Posse de bola no Facebook

Translate

quinta-feira, abril 25, 2013

Demasiado Dortmund para tão pouco Mourinho

Os alemães de Dortmund fizeram um jogo gigante frente aos comandados de Mourinho. E nas palavras do próprio : Ganhou a melhor equipa. Foram mais fortes coletiva e individualmente. Não estou em condições de dizer se o segundo golo é fora-de-jogo ou se o quarto golo é penálti, mas, independentemente disso, venceu o melhor. Eles ganharam todos os lances individuais e foram muito mais intensos. Tivemos dificuldades em acompanhar os seus movimentos e em ter a bola quando pressionados. Fomos incapazes de responder. Cada erro correspondeu a um golo".

Não estou em condições de avaliar todos os erros que Mourinho refere uma vez que só ele conhece o seu modelo no pormenor e portanto só ele sabe de que erros se tratam. O que me parece realmente importante é: "...Foram mais fortes colectiva e individualmente...Eles ganharam todos os lances individuais e foram muito mais intensos". Isso leva-me directamente à um artigo do Lateral-esquerdo aqui : "Sobretudo lembrando que os níveis não só físicos mas muito de concentração devem estar mais do que nunca altíssimos".

Importa, portanto, lembrar aquilo que venho defendendo, tal como Rui Faria, ser o mais importante: Intensidade de Concentração. Um jogador pode estar bem "fisicamente" mas se não estiver ao mesmo nível no que toca a concentração, de nada lhe vai valer, no futebol, ter os músculos prontos para o esforço. Mourinho disse :"O jogador é globalidade", "Não consigo separar o físico, do técnico e do táctico", "O desgaste é sobretudo emocional", etc, etc, etc.
Nesses termos, Mourinho e Rui Faria não fizeram tudo que estava dentro das suas possibilidades para que pudessem diminuir, em número, esses tais erros individuais de que ele fala. Sobretudo porque eles surgem da falta de concentração, intensidade de concentração.
O Real apresentou no onze inicial 4 jogadores que não competiam há dez dias: Ramos, Coentrão, Khedira, Alonso. Nesse espaço de tempo, Pepe jogou apenas 30 minutos e Higuain 40 (deste divididos em dois jogos, 19 minutos dia 14 e 18 minutos dia 20). No total são 6 jogadores que não estavam devidamente "carregados", no que toca a concentração, pela falta de um estímulo forte (minutos de jogo). De ressalvar que caso Marcelo não se tivesse lesionado, provavelmente, Varane seria mais um na lista de jogadores que necessitavam desse estímulo. O último jogo do Real, tal como o do Dortmund, para o campeonato foi dia 20 e o jogo da Champions foi dia 24. Havia três dias de recuperação garantidos e portanto não percebo a opção de Mourinho em não ter dado o estímulo devido a quem fosse alinhar na Alemanha. No onze do Borussia, estavam 10 jogadores que tinham alinhado, de início, na jornada anterior do seu campeonato.
Admito que Mourinho pudesse ter pensado nas lesões, mas esse risco não compensa a falta de intensidade de concentração que os jogadores apresentaram, para um jogo desta importância.
Admito, também, que pudesse ter pensado que as "Meias" da competição mais importante do mundo seriam um estímulo, suficientemente, forte para que os jogadores estivessem com os índices de concentração no máximo. Mas pego, novamente, numa frase dele: "o jogador de futebol é um animal de hábitos", ou seja, quanto menos estímulos recebermos, que nos obriguem a manter índices de concentração elevados, pior será o nosso desempenho quando nos for exigida alta intensidade de concentração e consequentemente maior será o desgaste. De realçar que os jogos do Real para o campeonato não têm sido, também, um grande estímulo para a concentração por não estarem a lutar por qualquer tipo de objectivo. Os jogadores jogam sem pressão e a concentração que metem nestes jogos em nada se compara a que meteriam se estivessem, por exemplo, a lutar pelo campeonato de forma a que a abordagem a cada lance fosse decisiva. Dessa forma, mais lógico ainda me parece que o Real deveria, mesmo, ter alinhado com o onze de Dortmund no campeonato.
No ano passado ele perdeu por falta de tempo de recuperação, este ano perdeu a primeira mão por excesso de dias sem competição.

Klopp fez um trabalho fantástico do ponto de vista da gestão da equipa e apresentou melhor futebol, muito melhor futebol que o Madrid. A alegria e energia detse senhor, conjugado com o seu conhecimento táctico tem-me contagiado todos os dias. Repararam naquele livre do Ronaldo, ainda na primeira parte, na expressão dele? Isso é futebol!

Não compreendo a proposta de jogo do Real. O estilo de jogo da equipa é inversamente proporcional à qualidade dos jogadores.
Varane parece um sénior a jogar ao lado de um juvenil (Pepe).


4 comentários:

Luis Santos disse...

Boas!

O Klopp é sem dúvida das personagens mais engraçadas do futebol. Ontem no final do jogo: http://www.youtube.com/watch?v=3PPcx_rnyzc

O Real nem parece uma equipa do Mourinho... Desequilibrada, defende mal, muitos erros individuais... Ver a inteligência e classe do Inter (do Mourinho) e deste Real é como a água e o vinho.

Abraço!

Blessing Lumueno disse...

Boas Luís,
ainda estou à espera da análise do lateral esquerdo para tirar conclusões,mas sim defenderam muito mal.
Pepe então farta-se de fazer asneiras.
O Inter não tem nada haver com a desorganização que é o Real deste ano. Não parece de todo uma equipa dele.

Quanto ao Klopp, estou a ficar apaixonado hahahaha

Anónimo disse...

De facto a intensidade que o Dortmundo teve neste jogo foi brutal. No jogo contra o Málaga tive a fazer análise de jogo do Dortmund e eles têm aquilo que no Lateral Esquerdo chamam de "agressividade posicional". A velocidade a que se posicionam em cobertura, em contençao e novamente em cobertura é qualquer coisa de fantástico. A forma organizada como estrangulam o espaço de jogo é quase perfeita.

O Real é uma equipa muito complicada. Ter apenas um objectivo e este ser tudo ou nada e muito pesado e nota-se que está um equipa desconcetrada e sobretudo incostante nas suas acções em campo.

Abraço e continuação de um bom trabalho, este blog já me conquistou :)

Sérgio

Blessing Lumueno disse...

Muito obrigado Sérgio,
Mas sim eles são, talvez, a equipa mais forte em prova ao nível da intensidade e da agressividade sobre o espaço. Admiro muito esta equipa, porque não tendo nem de perto os melhores jogadores em prova, é tão forte colectivamente que consegue fazer "disparates" desses. Pega no campeão espanhol e da-lhe 4-1, tranquilamente...

Abraço