Posse de bola no Facebook

Translate

terça-feira, abril 02, 2013

Carta aberta aos meus jogadores

O André (Treinamos juntos a mesma equipa) disse uma frase interessante, sobre dois jogadores nossos que
actuam na mesma posição durante a sessão de treinos de ontem: "A decisão foi tão diferente, mas tão diferente que as duas situações eram iguais mas para quem vê de fora nem parece a mesma jogada..."

Passeava hoje pelo lateral-esquerdo e surgiu istoisto (link do golo aqui), e mais importante de tudo está aqui.

A situação de treino foi a mesma, situação de jogo GR+8x8 com os dois jogadores a encontrarem espaço de frente para a defensiva contrária. O mesmo colega (Avançado) fez a mesma desmarcação de rotura e para a defesa ficar batida pelo movimento e pelo passe, pedia-se um passe no espaço para não travar a corrida do colega e coloca-lo na cara do golo. Como podem imaginar um decidiu bem (como já é recorrente) e outro decidiu mal.

O problema disto é só um: A maioria das pessoas "pensa" que o jogo é fácil!
Não é  amigos, não o é! E só se diz isso, por não se pensar sobre o jogo...
Jogar BEM futebol é bastante difícil, e não é para todas as cabeças porque ao contrário do que se diz, futebol exige pensar.
Para jogar bem é preciso ter conhecimento do jogo. É preciso entender que esse conhecimento vai facilitar o nosso processo de decisão. E é preciso querer fazer do jogo o que ele é verdadeiramente: Um jogo "PENSANTE".
É preciso tanta concentração nos 90 minutos de jogo, como no tempo de treino. É preciso ter a intensidade de concentração de que fala Rui Faria, porque todo o processo treino tem um objectivo específico: Melhorar a vossa capacidade enquanto jogadores de futebol!

Há uns meses atrás falava eu com o jogador, que acertou a decisão, para dar Feedback de uma situação de treino onde ele tinha errado. Chamei pelo nome dele e ele logo respondeu, sem que eu tivesse tempo de intervir: "Sim Mister, devia ter metido a bola no espaço!"
Ora isso é ou não é de alguém que tem conhecimento do jogo? É ou não é de alguém que está a pensar no que está a fazer, percebendo imediatamente que errou, onde está o erro e como fazer melhor? Ora isto é ou não é de alguém que pode, desde já, com o conhecimento que tem tornar-se auto-suficiente na resolução de quase todos os problemas que o jogo possa trazer? Isto é ou não é de alguém que "bebe" e potencializa tudo o que os treinadores têm para oferecer? Isto é ou não é de alguém que vai continuar a tomar boas decisões, aproximando a sua equipa do sucesso? Isto é ou não é um jogador de futebol!?

Não é por acaso que, hoje, ele é, reconhecidamente pelos colegas, uma peça fundamental na equipa. Alguns o apelidam de patrão... As pessoas não percebem, mas a melhoria dele em termos de jogo deveu-se a um e um só motivo: Pensar em movimento! Pensar em movimento com e sem bola!

8 comentários:

Miguel Nunes disse...

95 por cento das pessoas q apenas vêm futebol e uma larga percentagem de outros que até o jogam, nc saberão...

Blessing Lumueno disse...

E é uma pena, porque há miudos com imenso potencial que poderiam se nos deixassem ajudar chegar lá acima. Pois temos alguns privilégios em relação as categorias de base. Apesar do potencial físico e técnico, eu e sobretudo o André nos recusamos a levar gajos sem cérebro para lá.

Ferra disse...

É por isso que em 90% das situações vou sempre preferir a inteligência à técnica ou capacidade física...

Luis Santos disse...

Blessing, acho que vais gostar de ler:
http://www.ole.com.ar/blogs/la_mirada_de_latorre/Ensenar-pensar_7_892780714.html

Sobre o Ramón Díaz dizer que o Iturbe tem dificuldades tácticas e sobre tomada de decisão.

Cumprimentos,
Luís Santos

Gonçalo Matos disse...

Estou com o Ferra, um jogador inteligente sair-se-à melhor que um jogador pouco perspicaz na maioria das situações. Até porque o jogador inteligente conhece as suas limitações melhor que ninguém e sabe como ultrapassá-las. também defensivamente esses jogadores são fortes, principalmente por terem a capacidade de se posicionar em função do que pede o jogo

Blessing Lumueno disse...

Exacto Luis, não só gostei, como vou partilhar algumas partes mais relevantes do texto dele.
É exactamente esse tipo de acção que espero dos treinadores e dos jogadores espera-se vontade de saber mais.

Abraço

Postiga disse...

Muito bom texto, concordo a 200%. Parece-me que o presente-futuro só pode ser por aí, trabalhar a cabeça do jogador porque cada vez mais cedo o fisico esta preparado para enfrentar os jogos, agora a maturação do jogador é que quanto mais cedo chegar, melhor para todos e isso é trabalho de treinador

Blessing Lumueno disse...

Postiga: É preciso também que os jogadores estejam receptivos a esse tipo de trabalho. E por experiência de campo, sei que nem todos estão. O que é uma pena, porque alguns deles podiam mesmo chegar lá, se assim o entendessem.

Abraço