Posse de bola no Facebook

Translate

quinta-feira, abril 04, 2013

Aos ingleses o que é inglês

O treinador do Newcastle diz que o Benfica estaria a lutar por um notável 10º lugar na liga inglesa.
Os próprios ingleses já reconheceram que não percebem nada de futebol, ao colocarem no comando de 20 das suas equipas profissionais apenas 4 treinadores ingleses. Existem de facto outros 7 de origem britânica e 9 provenientes do Resto do Mundo. E não há maior atestado de incompetência que esse. Neste momento, para o futebol mundial e para os próprios ingleses, é claro que eles de futebol pescam muito pouco. Encontrar um treinador Inglês que perceba realmente de futebol, seria um exercício que testaria a paciência do próprio Dalai Lama.
Quantos treinadores ingleses ganharam grandes competições (Campeonatos de equipas ou selecções e taças continentais) nos últimos anos?
E se a competência não pode ser avaliada por títulos (como eu defendo), então quantos treinadores ingleses lideraram equipas que jogavam bem nos últimos 15 anos? Quantos treinadores ingleses passaram pelo comando de grandes equipa inglesas ou mundiais nesse mesmo período de tempo? E a selecção inglesa?

A maior parte da malta fica entusiasmada ao ver o campeonato inglês e considera-o como um dos melhores do mundo. Mas considera-o assim pelas piores razões. Ou melhor, não pelas melhores razões: Agressividade, esforço, espírito competitivo, força, velocidade, etc, etc, etc... Então e futebol? E futebol?
Se isso são capacidades interessantes, digo com toda a minha convicção que são as menos importantes num jogador de futebol. De que valem os atributos físicos sem o cérebro? Valem zero... Repare-se nos atributos daqueles que são considerados, por unanimidade, constituintes da melhor equipa de sempre. Agora reparem nas melhores qualidades da maior parte desses jogadores. Reparem mesmo na estrutura física deles. Reparem no tipo de jogo que eles fazem e pensem sobre que adjectivos usariam para o caracterizar...
Então se a melhor equipa que vi jogar, por fazer do jogo o que ele é, tem outros atributos, porque raio o campeonato inglês é considerado dos melhores do mundo, ou até o melhor?

A resposta é só uma: Têm melhores executantes que o resto dos campeonatos e como tal conseguem muitas vezes que as suas individualidades vençam equipas mais competentes. O campeonato inglês é menos interessante do que outros campeonatos europeus menos cotados, onde a qualidade individual é menor, mas joga-se mais futebol (qualidade colectiva). E de certeza absoluta que não é o melhor campeonato de futebol do mundo.
Se o campeonato português, com os treinadores actuais, tivesse a qualidade (individual) que a liga inglesa tem, nos próximos 5 anos venceríamos 2 Ligas dos Campeões e 2 Ligas Europa, no mínimo!

É convicção minha que os treinadores nacionais estão muito mais preparados que os britânicos. É convicção minha que o Benfica ou o Porto (tal como estão) na liga inglesa estariam, no mínimo, a fazer o mesmo que os Spurs de AVB. É convicção minha que a maioria dos treinadores da liga inglesa não iria ter sucesso em Portugal, por um e um só motivo: Conhecimento vs Operacionalização!

Recupero o texto do entredez de 2007, aqui. Divirtam-se :)

12 comentários:

DC disse...

Totalmente de acordo. Basta dizer que nunca um treinador inglês ganhou a Premier League (existe desde 1992).

E também não considero o campeoanto inglês o melhor, acho que qualquer equipa do meio da tabela espanhola é tacticamente mais interessante que uma equipa inglesa.
E a cultura da agressividade em Inglaterra onde um Roy Keane é considerado um herói incomoda-me bastante.

Gonçalo Matos disse...

Blessing, concordo contigo que os treinadores ingleses e britanicos em geral (exceptuando o Ferguson) não são bons, são fracos tacticamente, sao fracos no treino e não evoluiram muito no tempo. No entanto para mim, o campeonato inglês continua a ser melhor do Mundo.
Eu percebo o teu ponto de vista, mas o teu ponto de vista é de alguém que pensa o jogo de uma perspectiva diferente de 99% das pessoas.
O futebol é um espectáculo de massas e acima de tudo, o que interessa é o espectáculo. Para a maioria das pessoas o espectáculo é precisamente os golos, o ataque-contraataque, transições rápidas, o crer e a entrega dos jogadores. Quando vês um jogo em Inglaterra tu sabes que vais ver espectáculo, seja o Chelsea vs Man Utd ou o Wigan vs QPR. Além disso é um campeonato que te oferece uma grande variedade de modelos de jogo e isso pra mim é interessante. Tens equipas que jogam directo (Norwich ou Stoke), tens equipas que jogam em transições rápidas (Swansea), tens equipas boas tácticamente (Tottenham) que jogam apoiado (Liverpool ou Arsenal) e tens jogadores com muita qualidade, claro.
Do ponto de vista intelectual não será a melhor, mas desse ponto de vista a melhor é a italiana.
Ambos sabemos que nem todas as equipas podem jogar à Barcelona, mesmo tendo os mesmos treinos que o Barça..
Entretanto, qual é para ti a melhor liga do Mundo? E porquê?

Gonçalo Matos disse...

Um treinador britânico que admiro é o Tony Pullis, o do Stoke. O plantel do Stoke é dos mais limitados tecnicamente e o seu treinador sabe disso. Em função disso trabalhou da melhor maneira possível um aspecto em que a equipa se poderia superiorizar, as bolas paradas. O Stoke nos seus primeiros anos na Premier era conhecido por viver de lançamentos longos, do Delap, que pareciam cantos. Objectivamente estes lances resultaram em vários golos, assim como lances de livre ou cantos.
No final da época o Pullis conseguiu manter o Stoke e mais recentemente conduziu o clube na sua primeira participação da Liga Europa.

O Pullis compreendeu quais as limitações da sua equipa e em função disso montou uma estratégia vencedora. Eu considero que fez um excelente trabalho, mas gostava de saber a tua opinião!

fred disse...

Blessing estou de acordo contigo, apenas uma achega, eu arriscava-me a dizer que Jesus ou Vitor Pereira Em Inglaterra não iam ter o sucesso que teve MOurinho só por isto, Mourinho adapta-se a qualquer campeonato, a adaptabilidade é nos dias de hoje um critério para se ter sucesso em qualquer campeonato. O treinador Portugues é dos melhores a tirar rendimento dentro de uma cultura de posse e passe curto, implementar isso em Inglaterra é meio caminho para o a desgraça, basta ver o Chelsea de Mourinho com Duff e Robem em transições rápidas para o Chelsea de Vilas boas em posse.

Blessing Lumueno disse...

Gonçalo: A questão não é a validade do modelo, nem tão pouco os méritos da estratégia adoptada...
Percebeste mal...
Vou voltar ao mesmo do texto anterior: cumprimento dos princípios gerais de jogo... Esses princípios tem de estar em qualquer equipa de qualidade, independentemente do modelo... Criação de superioridade numérica... Evitar igualdade numérica... Rejeitar inferioridade numérica...
Independentemente de jogadores directo ou apoiado tens de ter isso...
Agora repara nos comportamentos das equipas inglesas... É caótico... Ocupação irracional dos espaços, princípios defensivos como coberturas, equilíbrio ou concentração não existem... Como disse no facebook, é muita correria e pouco futebol... O espectáculo é por causa dos golos e isso deve-se a falta de organização das equipas... Então derivado dessa falta de organização eles compensam com os tais atributos que toda gente elogia....

Fred : qualquer equipa inglesa que jogue de forma diferente das outras e mais organizada é um imediato caso de sucesso... O Chelsea era muito pouco inglês quando Mourinho lá esteve. Avb teve azar de os jogadores não estarem com ele... Quanto ao jogar directo, o Arsenal não o faz e tem sucesso. Só não tem mais porque defende muito mal.

Para mim além do United e do Arsenal, pouco mais existe lá...

Blessing Lumueno disse...

Quanto a liga italiana considero-a do nível da nossa só que com melhores executantes... Ao nível de treinadores não acho que tenham muitos ou alguns melhores que os nossos... A liga espanhola é muito boa e de facto a melhor... Atrás ou ao mesmo nível a alemã, só que lá está com piores executantes. Pelo menos naseequipas de top.

rnrportela disse...

nem de propósito:

http://www.record.xl.pt/Futebol/Internacional/espanha/interior.aspx?content_id=813869

Afirmação motivada unicamente pelo dinheiro? Ou VV não faz ideia do que é o jogo da sua própria equipa?

Blessing Lumueno disse...

Para finalizar Fred, Mourinho só teve uma equipa de posse. O FCP. Todas as outras jogavam como ele mais gostava: "Gosto do futebol directo, dinâmico, rápido, intenso, de transições fortes"
Mourinho 2012/2013.
E como disse o problema não é jogar directo ou em posse. É fazer um bom jogo dentro de cada modelo.

Blessing Lumueno disse...

100% de acordo!

Blessing Lumueno disse...

Post inspirado pelo que colocaste.
Abraço

Há gente que tem outro tipo de motivações no futebol, que não passam propriamente por conseguir estar numa organização realmente boa. Ele parece estar cansado, também por já ter ganho tudo.
Ele sabe bem o que é o Barcelona... Só quer viajar... Não me parece que seja uma questão financeira... Mas sim de realização pessoal...

Gonçalo Matos disse...

É dificil dizer qual é a melhore nacionalidade de treinadores neste momento, pelo menos para mim. Os treinadores italianos são todos muito fortes no aspecto tactico defensivo, dificilmente apanharás uma equipa italiana em inferioridade numérica defensiva mas depois a manta fica curta do aspecto ofensivo (salvo algumas excepções). Os treinadores espanhois são fortes no aspecto ofensivo, na criação da tal superioridade de individuos na fase de ataque (gosto de ver por exemplo a Real Sociedad a conseguir contra-atacar com muitos homens).
Os portugueses para mim são uma mistura dos dois, e acho que isso inclusivé se reflecte na nossa selecção, que é forte em ambos os aspectos.
Quanto aos alemães, tirando Bayern e Dortmund acho que as restantes equipas são "pobres" nos aspectos que referiste, são mais "inglesas".

Blessing Lumueno disse...

Não concordo que as equipas alemãs não o cumpram... Jogam directo, sim, tal como Dormund... Mas tentam garantir concentração defensiva. E no jogo directo, normalmente jogam na tentativa de criar superioridade no ataque.