não!"
A maior parte de vós não percebe o que isso sugere. O que ele sugeria era que o nosso modelo de treino é orientado de forma específica para um determinado modelo de jogo. Os exercícios partem, dessa forma, das ideias que temos para o comportamento colectivo nos 4/5 momentos de jogo. Portanto, o jogador que tinha sido nosso no ano anterior percebeu desde logo as diferenças práticas de conhecimento vs operacionalização que nós tínhamos e que o seu treinador tem.

Por isso, os jogadores do Benfica sabem que Jesus deve renovar. Percebem que não vai ser fácil encontrar alguém a altura dele e percebem sobretudo que é um treinador com ideias e que consegue passar as suas ideias à pratica, convencendo os jogadores a acreditarem no seu trabalho.

O grau académico facilita mas não é garantia de sucesso, de conhecimento, de qualidade de trabalho.
O facto de não ter o português mais correcto não implica não conseguir comunicar ou transmitir o conhecimento que tem aos jogadores. Através do treino, com palavras chave, ele chega lá. E chega de forma fabulosa!!!!!

2 comentários:

SLBenfica Vencedor disse...

Dou-te muita razão.
Há muito tempo que não via o Benfica a jogar tão bem, a entusiasmar tanto.

As pessoas que hoje criticam o Jesus não se lembram da conversa que se ouvia, desde a saída Eriksson, de que o Benfica não tinha "fio de jogo".
Mesmo não percebendo questões tácticas, percebiam que faltava no Benfica sistematização aliada a um jogo de ataque consistente e atractivo.

Desde que Eriksson saiu, até que JJ chegou, raras foram as épocas em que o Benfica foi superior. Talvez em 93-94 com João Pinto, Rui Costa e Isaías, com o Toni a beneficiar dos ensinamentos do Eriksson.

Depois Artur Jorge, Paulo Autuori, Manuel José, Souness, Jesualdo Ferreira, Camacho, Quique Flores... sofríveis, muito sofríveis, muitos anos perdidos.

Heynckes não fez nada que se visse, despediu João Vieira Pinto que foi para o Sporting ser campeão, e depois veio Mourinho que depois foi despedido por ambicionar mais.

Koeman chegou a conseguir bons jogos e uma boa campanha europeia.
Fernando Santos conseguiu pôr o Benfica a jogar melhor, mas faltou qualquer coisa.

Jesus, foi de longe, o que melhor consegui fazer nestes últimos 20 anos de Benfica.
Não ganhou, mas na minha opinião existem factores extra-futebolísticos para as "não vitórias", que tiraram mais pontos ao Benfica que os erros de JJ.

Quem hoje critica o JJ de boca cheia e peito feito, está esquecido do quão é difícil ganhar desde que Pinto da Costa está no poder do FCP.

A JJ lamento alguns erros de discurso comprometedores.
Este ano o pior foi "aconteça o que acontecer, a época será brilhante".
E: "foi limpinho, limpinho, limpinho".
E: "Tenho a máxima confiança nas arbitragens".
E: "Tomara a mim na próxima época fazer igual a esta" (em que perdeu tudo).

Mas eu defendo o JJ, e acredito que o Benfica vai ganhar mais nos próximos dois anos que nos últimos quatro.

Roberto Baggio disse...

A questão é que as pessoas preferem Trappatoni ao Jesus, simplesmente porque o primeiro esteve um ano e ganhou um título...